domingo, 18 de abril de 2010

ORIENTOVAR, QUE FUTURO?

.

Por vezes precisamos de dar uns passos atrás para termos uma visão completa do quadro. A vez do Orientovar chegou. Reequacionar, redefinir e partir para um novo Orientovar, eis a questão.

Aquilo que começou por ser um devaneio, transformou-se numa paixão. Escrever de e para a Orientação tem ocupado os meus interesses e absorvido toda a minha atenção nos últimos dois anos. O resultado está aí à vista de todos, assim o saibam julgar.

Todavia, algumas questões se colocam. Tem a linha informativa e formativa do Blogue sabido acompanhar o desenvolvimento natural da nossa Orientação? A liberdade de expressão aqui valorizada e incentivada tem sido devidamente compreendida? As opiniões produzidas e partilhadas representarão, de facto, uma mais-valia para a evolução da modalidade?

Pelos vistos há uma grande controvérsia na resposta a estas e outras questões. Sobretudo quando se percebe que a linha editorial do Orientovar começa a ser posta em causa por destacados agentes da modalidade e que vêem naquilo que aqui livremente se diz uma ameaça às suas linhas doutrinárias.

As graves acusações dirigidas à minha pessoa no rescaldo da jornada de Vinhais constituem motivo demasiado sério para me questionar sobre a validade do meu trabalho e a seriedade com que procuro desenvolvê-lo. Sobretudo, colocam-me de sobreaviso para o estado de “paz podre” que se vive no seio da modalidade e do qual me devo afastar. Por uma questão de moralidade e de princípios.

O Orientovar nasceu, cresceu e afirmou-se no pressuposto de se constituir numa ampla base de convergência e nunca o contrário. No actual estado das coisas, ao óbvio prejuízo do dispêndio de tempo e de energia, passa a juntar-se o desgaste emocional de me sentir assim como uma espécie de bode expiatório dum vasto rol de frustrações pessoais nessa insana e mesquinha luta pelos pequenos poderes.

Tal como o conhecemos o Orientovar acabou. Pesando a sua importância, compete-me perceber em que medida poderá o blogue voltar a ser útil para a modalidade no seu todo. Redefinir a linha editorial é tarefa para a qual conto com a sua ajuda. Retomar a actividade regular, na actual conjuntura, está fora de questão. É, pois, tempo de parar para pensar.
.
Saudações orientistas.
.
JOAQUIM MARGARIDO
.

25 comentários:

Ricardo Telmo disse...

Ola a todos!
Aqui em Inglaterra , aonde me encontro ,existem 2 ou 3 foruns, um pouco como o orientovar, em que todos os assuntos relativos a Orientacao( provas, regras etc..) sao discutidas ate a exaustao sem qualquer tipo de complexos, e isso no meu ver e positivo para a evolucao da modalidade.
Nao percebo a extrema sensibilidade em portugal de certas pessoas ou orgaos, toda e qualquer critica e discussao. So com a critica positiva e a analize dos aspetos positivos e negativos se consegue evoluir e fazer melhor, e nisso no meu ver a Orientovar tem tido 1 papel pioneiro e fundamental no espetro da Orientacao Portuguesa.
Abraco a todos
Ricardo Fernandes

fernando disse...

Boa tarde
Como todos sabem, o Orientovar ganhou fama e respeito em todo o Mundo orientista.
A incansável busca da noticia, a estatistica o desvendar de tudo o que fica incógnito na modalidade, os professores, os jovens, os vencedores, os organizadores,os cartografos, os supervisores etc.etc.
O Orientovar foi nestes últimos dois anos a nossa voz e uma forma de desvendar o nosso Mundo, um Mundo que deve ser de liberdade e em que todos puderam intervir.

Esperamos, que a alteração na linha editorial do Blog, não diminua todas as mais valias que o Orientovar conseguiu trazer para a modalidade.

Da minha parte deixo aqui toda a minha solidariedade e desejo de que voltes novamente a animar este espaço mágnifico de partilha.

