quarta-feira, 28 de abril de 2010

EUROPEAN ORIENTEERING CHAMPIONSHIPS BULGARIA 2010: PORTUGAL DIZ NÃO AOS EUROPEUS

.

Em Ofício datado de ontem e enviado aos Clubes e Associações, Filiados Individuais e Membros dos Corpos Sociais, a Direcção da Federação Portuguesa de Orientação acaba de dizer não a Primorsko e aos Campeonatos Europeus de Orientação 2010 que se realizam naquela cidade búlgara de 28 de Maio a 06 de Junho próximos.


A pouco mais de uma semana da realização das provas de selecção para os Europeus da modalidade, a Direcção da Federação Portuguesa de Orientação faz saber que, afinal, já não há Europeus! Uma decisão que surge na sequência da tomada de posição de “alguns clubes da maioria dos atletas seleccionáveis e do clube organizador dos Campeonatos Nacionais de Distância Longa e de Estafetas, manifestando conflito de interesses e enorme preocupação pelos grandes prejuízos que as possíveis faltas dos seus atletas aos Campeonatos Nacionais, poderiam causar aos seus clubes”.

É nestes termos que a Direcção da Federação Portuguesa de Orientação justifica o cancelamento da participação portuguesa nos Campeonatos da Europa de Orientação Pedestre EOC 2010, “devidamente agendada e divulgada desde Janeiro de 2010, uma vez que fazia parte do plano de desenvolvimento das selecções proposto pela Direcção Técnica Nacional e aprovada pela Direcção.”

Apesar de se perceber a posição dos clubes em todo este processo e as motivações da sua contestação naquilo a que o Ofício designa por “conflito de interesses”, não se percebem os “timings” em que esta decisão é tomada, a um mês do evento e muito depois da participação portuguesa ter sido planeada e aprovada com o conhecimento de todos. É sobretudo a incapacidade demonstrada em encontrar, a tão longo prazo, uma data alternativa para a realização dos Campeonatos Nacionais de Distância Longa e de Estafetas, que merece um sério reparo.

Que consequências para a Orientação portuguesa?

O Ofício não explica que formas alternativas serão dadas à Direcção Técnica Nacional e aos atletas no sentido de “compensar” esta ausência dos Europeus. Todavia, face à conjuntura económica generalizadamente pouco favorável, não nos parece crível que possamos rumar com os mesmos (ou outros) doze atletas a Trondheim (Noruega), para uma presença nos Mundiais WOC 2010. O Ofício também não esclarece qual a posição dos atletas do Grupo de Selecção, partindo do princípio que, como peças fundamentais em todo este processo, o seu afastamento dum dos objectivos principais da presente temporada não deverá ser visto com bons olhos.

Em suma, uma posição que parece estar longe de gerar consensos e que constitui, seguramente, um passo atrás na caminhada daqueles que carregam sobre os ombros a responsabilidade de gerir os destinos da nossa modalidade.

O Ofício pode ser lido na íntegra
AQUI.
.
.
NOTA: Administrada por Mariana Moreira e Vera Alvarez, acaba de ser tornada pública no Facebook uma página designada "Queremos os Portugueses no EOC 2010!" e cuja descrição reza assim: "Se estás indignado com a decisao da fpo, junta-te a este grupo! Tanto esforço e agora não vamos!? Bora lá pessoal!"

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

4 comentários:

Almeida disse...

Podiamos ter a modalidade sem Clubes?
Sim, podíamos... mas não era a mesma coisa!!!
Se todos tiverem isto presente muitos problemas nem nascem.
Abraço

José disse...

Bom dia

Não sei se os dirigentes do .COM vão tomar alguma posição publica relativamente a esta polémica.
Como sócio fundador deste clube, não posso ficar calado quando pretendem envolvê-lo numa questão para a qual não contribuiu absolutamente nada.
Da sobreposição de datas do Campeonato da Europa e dos Campeonatos Nacionais de Distância Longa e de Estafetas, soubemos apenas há cerca de um mês, quando diversos clubes que têm atletas selecionáveis começaram a revelar algum mal estar por se verem privados desses atletas para os Campeonatos Nacionais.
Quando se fala que as partes interessadas foram ouvidas devo dizer que o .COM como clube organizador dos Campeonatos Nacionais, nunca foi consultado nem ouvido em nenhuma fase do processo de decisão. Quanto aos que foram ouvidos, se o foram, na minha opinião não têm agora o direito de protestar.
Ainda relativamente a datas, os "4 Dias do Minho" estão no calendário das provas da FPO há cerca de dois anos com data marcada.
Por fim queria salientar que o clube de Orientação do Minho teve sempre uma postura empenhada, colaborante, dialogante e sobretudo séria, quer com a FPO quer com os clubes e é assim que continuará no futuro.

José Fernandes

José disse...

Há, certamente aqui muita coisa que eu não percebo...
Mas quem não gostaria de ver os seus atletas, prioritáriamente, num campeonato europeu?

Os nossos seleccionáveis vão perder mais esta oportunidade de contacto internacional?

Lá teremos de fazer o papel dos tristes, não estamos presentes. Ainda por cima, por razões polémicas...

A menos que não haja meios para os levar... então sejamos claros.

Rafael da Silva Miguel disse...

Também não percebo esta decisão da FPO.
Acho-a simplesmente inacreditável.

Como é possível que um clube prefira ver o seu atleta a correr em Portugal? Afinal das contas os clubes investem nos atletas para que eles sejam apurados, e no final não querem que eles vão? Alguma coisa aqui deve estar muito mal contada... Ou então existem pessoas sem noção do ridículo...


Esta decisão ainda se torna mais repugnante pelo facto de não terem ouvido o lado que verdadeiramente interessa, OS ATLETAS!

Espero que a FPO volte com a sua decisão atrás. Não ir ao WOC é compreensível, mas ao EOC não tem desculpa! Ainda mais quando os atletas treinam arduamente para esta competição e chega à hora H e nada.

De todos os atletas com quem já falei ninguém, obviamente, está de acordo.

Espero não ser muito mal educado, mas de que cabecinha pensadora saiu tal ideia?

Isto que está a acontecer é, na minha opinião, um paço atrás na Orientação portuguesa.

Cumps
Rafael Miguel