terça-feira, 30 de março de 2010

OS VERDES ANOS: FÁBIO SILVA

.

Olá a todos

O meu nome é Fábio Silva, tenho 16 anos e vivo numa terrinha chamada Lagameças. Frequento o 11º ano na Escola Secundária de Pinhal Novo, onde treino à guarda do Professor Daniel Pó.

Há cerca de 10 anos que pratico desporto, 7 dos quais dedicados ao Taekwondo, sendo que apenas há mais ou menos 2 anos e 7 meses comecei a treinar direccionado para Orientação.

O meu primeiro contacto foi quando andava no 7º ano na Escola Secundária de Pinhal Novo pelas aulas de Educação Física e pela prova que se realiza todos os anos a nível escolar. Admito que, apesar de “achar piada à coisa”, não me dava muito bem. Foi só em Outubro de 2007 que o meu professor de Educação Física de então, o Professor Paulo Pereira, me informou dos objectivos da Escola em participar nos Campeonatos do Mundo do Desporto Escolar e que precisavam de alunos para “encher” a equipa. Achei a ideia um tanto fora do meu alcance mas lá aceitei a proposta e não podia ter feito outra escolha melhor.

Ter a possibilidade de correr lado a lado com a natureza, ver o mapa materializar-se diante dos meus olhos, sentir as curvas de nível nos pés, acabar o percurso com a certeza de que dei tudo o que tinha e no fim poder divertir-me com os meus amigos é algo que nenhum outro desporto oferece e é o que torna a Orientação especial. Alegra-me quando, a meio do percurso, vejo um professor a ensinar os alunos a ler um mapa ou quando uma família se junta e simplesmente dá um passeio pela floresta de mapa em punho - são momentos únicos e dignos de recordar.

Tenho imensos desejos para o futuro mas aquele que se sobrepõe a todos é mesmo a vontade de treinar cada vez mais a sério para poder evoluir e estar à altura dos desafios que se avizinham (Campeonato Mundial de Corta-Mato Escolar) e contribuir para que esta modalidade se eleve.

Gostaria, por fim, de agradecer ao Professor Daniel Pó, o meu treinador. É graças a ele e aos treinos que por vezes nos deixam a morrer que eu e o restante grupo pudemos atingir os nossos objectivos até agora. Agradeço também aos amigos que me acompanham nesta jornada. A todos eles os meus sinceros agradecimentos.

Quem tiver curiosidade de experimentar a Orientação não tema. É uma daquelas coisas que nunca saberemos se não experimentarmos e ainda com uma certeza: Não se arrependerão de tentar e quererão sempre mais.

Fábio Silva

[foto gentilmente cedida por Paulo Fernandes]
.

2 comentários:

José disse...

O Fábio, para além das questões que tinha que abordar ou responder, descreveu-nos um parágrafo admirável para um jovem praticante de ORI.
«Ter a possibilidade de correr lado a lado com a natureza, ver o mapa materializar-se diante dos meus olhos, sentir as curvas de nível nos pés...
um prof. ensinar os alunos ou quando uma família se junta em passeio na floresta...
E depois, recomenda: «quem tiver a curiosidade não tema em experimentar»...
Este jovem está a dar um grande contributo à modalidade.
Oxalá consiga materializar os seus sonhos.

Parabéns, cá do Velho.

Ana disse...

É muito gratificante verificar o que sentem os jovens quando descobrem este desporto, o gosto que têm em praticá-lo e, principalmente, a vontade de nunca o deixarem. Penso que isto mostra bem que faltam meios para atrair mais jovens para esta modalidade. De facto, aquele parágrafo “Ter a possibilidade de correr lado a lado com a natureza, …- são momentos únicos e dignos de recordar “ resume, na perfeição, tudo o que sentimos quando fazemos o nosso desporto de eleição. Esta descrição torna-se, assim, um grande contributo para a divulgação da modalidade, o que torna urgente transcrever este mesmo parágrafo para todos os locais adequados, onde possa ser lido pelo maior número possível de pessoas (não só jovens).
Espero que o Fábio consiga realizar todos os seus sonhos e fazer Orientação por muitos e muitos anos!