Abraço
Fernando

Acacio disse...

Não tenho o prazer de o conhecer pessoalmente, nem ando envolvido a 100% na modalidade há uns tempos. No entanto, há uma problemática recorrente na Orientação, e penso que todos os que a praticam e/ou praticaram conhecem: a incapacidade de reconhecer que as regras existem por algum motivo.

Sejam desvios "porque beneficiam mais gente do que aqueles que prejudicam", sejam erros "que são aceitáveis porque somos todos voluntários" ou opiniões "que só servem para destruir a modalidade porque apontam os erros em vez das coisas boas", já vi de tudo desde que entrei na modalidade em 1996.

Por causa deste tipo de incidentes já morreu um fórum de discussão (por desistência, um atrás do outro, dos principais intervinientes, ao manifestarem uma opinião no sentido que acima indico), e corre agora o risco de morrer um dos poucos registos que me permite manter ao corrente do que se passa nesta modalidade.

Joaquim Margarido, por favor resista à tentação de se deixar abater por pessoas que deviam aprender a aceitar os seus erros.

Com os melhores cumprimentos,

Acácio Porta Nova JÚNIOR
FPO #1555

José disse...

A modalidade estava tão carente duma voz, que o Orientovar surgiu para a Orientação como o pão para a boca.
inicialmente, teve um papel mais informativo do agrado de todos.
Com o tempo foram surgindo casos e irregularidades no seio da orientação, na organização de provas, etc, que o autor não podia nem devia ignorar.
Aqui surge o busilis da questão, há «senhores» que se julgam intocáveis e tentam silenciar a voz da razão.
Independentemente, do novo rumo que queira dar ao blogue, espero que o autor mantenha a coerência e livre informação como o tem feito até aqui.

Dani disse...

Caro Joaquim Margarido,

tenho uma grande admiração por si!

As suas palavras honestas, sábias e amigas dão origem a histórias maravilhosas que o mundo da orientação tem. Como você diz:

"As histórias não são nada, quando não temos a quem contá-las"

Obrigado pelas histórias que nos contou, a orientação tem uma riqueza social, cultural e educativa que ninguém tão bem como você sabe divulgar.

As suas criticas são construtivas, pena seja que haja pessoas intolerantes e orgulhosas que não saibam ouvi-las.

Conte com o meu apoio para o que precisar, tenho-o como um amigo verdadeiro. E mais uma vez, muito OBRIGADO por tudo.

ALIX disse...

Margarido,

Vejo com tristeza o repetir de um episódio sem fim !!! Será redundante dizer-te que já passei pela mesma frustração e que ainda hoje não compreendo como a vaidade de "poucos" se sobrepõe ao interesse legitimo de todos.

O "monstro" que temos alimentado certamente não nos merece mas seguramente não trará nada de bom ao futuro da Orientação.

Em carta aberta recente o principal responsável pelo actual rumo para o abismo lamentava-se amargamente da falta de respeito generalizada pelo órgão soberano da Orientação. Os factos que relata falam por si e demonstram que ele próprio é o primeiro a pactuar com o "monstro" e a cobrir as suas leviandades.

Deixarás saudades a todos e sobretudo, peço-te que aceites os humildes cumprimentos de quem sempre te leu com emoção e paixão.

Um grande abraço do,
Alexandre

bo disse...

Olá Margarido

é compreensível a necessidade de parar para pensar, mas rapidamente se vai aperceber que o colectivo da orientação aprecia o seu "trabalho", amor e vibração neste nosso desporto.
Abraço
Bruno Oliveira

Cláudio Tereso disse...

Não estou a par do que se passou, mas uma coisa sei:
Se os jornais deixassem de ser publicados sempre que alguém se queixa deles, já não havia jornais em circulação.

Deixar que alguém ou alguma instituição silencie um repórter ou um jornal, ou neste caso um blog, é dar-lhe razão e dar-lhe mais poder do que lhe é devido.

Ser criticado, com ou sem razão, faz parte da vida de qualquer meio de divulgação. É preciso saber conviver com esse facto.

Paulo Pimentel Torres disse...

O meu apoio e abraço
espero continuar por aqui lendo as suas crónicas e noticias

João Ferreira disse...

Boa noite

Foi com enorme surpresa e tristeza que vi o post que colocou.

Sempre admirei muito o seu trabalho. Conseguiu em dois anos que muitos atletas corressem para os computadores nos finais das provas para verem as suas notícias e fotos, que se discutissem vários assuntos de enorme importância para a modalidade. Divulgou a modalidade dentro e fora do país sendo um blog de referência também no estrangeiro.
É muito bom quando estamos a competir no estrangeiro e vemos as notícias a serem lançadas ao minuto no blog com fantásticos artigos e uma pesquisa trabalhosa.

É inquestionável a sua dedicação e o admirável trabalho que realiza.

Pensar na Orientação em Portugal antes e depois de haver Orientovar...sinceramente seria dar muitos passos atrás. Se me perguntassem e passo a expressão do anúncio publicitário, Podias viver sem o Orientovar? Podia, mas não era a mesma coisa.

Espero realmente que continue...
Todos os orientistas deveriam estar gratos pelo empenho que sempre demonstrou.
Um muito obrigado por tudo.

Obrigado

Cumprimentos
João Ferreira

antunes disse...

Boa Noite Amigo Margarido;

Pelo pouco que conheço de si, não consigo imaginá-lo a deixar-se vencer pela hipocrizía instalada(em alguns)espero, experts que de há um tempo a esta parte se começaram a sentir incomodados com os seus comentários e com as discussões que os mesmos tem originado sobre determinados temas que os actuais mandatários da modalidae teimam em querer manter silenciados.
Será que não lhes basta fazerem um acto de contrição, acordarem e verificarem como em tão pouco tempo conseguiram fazer tanto para que hoje poucos ou nenhuns clube ou atletas se identifiquem minimamente com quem os dirige?Veja-se o caso da Assembleia Geral e da aderência que existiu a nível participativo.Isto não fará pensar quem dirige? ou terá sido apenas mais um pequeno percalço no seu entender e que com mais uns dias de silêncio tudo passa?
Hoje, acredito que 90% dos participantes deste desporto maravilhoso, abrem o site da FPO apenas para consultarem o Orientovar e se dúvidas houver,pois que se faça um inquérito e provavelmente talvês a percentagem ainda suba mais um pouco.
Com tudo isto, apenas lhe peço que não se deixe influênciar e muito menos vencer.Continue porque acho que tem todas as razões orientistas para o fazer.OBRIGADO

Cumprimentos
Rui Antunes

Vitor disse...

Queria deixar aqui toda a minha solidariedade e apoio ao Margarido.
O Orientovar tem sido um autentico maná. Um trabalho exemplar que alem de contar com a genialidade da escrita do seu autor, acredito que tem sido igualmente bem suado para manter o ritmo informativo a que nos habituou.
As análises e os temas de discussão que tem levantado de uma forma positiva e construtiva são essenciais para o crescimento da modalidade.
Espero que este percalço seja breve e que possamos continuar a desfrutar das suas excelentes "histórias".

Fernando Andrade. disse...

O Orientovar é um espaço da iniciativa livre do meu grande amigo Joaquim Margarido e que, pela dedicação que lhe tem prestado, competência na abordagem dos temas e na clareza com que os expõe, conseguiu cativar o mundo orientista.
Não se tratando de um órgão de comunicação oficial da tutela, não tinha qualquer obrigação de dizer apenas o que convém.
Não sei o que se terá passado, que tenha provocado um tal desencanto ao Margarido.
Talvez eu venha dizer algum disparate, mas não me custa nada acreditar que o sucesso obtido pelo Orientovar terá caído mal junto de quem gostava de capitalizar para si essas atenções.

