segunda-feira, 22 de março de 2010

IV TROFÉU ORI-ALENTEJO E ESTAFETA DA PRIMAVERA: O PERFUME DA ORIENTAÇÃO EM ARRAIOLOS

.


A Primavera trouxe consigo o doce perfume da Orientação e Arraiolos voltou a atrair as atenções de muitos amantes do desporto da floresta.

A 4ª etapa do IV Troféu Ori-Alentejo abriu um fim-de-semana de Orientação de grande nível que contou com a chancela de qualidade organizativa do Clube de Orientação da Gafanhoeira – Arraiolos. Foram em número de 182 os participantes que fizeram as honras do mapa novo de Pastaneira Sul e Bolelas (Arraiolos), desfrutando dum terreno típico de montado alentejano, com muitos detalhes rochosos e de relevo, e suportando com uma monumental carga de água que transformou em poucos minutos o mar de verde e flores dos campos em largos espelhos de água e caudalosas torrentes.

Em seis dos sete escalões, a vitória sorriu ao emblema do gafanhoto. David Sayanda e Inês Pinto foram os grandes triunfadores no escalão Difícil, com João Mega Figueiredo (CN Alvito) a conseguir furar o pleno das cores grená nestes pódios ao ser segundo no sector masculino. Rute Coradinho teve um desempenho fantástico em Médio Feminino, impondo-se às "credenciadas" Ana Salgado, Sofia Anjos, Ana Anjos e Teresa Maneta, suas companheiras de equipa e que ocuparam por esta ordem as posições seguintes. Em Fácil, os vencedores foram Fátima Pereira e Pedro Pereira, enquanto em Iniciação o triunfo foi para Rita Prates. Abílio Barbas (ADFA) triunfou em Médio Masculino, constituindo a excepção à regra anteriormente referida.

Estafeta emocionante

A Estafeta da Primavera encerrou o fim-de-semana em ambiente de grande festa, apesar de um ou outro aguaceiro teimar ainda em bater à porta e da notada ausência do GafanhOri Bar. ‘Speaker’, arena ampla com boa visibilidade para os pontos de espectadores e passagem de testemunhos e mais um mapa novo, desta feita do Zambujo (Gafanhoeira), em terreno técnico e variado, foram elementos que trouxeram mais força à grande festa da Orientação. A prova teve a participação dum total de 62 equipas (dois elementos por equipa para dois percursos cada elemento), distribuídas por quatro escalões.

Em Masculinos a luta esteve ao rubro, com a turma do COC Leiria 1 (Tiago Romão / Paulo Franco) a sagrar-se vencedora, logo seguida do GafanhOri 3 (Tiago Gingão Leal / David Sayanda) e do GafanhOri 4 (João Mega / Manuel Horta). Na prova Feminina, Rita Rodrigues (GafanhOri) fez equipa com Vera Alvarez (CPOC) e foram as grandes vencedoras, enquanto em Misto, o GafanhOri 1 (Inês Pinto e Paulo Falcão) impuseram-se à concorrência. Finalmente, em Iniciados, foi ainda e sempre para o GafanhOri o lugar mais alto do pódio, mercê do triunfo do par João Pedro / Diogo Barradas.


“A Estafeta da Primavera tem potencial para se tornar um dos clássicos do nosso calendário”

“O GafanhOri, mais uma vez, tinha o esquema bem montado.” Foi com estas palavras que Paulo Franco, um dos elementos da equipa vencedora da Estafeta da Primavera, iniciou as suas declarações ao Orientovar. Falando da prova e da forma como decorreu, Paulo Franco adianta: “Saí logo na partida em massa, com a preocupação típica de uma partida de Estafetas: Não me deixar influenciar pelos outros atletas, ir direito ao meu ponto e confirmar o código. Consegui e o resto da manga correu-me bem. Foi uma manga bastante rápida, acabei logo atrás do Jorge Fortunato com o qual dividi os últimos quatro pontos. Não fosse um erro do João Mega junto ao ponto de espectadores e teríamos sido três a chegar bem colados.” Prosseguindo com o filme da prova: “O Tiago Romão aumentou a diferença para o segundo e arranquei desta feita com vantagem confortável para o terceiro percurso. Procurei geri-la e consegui fazer uma primeira parte mais forte, mesmo cometendo alguns erros menores. Nos dois últimos pontos, fruto de desconcentração, cansaço ou simplesmente displicência, fiz dois erros infantis que me fizeram reduzir a vantagem para menos de um minuto. O Tiago fez uma manga final segura e desta vez sorriu-nos a vitória a nós e com direito a uma lembrança original, uma flor. Ora pois, só podia, não fosse esta a Estafeta da Primavera! Excelente ideia, a gaveta das medalhas agradece e a cozinha também.” A terminar, uma palavra para a organização: “O Gafanhori está mais uma vez de Parabéns pela excelente iniciativa que espero poder repetir em 2011. A Estafeta da Primavera tem potencial para se tornar um dos clássicos do nosso calendário. Bem hajam. Obrigado.”

Também Tiago Romão se mostrou disponível para nos deixar as suas impressões: “É sempre um enorme prazer deslocar-me até estas paragens para fazer Orientação e digo, sem quaisquer problemas, que é a zona do país onde me dá mais prazer praticar a modalidade.” Em relação à prova, “penso que a idealização desta Estafeta foi muito bem conseguida, criando uma enorme espectacularidade, emoção e diversão em redor de toda a prova. Este tipo de estafetas de dois elementos cria uma maior competitividade entre as equipas e o resultado final é sempre uma incógnita pois os percursos, ao serem curtos, não possibilitam que um atleta se destaque muito do grupo.” A finalizar: “O ambiente na Arena foi bastante agradável e para isso muito contribuiu o dinâmico, atento e entusiástico ‘speaker’ de serviço, mostrando uma grande preocupação do clube em organizar bem seja uma prova Nacional, Regional ou Local, como foi o caso. O mapa era igualmente agradável e ideal para este tipo de eventos. Da minha parte um grande obrigado ao GafanhOri por me proporcionar uma prova desta qualidade e considero ser unânime que o GafanhOri mais uma vez merece os parabéns de todos.”

Consulte os resultados completos em
http://sites.google.com/site/4orialentejo/resultados.

[fotos extraídas da galeria de Paulo Fernandes em
http://picasaweb.google.com/paulojjf2/]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

4 comentários:

João disse...

Concordo plenamente com os meus colegas orientistas. Esta ideia é de ter em conta, e porque não criar um circuito de estafetas duplas (com ranking e tudo) já em 2011??

Mega

Jorge Fortunato disse...

Foi uma tarde bem passada!
Eu, o Filipe Dias, o Paulo Franco e o Tiago Romão viemos de um treino na Leirosa directamente para a Gafanhoeira e não nos arrependemos da distância percorrida.
O mapa era simples mas foi muito bem aproveitado de forma a dar espectacularidade à prova.
Obrigado!

Manuel disse...

Valeu a pena termo-nos levantado às 5h30 e fazer os 250 km desde a Canada do Parragil, no Algarve. Em Alcácer metemos por Santa Susana em direcção a Montemor. Fartámo-nos de ver cegonhas e, assim, pude finalmente libertar o pulso da minha “martenitsa” (ver na Wikipédia). Três percursos formidáveis e, pela minha parte, sem uma gota de chuva. O cenário da Pastaneira, com o castelo de Arraiolos em fundo, faz deste mapa um dos mais bonitos de Portugal. A Inês (5 anos) adorou “a prova” com a Sofia e o Alex Farenfield, embora com a loucura da meta se tenham esquecido de picar o 100. Não houve bar, mas a cafetaria da Sociedade Recreativa da Gafanhoeira serviu umas óptimas sandes em pão caseiro e houve até quem se batesse com um prato de costeletas (verdade, Amílcar?). Mas o prato forte do dia foi a estafeta no Monte do Zambujo, um mapa desenhado especificamente para esta prova (perguntem ao Tiago). Percursos rápidos, mas com várias esparrelas – e eu caí nalgumas delas (rima e é verdade). O planeamento milimétrico dos percursos e o conhecimento de todos os concorrentes transformaram a locução num espectáculo emotivo. Pena que a moldura humana não tenha sido mais alargada. Apoio inteiramente a ideia de transformar esta estafeta num clássico do nosso calendário. E até penso que se poderia equacionar a hipótese de associar o Dia Nacional da Orientação a uma estafeta deste género (não necessariamente no Alentejo), porque a verdade é que é este o tipo de prova que permite o ambiente mais festivo.
Manuel Dias

Luís Santos disse...

Só uma pequena correcção a este texto pois o Diogo Barradas não é do Gafanhori. É meu familiar (corre pelo CPOC) e fez equipa com um amigo do Gafanhori (tal como aconteceu com a Vera).

Saudações,
Luís Santos