segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

I MEETING INTERNACIONAL DE ARRAIOLOS: UMA NOITE INESQUECÍVEL

. .
O I Meeting Internacional de Arraiolos teve na componente social um dos seus grandes trunfos. De salutar convívio se fez a tarde e noite do primeiro dia do evento, ainda e sempre com um pouquinho de emoção e competição à mistura.

Cai a tarde sobre Arraiolos. O sol desmaiado vai-se desvanecendo por detrás do Castelo, enquanto um mar de sombras se adensa e organiza no abrigo de casas e muros. Não fora o frio e que bem sabia perdermo-nos interminavelmente neste emaranhado de ruas e escadinhas… Entoados a muitas vozes na Igreja da Misericórdia, cânticos celestiais penetram nos ouvidos e aquecem os corações. Aqui e além, alguns idosos procuram preencher o vagaroso, quase parado final de dia, trocando entre si dois dedos de conversa. Só as lojas de multicoloridos tapetes, de portas abertas, teimam em dar vida à vila, despertando curiosidades e convocando os sentidos.

Quem poderá resistir àquele chamamento? Entre cores e matizes, formas e desenhos, o olhar perde-se nessa ténue linha que delimita a obra pura da obra-prima. Seteais, Coimbra, Santo António… Tocamos com as mãos ao de leve a superfície dos tapetes e sentimos de imediato o pensamento voar para longe ao encontro dos dedos grossos e frios das bordadeiras, essas mulheres de coragem que lêem e interpretam cada detalhe, transpondo-o para o terreno amplo dum tecido como quem percorre um mapa de Orientação feito de percursos mil. Ali, em cada lento e cuidado ponto, percebem-se horas e dias de amor e trabalho, vividos de histórias a retalho e afogados na voragem dum tempo sem tempo.

Final em apoteose

Os passos conduzem-nos ao Multiusos de Arraiolos, moderna e funcional estrutura onde está instalado o Secretariado deste I Meeting Internacional de Arraiolos e onde há muito tiveram início os preparativos para uma noite que se pretende inesquecível. Logo à entrada, o stand do Clube de Orientação da Gafanhoeira – Arraiolos dá a conhecer alguns momentos marcantes da sua curta história, das fotografias aos mapas, das descrições aos equipamentos. Noutro stand, o Centro de Formação e Bem Estar de Évora – FeelGood oferece massagem de recuperação e relaxamento aos interessados. Na ampla sala, as mesas estão preparadas para receber umas largas centenas de convivas. No palco, entre adereços vários – e um indispensável pódio – ainda e sempre… Tapetes de Arraiolos.

Com o avançar da hora tem lugar o Sprint Nocturno, convidando 164 participantes a descobrir Arraiolos de uma forma emotiva e diferente, de frontal na cabeça e mapa na mão. Maria Sá (GD4C) e o norueguês Per Harald Johansen (Lillomarka OL) triunfarão nos escalões Longo, enquanto a vitória nos Médio sorrirá a Rita Guterres (ADFA) e ao russo Mikhail Anuchkin (TOL) e nos Curto a Maria São João (CLAC) e ao italiano Giovanni Visetti (GOS Subiaco). Em OPT, o vencedor é Ricardo Singeis (Individual). Momento mais aguardado, o Jantar Oficial foi servido com qualidade e abundância, numa demonstração de cuidado, simpatia e bem receber de Arraiolos e das suas gentes. E quem faz umas migas assim merecia ser canonizado… Seguiram-se os discursos de Tiago Aires e Silva Pinto e a Cerimónia de Entrega de Prémios do Sprint Nocturno. A fechar a noite, a actuação do Rancho Etnográfico “Os Camponeses” de Arraiolos levantou o público, arrastando os mais atrevidos para o palco e abafando por completo ‘saviolas’ e outros que tais. Uma verdadeira apoteose!


.
“Havemos de fazer melhor ainda”

“Não é falsa modéstia, nem minha nem do GafanhOri, dizer que este é o exemplo duma organização dum clube lançado há muito pouco tempo mas que consegue mostrar um Concelho, promovendo-o através dum fenómeno desportivo, no caso concreto a Orientação, e elevando-o em vários aspectos.” Foi com estas palavras que Tiago Aires, Vice-Presidente da novel colectividade de S. Pedro da Gafanhoeira, abriu os discursos oficiais, arrancando uma forte salva de palmas a todos os presentes. Virando a sua atenção para os mais novos, Tiago Aires adiantou: “Como principal objectivo – e isso ficou claro neste I Meeting Internacional de Arraiolos -, gostaríamos de continuar a mostrar que os mais jovens, aqueles que participam nas provas, também são capazes de liderar equipas e são capazes de organizar um evento. Não estamos satisfeitos e havemos de fazer melhor ainda.”

Feitas de determinação, as suas palavras finais encerram em si um tributo e uma palavra de agradecimento: “Acreditamos que o Concelho de Arraiolos é capaz de ter terrenos que nos surpreendem a todos. Temos terrenos adequados a todo o tipo de distâncias e percursos, temos toda esta natureza e temos, portanto, todas as condições para organizar boas provas de Orientação. Para isso basta termos os apoios que temos tido, desde o apoio incondicional da Câmara Municipal de Arraiolos, à Associação Monte, que tem patrocinado a grande maioria dos mapas que temos produzido e aos proprietários dos terrenos que nos têm aberto as portas”, concluiu.

“Também o GafanhOri nos leva pelo mundo fora”

Sílvia Pinto, Vereadora do Desporto da Câmara Municipal de Arraiolos, dirigiu-se igualmente à plateia, começando por vincar a importância de ter em Arraiolos uma colectividade como o GafanhOri. Para a autarca, “a nossa expectativa é que todos quantos nos visitaram, tenham tido a oportunidade de conhecer a vila de Arraiolos, o seu património, o seu artesanato, os seus tapetes. Mas não são apenas os tapetes que nos levam pelo mundo fora. Também o GafanhOri nos leva pelo mundo fora”, afirmou, deixando em seguida “o meu aplauso para esta organização e para este Clube que tanto faz por Arraiolos.”

Confessando-se admirada com os meios e com a dinâmica que o I Meeting Internacional de Arraiolos encerrou – “tive a oportunidade de ver e de perceber a envolvência que têm este tipo de eventos”, Sílvia Pinto fez questão de destacar “o facto de que este êxito foi conseguido na base do voluntariado pelo que estendo o meu aplauso a todos os voluntários que tanto trabalharam e tudo fizeram para o conseguir.” A terminar, uma promessa: “Esta poderá ter constituído para muitos dos presentes uma primeira visita a Arraiolos e esperamos que não seja a última. É sempre com agrado que os recebemos, que lhes mostramos o todo o nosso património e toda a nossa cultura. Esperamos que voltem, numa nova iniciativa do GafanhOri ou simplesmente para passear. Aguardá-los-emos com esta nossa alma alentejana que nos caracteriza.”

Saiba tudo em

http://www.gafanhori.pt/meeting10/. Não perca também as fotos de Paulo Fernandes em http://picasaweb.google.com/paulojjf e os mapas no blogue de Nuno Rebelo em http://somapas.blogspot.com/2010/01/i-meeting-internacional-de-arraiolos.html.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: