quinta-feira, 22 de abril de 2010

CAMPEONATOS NACIONAIS DE SPRINT E DE DISTÂNCIA MÉDIA 2009/2010: CLASSIFICAÇÕES RECTIFICADAS

.

Porque de extrema importância - pelas implicações que envolve e pelas reacções que, seguramente, não se farão esperar -, o Orientovar publica na íntegra a decisão da Direcção da Federação Portuguesa de Orientação de rectificar os resultados dos recentes Campeonatos Nacionais de Sprint e de Distância Média. A questão dos estrangeiros tinha sido já levantada neste espaço e resulta, como é admitido no texto, duma consulta indevida a uma versão desactualizada do Regulamento de Competições. A segunda questão é mais subtil, tem a ver com as inscrições dentro e fora de prazo e altera "na Secretaria" um prémio ganho "no Estádio". Polémico? Sim, mas... Não existirão os Regulamentos para serem cumpridos?
.
.
Ex.mo(s) Senhor(es):
Clubes e Associações, Filiados Individuais e
Membros dos Corpos Sociais

N/Refª: 057-JS/2010
Data: 2010-04-22
Assunto: Campeonatos Nacionais de Sprint e de Distância Média 2009/2010

Ex.mos Senhores,

O regulamento de competições para a época 2009/2010, referindo filiações, diz no seu preâmbulo: “Para que um atleta seja considerado com a sua inscrição em dia em determinada prova, o seu processo de filiação/renovação tem OBRIGATORIAMENTE de dar entrada nos serviços da FPO, e estar completo com o exame médico em dia, até ao fecho do 1º prazo de inscrições (normalmente 23H59 da segunda-feira antes da data da prova).”

Diz mais no seu artigo 27º, ponto 7: “Atletas estrangeiros mesmo que filiados na FPO não são classificados em nenhum dos Campeonatos Nacionais (incluindo o Absoluto), podendo participar extra-competição. Não participarão também na classificação de clubes para apurar o clube campeão em cada categoria. (…)”

Nos campeonatos nacionais de Sprint e Média que recentemente decorreram em Vinhais, houve dois casos de atletas medalhados que não cumpriram os prazos estipulados no Preâmbulo do RC (para estas competições os exames médicos deveriam ser entregues até dia 29 de Março).
Filiado nº FPO 3299 JOÃO MEGA FIGUEIREDO - H20 - CN Alvito - entregou o exame no dia 9 de Abril.
Filiado nº FPO 1101 RUI FERREIRA - H40 - OriMarão - entregou o exame no dia 31 de Março.

Dado que esta situação tem implicação na atribuição de títulos nacionais e nos atletas medalhados, a classificação destes escalões foi rectificada passando a ser a seguinte:

Campeonato Nacional de Sprint - H20
1º - Tiago Gingão Leal - Gafanhori
2º - Rafael Miguel - Ori-Estarreja
3º - Hélder Marcolino - GD4C

Campeonato Nacional de Distância Média - H20
1º - Rafael Miguel - Ori-Estarreja
2º - Tiago Gingão Leal - Gafanhori
3º - Pedro Silva – Gafanhori

Campeonato Nacional de Sprint - H40
1º - Francisco Cordeiro - ADFA
2º - Jorge Oliveira - COC
3º - António Aires – Individual

Campeonato Nacional de Distância Média - H40
1º - Armando Sousa - ADFA
2º - Fernando Soares - .COM
3º - Rui Botão – CPOC

Os atletas visados perdem administrativamente as medalhas conseguidas no terreno, mantendo no entanto os pontos conseguidos para o respectivo Ranking.

Relativamente ao artigo 27º no seu ponto 7, foi lapso na interpretação do RC. Foi consultada uma versão antiga do regulamento que ainda contemplava a inclusão de estrangeiro na classificação colectiva. Esta situação afectou a classificação colectiva da categoria de VET MASC III no Campeonato de Média e por via disso passa a ter a seguinte classificação:
1º Clube TAP (Luís Sousa / Francisco Coelho / Coelho dos Santos)
2º Ori-Estarreja (Gil Rua / José Salgado / João Rodrigues)

A Direcção da FPO apresenta um pedido de desculpas a todos os envolvidos nesta situação.

Com os melhores cumprimentos,

O Presidente
António Manuel da Cruz Rodrigues
.

1 comentário:

Margarida Novo disse...

Sou a primeira a dizer que os regulamentos são para cumprir - se não o fizesse, não honraria os muitos anos que estudei Direito. No entanto, julgo que a posição adoptada pela FPO neste ano de transição das regras sobre o EMD se tem revelado bastante problemática.
Muitas outras federações, após negociação com as seguradoras, optaram por prolongar os prazos dos EMD até à data de aniversário seguinte dos atletas, evitando assim que estes tivessem de entregar dois EMDs no mesmo ano.
No nosso caso, em Ori-BTT, tivemos o caso um atleta não classificado nos Campeonatos Nacionais, que se realizaram em Março, mesmo tendo entregue um EMD em Outubro porque, como entretanto tinha feito anos, a FPO considerou que estava obrigado a entregar outro EMD, pouco meses depois do anterior. Tivemos também um outro caso dum atleta, também não classificado nos campeonatos nacionais, cujo EMD tinha feito 1 ano em Fevereiro e a FPO considerou que teria de entregar novo EMD em Março. Como esse atleta faz anos em Abril, a FPO considerou que deveria ter entregue um EMD em Março e outro em Abril, o que é ridículo.
Tudo isto teve e está a ter pesadas consequências, com vários resultados de secretaria, não validados do terreno. Não é bom para quem perde "administrativamente", mas também não é bom para quem ganha no papel...
Agora é tarde para corrigir a decisão. Temos todos de tirar daqui as devidas consequências.

Já agora, se os regulamentos são para cumprir, temos também de os cumprir noutras áreas, tais como aos prazos de inscrição nos escalões de competição e nas regras técnicas para traçar percursos. Particularmente neste último caso o desrespeito é generalizado...