domingo, 14 de fevereiro de 2010

PORTUGAL O'MEETING 2010: PRIMEIRO DIA COM VITÓRIAS DE DANIEL HUBMANN E HELENA JANSSON

.

Daniel Hubmann e Helena Jansson foram os vencedores do primeiro dia do Portugal O’ Meeting. Num dia de excelência e num mapa que, tal como a Organização prometia, se revelou um autêntico quebra-cabeças, duas vitórias incontestáveis de dois nomes maiores da Orientação mundial.

A Praia da Leirosa, alguns quilómetros a sul da Figueira da Foz, recebeu a primeira prova do Portugal O’ Meeting 2010, evento de Orientação Pedestre que reúne este ano 1822 atletas inscritos, um número record de participantes ao fim de quinze edições da prova. As fumegantes chaminés da Celbi não terão sido o melhor “cartão de visita” para quem manhã cedo, invadiu os acessos à Leirosa, mas a Organização sabia o que fazia quando elegeu o local para abertura do evento.

A beleza da floresta, o contraste com as dunas sobranceiras ao vasto e belo Atlântico e aquele sol radioso a disfarçar temperaturas muito baixas foram ingredientes que valorizaram – e de que maneira! – este primeiro dia. A Organização mostrou estar à altura das exigências e responsabilidades dum evento desta natureza e, embora a procissão vá ainda no adro, Clube de Orientação do Centro e Secção de Orientação do Ginásio Clube Figueirense estão verdadeiramente de parabéns.

Vitórias folgadas

Quanto à competição “pura e dura”, o escalão de elite apresentou algumas surpresas, desde logo com essas desclassificações do sueco Emil Wingstedt, do russo Leonid Novikov ou do búlgaro Kiril Nikolov, todos por “mp”. Quem não quis deixar os seus créditos por mãos alheias e selou o favoritismo com um notável triunfo foi o suíço Daniel Hubmann, deixando atrás de si uma das maiores promessas mundiais da Orientação, o norueguês Olav Lundanes e ainda o italiano Mikhail Mamleev. Nas senhoras, a sueca Helena Jansson triunfou com uma vantagem significativa sobre a líder do ‘ranking’ mundial, a suíça Simone Niggli, cabendo o terceiro lugar à checa Eva Jurenikova (na foto com Simone Niggli, conversando no final da prova). Quanto aos portugueses, Tiago Aires e Raquel Costa, ambos do GafanhOri, foram os melhores classificados, respectivamente nas 33ª e 34ª posições, respectivamente.

Resultados
Homens Elite
1º Daniel Hubmann (KOK) 57.17

2º Olav Lundanes (COC TC Halden SK) 59.47
3º Mikhail Mamleev (ITA) 59.53
4º Scott Fraser (Tume) 1.01.04
5º Olle Boström (Järla Orienteering) 1.01.06
6º Christian Christensen (IFK Göteborg) 1.01.15
7º Jonas Vytautas Gvildys (IGTISA – LTU) 1.01.36
8º Baptiste Rollier (KOK) 1.02.02
9º Wojciech Kowalski (GD4C) 1.02.34
10º Gernot Kerschbaumer (HSVPIN) 1.02.42

Damas Elite
1º Helena Jansson (COC TC IF Hag) 49.59

2º Simone Niggli (Swiss O) 52.28
3º Eva Jurenikova (DGoIF) 53.01
4º Ann-Margrethe Hausken (COC TC Halden) 55.26
5º Lina Persson (KOK) 56.20
6º Sara Lüscher (Swiss-O) 56.23
7º Sabine Hauswirth (Swiss O) 56.29
8º Grace Crane (BOK) 56.50
9º Sandra Pauzaite (IGITSA – LTU) 58.31
10º Vendula Klechova (COC TC Halden) 58.34

“Hoje foi mais um treino, amanhã vai ser mesmo a sério"

No final o Orientovar registou os depoimentos de alguns dos intervenientes. Meike Jaeger (ASOPE), uma alemã a exprimir-se em francês, realçava a beleza da prova: “Uma corrida num mapa muito bonito, com a floresta e as dunas sobre a praia, um terreno muito rápido para uma corrida fácil”. Para a atleta, “esperava pontos mais escondidos, uma vez que a floresta fechada podia fazer com que isso acontecesse. Felizmente correu tudo muito bem, um ou outro erro mas nada de grave e estou muito contente com a prova.”

“Um terreno muito bonito, com dunas de areia abertas em contraste com muitos verdes, algo que não temos na Finlândia”, começou por realçar Tero Föhr (Vehkalahden Veikot), o recente vencedor do I Meeting Internacional de Arraiolos, há cinco semanas atrás e 53º classificado na prova de hoje. Para o atleta, este mapa “foi uma surpresa, esperava terreno mais aberto, com mais visibilidade”. Finalmente, o atleta acabou por confessar que “hoje foi mais um treino, amanhã vai ser mesmo a sério.”


“Este costa-a-costa é um quebra-cabeças”

Eva Jurenikova (Domnarvets GoIF), a atleta checa vencedora do Norte Alentejano O’ Meeting (Alter do Chão) no ano transacto, realçou igualmente a beleza do terreno: “Já estive em Portugal várias vezes antes, embora não nesta região em particular e é tudo muito bonito. O mapa tem muito detalhe, este costa-a-costa é um quebra-cabeças a exigir muitas mudanças de velocidade, diferentes formas de abordagem técnica. É um mapa verdadeiramente exigente, fantástico.” Quanto à prova rainha do segundo dia do Portugal O’Meeting, a atleta mostra-se realista: “Espero amanhã correr o mais rápido que poder, fazer o meu melhor depois logo veremos.”

Jorge Fortunato (Ori-Estarreja) foi um dos nossos atletas de elite presentes e a quem a prova não correu particularmente bem, como o demonstra o 117º lugar na etapa. Ainda assim, no final da prova o ‘fair-play’ falava mais alto: “Foi giro, difícil, duro, mas sobretudo giro.” Quanto à prova em si, “um grande erro no início custou-me muito tempo e afastou-me da possibilidade de me bater com os melhores portugueses.” Quanto ao mapa, “já estava à espera dum mapa assim, a exigir muita concentração por causa das zonas verdes e a zona da praia muito técnica, a obrigar também a uma grande concentração junto aos pontos.” E amanhã? “Amanhã vai ser melhor, concerteza.”

“É claro que é sempre bom ganhar”

Encantada como sempre com o sol de Portugal, Simone Niggli (Swiss O)estava contente com a sua prova, “apesar dum tremendo erro para o ponto 18 que me custou cerca de três minutos”. Mas isto parece ser encarado com alguma naturalidade: “Estamos no início da temporada e estes erros acontecem, sobretudo quando os terrenos são tão desafiantes, tão perigosos (risos).” Amanhã, é outro dia: “Temos aqui muitos competidores de altíssimo nível e estar a projectar uma vitória na prova de amanhã e mesmo no Portugal O’ Meeting é sempre prematuro e talvez nem seja o mais importante. Estamos numa altura da temporada em que encaramos estes eventos como um treino-competição. A prova vai ser muito desafiante, muitos pontos de controlo, muito detalhe, espero manter a cabeça fria e se ganhar, melhor. É claro que é sempre bom ganhar.”

Lutou pela vitória até ao último segundo no POM 2009, em Mora, mas este ano parece ter deitado tudo a perder logo no primeiro dia. Falamos de Ionut Zinca (GD4C), um atleta romeno que nos honra frequentemente com a sua presença e que começou por dizer: “Falhei muito no início da prova, logo nos dois primeiros pontos e então abrandei. Dei-me conta que estava a falhar bastante e não continuei a apertar como no início. Acabei por retomar o ritmo normal da minha corrida mas tenho quatro ou cinco minutos perdidos inicialmente que me custaram caro.” Quanto ao mapa, Ionut Zinca achou “muito bom, embora a zona de verdes fosse um pouco estranha. Não que estivesse mal, mas falhei onde não podia falhar.” Amanhã, todavia, parece não haver lugar a falhas: “Espermos que não, que seja uma prova limpa, perfeita. Mas vai ser difícil, há muitos atletas de grande nível e todos querem fazer uma prova perfeita. Esperemos que saia tudo bem.”

“Foi uma prova muito bonita, muito divertida”

Ona Rafols (GD4C) é uma das poucas atletas espanholas presentes neste Portugal O’ Meeting. De acordo com as suas palavras, “gostei muito do traçado mas este é o primeiro dia, custa sempre a entrar no mapa e nalguns pontos falhei um pouco.” Quanto ao mapa, “era muito técnico mas já estava à espera.” Amanhã, parece haver vontade para fazer mais e melhor: “É uma prova de Distância Média e espero correr com mais velocidade e não falhar tanto.”

Representando a selecção italiana, Maria Novella Sbaraglia foi a nossa última interlocutora: “Foi uma prova muito bonita, muito divertida, cometi alguns erros mas nada de muito grave.” Quanto ao mapa, “era muito técnico, tudo muito semelhante e tornava-se difícil manter a direcção. Mas sobretudo era um mapa muito belo.” Quanto ao que grande dia, “amanhã é a prova mais importante deste Portugal O’ Meeting e procurarei andar bem e que tudo saia bem.”

.
Em dia de S. Valentim, tem lugar a prova-rainha deste Portugal O' Meeting com a disputa duma prova de Distância Média. Prometido está um namoro perfeito entre o mapa da Lagoa das Braças, em Quiaios e todos os privilegiados que aí se deslocarem para competir ou, simplesmente, para desfrutar do prazer da floresta. Continue a acompanhar o Portugal O'Meeting em www.pom2010.com ou aqui, no seu Orientovar.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: