segunda-feira, 1 de março de 2010

NA ORDEM DO DIA: CARTA ABERTA AO ENGENHEIRO JOSÉ SÓCRATES, PRIMEIRO-MINISTRO DE PORTUGAL

.

Excelentíssimo Senhor Engenheiro José Sócrates, Primeiro-Ministro de Portugal:

Somos um povo solidário. Aquilo que fomos, o que construímos e oferecemos, os horizontes que rasgámos e as portas que abrimos estão inscritos, indelevelmente, na nossa genética histórica, social e cultural. Por esse motivo, compreendemos o valor dos grandes como dos pequenos feitos e estamos prontos a dar as mãos nos bons e maus momentos.

É Vossa Excelência pessoa de elevada estatura moral e cívica, com provas dadas na acção governativa que lhe valem, ainda e sempre, a confiança dos portugueses. Paralelamente, é Vossa Excelência uma pessoa particularmente apaixonada por áreas como o Ambiente, a Educação, as Novas Tecnologias e o Desporto, de cuja prática diária, aliás, não prescinde. Pois bem, o que me leva a dirigir-me a Vossa Excelência tem a ver com as quatro vertentes atrás enunciadas, aglutinadas numa só: A modalidade desportiva de Orientação. E tem a ver, como seguramente perceberá, com solidariedade.

Ambiente, porque a Orientação é o “Desporto da Floresta”, fazendo de cada praticante um guardião e um amigo de tão valioso património. Educação, porque é uma modalidade onde se aglutinam matérias tão nucleares como a Matemática ou a Geografia e se desenvolvem competências como a capacidade de interpretação ou o poder de decisão. Novas Tecnologias, porque é das modalidades que mais depende dos Meios Informáticos a todos os níveis e que mais desenvolve e actualiza as ferramentas de que necessita. Desporto, porque promove a actividade física e a Saúde, dirigindo-se de igual forma àqueles que, individualmente, a praticam ao nível da alta competição, como às crianças ou às famílias que vêem nela uma forma de promover o seu bem estar-físico e reforçar os laços de amizade e convivialidade. E solidariedade porque vivemos da força que projectamos uns nos outros, trabalhando desinteressadamente em prol da modalidade, em prol do nosso País.

Fruto do desempenho aturado e do elevado espírito de missão dum punhado de homens e mulheres, tem a Orientação atingido no nosso País um grau de desenvolvimento relevante e que a torna reconhecida e admirada além-fronteiras. Corolário lógico deste trabalho, ao longo dos dois primeiros meses do ano de 2010, viveu-se em Portugal um ciclo de eventos de Orientação de âmbito internacional que trouxe até nós todos os melhores atletas mundiais, na sua esmagadora maioria oriundos da Noruega, Suécia, Finlândia, Suiça e França, verdadeiras pátrias da modalidade. Se disser a Vossa Excelência que o evento da Figueira da Foz, designado por Portugal O’ Meeting, teve em competição 1187 atletas estrangeiros e mobilizou, ao longo de quatro dias, mais de duas mil e quinhentas pessoas; que o evento designado por Norte Alentejano O’ Meeting levou à Vila do Crato 580 estrangeiros; e que, ao longo destas últimas nove semanas, de Norte a Sul do País, dezenas de Selecções e milhares de atletas por aqui passaram e permaneceram para treinar e competir, estou seguro que compreenderá Vossa Excelência a dimensão daquilo que estou a falar. Aliás, permito-me perguntar a Vossa Excelência que evento competitivo traz a Portugal quase mil e duzentos estrangeiros? Ou mesmo 580?

Num País como o nosso, o impacto destes números deve ser valorizado por tudo aquilo que representa. E representa muito! Vossa Excelência saberá que estamos aqui a falar duma entrada de divisas na ordem dos dois milhões de euros. Vossa Excelência saberá que a Hotelaria, a Restauração ou as Empresas de Aluguer de Automóveis, nas regiões onde se realizaram os eventos e campos de treino, apesar da Época Baixa, registaram taxas de ocupação muito acima da média. Vossa Excelência saberá que os eventos deram uma particular atenção às crianças e às pessoas com deficiência motora, deslocando-se em cadeira de rodas, relevando componentes formativas e inclusivas de inestimável valor. Vossa Excelência saberá que os eventos tiveram preocupações culturais, fazendo o lançamento de livros, mostrando aquilo que as nossas terras têm de melhor, a sua gastronomia e o seu artesanato, dando a conhecer aos nossos visitantes a essência do nosso fado, da nossa alma. Vossa Excelência saberá que tudo isto é obra de elevado esforço e voluntarismo de pequenos grupos de pessoas que, daqui, retiram magros proventos para reinvestir na Orientação, formando as suas crianças e jovens, apoiando a participação dos menos favorecidos e preparando, desde já, mais e melhores eventos no futuro. Vossa excelência saberá tudo isto… ou não saberá!

Digo que saberá porque as proporções atingidas não passariam despercebidas aos Ministros e Secretários de Estado do Governo de Vossa Excelência, pelo menos nos sectores da Economia, das Finanças, da Saúde, da Educação, do Ambiente e Qualidade de Vida, da Comunicação, das Infra-Estruturas e Transportes, do Planeamento e Ordenamento do Território, do Turismo, da Cultura ou do Desporto. Poderá um ou outro andar mais distraído mas eles o terão informado, seguramente. Todavia, a fazer fé na “grande” Comunicação Social, não saberia. E não saberia porque essa “grande” Comunicação Social, pura e simplesmente, despreza muito do que de importante se constrói para o País enquanto se vai entretendo – como Vossa Excelência muito bem sabe – com assuntos, digamos, menos construtivos. Não fora a Comunicação Social Local e alguma Regional, vivendo também ela de muito empenho e voluntarismo, e registos para a posteridade a marcar momentos tão altos da nossa vida pública não existiriam.

Enfim, abordo a questão da Solidariedade. Por aquilo que faz em prol do País, Vossa Excelência, senhor Primeiro-Ministro, tem o dever moral de olhar para a Orientação. E fazer com que a Comunicação Social olhe também. Porque a Orientação é Ambiente, é Educação, são Novas Tecnologias, é Desporto. Porque a Orientação gera Riqueza e gera Saúde. Porque a Orientação é de todos e para todos. Interessa a todos. Interessa ao País! Daí que lhe faça o convite, Senhor Primeiro-Ministro: Reserve na agenda de Vossa Excelência uma ou duas horas duma manhã e venha conhecer-nos. Junte-se a um evento de Orientação, seja já no dia 1 de Maio, para celebrar o Dia Nacional da Orientação, ou no final de Julho, aquando do Campeonato do Mundo de Juniores e Seniores de Orientação em BTT (é verdade, Senhor Primeiro-Ministro, Campeonato do Mundo!). Pegue num mapa e numa bússola logo que possa e venha orientar-se connosco. Mas venha!

Embora a título pessoal, atrevo-me a endereçar-lhe o convite em nome de todas as organizações de todo o País. Faço-o com a autoridade moral que me é conferida por tudo quanto tenho feito em prol da Orientação. E estou seguro que todas as organizações e todos os orientistas do mundo inteiro subscreverão esta missiva.

De Vossa Excelência

Atentamente

Joaquim Margarido

.

33 comentários:

Tiago Aires disse...

Faço minhas as palavras do Joaquim Margarido, que tão bem sabe expor em toda a sua plenitude o melhor desporto do mundo.

Muito obrigado
Cumprimentos
Tiago Aires

Andre disse...

Decerto que o Senhor Primeiro Ministro ao ler esta carta, vai pensar duas vezes em conhecer a Orientação, e entender a potencialidade deste desporto para o país!
E como ninguém o Joaquim Margarido consegue expor (mais uma vez!)em
toda a sua plenitude esta modalidade!

Muito Obrigado mesmo!
Cumprimentos,

André Eusébio

José disse...

Esta mensagem é muito oportuna.

Lembrar aos governantes que cerca de 2000 orientistas estrangeiros se deslocaram a Portugal nestes primeiros dois meses,por regra, fracos no que respeita a turismo...

A maneira como apresentou o desporto da orientação com todos os seus benefícios desde a actividade física até ao ambiente...

Convidar o 1º ministro para uma prova, poderá até «transferi-lo» do jogging
para a orientação.

Não posso deixar de elogiar este jornalista de orientação que desbrava caminhos que certos organismos oficiais não se atrevem a fazê-lo.

bo disse...

Assino por baixo.
Um Abraço
Bruno Oliveira

João Rodrigues disse...

É hora de se juntar a nós. Certo que o mediatismo não é elevado. Não por culpa nossa mas daqueles que controlam a comunicação e fazendo sair apenas o que lhes agrada, sem saber do que se trata. Venha. Siga o caminho do nosso ilustre Secretário de Estado, Dr. Laurentino Dias que durante a sua visita durante o POM 2007 em São Pedro do Sul frizou que gostaria de ver mais gente a praticar desporto do que assistir.

fernando disse...

Mais uma vez passou o periodo das provas Internacionais e não foi dada nenhuma importância na comunicação Social, apesar do esforço desenvolivido pelos clubes organizadores.
Realmente temos que avançar com outros argumentos.
Força Margarido!

José disse...

Obrigado pela coragem e por saber expressar tão bem esta realidade e este sentimento comum a tantos que amamos a modalidade.

Muito obrigado
José Fernandes

Fernando Andrade. disse...

Meu Grande Amigo

Esta carta, escrita com a arte que só tu o sabes, é muitíssimo oportuna . Apenas receio que o nosso 1º, com as acusações que já tem em cima dos ombros, de querer controlar a comunicação social, se vá "atrever " a dar-lhe... "orientações", eheheh.
Grande Abraço
FA

Jorge disse...

Dizer o Quê?

Com a prática desta modalidade teremos, sem dúvida, melhores alunos, melhores filhos, melhores pais, ...professores, cidadãos, famílias. E melhor economia, PIB, produtividade, ordenamento do território, etc.

Esta modalidade, integradora de pessoas (conflitos de gerações, o que é isso?)e conhecimentos e que promove, como nenhuma outra, a harmonia do homem com a natureza, considerando aí todo o espaço envolvente, merece maior atenção dos nosso decisores, públicos ou privados.

Parabéns Margarido por estas oportunas e sábias palavras.
Jorge Silva - Barcelos

Albano disse...

Mais uma vez o Joaquim Margarido esteve GRANDE. Todos nós agradecemos o seu empenho.
Vamos ver se o nosso 1º ministro vai aceitar o desafio proposto.
Abraço
Albano

Dani disse...

O nosso desporto merece estas iniciativas!
O Joaquim Margarido, através do ORIENTOVAR, tem contribuído de uma forma dinâmica e fantástica na divulgação da orientação, com um empelho e dedicação absolutamente fabuloso!

Obrigado,
Daniel Marques

Luis disse...

Mais uma excelente iniciativa, que tem todo o meu apoio!!

Luís Sérgio

Margarida Novo disse...

Caro Joaquim,

Embora não subscreva de todo as suas palavras sobre as qualidades de quem nos governa, junto-me a si para pedir aos nossos governantes mais atenção para os desportos amadores, em geral, e para a Orientação em particular. Esta última promove um estilo de vida saudável, em harmonia com a natureza e, felizmente, não precisa de milhões de subsídios para vingar. Basta que seja tratada com mais respeito por aqueles a quem foi confiada a tarefa de promover o desporto em Portugal.
Parabéns pela iniciativa,

Margarida Novo

Armando Rodrigues disse...

Concordo plenamente consigo, já é hora do reconhecimento da "nossa" (que é de todos) modalidade e do esforço desenvolvido por muitos atletas, técnicos e outros anónimos que abdicaram de muito para que a Orientação esteja no patamar em que se encontra hoje.
Não pedimos muito ... só a divulgação a que temos direito.

Armando Rodrigues
Cartógrafo

PFernandes disse...

Caro Margarido,

Possa ser este mais um passo rumo ao desenvolvimento que a nossa modalidade merece e que toda a população dela possa usufruir, com tudo o que de positivo daí advenha.

Deixo somente uma sugestão:
- Apesar da carta ser endereçada principalmente ao Primeiro-Ministro de Portugal, julgo que deveria também ser enviada (para conhecimento) ao Governo da República, aos Grupos Parlamentares, à Presidência da República, às Instituições do Desporto e da Juventude, às Autarquias, etc...
... de forma a melhor dar a conhecer este desporto que não se encerra em si mesmo, mas corresponde sim a uma "forma de vida", saudável e responsável com o meio ambiente.

Vamos todos contribuir para o passar da mensagem ?

Saudações Orientadas,
Paulo Fernandes

João disse...

É importante ter alguém que leve a conhcer este maravilhoso desporto a tão ilustre personalidade!
Boa iniciativa, parabéns

Cumprimentos,
Mega

Vitor disse...

Mais uma excelente iniciativa do Joaquim Margarido, que merece todo o nosso apoio.
Estou certo de que se o PM ler esta carta vai querer conhecer e experimentar o melhor desporto do mundo, obrigando dessa forma os média a dar a visibilidade que este desporto merece.

Clube de Orientaçao de Estarreja disse...

Mesmo que quisesse acrescentar alguma coisa não o poderia fazer... Penso que está tudo escrito.
Parabéns pela forma como conseguiu passar tudo isto para o 'papel'. Embora eu pense que há sempre o 'risco' de estas 'cartas abertas' nunca chegarem ao destinatário, acho que se de facto esta chegar o PM não vai ficar indiferente!

Cumps,
Diogo Miguel

Graca disse...

A orientação é tudo aquilo que disseste...como só tu o sabes dizer!
Num momento em que o País precisa de desenvolver novas formas de turismo, nada melhor do que cativar os Nórdicos para a pratica deste desporto no nosso território durante todo o ano.O investimento é tão pequeno se considerarmos que os "estádios" já estão construídos e são provavelmente dos melhores do mundo!
O resto...é hospitalidade Portuguesa!
Boa Sorte Portugal!
Graça Carrapatoso

Paulo Franco disse...

Obrigado Joaquim, sempre na linha da frente. Tu sim, és um comando da escrita, de dedo sempre na tecla! :) Excelente ideia, muito oportuna e como não podia deixar de ser o texto é excelente.

Pergunta: o que podem fazer os "comuns mortais" para que esta iniciativa seja levada a bom porto. Caso contrário não passará apenas de mais uma boa intenção e "de boas intenções..."

Vamos a eles! Parabéns e Obrigado!
Paulo Franco

Cláudio Tereso disse...

O Paulo Franco pergunta "o que podem fazer os "comuns mortais" para que esta iniciativa seja levada a bom porto."

Se calhar não era má ideia fazer uma petição para o assunto ser apresentado em assembleia da republica.

Não com este texto, claro, porque é especifico para o PM, mas com um resumo e só com o propósito de dizer : Nós existimos, fizemos isto, agradecemos apoio e visibilidade.

Bófi@ disse...

Caro Joaquim:
Foi com grande satisfação e até com uma lágrima no canto do olho que li a sua missiva ao Sr. Primeiro Ministro.
Fez-me pensar e repensar ...
Será que ele fará o mesmo?!
Espero bem que sim, em prol da Orientação e do Desposto em geral.
Grande abraço
Luis Monteiro

ALIX disse...

Margarido e companheiros,

Duas breves notas sobre as palavras chave do problema - Notoriedade e Eficácia.

NOTORIEDADE - Tal com já vos referi inúmeras vezes a notoriedade positiva constrói-se e consolida-se com planos de promoção e marketing assentes em parcerias sólidas com MEIOS e ANUNCIANTES e não em episódios isolados.
Planeamento versus Navegação à vista (que é infelizmente o modelo que invariavelmente adoptamos) é fundamental para aumentarmos a nossa notoriedade junto das populações alvo que pretendemos cativar (jovens, minorias, deficientes, elites, ....).
Infelizmente para o nosso Primeiro o único numero que lhe interessaria não está na carta. E este seria obviamente o numero de potenciais VOTANTES ao lado dos quais ele se poderia "pavonear" (que é o que ele faz nos grandes eventos de corrida em que aparece).

EFICÁCIA - Se em ultima instância o que se pretende com esta acção é aumentar a visibilidade da Orientação então o "veiculo" escolhido está totalmente errado (o DNegocios ontem colocou Socrates no seu ponto mais baixo de popularidade). Se se pretende pressionar o poder politico para dar a devida atenção à Orientação então devemos ter um plano de lobby estruturado e com objectivos muito bem definidos no tempo (que é de resto o que as Federações que existem fazem). É bom que tenhamos a noção que nós estamos no grupo das que Federações que "não existem" para o poder politico, dito de outra forma, somos perfeitamente descartáveis ou residuais quer se tratem dos seus planos estratégicos ou de actividades.

Dito isto haja esperança e perseverança e elogiem-se os que não tem medo de se afirmar!!!

Parabéns Margarido.

Um abraço do
Alexandre

Ana disse...

Concordo com a ideia em si. Em relação aos comentários, concordo especialmente com a Graça quando diz que ‘os “Estádios” estão feitos e são dos melhores do mundo’. Agora é preciso arranjar maneira desta carta (ou ideia) chegar às pessoas/instituições certas, para ter os resultados pretendidos. O Joaquim Margarido já faz o que pode (e é muito) pela divulgação da Orientação. Cabe-nos a nós, também, divulgarmos junto dos nossos amigos, nos locais de trabalho (e outros), toda esta “ideia”. Vamos a isso!
Duma coisa estou certa. Se qualquer primeiro ministro ou qualquer outra pessoa experimentar esta modalidade, quase de certeza que vai gostar e vai querer continuar a pratica-la. E se por acaso algum dia a deixar, deve acontecer como alguém me disse uma vez ”Mais cedo ou mais tarde, todos voltam…”

Rita disse...

Subscrevo inteiramente o que tu, Joaquim, escreveste.
Aproveito para deixar aqui o meu muito obrigado por tudo o que tens feito em prol do Desporto de Orientação em geral, quer em termos de divulgação, quer em termos de exaltação e dignificação da modalidade.

Que política em Campolide disse...

Claro que não podia ficar indiferente a esta Carta Aberta. Subscrevo-a na íntegra.

Resta-me agradecer e dar-te os Parabéns por, mais uma vez, “dares” o teu melhor em prol da Orientação!

Aquele forte e grande Abraço!

Orlando Duarte

patrícia disse...

olá a todos os orientitas,

Tudo o que foi dito pelo Margarido é verdade.Que outro desporto tem um impacto tão positivo para a economia portuguesa e que nem sequer é valorizado pelo nosso Estado?


Cumprimentos
Patrícia Casalinho

Nelson Monteiro disse...

Parabéns pela ideia da carta aberta! O timing é excelente e este texto, escrito de uma forma especial e "apaixonada" pela modalidade, traduz o sentimento de todos os orientistas portugueses!

Exmoº Sr.PM, venha experimentar fazer um "jogging" connosco! Mas desta vez de mapa e bússola na mão... Venha conhecer o desporto da floresta! Não se vai arrepender! Vai conhecer umas centenas de portugueses atletas, amantes da natureza, organizados e voluntários, todos a participarem e/ou a trabalharem em prol de algo em que acreditam!

Muito obrigado, Joaquim Margarido, pelo trabalho em prol da modalidade! Bem haja...

Nelson Monteiro

ILCO disse...

Concordo plenamente a Orientação é isso e muito mais - é um vicio para quem gosta de desafios.

ILIDIO COELHO

(p.f. elucidem o PM que as curvas de nivel nada têm nada a ver com o déficit e que o laranja é a côr oficial da orientação e não doutra coisa)

Carlos disse...

Após a carta que o Margarido escreveu, tão concisa e que tão bem caracteriza e Orientação, pouco mais poderíamos acrescentar, senão reforçar o seu conteúdo e subscreve-la.
Bem haja Joaquim Margarigo pelo muito que tem feito pela Orientação em Portugal.
Sinceros agradecimentos.
Isabel e Carlos Monteiro

M2OPinto disse...

Também concordo com a Carta Aberta.
Tendo em conta que muitos titulares de cargos públicos se "orientam", é de bom tom que que façam algo para que a Orientação fique ao alcance de todos.

Luisa disse...

Subscrevo inteiramente o que o Joaquim Margarido escreveu e espero sinceramente que este artigo "dê frutos".
Aliás estará Portugal muito mal se não os der !!
Mais uma vez Margarido, em nome da nossa modalidade, muito obrigado por tudo o que tem feito por este desporto tão especial que permite juntar toda a familia nos mais belos recantos de Portugal (e estrangeiro).
Luisa Mateus

PRISMA disse...

Felicitamos una vez más al Sr. Joaquim Malgarido. Las palabras precisas para que los gobernantes de buena voluntad comprendan lo que puede significar la Orientación deportiva para sus pueblos. Nuestros más cálidos saludos, desde Uruguay. Winston Robilotta.- Asociación Uruguaya de Orientación. Proyecto PRISMA Maldonado. Uruguay