Amigo Margarido
sabes que estarei sempre solidário contigo e sei que o teu trabalho no Orientovar te "enchia as medidas" porque tens estado a preencher um vazio no mundo da Orientação (segundo dizem os praticantes, que eu, só à distância acompanho a modalidade), mas tenho que te confessar que sinto saudades dos teus textos de " O Palco e a Vida" com cuja criatividade nos maravilhaste.
Sei que não querias prémios pelo teu trabalho, mas que houvesse, ao menos, o reconhecimento por parte dos dirigentes.
Se és "inconveniente" e decides calar-te estás a fazer um favor a quem te critica.
Compreendo, no entanto, o desalento. Também o "outro" às tantas disse que:
"Não mais, musa, não mais, que a lira tenho /Destemperada e a voz enrouquecida/ E não do canto...

Grande Abraço Margarido,que aqui ou noutro lugar qualquer, continuarei a acompanhar a tua deliciosa escrita.
FA

Rita disse...

Boa noite, amigo Margarido.
Tenho pena que tenha tido que tomar esta decisão, mas compreendo o seu desapontamento e tristeza.
Agradeço em nome pessoal tudo o que fez pela modalidade, tanto ao nível da divulgação como pelas histórias e pessoas que deu a conhecer.
espero continuar a encontrá-lo muitas vezes pela floresta! Até sempre!

António disse...

Caro Margarido,
Faço votos sinceros que este período de reflexão seja breve e nos volte a dar o prazer da Sua escrita por tudo que representa para a modalidade.
Um forte abraço,
AA

Margarida Novo disse...

Caro Joaquim Margarido,

Por favor, não se cale! No dia em que começamos a calar-nos porque ficamos tristes, cansados, desmotivados, são sempre os medíocres que beneficiam. Não quero acreditar que a sua opção seja desistir... Gosta demais da Orientação para o fazer e o seu blogue é fundamental para a modalidade. Esta é a minha mensagem principal para si, juntamente com toda a minha solidariedade e a promessa de que também não me calarei, mesmo que me aconselhem novamente a mudar para os OPTs, como fizeram ontem.

A mensagem secundária é que é por demais evidente que algo não está a correr bem nesta modalidade. Esse facto deve ser objecto de reflexão por todos os envolvidos e conhecedores. Para isso, precisamos de continuar a contar consigo!
Um abraço sentido,
Margarida Novo

Almeida disse...

Caro Joaquim,
Os combates ganham-se no campo de batalha.
Não tens o direito de desistir.
QUERO CONTINUAR A LER-TE.
Abraço

Ana disse...

Não tenho palavras!
Nem eu nem as centenas de pessoas que por aqui passam amiúde. È claro que não vamos deixar acabar o Orientovar tal como está, só porque não agrada a meia dúzia de pessoas que não gostam de ouvir as verdades e/ou reconhecer os erros! Este é um espaço importantíssimo, tanto de discussão sobre os mais variados assuntos relacionados com a Orientação, como de divulgação e de pesquisa (as inúmeras coisas que só conhecemos graças ao Orientovar) e até de iniciativas relacionadas com esta modalidade. Na realidade, ninguém se pode esquecer como surgiu o Dia Nacional de Orientação, ou como se iniciaram as provas de Trail-O com uma certa regularidade, ou como sabemos quais são as escolas e professores empenhados em levar os alunos para este desporto, ou quem são os campeões do mundo que vêm às nossas provas, ou os eventos que há por esse mundo fora, ou quem são os atletas com que nos cruzamos nas provas, e muitas outras coisas que só não vê quem não quer. Lá diz o ditado “O maior cego é aquele que não quer ver!”.
E isto tudo associado à qualidade dos textos e das fotografias com que somos brindados no dia a dia, resultado de muito empenho e de muito tempo perdido a que, pelos vistos, alguns não sabem dar o devido valor. O que vale é que são muito poucos os que estão nessas condições. Portanto, parece-me que o Orientovar deve continuar, se o seu autor quiser, que a maioria de nós continuará, certamente, a apoiá-lo incondicionalmente.

Beijinhos orientistas!

Rui Pisco disse...

Olá Margarido,

Gostaria muito que reconsiderasse a sua intenção.Apesar de também nao concordar com tudo o que escreve, acho que o Orientovar preenche o enorme vazio na nossa modalidade.
Para mim é curioso que este ataque, que nao expecifica, ao blogue surja depois do aparente sileciamento do blogue "oficial" da modalidade no Oasis (desculpem se me enganei),pretendendo alguem desta forma calar os criticos que agoram começavam a escrever no seu blogue.
Margarido,mesmo descordando pontualmente dos seus artigos, por favor continue.

Rui Pisco

Alexandre Reis disse...

Porque o bom nome da ADFA está aqui indelevelmente associado, quero publicamente assumir o ónus desta situação.
Por razões obvias, reserva de privacidade, não poderei fazer a trasncrição integral do mail que dirigi à pessoa do Sr Margarido, mas de uma maneira sucinta aludia àquilo que considerava uma reportagem que não transmitia com rigor o que foram os CN`s, ficando para memória futura a ideia de ter sido o "Granel total".
Esta minha convicção estava alavancada em opiniões verbais e escritas que foram chegando à pessoa do Director da prova, que me as transmitiu.
Nesse mesmo mail tambem o felicitei pelo trabalho meritório que tem vindo a prestar à modalidade, o que mais uma vez reetero, e até reforço.
Concluo pedindo desculpa pelo embaraço que este meu reparo, provocou associando-me à voz de todos aqueles que aqui manifestaram o desejo de que continue.
Alexandre Reis

Kaapora disse...

Caro Margarido,

Deixo aqui meu agradecimento ao espaço dado para a Orientação do Brasil. Através do Orientovar pudemos estreitar as relações e conhecer as histórias vindas de Portugal.

Obrigado por facilitar o nosso acesso aos acontecimentos do nosso esporte por todo o mundo, através de uma escrita que dá prazer de ler.

Reforço as palavras de quem lhe incentiva a não desistir.

Forte Abraço,

Fábio Solagaistua

Élio disse...

Olá
Na pérola do oceano onde me encontro era no blog que ia acompanhando a modalidade foi com enorme tristeza que deparei este acontecimento da colação deste post.
Um big abraço do Maga
LICFED 1869

Joaquim Margarido disse...

É na elevação dos homens que se alicerçam os valores morais pelos quais devemos reger a nossa conduta, contribuindo desta forma para uma Sociedade mais justa e melhor.

Dito isto, pedido de desculpas formulado, pedido de desculpas aceite!

Agradeço as palavras amigas que foram dirigidas ao espaço do blogue e à minha pessoa.

O Orientovar regressará já na próxima quarta-feira, na habitual rúbrica "Duas ou Três Coisas que Eu Sei Dela...".

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

Armando Rodrigues disse...

Amigo Margarido, antes de mais obrigado pelo regresso.

Nas conversas que tivemos, quando tive o prazer de o conhecer pessoalmente (já o conhecia à muito graças ao Orientovar), falamos sobre "muita Orientação" e nos meus 29 anos de modalidade, já vi grandes homens que muito fizeram pela modalidade desaparecerem de cena, fiquei triste na altura assim como quando vi a noticia de que mais um "GRANDE" ia abandonar, felizmente reconsiderou. Só tenho a dizer OBRIGADO amigo Margarido.

Estarei sempre ao dispor e um grande abraço.

Armando Rodrigues

Rita disse...

Estamos de volta, e assim é que é!
Errar é humano, pedir desculpas é louvável e aceitá-las e seguir para a frente ainda mais!
Vamos "esquecer" as coisas menos boas e fazer o que há de melhor: divertir-nos, estar em contacto com a natureza, com amigos/companheiros/adversários e divulgar a modalidade aos que ainda não têm o previlégio de a conhecer!
Contamos consigo para o fazer, da mesma forma como tem feito até agora: excepcionalmente!