terça-feira, 16 de março de 2010

OS VERDES ANOS: FILIPA NEVES

.


Olá,

Chamo-me Filipa Neves, tenho 17 anos, frequento o 11º ano c/ 3º CEB de Coruche e a minha história poderia começar assim: Era uma vez uma rapariga que não gostava nada de desporto (eu!), mas por influência de uma amiga fui para a Natação porque até era algo que me despertava interesse. A questão é que não sabia nadar e estava aqui a oportunidade para aprender. Mas o facto é que rapidamente perdi o interesse pela Natação pois o queria mesmo era aprender a nadar e esse objectivo já estava cumprido.


Foi então passado alguns meses de deixar a Natação que descobri um desporto até então desconhecido para mim e para todos desta zona: ORIENTAÇÃO. Fiz um treino ou dois mas o interesse não era muito. Fui a uma prova mas correu bastante mal, depois estive algum tempo sem ir até que resolvi tentar outra vez e aí o gosto ficou e comecei a gostar tanto nem sei bem porquê, não sei explicar. O facto é que, passado já mais de um ano, o interesse continua e já não me imagino sem ir às provas, sem competir e sem ver os amigos que já tenho na modalidade, enfim um enorme conjunto de coisas que me maravilharam e já não me imagino sem elas.

Mas se eu não gostava nada de desporto, porquê Orientação?

Acho que sei a resposta... O meu problema não é bem com a desporto mas mais com o desporto de equipa porque a realidade é que em todas as equipas há sempre alguém que tem a mania que é melhor ou é de facto melhor e se torna muito individualista não dando espaço aos outros para se revelarem. Ou então temos ainda o caso em que podemos cometer algum erro e depois sentimo-nos culpados por prejudicar a equipa.

Posto isto, o que me fez gostar da Orientação, para além do espírito que se vive em cada prova e da camaradagem, foi mesmo o facto de ser um desporto individual. Se cometer um erro só me prejudico a mim, posso evoluir ao meu ritmo, e não tenho ninguém individualista na equipa porque a equipa sou só eu (apesar do clube ser a nossa equipa).
Mas rapidamente também percebi que este desporto não é só isto, é muito mais que isto... traz-nos mais autonomia, mais confiança, mais auto-estima e, para além disso, adquirimos maior responsabilidade e uma enorme formação a nível cívico porque aprendemos a respeitar os outros e a natureza à nossa volta. Viajamos e descobrimos sítios até então desconhecidos, até à vista dos turistas ou de qualquer um de nós que não viva na zona. Vemos coisas que não imaginamos que existam e paisagens magníficas.

É por todos estes motivos - e mais alguns! - que a Orientação é o meu desporto e não quero deixá-lo por muito, muito tempo.

Filipa Neves
COAC – Coruche Outdoor Adventure Club



Últimos dez artigos nesta rubrica
2010.03.02 - LUÍS SILVA (ADFA)
2010.02.02 – CRISTIANA CUNHA (COC)
2010.01.19 – VASCO DUARTE (ADFA)
2009.12.29 – TERESA MANETA (GAFANHORI)
2009.12.15 – JOÃO PAULO (GD4C)
2009.12.01 – CATARINA FERNANDES (DAR)
2009.11.17 – RAFAEL RAMOS (ORI-ESTARREJA)
2009.11.03 – DIANA SILVA (COC)
2009.10.20 – PAULO FALCÃO (GAFANHORI)
2009.10.06 – ISABEL MENESES (GD4C)

.

Sem comentários: