segunda-feira, 8 de março de 2010

XVIII TROFÉU ORI-ESTARREJA: BREVES NOTAS SOLTAS

.

O Clube de Orientação de Estarreja está a comemorar o seu 18º Aniversário. Um dos momentos altos que assinalam a efeméride teve lugar este fim-de-semana com a realização do seu XVIII Troféu. Do evento aqui dou conta, em meia-dúzia de pequenas notas soltas.

1. Palheirão. De novo ali. Aquela floresta tintada pelas mimosas de amarelo-vivo, aquele vento a soprar por sobre as copas das árvores transportando consigo o suave aroma do mar bem próximo, aquela Arena onde, há pouco mais de dois anos, dei o grande pontapé de saída nestas lides jornalísticas da Orientação. Lembro, como se fosse hoje, a prova WRE logo a seguir ao POM do Algarve, o Amador a "desconfiar" de mim quando lhe pedi um mapa e a acompanhar-me no início do percurso até me deixar bem no meio da floresta, as primeiras questões “a medo” para o “Venha Conhecer…”, cumprimentar pela primeira vez muitos daqueles que são hoje meus grandes amigos, a intermediação do Fernando Costa que me permitiu fazer a primeira entrevista “internacional” a um atleta de renome, concretamente à Helena Jansson… De novo ali!

2. Passam três minutos das 10h30 dum sábado cinzentão. Acompanho a partida do Thierry Gueorgiou e peço um mapa da Elite masculina. Desço o aceiro até ao triângulo, oriento o mapa e vejo que o campeão gaulês atravessará o trilho mais lá à frente, entre os pontos 18 e 19. Faço contas às horas, "se me despachar vou apanhá-lo lá e talvez consiga um bom par de fotos". Enquanto chego e não chego ao local, saboreio o doce encanto duma floresta incrível, multifacetada no seu relevo e vegetação. Lá está o 78. Não precisarei de mais de cinco minutos para o ver surgir sobre o flanco noroeste do local onde me encontro. É impressionante a sua pujança e a enorme concentração. Com o tempo escuro e a velocidade a que passa, as fotos não saem grande coisa. Fica o momento, para sempre gravado na memória.

3. Agora que a etapa da manhã terminou, um momento de pausa serve para retemperar o corpo com uma sopa deliciosamente “doce” da Maria e, numa roda de amigos, alimentar o espírito com mil e uma histórias à volta deste nosso mundo da Orientação. Enquanto numa mesa o Carlos Monteiro e o Albano João traçam percursos para o treino-conjunto, noutra o Manuel Dias conta como conheceu o Jorge Santos. Lá em baixo, os risos das crianças da Escola Padre Donaciano Abreu Freire enchem o ar de alegria. Tanta energia, tanta felicidade...

4. A tarde traz consigo um sol desmaiado, mas ainda assim um sol. A floresta está mais verde e amarela. À conversa com a Professora Eugénia Tavares, percebo os contornos da sua paixão pela natureza e pela Orientação, dessa descoberta recente do desporto da floresta, da forte ligação e do excelente trabalho desenvolvido em parceria com a Escola Secundária de Estarreja e o Clube de Orientação de Estarreja. É todo um processo de aprendizagem em comum que faz da cumplicidade um elemento maior na relação causal “professor-aluno”.

5. Enquanto espero pela chegada do Thierry Gueorgiou, o Manuel Dias estende-me o mapa de Monte Penegal Nord. Dos dois momentos seguintes aqui darei conta em dois sábados distintos. Já no próximo, uma grande entrevista com o actual número 2 do ‘ranking’ mundial. Quinze dias mais tarde, último sábado do mês, o nosso querido Manel apresenta-nos o “seu mapa”. Pelo meio, se me permitem, o Professor José Mateus abre o jogo e fala-nos da “sua escola”, a Cunha Rivara (Arraiolos).

6. Reparo nas horas. São quase cinco e meia e a tarde cai rapidamente. Sem tempo para mais tempo roubado à família, parto antes da Cerimónia de Entrega de Prémios. Espero fazer um bom artigo e falar, então, dos vencedores e vencidos do dia. Agora que são dez da manhã e quase dois dias volvidos sobre o evento, depois de ter enviado e-mails e telefonado a quem de direito, continuo sem saber quem foram os vencedores. Nem vou falar mais dum assunto que, repisadamente, tenho abordado aqui. Sei que o Thierry e a Amélie Chataing venceram de manhã e que, de tarde, as vitórias foram do Leandro Lima e da Tânia Covas Costa. Enfim, deixo-vos um “slideshow” com quatro dezenas de fotos e espero que apreciem.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

1 comentário:

Nuno Leite disse...

Os resultados foram publicados no sábado à noite após termos preparado o possível da arena da prova de estafetas que afinal, começava dali a pouquíssimas horas!
Talvez fruto de já várias horas seguidas em vigília (o dia começou ainda não eram 6h e já íamos nas 24h) os resultados foram publicados de forma errónea contendo apenas a classificação da tarde.
Só hoje de manhã tal me foi comunicado. Mal tive acesso a um PC foi corrigido. Passavam 6 minutos das 10h.