domingo, 14 de fevereiro de 2010

PORTUGAL O' MEETING 2010: THIERRY GUEORGIOU CHEGOU, VIU E VENCEU!

.


Ainda que o céu tenha perdido o azul, a Orientação brilhou ao mais alto nível neste segundo dia do Portugal O’ Meeting. Pontuável para o ‘ranking’ mundial, a etapa aguardada com mais expectativa não deixou ninguém indiferente. Tanta animação, tanta emoção, tamanha qualidade, tanta e tão boa Orientação, fizeram das vitórias de Thierry Gueorgiou e Simone Niggli dois momentos ímpares, absolutamente inesquecíveis.

Lagoa das Braças, a norte de Quiaios. O dia tarda em clarear mas a azáfama em torno da Arena e bem no coração da floresta já se faz sentir. É a enorme responsabilidade de ter no centro de Portugal um evento de Orientação Pedestre desta natureza, um evento que arrasta até à Figueira da Foz quase duas mil pessoas, um evento que é um cartão de visita duma região que tem nas suas praias, nas suas florestas, nos seus arrozais, nas suas salinas, nas suas artes e tradições um património cultural e paisagístico riquíssimo, absolutamente único. E, não menos importante, um evento que mobiliza uma parte significativa da vasta oferta da região em termos de alojamento e restauração e tem um impacto económico deveras importante.

Duma coisa não nos podemos esquecer: Este é o fruto do esforço e do trabalho absolutamente voluntário de gente que, sob as bandeiras do Clube de Orientação do Centro e da Secção de Orientação do Ginásio Clube Figueirense, fazem da Orientação e de Portugal a sua única bandeira. Um evento que, preparado ao mais ínfimo pormenor, tem exigido um empenho e um esforço sobre-humano da parte de todos. Um evento que merecia mais atenção por parte daqueles que têm a responsabilidade de lutar, também eles, por mostrar ao mundo um bocadinho daquilo que de bom cá se faz, Comunicação Social e Órgãos de Soberania à cabeça. É que, meus senhores – e perdoem-me se coloco a questão assim nestes termos, mas também não a sei colocar noutros!... – que evento competitivo de carácter desportivo traz a Portugal mil e duzentos estrangeiros? Onde é que vemos, todos juntos e duma só vez, os Cristianos Ronaldos, Messis, Kakás, Maradonas, Eusébios, Pelés, Puskas e Di Stefanos da Orientação, a pisar o mesmo palco, num pequeno País à beira-mar plantado chamado Portugal?

Thierry vence e Hubmann faz “mp”

Passando à acção, começaríamos por adiantar que a prova de Distância Média teve o seu início pelas 10h30 e prolongou-se por mais de cinco horas. Tempo encoberto mas sem vento, temperaturas baixas mas perfeitamente suportáveis, uma ansiedade crescente à medida que as horas de partida se iam escoando e, de repente, uma floresta daquelas que deveria ser elevada – JÁ! – a Património Mundial da Orientação, a ver-se repleta de gente de todas as idades, mil e uma emoções e sensações à solta, a revelarem-se em cada rosto. Num mapa superiormente trabalhado e desenhado por Rui Antunes, num terreno muito limpo e macio, mas extremamente detalhado e a exigir os mais altos índices de concentração, deu para apreciar a real valia dos nomes em presença.

No sector masculino, vitória incontestada do francês Thierry Gueorgiou (French O-Team) a bater toda a concorrência, a mostrar todo o seu enorme potencial e a dar razão àqueles que o apontavam como grande favorito à vitória de hoje. E que eram muitos… Nas posições imediatas classificaram-se o sueco Emil Wingstedt (COC TC Halden SK) e o suíço Fabian Hertner (O-POR Swiss O-Team), este último, apesar da sua enorme juventude, a revelar-se cada vez mais como uma das grandes certezas da Orientação mundial e a roubar um lugar no pódio a nomes teoricamente mais valiosos como os de Anders Nordberg, Olav Lundanes, Carl Waaler Kaas, Tero Föhr ou Mikhail Mamleev. Propositadamente deixámos Daniel Hubmann para o fim, já que o suíço reunia, a par de Thierry Gueorgiou, a maior dose de favoritismo à vitória. Só que um “mp” deitou tudo a perder. Desde logo a prova, mas também os correspondentes pontos para o ‘ranking’ mundial e, naturalmente, a vitória no Portugal O’ Meeting. Já é sina de Daniel Hubmann fazer “mp” na prova-rainha do POM, já que no ano transacto, em Mora, sucedeu exactamente a mesma coisa. O facto é que isto parece trazer sorte ao atleta suíço. Ou não seja ele o número um do Mundo. Quanto às senhoras, Simone Niggli “vingou” o segundo lugar de ontem, trocando de posição com a sueca Helena Jansson, repetiu a vitória na prova WRE de 2009 e parece bem lançada para repetir a vitória na grande prova portuguesa oito anos depois.

Resultados
Homens Elite
1º Thierry Gueorgiou (French O-Team) 31.00

2º Emil Wingstedt (COC TC Halden SK) 31.38
3º Fabian Hertner (O-POR Swiss O-Team)
4º Carl Waaler Kaas (SunO/ Bækelagets) 32.07
5º Olle Boström (Järla Orientering) 32.27
6º Leonid Novikov (Delta RUS) 32.30
7º Tero Föhr /Vehkalahden Veikot) 32.30
8º François Gonon (French O-Team) 32.36
9º Philippe Adamski (French O-Team) 32.37
10º Mikhail Mamleev (ITA) 32.37

Damas Elite
1º Simone Niggli (O-POR Swiss O-Team) 31.58

2º Helena Jansson (COC TC IF Hagen) 32.44
3º Yulia Novikova (Delta RUS) 34.52
4º Céline Dodin (French O-Team) 35.16
5º Ida Bobach (SunO / Denmark Team) 35.50
6º Lina Persson (O-POR KOK) 36.08
7º Sara Lüscher (O-POR Swiss O-Team) 36.32
8º Anne Margrethe Hausken (COC TC Halden SK) 36.51
9º Angela Wild (O-POR Swiss O-Team)
10º Eva Jurenikova (Domnarvets GoIF) 37.01

Reacções dos protagonistas

Já foi líder do ‘ranking’ mundial e ocupa actualmente a quarta posição. Falamos da norueguesa Anne Margrethe Hausken (COC TC Halden SK), a primeira pessoa com quem o Orientovar trocou impressões após a grande prova de hoje e que nos falou da sua prova: “Foi uma prova rápida, apesar de muito técnica durante todo o percurso, com uma enorme quantidade de pontos de controlo. Exigia uma corrida muito atenta, com mudanças de direcção a cada momento o que a tornou muito exigente e… muito rápida!” Quanto à sua performance, a atleta confessou algum desapontamento: “Não estou muito contente com o meu resultado. Na verdade perdi 40 segundos no ponto 9, o mesmo tempo no ponto 16 e isto é muito tempo para quem aspira à vitória. Não estou ainda no melhor momento em termos de velocidade, perdi muito tempo ontem e hoje, mas o bom nisto é pensarmos que ainda estamos em Fevereiro.” A finalizar, uma confissão: “Amanhã não irei correr. Temos de encarar a competição, nesta altura do ano, como fazendo parte do plano de treino e há que respeitar também as pausas. Voltarei a competir apenas no último dia." Logo, uma vitória no Portugal O’ Meeting está fora de causa.

A francesa Céline Dodin (French O-Team) alcançou um excelente quarto lugar e, no final, exprimia assim a sua satisfação: “Penso que foi uma corrida muito interessante, com algumas partes do percurso a exigir muita precisão, percursos muito bem traçados e foi um regalo, verdadeiramente magnífico.” Mas nem tudo foram rosas: “Tive algumas dificuldades na zona do ‘loop’ porque comecei a sentir-me fatigada, embora tenha feito algumas provas de corta-mato ultimamente e sinta que a minha forma física está bem. E afinal nem perdi tantos automatismos em termos de Orientação quanto isso… Enfim, pouco a pouco lá fui controlando os vários pontos e foi bom até ao final.” Para a selecção francesa o Portugal O’ Meeting terminou: “É pena, porque este é um bom momento para nos encontrarmos e nos situarmos. Mas é uma questão de escolha e entendemos que ainda não é a altura da época para dar no duro.”



“Quando se corre bem, é divertido; quando não se corre bem, não é divertido”

“Foi uma corrida muito boa, embora me custasse entrar no mapa e tenha cometido alguns erros logo nos primeiros pontos. Mas depois, sobretudo a partir do meio da prova, correu bem e sem erros.” Foram estas as primeiras palavras da suiça Angela Wild (O-POR Swiss O-Team), nona classificada na prova de hoje, para logo acrescentar: “Estou contente com o meu resultado, tanto física como tecnicamente. Já não competia há muito tempo mas penso que estou muito bem fisicamente.” Quanto aos dois dias que faltam de Portugal O’ Meeting, Angela Wild parece ter já a sua estratégia perfeitamente definida: “A prova de amanhã vou encará-la mais como um treino, nas calmas, mas na prova do último dia procurarei fazer de novo competição a sério.”

Conhecido entre as gentes da Orientação como o “búlgaro voador”, Kiril Nikolov (COC TC Halden SK) também se prestou a deixar algumas palavras para o Orientovar: “Foi uma prova interessante. Já tinha estado aqui próximo anteriormente, mas nunca nesta área. É um tipo de terreno com muito detalhe mas muito bonito.” Acerca da sua prova, uma afirmação curiosa: “Quando se corre bem, é divertido; quando não se corre bem, não é divertido. Mas hoje foi bastante divertido e, apesar de alguns erros, estou satisfeito.” Pelo menos serviu para ultrapassar um pouco a frustração do ‘mp’ na primeira etapa e que arruma o búlgaro dum bom lugar final no Portugal O’ Meeting 2010: “Não sei o que aconteceu ontem, algum problema com a base, mas já passou; hoje pelo menos deu para me divertir e, de alguma forma, esquecer o que aconteceu.”

“Vai ser duro mas lutarei pelo primeiro lugar”

“Foi uma bela corrida. Quando olhei para o mapa, confesso que fiquei surpreendida com tanto detalhe e senti algumas dificuldades em meter na cabeça aquilo que ali estava, o que realmente interessava e era importante seleccionar. Mas depois dum par de pontos de controlo ambientei-me e foi mesmo uma bela corrida.” Foram estas as primeiras palavras da sueca Helena Jansson (COC TC IF Hagen), uma atleta pela qual o Orientovar tem um carinho muito especial já que foi ela, há precisamente dois anos, a primeira atleta estrangeira por nós entrevistada. Na sequência da nossa conversa, a actual número 4 do ‘ranking’ mundial confessou que “o ambiente no ponto de espectadores era tão entusiasmante que corri demasiado rápido e depois senti-me um pouco cansada nos últimos pontos mas foi muito divertido. Realmente uma corrida muito, muito boa. “ Quanto ao resultado final deste Portugal O’ Meeting e à possibilidade duma vitória, a resposta surge naturalmente: “Não faço ideia. As duas provas que restam tenho de as fazer bem, estão aqui excelentes atletas, vai ser duro mas lutarei pelo primeiro lugar. Disso podem ter a certeza!”

Apesar duma prova menos conseguida do que na etapa inaugural, Raquel Costa (GafanhOri) não se mostrava nada desapontada. Bem pelo contrário: “Foi espectacular, um percurso muito bem traçado, um desafio constante e dificuldades a cada ponto.” Quanto ao resultado, a atleta portuguesa confessa que fez uma Orientação “no limite, muitas vezes tinha as coisas controladas e acabei por falhar várias vezes, não fui muito feliz.” E uma última questão: É possível, no final do Portugal O’ Meeting, vermos a Raquel Costa nos 20 primeiros lugares? “Não sei… Estão aqui grandes valores da Orientação mundial, a fasquia está muito alta, ainda hoje a prova parecia um autêntico Campeonato do Mundo. Acho mais que não.”

“Estou realmente muito contente”

Grande vencedor do Portugal O’ Meeting em 2007, o francês Thierry Gueorgiou (French O-Team) marcou desta feita presença apenas na etapa-rainha da grande prova portuguesa. E foi o que se pode dizer chegar, ver e vencer. “Fiz um excelente percurso, praticamente não cometi erros e depois fisicamente estou em boa forma pelo que correu muito bem e estou realmente muito contente”, começou por referir o actual número 2 do ‘ranking’ mundial, para logo de seguida acrescentar: “Um terreno muito técnico, mas um terreno que já estava à espera. Habitualmente nesta altura do ano venho a Portugal, vocês têm excelentes terrenos, é muito menos frio que em França e é sempre com enorme prazer que cá venho. Já estou habituado a este tipo de terrenos, mas é verdade que é muito diferente daquilo que encontro em Saint-Étienne. Um terreno exigente que requer uma Orientação precisa e muita concentração.” Finalmente alguma mágoa pela estadia tão curta: “Já estava previsto assim no plano de treinos e é difícil fazer muita competição nesta altura do ano. Mas vou regressar a Portugal para treinar já no final deste mês.”

Amanhã, terceiro dia de prova, o mapa de Quiaios recebe de novo uma prova de Distância Longa. É a partir das 09h30 e será, uma vez, uma grande festa da Orientação. Tudo para acompanhar em www.pom2010.com ou, como habitualmente, no seu Orientovar.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

1 comentário:

Daniel Catarino disse...

Até o chip é dourado=D

É para combinar!