sexta-feira, 21 de maio de 2010

8th MTB WOC & 3rd MTB JWOC 2010: EMISSÃO ESPECIAL NO "LUGAR CATIVO"

.

Pela mão desse enorme vulto do jornalismo português, Fernando Correia, a Orientação voltou a um espaço que lhe é querido e onde começa a ter “lugar cativo”. Foi ontem ao cair da tarde, no Rádio Clube Português, uma emissão que o Orientovar acompanhou com deleite e cujo resumo traz hoje até si.

A habitual edição de final de tarde do programa “Lugar Cativo”, do Rádio Clube Português, teve ontem dois ilustres convidados bem conhecidos destas lides da Orientação. Num programa conduzido por Fernando Correia e dedicado aos Campeonatos Mundiais de Orientação em BTT, que terão lugar na região de Barroso e Alto-Tâmega de 9 a 18 de Julho, em estúdio estiveram Eduardo Oliveira, o Director-Geral do evento e Daniel Marques, o melhor orientista em BTT português de sempre.

Ao longo de cinquenta minutos de programa, foi uma delícia ouvir falar tanto de Orientação. Com efeito, Fernando Correia deu "roda livre" aos seus dois convidados e, mesmo descontando as intervenções dos ouvintes - que, na verdade, pouco ou nada tiveram a ver com Orientação e apenas serviram para lhe “roubar” dezoito minutos e meio! -, foi sem dúvida dos momentos mais bem conseguidos a este nível, numa rádio de expressão nacional e num programa com tantos milhares de indefectíveis seguidores.

A primeira intervenção pertenceu a Eduardo Oliveira, dando a ver o nosso desporto duma forma geral, chamando a atenção para “um conjunto de desafios” que encerra, misturando numa mesma malha “competição, lazer e aventura” e, numa piscadela de olho ao futebol, estabelecendo uma comparação entre o que serão vinte e dois jogadores no relvado e o resto a ver e aquilo que se passa na Orientação, com “toda a gente na floresta, ao mesmo tempo”. Depois foi a vez de Daniel Marques dar a sua opinião, invocando o nosso desporto como “desporto da família” e acrescentando-lhe os predicados de “muita amizade e valor social”.

Entrando no assunto que os levou ali, os Mundiais de Orientação em BTT, Eduardo Oliveira realçou o facto de se tratar dum “Campeonato ao mais alto nível”, olhando de relance os escalões em prova, os títulos em disputa e o "programa das festas". Daniel Marques acrescentou o ponto de vista de quem vai competir, para referir que o esperam muitas dificuldades. “Não somos profissionais”, acrescentou, para concluir que todo o esforço é feito “em nome da Orientação e para dignificar o País”. E ainda um desejo: “Divertir-me, sem grande stress”.

O espaço dado aos ouvintes levou o programa para o campo do futebol e abordaram-se, de forma circunstancial, temas como “profissionalismo e Orientação” ou “exemplos de fair-play”. Aqui o destaque vai para a superior intervenção de Daniel Marques, recordando a terrível Estafeta dos mundiais WOC Miskolc 2009, o acidente sofrido por Martin Johansson e esse exemplo superior de civismo e camaradagem protagonizado por Gueorgiou, Nordberg e Smola, que abdicaram dum título para socorrer um seu igual. Tempo ainda para ouvirmos os dois convidados confessarem-se “simpatizantes do Benfica”, com Eduardo Oliveira a vincar: “Mas só simpatizante!”

A caminhar para o final, o programa “Lugar Cativo” deu ainda oportunidade a Eduardo Oliveira de referir as “25 selecções confirmadas até ao momento” e de apontar Portugal como um exemplo de “capacidade e qualidade organizativa”. Daniel Marques diria ainda que, na sua opinião, “o País mais desenvolvido na modalidade é a República Checa”.

Na minha modesta opinião, para quem está de fora e não tem qualquer familiaridade com a Orientação, ficou um programa recheado de motivos de interesse, pelo que os dois interlocutores estão de parabéns. De parabéns está igualmente Fernando Correia, cada vez mais especialista nestas coisas da Orientação. Pena foi que ninguém tivesse dito – e o Daniel Marques merecia-o – que estava ali em estúdio o nº 21 do ‘ranking’ mundial. É que não são muitos os desportos individuais em Portugal que se orgulham de ter nas suas fileiras um atleta com tão elevada cotação.

Um breve aparte para a chamada de atenção dum ouvinte, jornalista e colaborador do saudoso Diário Desportivo, chamando a atenção que foi com ele e com o Fernando Correia que, naquele jornal, se começou a dar alguma notoriedade ao nosso desporto. O Orientovar lembra-se bem disso, dessas páginas coloridas com o doce perfume da Orientação que, periodicamente, eram dadas à estampa e distribuidas gratuitamente um pouco por todo o País. Tratava-se dos episódios do primeiro NAOM, em Nisa, nos idos de 2007, mais tade reunidos em livro de que resultou o primeiro volume das “Crónicas”.

Pode escutar
AQUI o programa completo, numa gentileza de Nuno José de Almeida e das suas “expressões do pensamento”.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: