terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

NAOM CRATO 2010: BALANÇO DA ORGANIZAÇÃO

.

A maratona jornalística em torno desta quarta edição do Norte Alentejano O’ Meeting aproxima-se rapidamente do seu final. Mas não nos podemos despedir sem tornar público o testemunho de três personagens fundamentais na dinâmica organizativa deste grande evento: O Vice-Presidente da Câmara Municipal do Crato, um dos proprietários dos terrenos e o Director da Prova.

Um evento desta natureza e com esta envolvência apanhou de surpresa Fernando Gorgulho, Vice-Presidente da Câmara Municipal do Crato: “Sinceramente não estava à espera. Pelas conversas que fomos estabelecendo desde a primeira hora – e devo acrescentar que a primeira hora foi precisamente no dia 24 de Outubro de 2009, após a tomada de posse deste novo executivo, quando aceitei participar numa Acção de Formação promovida em Flor da Rosa pelo Grupo Desportivo dos 4 Caminhos -, fiquei sensibilizado e comecei a acreditar que era possível. Percebi que, essencialmente, estava perante pessoas com uma grande cultura desportiva e uma elevada estatura cívica. A partir daí, o número de 1200 atletas, que começou por ser um número mágico, deixou de meter medo. Pelo contrário, é muito gratificante trabalhar com pessoas assim e que dão um excelente exemplo à nossa Sociedade.”
.
Para o Crato, esta foi uma aposta ganha: “Estes eventos são muito importantes para o Crato porque o conjunto de atletas internacionais aqui presentes, o conjunto de equipas de 27 países participantes, vão seguramente querer voltar, não apenas numa perspectiva de lazer mas também para treinar e competir. Essa foi a nossa aposta.” Pessoalmente, o Vice-Presidente não esconde uma enorme emoção: “Sinto-me orgulhoso por todos os atletas, pelo Município do Crato que represento e devo apenas reforçar a ideia que valeu a pena a aposta.”

“Pareciam formigas”

Peça-chave em qualquer evento, os proprietários dos terrenos não foram esquecidos pela Organização que fez questão de os agraciar com uma peça belíssima em estanho, representando São Nun’Álvares Pereira. Para Francisco Amieiro, homem franco, sincero e com quem o Orientovar teve o privilégio de privar em diversas ocasiões durante os três dias de estadia no Crato e em Alter do Chão, “não é nada complicado prestar apoio a uma Organização destas. Tem que haver é boa-vontade da parte dos proprietários, como deve calcular. Há muitos proprietários que não gostam que se entre nos seus terrenos. Mas eu, felizmente, tenho este feitio e gosto de colaborar em tudo o que pode ser para o bem da nossa terra.”

De seguida quisemos saber que impacto negativo é que uma prova destas pode ter sobre uma propriedade. A resposta não se fez esperar: “Pode haver uma cerca danificada, meia dúzia de pedras dum muro derrubadas, mas isso não é nada. O problema é que há muita gente esquisita. Eu não! Já colaborei o ano passado, colaborei este ano e, sempre que for preciso, cá estarei para colaborar novamente.” Uma última impressão: “É uma emoção muito grande ver tanta gente feliz às voltas e a correr na minha propriedade. Isso foi o mais importante, pareciam formigas, uns para um lado, outros para o outro, tudo a correr… foi fantástico!”

“A Missão era servir!”

Por último, auscultámos as opiniões do Director da Prova, Fernando Costa, que nos traçou um balanço muito positivo do evento: “A Missão era servir! Servir, de forma a manter o nível de uma prova Internacional em Portugal. Servir para dignificar o clube e a modalidade. Penso que conseguimos cumprir a missão com grande nível e valeu a pena o esforço dispendido.” Concretizando: “Foi o evento em que conseguimos uma maior cobertura dos Órgãos de Comunicação Social, através de várias cerimónias que foram sendo desenvolvidas nas semanas e dias anteriores ao evento. O Jornal Público, através do suplemento FUGAS, fez a cobertura na íntegra do evento. Fizemos história com a colocação on-line de noticias e utilização das redes sociais. A presença dos embaixadores no local da prova é também de realçar. Este foi ainda o nosso evento com maior apoio médico e talvez dos maiores de sempre em Portugal. O Jantar na noite de sábado deu um toque de classe ao NAOM. E, finalmente, aquele que considero o ponto mais alto de todos, os mapas e os terrenos que foram do agrado geral. Aspecto menos positivo, no Sprint Nocturno, a forma como foram feitas as partidas e que criaram uma concentração na Arena durante demasiado tempo. Foi este o aspecto onde ouvimos mais críticas. Mas foi um evento de bom nível e sinto que uma vez mais contribuímos para que a imagem da Orientação portuguesa além-fronteiras saísse fortalecida.”

Quanto aos apoios, o Director da Prova destaca “a excepcional presença e disponibilidade da Câmara Municipal do Crato. Já trabalhámos com muitas autarquias por este país fora e, realmente, este evento foi de longe aquele onde houve maior interesse e envolvimento da Câmara. É uma Câmara habituada a organizar eventos – fazem anualmente um festival, no final do Verão, com uma dimensão brutal – e isso facilitou tudo. Têm a máquina bem oleada, pessoas com muita capacidade de trabalho e é um prazer trabalhar com eles. Aliás, vamos manter esta colaboração visto terem-nos já solicitado apoio no sentido de tornarmos o Crato uma referência na modalidade.” Mas há outros apoios que não podem ficar esquecidos: “Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação de Portalegre, Guarda Nacional Republicana, Bombeiros Voluntários do Crato, Junta de Freguesia de Aldeia da Mata, patrocinadores vários (Almojanda, Carne Alentejana, Ramirez, Justlog, Sotinco, Sportzone, Caixa Agricola, Joi, Terra de Jans, Ach Brito), Hotelaria (Casa do Largo, Hotel Convento D'Alter, Hotel Rural da Lameira, Congress Hotel and Spa, Hotel Candelária, Hotel Sol Serra, Hotel Castelo de Vide) e Órgãos de Comunicação Social (Orientovar, O Praticante, Portal Aventura, Rádio Álamo, Rádio S. Mamede, Rádio Portalegre e O Mundo da Corrida).”

O Portugal O’ Meeting do próximo ano, programado para Portalegre e Alter do Chão, acarreta enormes responsabilidades e há muito trabalho pela frente. Todavia, isto não parece assustar Fernando Costa: “Há já trabalho feito em termos das áreas onde vão decorrer os eventos e, quanto àquilo que nos poderia assustar, um número de atletas de Elite tão grande ou maior que aquele registado este ano na Figueira da Foz, penso que felizmente a Federação Internacional de Orientação tem mecanismos criados para contornarmos o problema. Conjuntamente com a organização do II Meeting Internacional de Arraiolos vamos certamente encontrar uma solução que nos permita não prolongar as provas em demasia e evitar que se criem resultados que possam vir a falsear a verdade desportiva. Esperamos que o Portugal O’ Meeting constitua um enorme sucesso para a modalidade.”

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

3 comentários:

José disse...

Numa organização quase perfeita, destaco um acolhimento memorável com aquela bela festa de sábado à noite.
Uma lição!
Parabéns.

Cláudio Tereso disse...

Correu maravilhosamente.
E a comidinha estava óptima! (personal joke)

Foi realmente o culminar de um excelente capítulo para a orientação Portuguesa, que começou em Arraiolos, passou pela Figueira e acabou no Crato.

Parabéns a todos.

Ana disse...

Este NAOM 2010 foi espectacular!
Os meus sinceros parabéns e obrigada a todos os que o tornaram possível.