quinta-feira, 27 de maio de 2010

CAMPEONATOS NACIONAIS DE DESPORTO ESCOLAR 2009/2010: A ANTEVISÃO DO PROFESSOR RICARDO CHUMBINHO

.


Disputados ininterruptamente desde 1997, os Campeonatos Nacionais de Orientação de Desporto Escolar conhecem, já a partir de amanhã e até domingo, a sua 14ª edição. Pretexto mais do que suficiente para uma conversa com a pessoa que “congrega e coordena vontades e empenhamentos” para que o evento possa ser um sucesso. É com o Professor Ricardo Chumbinho, Coordenador Nacional de Orientação do Desporto Escolar, que trocamos uma vez mais impressões.


Orientovar - Enquanto Coordenador Nacional de Orientação do Desporto Escolar, os Campeonatos Nacionais já não são novidade para si. Alguma emoção e expectativa especial relativamente à presente edição ou mera rotina?

Professor Ricardo Chumbinho - Na função específica de Coordenador Nacional da Modalidade... nem sei ao certo em quantos Campeonatos Nacionais terei estado envolvido, mas já são de facto alguns. Não há, nunca, lugar a qualquer sentimento ou acomodação a uma rotina uma vez que, se outros motivos não existissem, a própria natureza da modalidade, cujas competições se disputam sempre em condições diferentes, assim o imporia. Por outro lado, a circunstância de os Nacionais se disputarem todos os anos numa cidade diferente, com enquadramentos e parceiros institucionais diferentes, com colaboradores locais diferentes, por vezes com programas diferentes, etc., também não permitiriam nunca que se instalasse qualquer rotina. Contudo, e muito para além dos aspectos referidos, o dia em que sinta que se está a instalar qualquer tique de rotina, será então o dia em que deixarei de ter condições para desempenhar as minhas funções com total entrega e dedicação, pelo que será também o dia em que terei que procurar outros desafios. Daqui ainda não consigo vislumbrar esse dia, pelo menos pelos motivos apontados.

Orientovar - A realização dos Nacionais em Águeda prende-se com razões conjunturais, até porque há mais modalidades envolvidas e que se distribuem por toda esta região Sul do Distrito de Aveiro. Pessoalmente, se dependesse de si, elegeria Águeda para sede dos Nacionais de Orientação?

Professor Ricardo Chumbinho - Todos os anos o Gabinete Coordenador do Desporto Escolar [GCDE] recebe uma ou mais candidaturas de Direcções Regionais de Educação [DRE], habitualmente em parceria com Autarquias, apontando uma cidade ou região como palco para os Campeonatos Nacionais. Estes englobam todos os anos um conjunto de modalidades cujo número rondará as quinze, sendo que cada candidatura prevê, desde logo, um determinado local para a disputa de cada modalidade em função de diversos critérios. O GCDE analisa as candidaturas e atribui a uma DRE os Nacionais, definindo indirectamente desta forma o local de realização de cada modalidade.

.
Este ano, e no que à Orientação diz respeito, rumaremos a Águeda. Não aceitarei o desafio subtilmente colocado de me pronunciar sobre as condições deste local para a prática da nossa modalidade. Prefiro dar antes testemunho de todo o empenho e dedicação que o Carlos Ferreira, do Desportivo Atlético de Recardães, professor numa escola de Águeda e membro da Organização local com a responsabilidade de colaborar com o Coordenador Nacional da Modalidade na operacionalização do evento de Orientação, tem colocado nesta organização, sendo certo que a mesma será um sucesso e em muito ao Carlos Ferreira se deve. De resto, parafraseando um sueco que desconheço mas que já ouvi ser citado sobre esta temática, não há bons nem maus terrenos para a Orientação, mas sim bons ou maus mapas e percursos, em terrenos que podem ser mais ou menos interessantes.


Orientovar - Que desafios coloca uma Organização destas ao Coordenador Nacional?

Professor Ricardo Chumbinho - Ao Coordenador Nacional compete trabalhar em articulação com a equipa local - que é quem verdadeiramente operacionaliza o evento no terreno -, avançando com sugestões e propostas em função da sua experiência de anteriores Nacionais e daquele que é o espírito inerente ao Desporto Escolar, fazendo a ponte entre a “sua” modalidade e a organização global do evento, procurando garantir as melhores condições para a disputa da competição e intervindo junto da Federação Portuguesa de Orientação, enquanto parceira do evento, no sentido de garantir os apoios técnicos e materiais necessários para a prova. O Coordenador Nacional da Modalidade representa pois um ponto de convergência de um conjunto de vontades e empenhamentos, sendo essencial que consiga congregar e coordenar tais vontades e empenhamentos a bem do evento.

Paralelamente há que organizar, em articulação com o GCDE, toda a informação a fazer sair para as Direcções Regionais, que se concretiza no Programa Específico e Fichas de Inscrição. Antes de tudo isto, compete igualmente ao Coordenador Nacional de Modalidade acompanhar e estar disponível para colaborar com as DRE na Organização dos seus Quadros Competitivos Regionais, dos quais sairão os alunos e equipas apuradas para o Nacional. Apesar de as diferentes DRE optarem por figurinos competitivos diferenciados em função da sua realidade própria, este processo de apuramento terá início normalmente nas competições locais, que se destinam aos escalões de Infantil a Júnior; segue-se uma competição regional para Iniciados e Juvenis e daqui segue-se para o Nacional. No caso da Orientação, os Nacionais destinam-se aos escalões de Iniciados e Juvenis.


Orientovar - O facto de 2010 não ser ano de Campeonato do Mundo faz com que se possa pensar numa menor competitividade?

Professor Ricardo Chumbinho - Não creio que esse facto seja sinónimo de diminuição da competitividade. Pelo facto de o Mundial, quando há, ter lugar no mês de Abril, esta é uma competição que decorre em paralelo com o Quadro Competitivo Nacional, já que há que fazer um apuramento específico até final de Janeiro para as equipas de escola. De resto, seja no Desporto Escolar ou em qualquer outro contexto, o título de Campeão Nacional será sempre algo de muito apetecível especialmente para um jovem. Uma última nota sobre a questão do Mundial vs Nacional, que muitos desconhecem, para dizer que o processo de escolha dos elementos que integraram as selecções no Mundial de Madrid em 2009, começou precisamente... com os resultados obtidos no Nacional de 2008 em Évora. E para o ano há novamente Mundial!

Orientovar - Entre todos os presentes em Águeda, muitos há para quem estes serão os últimos Nacionais, enquanto outros virão pela primeira vez, naturalmente. Consegue estabelecer uma comparação entre estas duas “fornadas”?

Professor Ricardo Chumbinho – Devido a ter pouco contacto com os atletas de regiões diferentes da minha, circunstância agravada pelo facto de este ano ter tido uma participação quase nula em provas de Orientação enquanto praticante, é-me difícil estabelecer com alguma dose de fiabilidade tal comparação a nível nacional. Se nos cingirmos à região da Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo [DRELVT], ao olhar para os atletas mais jovens que estarão no Nacional e tentar compará-los com o que eram os actuais “veteranos” há dois ou três anos atrás, penso que há motivos para confiar no futuro, assim os mais jovens venham a ter as mesmas oportunidades que os mais velhos também tiveram. Acredito que esta constatação encontre paralelo nas outras regiões do país.

Orientovar - Estes Nacionais encerram uma grande novidade chamada Orientação de Precisão. Qual a razão de ser desta iniciativa e, concretamente, o que está previsto?

Professor Ricardo Chumbinho - É verdade. Acompanhando a tendência que se verifica na modalidade no nosso país, também o Desporto Escolar começa a dar alguma atenção à Orientação de Precisão não só pelo facto de ser uma disciplina da Orientação, mas também pelo enorme potencial que tem na formação e desenvolvimento de algumas competências importantes para os praticantes da Orientação Pedestre. Para além de iniciativas em que algumas escolas já estiveram envolvidas, mesmo fora do Desporto Escolar, o Campeonato Regional da DRELVT já integrou um evento de Orientação de Precisão. No Nacional iremos assistir novamente a um evento desta natureza integrado no programa.

Será uma prova essencialmente de promoção e convívio a que não se deverá chamar “Campeonato Nacional”, e que vai abrir o programa logo na sexta-feira. Será disputada por pares, com estes a serem formados de maneira a integrarem jovens de diferentes proveniências. Uma vez que a constituição dos pares apenas será conhecida pouco tempo antes do início da prova, assistiremos provavelmente a um interessante frenesim de jovens a procurarem identificar o seu par. Os participantes serão essencialmente aqueles que vão participar no Campeonato Nacional, embora tenham também sido dirigidos convites a Escolas com projectos de Desporto Adaptado da Zona Centro. No futuro próximo gostaria que as Escolas que já desenvolvem actividade de Desporto Adaptado no âmbito do Desporto Escolar – e há algumas! -, pudessem também começar a dedicar-se de alguma forma à modalidade. Procuraremos criar condições para que tal comece a verificar-se.

Orientovar - Os Nacionais não se esgotam na vertente competitiva. Do ponto de vista social, que programa está preparado para os participantes?

Professor Ricardo Chumbinho - A vertente social, numa competição entre jovens que decorre no seio do Sistema Educativo, é tão ou mais importante do que a competitiva. Poderemos considerar dois momentos formais de carácter social: A Cerimónia de Abertura a ter lugar na sexta-feira e a Noite de Convívio que tem lugar no sábado. A primeira tem um carácter mais formal mas dado o facto de ser a primeira vez que todos os participantes estarão juntos num mesmo local, e do respectivo alinhamento constarem habitualmente momentos de música, dança e animação, o ambiente de alegria tornar-se-á contagiante; a Noite de Convívio é totalmente dedicada à sociabilização dos jovens e tem normalmente lugar num espaço preparado com música e outras atracções, sendo que, pelo facto de na manhã seguinte ainda haver competição, terá que terminar necessariamente mais cedo do que todos gostariam. Entretanto haverá todos os momentos informais de convívio dos quais os jovens sabem tão bem tirar partido, sendo que no nosso caso específico também o evento de Orientação de Precisão terá esse cunho.

Orientovar - Quer deixar uma mensagem a todos quantos marcarão presença nestes Nacionais 2009/2010?

Professor Ricardo Chumbinho - A mensagem só pode ser uma: Acima de tudo que tirem o maior partido da sua presença nesta festa conseguindo conciliar da melhor forma possível as vertentes desportiva e social, não perdendo de vista que para aqui chegarem muitos outros tiveram que ficar pelo caminho. Espero, pois, uma postura séria, honesta e muito digna dos que cá estão também em sua representação. Que estes Nacionais possam ficar na memória de todos pelos melhores motivos!

[Saiba tudo sobre os Campeonatos Nacionais de Orientação de Desporto Escolar consultando a página oficial do evento em
https://sites.google.com/site/nacionais2010/orientacao]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO


.

Sem comentários: