sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

I MEETING INTERNACIONAL DE ARRAIOLOS: BALANÇO FINAL DE RAQUEL COSTA

.


A preparação que os grupos de cada área impunham nas suas tarefas nos últimos meses e o apoio incondicional da Câmara Municipal de Arraiolos fez-me adivinhar que este evento teria condições para ter um “brilho” diferente.

Mapas

Para o director técnico da prova, Tiago Aires, a primeira condição é sempre o mapa. Tudo é escolhido e definido de acordo com o tipo de terreno/tipo de prova, a zona de arena mais bonita e com melhores condições para ter o ponto de espectadores e chegada enquadrados no percurso.

As áreas escolhidas para as provas tiveram as características adequadas para as distâncias do evento (Longa e Média). O mapa de Santana do Campo (distância longa) é de uma variedade incrível, pois apresenta zonas muito íngremes, outras mais planas, ora zonas de vegetação, ora áreas abertas, elementos rochosos que alternam com terreno sem pedras, rios e linhas de água em vales inclinados e alguns caminhos pelo meio. Adequa-se à Distância Longa e o traçado oferecia desafios bem interessantes e várias opções entre os pontos de controlo. O terreno do mapa do Barrocal e Fonte Ruivo foi “descoberto” há cerca de 3 anos e tinha estado “à espera” que houvesse oportunidade de termos uma Taça de Portugal para o utilizarmos. Este, pela quantidade de pormenores que possui, numa zona com pouco desnível é um verdadeiro quebra-cabeças para a distância média.

Com o apoio da Associação Monte, através do Programa Participar, foi possível a produção de vários Kms2 de mapas de Orientação. Queríamos ter mapas feitos por outros cartógrafos aqui na região, pois isso trás vantagens para os atletas. É uma visão futurista de tentar aumentar a progressão e adaptação dos atletas do clube e não só, a mapas cartografados com menos detalhe e mais iguais aos utilizados em competições internacionais na maioria dos outros países.

Produção dos mapas

O mapa de Santana do Campo (distância longa) foi elaborado por diversos cartógrafos. A equipa de cartógrafos constituída por Janne Weckman (FIN), Anti Harju (FIN), e Mario Rodriguez (ESP) veio a Portugal produzir este mapa, mas antes disso elaborou o mapa de Bardeiras (Vimieiro), no qual tivemos oportunidade de treinar assim que foi terminado. Quando terminei esse percurso é como se tivesse descoberto uma fórmula mágica, enquanto atleta e cartógrafa. O que se evidenciava no terreno, era evidente no mapa. O restante mapa de Santana do Campo foi desenhado com o mesmo critério, apesar de terem sido cartógrafos nacionais a fazê-lo: Alexandre Reis (POR) e Tiago Aires (POR).

Também o mapa do Barrocal e Fonte Ruivo foi elaborado por cartógrafos internacionais, neste caso por Alexander Shirinian e Viktor Rylov da Rússia. Infelizmente nenhum deste trabalho pôde ser aproveitado por não haver correspondência correcta entre o terreno e o mapa, nem critério adequado. Foi talvez o maior percalço desta organização. A três meses do evento foi preciso desenhar de novo este mapa. Não havendo alternativas disponíveis tão próximas do evento, eu e o Tiago desenhámos o mapa.

Concluindo, julgo que se por um lado tivemos azar na escolha dos cartógrafos russos (já com provas dadas!), por outro foi muito importante para nós (clube, atletas, cartógrafos) ter a equipa finlandesa a trabalhar nestas áreas.

Escalas possíveis pelo tipo de cartografia

Sem dúvida que este tipo de cartografia torna os mapas menos sobrecarregados e fundamentalmente mais justos na navegação, pois salientam fundamentalmente a informação importante. Claro que há sempre resistência á mudança, mas o que é certo é que em terrenos com muitos detalhes rochosos, este processo é importantíssimo, permitindo ter mapas a escalas oficiais.

Treinos do Gafanhori nas áreas das provas

Outro ponto organizativo que me parece muito importante e que faz com que todos os elementos da organização se sintam tão identificados com o evento, são as dezenas de treinos que fizemos desde Setembro nos mapas da prova. Desde cedo nos apercebemos da qualidade dos mapas/terreno, e em todos os treinos os atletas apresentaram as suas críticas, o que fez com que mapas e percursos sofressem diversas alterações ao longo do tempo, até à fórmula final.

Um concelho inteiro a pensar e a trabalhar para a causa Orientação

Apoio incondicional do Município de Arraiolos, que tornou possível utilizar muitos dos seus serviços, num enorme apoio logístico e humano. Desde as duas tendas nas arenas, refeições para os participantes, técnicos e transportes de materiais, impressões de todo o tipo, contactos com proprietários, entre muitas outras. Foi um parceiro desde o primeiro momento e para eles é também merecido o sucesso do evento.

Além disso cada pessoa do clube tentou recolher na região diversos apoios. E juntaram-se a esta iniciativa as entidades seguintes, ora com apoio monetário, ora em géneros e para os quais o Gafanhori envia um agradecimento especial: Junta de Freguesia de S. Pedro da Gafanhoeira; Junta de Freguesia de Arraiolos, Associação de desenvolvimento do Alentejo Cental - Monte ACE; Federação Portuguesa de Orientação; Instituto Português da Juventude; Associação de Municípios do Distrito de Évora; Guarda Nacional Republicana; Bombeiros Voluntários de Arraiolos; Cooperabril; Núcleo de Ciclo turismo de Arraiolos, Centro Osteopático de Évora; Metalo-nicho; Papelaria Pintarola; Presença Paris; Frutas Gabriel Ludovico; Café Aldina Pontes; Albino Rodrigues; Escola de medicina alternativa de Évora; Tapeçaria Maria do Sameiro; Luzipoc; FriAlentejo; Feelgood; Mini-Preço; Ecomarché; Vitalis; RedBull; Francisco Chaveiro Automóveis; Grupo Lobo da Silveira; Fundação Eugénio de Almeida; CongelMor; Delta cafés; Queijaria Amendoeira; Casa o Ninho; Herdade Batepé; Casa Prates Dordio; Arraioluz; Florista a Pétala; LactoDiana; Padouro; Associação de Deficientes das Forças Armadas; Coruche Outdoor Adventor Club; 20km de Almeirim.

Cento e cinco voluntários

É fantástico agora que terminou o Meeting Internacional de Arraiolos e que podemos perceber o sucesso que foi o evento, pois cada um de nós esteve envolvido nos últimos meses em áreas muito específicas da organização e só nas reuniões gerais é que nos apercebíamos da grandeza e perfeccionismo que todas as equipas estavam a alcançar. Era como se houvesse uma competição interna entre equipas, que acabou por ser muito saudável tendo em conta a criatividade que isso provocou.

O meu papel como directora de prova foi fácil e foi um prazer. Tive o privilégio de acompanhar todas as equipas, perceber o evento de forma global. Conheci muitas pessoas devido á necessidade de estabelecer contactos e praticamente todas acolheram bem o I Meeting Internacional de Arraiolos. Todas as equipas, sem excepção, trabalharam para tornar o evento o melhor possível.

Não posso acabar sem realçar mais uma vez o fantástico espírito de trabalho que se viveu por estas bandas nos últimos meses e em particular nos dias do evento. O Concelho de Arraiolos mostrou a todos um enorme prazer de receber bem. Obrigado a todos os que organizaram, ajudaram e colaboraram de alguma forma com o Gafanhori nesta curta vida de um ano e meio.


Raquel Costa
.

3 comentários:

adcabroelo disse...

Sem duvida o melhor evento realizado até hoje em Portugal, mas sinceramente já estava á espera, o que me surpreendeu foi ARRAIOLOS pela capacidade de bem receber e acima de tudo pelo prazer demonstrado em nos receber.
Obrigado ao Gafanhori e a Arraiolos

TIXA disse...

Parece-me que a questão de ter havido uma cartografia diferente seja um bom motivo para debater o que cada atleta pensa do assunto.
Eu muito sinceramente, não sei até que ponto seja melhor ou pior este tipo de cartografia, no entanto uma coisa é certa mostramos a nós como atletas a simplificação que deveremos fazer e quanto ela nos pode ajudar na nossa velocidade de progressão.
TIXA :)

Graca disse...

Parabéns ao Gafanhori, extensíveis a todo o concelho de Arraiolos e em particular à Junta de Freguesia, pela coordenação de esforços que culminaram numa demonstração de hospitalidade muito especial.Quando o frio aperta, sermos recebidos num espaço confortável convida à confraternização,tão saudável e necessária depois das provas...simplesmennte inesquecível!Graça Carrapatoso