segunda-feira, 26 de abril de 2010

HUNGARIAN MTBO CUP: A STAR IS BORN

.

No seio duma verdadeira constelação de estrelas da Orientação em BTT mundial, surge uma fulgurante luz que faz atrair sobre si as atenções. O seu nome: Davide Machado. O seu País: Portugal!


Com a prova de Distância Longa, terminou em Balatonfüred a etapa inaugural da Taça do Mundo de Orientação em BTT. Davide Machado foi a grande figura da nossa selecção, ao concluir o duríssimo percurso de 45 km para um desnível acumulado superior a 1000 metros, no 16º lugar, à frente de grandes nomes da modalidade, casos dos russos Maxim Zhurkin e Victor Korchagin, dos austríaco Kevin Haselsberger e Tobias Breitschädel ou do suíço Simon Seger.

Este resultado surge na sequência dos excelentes 27º lugar da prova de Sprint e 28º lugar da prova de Distância Média, permite ao atleta do .COM arrecadar um total de 37 pontos na contabilidade pessoal da Taça do Mundo 2010 e fá-lo dar um pulo monumental no ‘ranking’ mundial que o coloca na 68ª posição.

Os restantes portugueses

Daniel Marques pagou bem cara a factura do esforço de há uma semana atrás na Caranguejeira, após a longa paragem forçada de seis semanas. Dois “mp” – no Sprint e na Distância Longa – e uma prova de Distância Média igualmente aquém do esperado (16º lugar) acabam por dar uma pálida imagem do que pode e vale o maior orientista em BTT português de sempre. Paulo Alípio esteve igualmente abaixo do esperado quer no Sprint (45º), quer na Distância Longa (“mp”), salvando-se a boa prestação na Distância Média, onde foi o 17º classificado, imediatamente atrás de Daniel Marques.

Também não foi famosa a prestação de João Ferreira que começou por fazer “mp” na prova de Sprint, para depois não se conseguir recompor suficientemente, acabando por alcançar dois resultados muito idênticos (49º na prova de Distância Média e 50º na prova de Distância Longa). Finalmente, Susana Pontes, a única atleta portuguesa em terras magiares, esteve regular, como o atestam o 33º lugar na prova de Sprint, o 35º na prova de Distância Média e o 38º lugar na prova de Distância Longa. Em termos de 'ranking' mundial, Daniel Marques caiu dois lugares e é agora o 21º, Susana Pontes também desceu sete posições no 'ranking' e é agora a 48ª classificada, enquanto João Ferreira ocupa a 60ª posição. À semelhança de Davide Machado, Paulo Alípio subiu no 'ranking', embora apenas três furos, e é agora o 42º melhor do mundo.

Os vencedores

Saindo vencedores da prova de Distância Longa, Samuli Saarela (Finlândia) e Christine Schaffner (Suiça) foram as grandes figuras desta Hungarian MTBO Cup 2010. Saarela já tinha vencido a prova de Sprint, enquanto Schaffner vencera a prova de Distância Média, ambos bisando, desta forma, a subida ao lugar mais alto do pódio. Refira-se ainda que estas são as duas primeiras vitórias de Samuli Saarela em provas da Taça do Mundo, o que o catapulta para um lugar no top-10 mundial. Quanto a Christine Schaffner, tem um currículo bem mais invejável, alcançou agora as 15ª e 16ª vitórias em provas da Taça do Mundo e lança um ataque cerrado com vista à recuperação da liderança do ‘ranking’ mundial.

Michaela Gigon (Áustria), a nº 1 do mundo, venceu a prova de Sprint, quedando-se pelo 7º lugar na prova de Distância Média e pelo 4º lugar na prova de Distância Longa. Quanto ao vencedor masculino da prova de Distância Média, foi o checo Jiri Hradil, vice-campeão mundial de Distância Média em título (Israel, 2009). A “jogar em casa”, Veronika Cseh conseguiu um lugar no pódio na prova de Distância Média, onde foi 3ª classificada, alcançando assim um resutado histórico para a Hungria numa competição desta natureza. Refira-se ainda que esta prova inaugural da Taça do Mundo de Orientação em BTT 2010 contou com a participação de 77 atletas no sector masculino e 47 no sector feminino.

Dois reparos

A terminar, dois reparos. O primeiro, por perceber a frustração dos ‘nossos’ Daniel Marques e João Ferreira, face à forma absolutamente incrível como foram afastados dum bom resultado e fizeram ‘mp’ na prova inaugural deste périplo de três dias. Uma ‘armadilha’ que apanhou na rede outros catorze atletas (entre os quais o já referido Jiri Hradil) e que não se percebe. Que vantagens ou virtudes terá encontrado a Organização húngara em colocar dois pontos tão próximos um do outro e levar tanta gente a entrar com o pé esquerdo? Só por mau gosto, digo eu. A outra questão prende-se com a velocidade a que foram colocados os resultados on-line. Para quem se empenha em informar e pretende fazê-lo com a devida oportunidade, ficar à espera quase 24 horas pelos resultados é, no mínimo, desconsolador.

Tudo para conferir em
http://www.mtbo.hu/ ou aqui, no seu Orientovar. Não deixe igualmente de saber as novidades na primeira pessoa, acompanhando os blogues de Daniel Marques [http://dani-oribtt.blogspot.com/] e de João Ferreira [http://www.joaoferreira.net/].

[Foto de Dani Marosffy. Veja a reportagem fotográfica completa AQUI
]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

3 comentários:

David Sayanda disse...

Até hoje mal tinha ouvido o nome do Davide Machado a "vir à baila" na vertente de BTT da nossa modalidade, e quando oiço é para saber que está entre os melhores do mundo...

Parabéns Davide!

Ricardo disse...

Bem jogado Davide! Aqui fica a melhor retribuição possível para uma certa "aposta" feita em 2004 e que causou alguma surpresa na época... :-)
rc

Dani disse...

Parabéns ao Davide, representou com grande dignidade o país, foi mesmo a salvação da pátria! :)

O meu "mp" na distância longa deveu-se a uma avaria mecânica (desviador trasseiro partido), foi obrigado a desistir!