quinta-feira, 25 de março de 2010

PELO BURACO DA FECHADURA: CAMPEONATOS NACIONAIS DE ORIENTAÇÃO EM BTT 2009 / 2010

.
É já no próximo fim-de-semana que em Oliveira de Azeméis se jogam os títulos nacionais de Orientação em BTT nas vertentes de Distância Média, Sprint e Distância Longa. Um evento que hoje espreitamos, com a ajuda do seu Director da Prova, Fernando Silva, pelo buraco da fechadura.

S. Martinho da Gândara e Palmaz, no concelho de Oliveira de Azeméis, são os palcos da 12ª edição do Campeonato Nacional de Orientação em BTT. O evento tem lugar já nos próximos sábado e domingo e será disputado nas vertentes de Distância Média, Sprint e Distância Longa. Recupera-se assim o figurino de 2006/2007, prescindindo-se das Estafetas. A razão parece clara, prendendo-se com os baixos índices de participação na generalidade dos escalões, no que às Estafetas diz respeito. E se é verdade que esta é uma vertente que cativa pela sua espectacularidade, não é menos verdade que sem participantes não há espectáculo.

Face à demora na publicação das listas de partidas, socorremo-nos do Oásis para adiantar que o número de atletas que irão disputar os títulos nacionais, ao que tudo indica, se queda pelos 270. A estes juntam-se 26 atletas oriundos da Áustria, Suiça, Espanha, Alemanha, Grã-Bretanha, Lituânia e Rússia, na sua grande maioria aproveitando a competição como parte integrante do plano de treinos com vista aos Campeonatos do Mundo do próximo mês de Julho, em Montalegre. Deste lote de atletas fazem parte vários nomes com assento no top-25 do ‘ranking’ mundial, casos das austríacas Michaela Gigon (1ª) e Sonja Zinkl (4ª), das suíças Christine Schaffner (3ª), Ursina Jäggi (19ª) e Maja Rothweiler (22ª), da lituana Karolina Mickeviciuté (19ª) ou da britânica Emily Benham (24ª), no sector feminino. Quanto ao sector masculino, o nome mais sonante é o do russo Ruslan Gritsan (2º), devidamente secundado pelos suíços Beat Oklé (7º), Beat Schaffner (8ª) e Simon Seger (22º) e pelo austríaco Tobias Breitschädel (12º). Mas para nos falar disto e muito mais ouçamos Fernando Silva, o Director da Prova.

“Já perdemos a conta ao número de horas investidas”

Orientovar - A fechar um mês particularmente significativo para o Clube Ori-Estarreja, como é encarado o desafio de organizar estes Campeonatos Nacionais de Ori-BTT 2010?

Fernando Silva - Sem duvida que se trata de um grande desafio. É com muita satisfação que tanto eu como toda a equipa do Ori-Estarreja tem estado a trabalhar no sentido de criar um evento à altura do desafio que temos pela frente. A expectativa é muito grande e a ansiedade tem vindo a crescer com a aproximação da prova. O nosso trabalho teve início em Setembro de 2009 e desde essa altura já perdemos a conta ao número de horas investidas essencialmente no trabalho de campo e noutras áreas imprescindíveis para este tipo de eventos. Sendo uma modalidade relativamente recente no clube esta também tem sido uma forma de aumentarmos não só a nossa capacidade como a aposta nesta vertente da Orientação. Seguramente iremos conseguir cativar e aumentar o número de atletas nesta modalidade dentro do nosso clube, o Ori-Estarreja.

Orientovar - Quais os principais passos ao longo do processo de implementação da prova e as dificuldades sentidas?

Fernando Silva - Se puder de alguma forma sistematizar a organização deste evento creio existirem alguns pontos chave nomeadamente:
- O trabalho de campo para a elaboração dos mapas de prova, pois são a peça mais importante do puzzle e ao mesmo tempo a que mais trabalho dá.
- O Apoio de entidades públicas e privadas de forma a poderem ajudar na implementação da prova. De referir que sem o apoio de algumas entidades como a Câmara Municipal de Oliveira de Azeméis e as respectivas freguesias onde decorrerá a prova não seria possível por em prática estes eventos.
- Coordenação e gestão de tudo o que envolve a organização desta prova. A título de exemplo o trabalho iniciou em Setembro de 2009 com a intervenção de cerca de cinco elementos e no fim-de-semana da prova seremos cerca de 34 elementos associados a diversas tarefas imprescindíveis para o bom funcionamento da prova.

Sendo o Ori-Estarreja um clube com grande historial na modalidade de Orientação Pedestre e sendo poucos os atletas que de momento praticam a modalidade de Orientação em BTT dentro do clube, uma das dificuldades iniciais foi o número de elementos disponíveis com experiência nesta vertente. Acho difícil na organização deste tipo de eventos não existirem dificuldades mesmo quando a experiência é elevada; mas é superando estas dificuldades que conseguimos aprender e evoluir.

“Estamos a preparar uma festa”

Orientovar - Porquê a escolha do município de Azeméis para palco da prova?

Fernando Silva - Para começar, sou natural de Oliveira de Azeméis e o gosto pelo BTT e pela Orientação nasceu há alguns anos atrás. Como é compreensível o “campo de treinos” sempre foi Oliveira de Azeméis e arredores e, na verdade, é um local com excelentes condições para a prática desta modalidade. O BTT evoluiu muito nestes últimos anos a nível geral e na cidade de Oliveira de Azeméis também. Quando no clube se decidiu elaborar a candidatura para a organização deste evento, o local que foi de imediato sugerido foi Oliveira de Azeméis. Obviamente a proximidade em relação a Estarreja é um importante factor, mas as características variadas do tipo de terreno certamente irá agradar a todos os participantes deste Campeonato Nacional de Orientação em BTT em Oliveira de Azeméis.

Orientovar - Prova a prova, o que podemos esperar dos Nacionais?

Fernando Silva - Acredito que esta será uma prova bem disputada, não só pelo Campeonato Nacional como também pelo ranking de Ori-BTT. O elevado número de inscritos é a prova disso mesmo. Estamos a preparar uma festa, não só de Orientação como de convívio entre todos os participantes.

“É muito satisfatório poder acompanhar a evolução desta prova e ver as coisas a crescer”


Orientovar - Como é encarada a presença nesta prova de alguns dos melhores atletas mundiais da especialidade?

Fernando Silva - Sem dúvida que é um aliciante receber na nossa prova alguns nomes do top do ranking mundial de Ori-BTT. Acreditávamos que isto seria possível dado o estágio de algumas selecções no nosso país tendo em vista a preparação para o Campeonato do Mundo a realizar em Montalegre, no próximo mês de Julho. Esperamos também que esta seja uma prova que permita o treino e a evolução para os atletas presentes no WOC/JWOC 2010. Aproveito desde já para incentivar os atletas nacionais presentes no Mundial para a evolução técnica e física de forma a prestarem o melhor desempenho nesta prova. Temos grandes atletas a nível nacional nesta modalidade e acredito ser possível a presença de alguns destes nomes entre os melhores do Mundo.

Orientovar - A título pessoal e no papel de Director da Prova, como tem vivido esta experiência?

Fernando Silva - Tem levado a muito trabalho… e nem sempre as coisas correm na direcção ideal. Mas na verdade o balanço é muito positivo. É muito satisfatório poder acompanhar a evolução desta prova e ver as coisas a crescer. Tem sido gratificante ver o empenho e vontade dos elementos do Ori-Estarreja (especialmente os que praticam esta modalidade de Ori-BTT) como o de outras pessoas (apoiantes e patrocinadores) em fazer deste evento algo de memorável. Sem dúvida que o meu papel é importante mas sou apenas uma das várias peças deste conjunto que torna tudo isto possível.

Orientovar - Quer deixar uma mensagem a todos quantos irão fazer destes Nacionais, seguramente, uma grande festa?

Fernando Silva - Desde já o nosso agradecimento a todos os participantes pela sua presença neste Campeonato Nacional e estou seguro que, em conjunto, faremos com que este fim-de-semana perdure na memória de todos.

Mais informações sobre o Campeonato Nacional de Orientação em BTT 2009/2010 AQUI.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: