segunda-feira, 31 de agosto de 2009

PORTUGAL O'SUMMER 2009: DECLARAÇÕES FINAIS


Agora que se vão desvanecendo as emoções do Portugal O’Summer 2009, recuperamos a conversa mantida com as três principais figuras do evento. Oiçamos pois os testemunhos de Miguel Silva e Raquel Costa, vencedores dos escalões de Elite respectivos e ainda de Nuno Leite, o Director da Prova.


“Não costumo ter muitas expectativas relativamente à Taça de Portugal porque para mim é difícil participar anualmente em todas as provas e logo aí estou em desvantagem. Mas este é o início de época e é sobretudo motivador ver que já não estou a fazer os mesmos erros técnicos que fazia anteriormente. Mesmo que fisicamente ainda me sinta muito abaixo do que poderei vir a estar, tecnicamente sinto-me muito melhor que nos outros anos e estou particularmente feliz por isso. Ganhar mais provas? Vamos ver… com calma…”

“Vim dum estágio de oito dias na Suécia directamente para aqui e fisicamente a pré-época tem sido um bocado desgastante e acuso algum cansaço. A prova de sábado era bastante longa e estava receoso de como me comportaria. Comecei lentamente, o mapa era tecnicamente muito acessível, resguardei-me e no final senti-me bem, pude puxar mais e correu bem. Quanto ao mapa de domingo sabia que era muito mais técnico, sabia que teria que partir com calma, consegui gerir bem a prova, fazendo apenas algumas hesitações e erros pequenos sem nunca ter cometido um erro por aí além.”

“A Organização do evento foi espectacular. Projectar resultados em directo, toda a logística da prova… Adorei! Pena foi que não tivesse tido a adesão que seria de esperar, nomeadamente da parte dos estrangeiros, mas penso que estas provas são sempre boas para termos a família da Orientação reunida sem ser apenas num curto fim-de-semana.”

Miguel Reis e Silva (CPOC), vencedor Elite Masculina



“Quando passei no ponto de espectadores só ouvi muito barulho mas não percebi que estava a perder dois minutos, não pude ver como estava posicionada. Limitei-me a fazer uma parte final sem erros, tal como já tinha acontecido no Sábado. Fiz a prova a um ritmo muito lento. Talvez nunca tenha andado tão devagar nestes terrenos mas foi sobretudo porque depois do tempo imenso que perdi nos dois primeiros dias, não queria perder mais tempo assim. Desde aí optei por fazer sempre tudo com muita segurança.”

“Julgo que a organização esteve muito bem. Todos os mapas eram de qualidade, com percursos muito bem traçados. Julgo que está à altura das várias organizações onde estivemos nestes últimos dois meses. Em Itália, na Eslovénia, na Suiça e em Espanha encontrámos boas organizações, com o essencial que são bons mapas, bons percursos e a infra-estrutura da Arena e julgo que esta organização do Ori-Estarreja está ao mesmo nível, tem tudo, não falta nada.”

“A grande prova de fogo do Clube GafanhOri é agora o Meeting Internacional de Arraiolos, no início do próximo ano. Posso dizer que as tarefas organizativas da prova já estão todas distribuídas, principalmente pelos jovens, já que vão ser eles os chefes de cada uma das secções da prova. Todos eles já tiveram oportunidade de organizar cerca de dez outras provas, sobretudo de âmbito local mas também regionais, portanto estou certa que irão estar à altura. As tarefas estão em execução, mas ainda no início, e esperamos poder oferecer uma grande prova e que as pessoas gostem.”

Raquel Costa (GafanhOri), vencedora Elite Feminina



“Não foi apenas uma semana exaustiva. A anterior e as outras foram igualmente de bastante trabalho, mas sem dúvida que valeu a pena todo este trabalho e este esforço. O ‘feed-back’ que temos recebido dos atletas é fantástico. Faz-nos sentir bem vermos reconhecido esse trabalho.”

“Este fim-de-semana constituiu o ponto alto do evento. Julgo que conseguimos uma Arena bastante boa, três dias em torno deste espaço o que é muito semelhante ao que se costuma fazer lá fora, toda esta envolvência com os pontos de espectadores e a dinâmica do Bruno [Nazário] a relatar autenticamente as mais variadas incidências, leva-me a destacar os dois últimos dias do Portugal O’Summer. Quanto a aspectos negativos, pode parecer esquisito dizer que não encontro, mas essa é a verdade. Poderão haver vários, mas são insignificantes, resolvem-se na hora, não chegam a perturbar minimamente o normal decurso do evento. Pessoalmente tenho a certeza do dever cumprido. Vou dormir tranquilo hoje.”

“O próximo desafio do Ori-Estarreja, na vertente competitiva, passa por fazer um trabalho ainda mais intensivo para atacar os primeiros lugares do ‘ranking’ de clubes nesta época que agora começa. No campo organizativo, vamos ter os Nacionais de Orientação em BTT em Oliveira de Azeméis para o ano e essa é a nossa próxima aposta.”

Nuno Leite (Ori-Estarreja), Director da Prova

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

domingo, 30 de agosto de 2009

PORTUGAL O'SUMMER 2009: MIGUEL SILVA E RAQUEL COSTA SÃO OS GRANDES VENCEDORES


Um fim-de-semana 100% vitorioso valeu a Miguel Silva e a Raquel Costa a conquista do Portugal O’Summer 2009 e a liderança da Taça de Portugal de Orientação Pedestre.

Chegou ao fim o Portugal O’Summer 2009. Seis etapas, sete dias, oito centenas de participantes, são estes grosso modo os números dum evento de Orientação Pedestre que voltou a colocar Cantanhede no epicentro da modalidade em Portugal. Organizado pelo Clube Ori-Estarreja, Câmara Municipal de Cantanhede e Federação Portuguesa de Orientação, o evento ofereceu momentos de grande emoção e pura diversão, mapas desafiantes e terrenos de sonho, saudável confraternização e competição ao rubro, sol, praia, floresta, corpos bronzeados e… Trail-O, que o mesmo é dizer “Orientação para todos!”

Daí que as primeiras palavras de apreço sejam dirigidas aos homens e mulheres do Clube Ori-Estarreja pelo risco que aceitaram correr, pela forma estóica e abnegada como se mantiveram organizados e sempre disponíveis ao longo de tão prolongado período de tempo e ainda pelo cuidado e carinho no bem receber, entregando-se de corpo e alma a uma Organização com tamanho fôlego. Para o sucesso do empreendimento foi fundamental o contributo dos muitos jovens que começam a despontar no clube e que, no seu conjunto, representaram mais de metade da massa humana implicada nas mais variadas tarefas organizativas. Jovens que, na sua maioria, o Clube Ori-Estarreja recrutou há cerca de um ano e que se mostraram aptos a segurar a nau contra ventos e marés. Jovens que garantem um futuro risonho àquele que é um dos clubes históricos na nossa Orientação e que, com o seu exemplo, dão um sólido contributo para a dignificação da modalidade de todos nós.

Miguel Silva e Raquel Costa intratáveis

A prova de Distância Média que encerrou na manhã de hoje o evento levou os atletas ao encontro doutra parte do mapa das Dunas de Cantanhede. Um mapa mais fechado, mais técnico, muito mais verde e detalhado que o da véspera, pondo à prova – e de que maneira! – as qualidades e capacidades das cerca de sete centenas de participantes. No escalão de Elite Masculina, Miguel Silva (CPOC) apresentou-se de novo em excelente plano, fazendo uma prova praticamente isenta de erros e concluindo os 6,2 km de prova (26 pontos de controlo, 140 metros de desnível) em bons 39.02. Manuel Horta (GafanhOri) esteve igualmente muito bem, concluindo na segunda posição a 2.32 do vencedor. Joaquim Sousa (COC) foi terceiro, com mais 3.50 que Miguel Silva. Curiosamente, couberam a Alexandre Alvarez (CPOC) e a André Ramos (COC) o maior número de parciais conquistados. Pena foi que alguns erros deitassem tudo a perder, com Alvarez a não ir além do 6º lugar final e André Ramos – que dominou praticamente a primeira metade da prova – a cair mais ainda, quedando-se por uma desconsoladora 15ª posição.

No sector feminino, Raquel Costa (GafanhOri) e Patrícia Casalinho (COC) travaram interessante duelo, cujo desfecho acabaria por sorrir à atleta da Gafanhoeira. Raquel Costa começou melhor, liderou o primeiro terço da prova mas acabou por se deixar ultrapassar por Patrícia Casalinho. A diferença de 2.05 entre ambas à passagem pelo ponto de espectadores deixava adivinhar uma grande vitória da atleta do COC mas a verdade é que aquele “incontornável” 16º ponto deitou tudo a perder. Os quatro minutos gastos a mais que a sua adversária afastaram-na irremediavelmente duma grande vitória, a qual acabaria nas mãos de Raquel Costa com o tempo de 42.30.

Resultados

Elite Masculina (M21E)
1º Miguel Silva (CPOC) 39.02
2º Manuel Horta (GafanhOri) 41.34
3º Joaquim Sousa (COC) 42.52
4º Tiago Romão (COC) 43.08
5º João Ferreira (DA Recardães) 44.12
6º Alexandre Alvarez (CPOC) 45.05
7º Paulo Franco (COC) 46.03
8º Celso Moiteiro (COC) 47.54
9º Pedro Nogueira (ADFA) 49.12

10º Gildo Silva (COC) 49.58

Elite Feminina (W21E)
1º Raquel Costa (GafanhOri) 42.30
2º Patrícia Casalinho (COC) 44.05
3º Lídia Magalhães (ADFA) 47.28
4º Adrienne Brandi (CC Roma) 50.20
5º Catarina Ruivo (COC) 51.56
6º Lena Coradinho (GafanhOri) 53.17
7º Belén Megías Nogales (Veleta) 53.34
8º Elena Espeso (El Imperdible) 54.43
9º Ana Magina (COA) 56.19
10º Emöke Speth-Nagy (Universidad Alicante) 57.31





Lista de vencedores

Passando ao Portugal O’Summer 2009 e às classificações finais, este último dia de provas não trouxe grandes surpresas. Miguel Silva e Raquel Costa confirmaram a liderança dos escalões de Elite respectivos, arrancando tão saborosas quanto suadas vitórias no troféu. Aqui fica a lista de todos os vencedores (para o resultado final contaram os cinco melhores resultados dos seis dias de provas):

Masculinos
M13 – Stephen Elkington (OD) 4961.21
M15 – Craig Thomson (FVO) 4927.42
M17 – Luís Silva (ADFA) 5000.00
M20 – Daniel Martín de los Rios (ADYRON) 4930.07
M JovB – António Cabral (Ori-Estarreja) 4937.67
M21E – Miguel Silva (CPOC) 4918.02
M21A – Nuno Pedro (CAOS) 4657.52
M21B – Óscar Hernaiz (Rioja-O) 4769.68
M35 – Roberto Pascual Orkajo (CD Navarra) 4952.46
M40 – Santos Sousa (ADFA) 5000.00
M45 – Mário Duarte (ADFA) 4752.60
M50 – Albano João (COC) 5000.00
M55 – Manuel Dias (Individual) 4807.17
M60 – Roy Edward Dawson (ADOL) 4959.60
M65 – Ruedi Isler (OLV BL) 5000.00
M70 – Olli Juntunen (Helsingin Suunistajat) 4967.20
MVetB – Yannick Lembezat (COOL) 4861.46

Femininos
W13 – Ana Margarida Rocha (CIMO) 5000.00
W15 – Yara Bores (Orca) 4706.08
W17 – Alice Fellbaum (MDOC) 4874.13
W20 – Mariana Moreira (CPOC) 4934.21
W21E – Raquel Costa (GafanhOri) 4947.18
W21A – Mónica Casalini (IKP Prato) 5000.00
W21B – Cristina Mayordomo (Entrebalizas) 5000.00
W35 – Susana Pontes (CPOC) 4994.64
W40 – Maria Isabel Fraga González (USC) 4903.15
W45 – Manuela Manganelli (CC Roma) 4716.17
W50 – Margarida Rocha (GD4C) 4668.73
W55 – Jillyan Dobby (MDOC) 4672.97
W60 – Bjorg Kocbach (Bergens TF) 5000.00
W65 – Hillevi Syväterä (RiSu) 5000.00
W70 – Sue Birkinshaw (MDOC) 5000.00
WVetB – Natalia Fernandez (APA Liceo) 4658.37

A Taça de Portugal de Orientação Pedestre sofre agora um interregno de cinco semanas, regressando em Outubro com o “Douro de Orientação”, uma prova da responsabilidade do Clube OriMarão. Será num fim-de-semana prolongado, permitindo multiplicar por três o prazer da Orientação. Fica marcado o encontro.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO


.

sábado, 29 de agosto de 2009

PORTUGAL O'SUMMER 2009: MIGUEL SILVA E RAQUEL COSTA REINCIDEM NO TRIUNFO


Regressando ao mapa das Dunas de Cantanhede, o Portugal O’Summer 2009 teve na prova de Distância Longa desta manhã o seu ponto alto. Primeira etapa da Taça de Portugal 2009/2010, pontuável para a Liga Espanhola 2009 e para o ‘ranking’ mundial, a prova trouxe de novo para a ribalta os nomes de Miguel Silva e Raquel Costa, grandes vencedores dos escalões de Elite respectivos.

Prestes a cair o pano sobre o Portugal O’Summer 2009, o evento conheceu hoje o seu dia mais importante. Foram muitos aqueles que não quiseram faltar à abertura da temporada 2009/2010 de Orientação Pedestre e que aproveitaram o magnífico dia para fazer algo de especial e diferente. Para uns foi o revisitar de terrenos já com o seu quê de história (e de histórias!); para outros foi o provar dum mapa que não se esgota nas suas inúmeras possibilidades, sempre apetecível, técnico q.b. e bastante exigente do ponto de vista físico. Mas sobretudo um mapa de grande beleza, numa paisagem de floresta onde o pinheiro bravo é rei, repleta ainda de flores apesar do avançado do Verão, tudo isto imerso num mar de camarinhas, pequenas e graciosas bagas brancas a cujo suco adocicado alguns orientistas não resistiram.

Organizado pelo Clube Ori-Estarreja, Câmara Municipal de Cantanhede e Federação Portuguesa de Orientação, o evento contou neste 5º dia de provas com a participação de sete centenas e meia de atletas, 664 dos quais distribuídos pelos 33 escalões de competição em representação de doze países. Uma cifra interessante mas que fica seguramente aquém das melhores expectativas, sobretudo no que aos participantes portugueses diz respeito, aqui em número a rondar as quatro centenas e meia.

Miguel e Raquel, candeias que vão na frente

No escalão de Elite Masculina, Miguel Silva (CPOC) mostrou uma vez mais as suas qualidades e o seu bom momento de forma, arrancando uma vitória moralizadora no tempo de 1.30.13. Para trás parece estar definitivamente a jornada de má memória do Gerês / Cabreira e esse apuramento falhado para o WOC Miskolc 2009, com Miguel Silva a querer marcar a sua posição desde o momento primeiro. A 1.11 de diferença, na segunda posição, classificou-se Joaquim Sousa (COC), um atleta que, aos 39 anos de idade, continua a dar cartas e a mostrar aos mais novos como se faz Orientação. Na terceira posição, com 1.34.50, classificou-se o bi-Campeão Nacional Absoluto, Tiago Romão (COC). O top-10 da jornada foi ocupado integralmente por atletas portugueses, com o COC a conseguir a proeza de classificar seis dos seus sete atletas nos dez primeiros lugares.



Quanto à Elite Feminina, Raquel Costa (GafanhOri) foi uma vez mais a vencedora, alcançando o terceiro triunfo consecutivo neste Portugal O’Summer 2009 e repetindo o resultado da jornada inaugural da época transacta, disputada aqui bem perto (Bom Sucesso / Lagoa da Vela). A atleta de S. Pedro da Gafanhoeira gastou 1.21.27, deixando atrás de si Patrícia Casalinho (COC) na segunda posição a escassos 42 segundos de diferença, cabendo a terceira posição a Andreia Silva, também do COC, com mais 4.53 que a vencedora.

Resultados

Elite Masculina (M21E)
1º Miguel Silva (CPOC) 1.30.13
2º Joaquim Sousa (COC) 1.31.24
3º Tiago Romão (COC) 1.34.50
4º Paulo Franco (COC) 1.36.19
5º Alexandre Alvarez (CPOC) 1.36.44
6º Pedro Nogueira (ADFA) 1.37.27
7º Celso Moiteiro (COC) 1.41.40
8º Gildo Silva (COC) 1.42.53
9º Albino Magalhães (GD4C) 1.44.33

10º André Ramos (COC) 1.44.43

Elite Feminina (W21E)
1º Raquel Costa (GafanhOri) 1.21.27
2º Patrícia Casalinho (COC) 1.22.09
3º Andreia Silva (COC) 1.26.20
4º Catarina Ruivo (COC) 1.32.53
5º Elena Espeso (El Imperdible) 1.36.48
6º Lídia Magalhães (ADFA) 1.37.11
7º Esther Árias Enero (Peña Guara) 1.37.27
8º Belén Megías Nogales (Veleta) 1.37.42
9º Lena Coradinho (GafanhOri) 1.38.43
10º Paula Nóbrega (OriMarão) 1.40.46

O pleno de Santos Sousa

Nos restantes escalões, vários foram os atletas que se estrearam a vencer no evento. Depois do 3º lugar de ontem, Vera Alvarez (CPOC) não permitiu veleidades às suas adversárias e levou de vencida o escalão de W17. O mesmo aconteceu com João Mega Figueiredo (CN Alvito) em H20 e com Jorge Correia (ADFA) em H35, muito apagados nos dias anteriores mas hoje a mostrarem as suas enormes mais-valias, sobretudo físicas. Manuel Luís (CP Armada), Isabel Monteiro (COC) e Francisco Coelho (Clube TAP) estrearam-se neste Portugal O’Summer 2009 com vitórias nos escalões M45, W50 e H60, respectivamente. No escalão W35, Maria Amador (ATV) levou de vencida pelo segundo dia consecutivo Susana Pontes (CPOC), enquanto em W20, a vitória de Ana Coradinho (GafanhOri) veio colocar ao rubro a luta com Mariana Moreira (CPOC) e só amanhã se saberá para que lado penderá a balança. Albano João (COC) levou uma vez mais de vencida o escalão de H50 e a vitória no troféu parece já não poder fugir-lhe. Quanto a Manuel Dias (Individual) assinou a segunda vitória no evento com um folgado triunfo sobre a concorrência e parece agora plenamente capaz de chegar ao primeiro lugar no escalão de H55. Finalmente, quem não está pelos ajustes é mesmo Santos Sousa (ADFA), em H40: Cinco provas, cinco vitórias!

Amanhã é o último dia do Portugal O’Summer. O mesmo sol, a mesma floresta, a mesma qualidade e simpatia duma superior organização, numa prova que de diferente promete apenas a distância, Média no caso concreto. Tudo o mais, é a alegria da Orientação.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

PORTUGAL O'SUMMER 2009: O DIA DE PAULO FRANCO


O Portugal O’Summer entra na recta final. Enquanto se afinam agulhas para os decisivos e mais importantes dias da competição, hoje correu-se de novo uma prova de Distância Média com Raquel Costa a reincidir no triunfo e Paulo Franco a inscrever pela primeira vez o seu nome na galeria de vencedores.

Revisto em Novembro do ano transacto, o mapa das Dunas de Cantanhede foi palco esta manhã da prova de Distância Média que assinalou o 4º dia do Portugal O’Summer 2009. Com o aproximar do fim-de-semana e das grandes emoções das jornadas mais importantes, começam a aparecer caras novas (e menos novas) e daí que o número de participantes nos escalões de competição venha a aumentar, ultrapassando pela primeira vez neste evento as três centenas de atletas.

A organização, a cargo do Clube Ori-Estarreja, Câmara Municipal de Cantanhede e Federação Portuguesa de Orientação, continua a demonstrar níveis qualitativos elevados, inexcedível na disponibilidade e apoio aos participantes, promovendo a modalidade e a região de forma ímpar e proporcionando a todos quantos orientaram parte das suas férias para a Tocha uma experiência globalmente muito positiva. É verdade que S. Pedro tem dado uma ajuda preciosa, mas o mérito – e espero que o santo não tenha por hábito ler o Orientovar e não se lembre de estragar o fim-de-semana com uma onda de insuportável calor – vai inteirinho para Nuno Leite e demais equipa.

Assalto ao poder


Depois de muito ameaçar, Paulo Franco (COC) acabou por vencer com inteiro mérito uma etapa deste Portugal O’Summer 2009. Transpirando energia e confiança, o grande atleta ousou bater-se de igual para igual com a forte concorrência, vencendo no tempo de 37.09, à frente de Alexandre Alvarez (CPOC) – que fez a sua estreia na prova – e do vencedor da etapa anterior, Miguel Silva (CPOC). Paulo Franco está agora soberanamente colocado para tomar de assalto o primeiro lugar, que se encontra desde a jornada inaugural na posse do sempiterno Joaquim Sousa (COC).

No sector feminino Raquel Costa (GafanhOri) alcançou a segunda vitória consecutiva, ante uma combativa e inconformada Patrícia Casalinho (COC). A diferença entre ambas foi de 1.27, com a terceira classificada, Andreia Silva (COC) a já distantes 5.20 da vencedora. Também aqui, no conjunto das provas já realizadas, Raquel Costa vai ameaçando seriamente a primeira posição, ainda e sempre na posse de Casalinho.

Resultados

Elite Masculina (M21E)
1º Paulo Franco (COC) 37.09
2º Alexandre Alvarez (CPOC) 37.41
3º Miguel Silva (CPOC) 38.51
4º Joaquim Sousa (COC) 40.42
5º Patrick Watts (WROC) 43.21
6º Manuel Horta (GafanhOri) 47.16
7º Fernando Soriano Rubio (COHU) 49.01
8º Raul Ferra Múrcia (Lorca-O) 50.38
9º Domingos Martins (GD4C) 50.59

10º Sabin Ormaza (Cobi) 53.40

Elite Feminina (W21E)
1º Raquel Costa (GafanhOri) 38.54
2º Patrícia Casalinho (COC) 40.21
3º Andreia Silva (COC) 44.14
4º Ana Magina (CAOS) 47.26
5º Adrienne Brandi (CCRoma) 48.42
6º Catarina Ruivo (COC) 50.01
7º Lena Coradinho (GafanhOri) 50.40
8º Paula Nóbrega (OriMarão) 51.21
9º Masha Boyko (GD4C) 53.10
10º Suati Almeida (GD4C) 53.29

Cuidado que chegou o Manel

Quanto aos restantes escalões, o destaque do dia de hoje vai para o escalão de H55 e para a primeira vitória de Manuel Dias (Individual), colocando um ponto de ordem na mesa como que a dizer que ainda há muita e boa Orientação pela frente e que não veio à Tocha apenas para fazer turismo. Luís Silva (ADFA) e Susana Pontes (CPOC), respectivamente em H17 e W35, deixaram-se hoje surpreender por Rubén Pérez (Rioja-O) e Maria Amador (ATV), embora sem com isto colocarem em causa a sua liderança. Quem continua de pedra e cal no comando é Santos Sousa (ADFA), em H40, depois do quarto triunfo consecutivo e de novo por larga margem. Em W15, Rute Coradinho (GafanhOri) começa a acusar algum cansaço e hoje não foi além da 5ª posição, tendo agora Yara Bores (Orca) à perna. Após nova vitória, Nuno Pedro (CAOS) está pela primeira vez no comando da classificação em H21A, enquanto em H20, Mariana Moreira (CPOC) voltou às vitórias e cimentou a liderança no escalão. Mas atenção: Para a classificação final contam apenas os cinco melhores resultados e muito há ainda por decidir!

Amanhã o evento recebe a mais importante das seis etapas que o compõem. No emblemático mapa do Palheirão irão evoluir 733 atletas nos escalões de competição, aos quais se juntam mais de uma centena nas provas abertas. Uma jornada que começará bem cedinho, com os primeiros atletas a partirem logo às 9 da manhã, em ambiente de grande festa que marca o arranque da Taça de Portugal da temporada 2009/2010, pontuando igualmente para a Liga Espanhola 2009 e para o ‘ranking’ mundial da modalidade. Ainda e sempre com as bênçãos de S. Pedro.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

VENHA CONHECER... PATRÍCIA CASALINHO


Chamo-me… PATRÍCIA Pereira Rodrigues CASALINHO
Nasci no dia… 28 de Janeiro de 1987, em Leiria
Vivo em… Leiria
A minha profissão é… Estudante
O meu clube… COC – Clube de Orientação do Centro
Pratico Orientação desde… 2001

Na Orientação…

A Orientação é… um desporto muito especial!
Para praticá-la basta… uma bússola e um mapa!
A dificuldade maior… não me enganar e não me perder!
A minha estreia foi… na região de Fátima!
A maior alegria… ter sido Vice-Campeã Absoluta no meu primeiro ano de júnior!
A tremenda desilusão… não ter podido ir ao Apuramento para os Mundiais este ano!
Um grande receio… magoar-me!
O meu clube é… uma família!
Competir é… algo verdadeiramente desafiante!
A minha maior ambição… ser Campeã Absoluta e vir a representar Portugal num Mundial!

… como na Vida!

Dizem que sou… simpática!
O meu grande defeito é… ser teimosa!
A minha maior virtude… pensar nos outros!
Como vejo o mundo… conturbado!
O grande problema social… as desigualdades!
Um sonho… ter um bom emprego!
Um pesadelo… ficar no desemprego!
Um livro… “Anjos e Demónios”!
Um filme… “Harry Potter”!
Na ilha deserta não dispensava… um mapa e uma bússola!

Na próxima semana venha conhecer José Miguel Sá.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

OS VERDES ANOS: PATRÍCIA ARROMBA


Olá =)

Chamo-me Patrícia Isabel Sesmaria Arromba, tenho 16 anos e frequento o 10º ano na Escola Secundária c/ 3º CEB de Coruche.

Sempre tive um carinho muito especial pelo desporto e, por isto mesmo, gosto de participar em tudo o que tenha ver com o mesmo. Pratico Futsal há já mais de 3 anos e conheci a Orientação apenas em Julho do ano passado. Foi o COAC - Coruche Outdoor Adventure Club -, clube a que pertenço actualmente e espero continuar a pertencer durante muitos e bons anos, que me deu a conhecer esta modalidade fantástica que é a Orientação.

A minha estreia na modalidade aconteceu apenas a 21 de Setembro de 2008, no XVI Troféu CPOC, em Mora. Aqui participei no escalão de OPT1, naquele que foi o meu primeiro contacto com uma prova, a primeira vez que eu pude saber realmente o que é Orientação, o que é sentir aquele nervosismo e ao mesmo tempo aquela curiosidade do que poderemos encontrar, o medo de não conseguir, enfim… muitas emoções em apenas alguns minutos, pois assim que agarrei no mapa, tudo passou e surgiu apenas uma vontade enorme de descobrir, conseguir e vencer.

A partir deste dia comecei a treinar, comecei a ir a provas e passei de OPT1 para Jovens FB. Neste momento estou a dar os meus primeiros passos em D17, o que me deixa muito satisfeita pois este é um escalão com percursos mais exigentes, tanto a nível físico como a nível técnico, e com atletas muito fortes, o que exige de mim mais esforço ainda.

A minha maior experiência na Orientação aconteceu há muito pouco tempo, no Campeonato Nacional Absoluto, quando fui apurada para a Final Feminina. No início, quando recebi a noticia fiquei muito admirada, pois não estava nada à espera. E aqui surgiu então de novo aquele nervosismo e aquele medo do dia em que peguei num mapa pela primeira vez. Parecia que o tempo de repente tinha voltado atrás, tinha muito medo de não conseguir fazer todo o percurso, afinal eram 9 km, eu tinha muito pouca experiência e iria competir com as melhores atletas a nível Nacional. Acho que estes eram motivos mais que suficientes para estar nervosa.

Comecei a prova sem grandes expectativas, fui a um ritmo constante e muito concentrada no mapa, cometi alguns erros como é natural, um ou dois pontos foram mais complicados de encontrar, mas tudo me correu bem do meu ponto de vista. No ponto de espectadores tanto o meu treinador como os meus colegas puxaram por mim e assim deram-me força para continuar com um ritmo bastante bom. O meu objectivo era ficar nas primeiras 40, e como fiquei em 30º lugar, fiquei radiante, não estava nada à espera de ficar na primeira metade da tabela classificativa.

Para mim, a Orientação é o desporto mais bonito de todos, permitindo-nos ver o quão belo é a natureza e o que esta nos esconde, pois durante as provas e treinos já vi coisas que nunca teria visto se não praticasse esta modalidade. Podemos ver as paisagens mais fantásticas que pensamos que não existem perto de nós e que por vezes estão mesmo ali ao lado, podemos observar os animais, as plantas, a paz, enfim…aquilo que o mundo tem de mais belo. Aliás, não é por acaso que dizemos: “Orientação, o desporto da floresta.”

No futuro… Pretendo continuar a evoluir, pois tenho muito pouca experiência e bastante para aprender. Pretendo continuar a treinar, a ir a provas e estágios para que na próxima época esteja mais forte e para que um dia possa, talvez, atingir o nível das melhores atletas nacionais. Até lá, resta-me trabalhar para tentar ser o melhor possível, pois com trabalho, força de vontade e claro, muito esforço, podemos alcançar objectivos no futuro que, no presente, nunca pensaríamos conseguir alcançar.

Patrícia

.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

PORTUGAL O'SUMMER 2009: MIGUEL SILVA E RAQUEL COSTA SPRINTARAM PARA A VITÓRIA


Miguel Silva e Raquel Costa não quiseram deixar os seus créditos por mãos alheias e, no terceiro dia do Portugal O’Summer, mostraram o porquê de serem os Campeões Nacionais de Sprint.

Correu-se esta manhã a 3ª etapa do Portugal O’Summer 2009, evento de Orientação Pedestre que tomou conta da região envolvente à Tocha e promete manter-se bem vivo até ao próximo domingo. Deixando o Hospital Rovisco Pais, onde esteve alojado nos dois primeiros dias, o centro do Evento deslocou-se hoje para a Praia da Tocha onde teve lugar a prova de Sprint.

Pelas 9h00 começaram a sair para a “faina” os 294 atletas dos escalões de competição e ainda os 26 dos escalões abertos (OPT’s), não ao som do búzio como era habitual fazerem as gentes do mar até há bem pouco tempo atrás, mas sim com os habituais traços sonoros.

Um Sprint à campeão!

Regressando a um mapa muito bonito, por entre o casario da típica aldeia piscatória, revisitando palheiros e os seus mais recônditos recantos, os atletas tiveram que dar provas das melhores unhas para tocar aquela guitarra. E aí, como que recuando no tempo um pouco mais de três meses e meio, Miguel Reis e Silva (CPOC) e Raquel Costa (GafanhOri) reeditaram saborosos percursos na Capital do Gótico, pontuados por vitórias inequívocas.

Miguel Silva deu provas uma vez mais das suas capacidades físicas e, apesar da época estar ainda a começar, mostra já uma forma invejável, capaz de o elevar aos mais altos vôos ao longo da temporada. Trinta segundos de vantagem sobre André Ramos (COC) e um minuto à frente de Paulo Franco (COC) dão bem a ideia duma prova conseguida. Quanto a Raquel Costa, mostrou-se igualmente à altura dos acontecimentos, arrancando um triunfo moralizador ante adversárias do “seu campeonato”, como o são Andreia Silva, Patrícia Casalinho e Catarina Ruivo, o temível trio do Clube de Orientação do Centro. Na classificação geral, Joaquim Sousa e Patrícia Casalinho, ambos do COC, conservam a liderança.

Resultados

Elite Masculina (M21E)
1º Miguel Silva (CPOC) 16.45
2º André Ramos (COC) 17.15
3º Paulo Franco (COC) 17.45
4º Joaquim Sousa (COC) 18.08
5º Manuel Horta (GafanhOri) 18.18
6º Raul Ferra Múrcia (Lorca-O) 18.21
7º Fernando Soriano Rubio (COHU) 18.48
8º Massimo Bianchi (IKP Prato) 19.43
9º Patrick Watts (WROC) 19.45

10º Zigor Garcia Gorrotxategui (Cobi) 20.49

Elite Feminina (W21E)
1º Raquel Costa (GafanhOri) 18.32
2º Andreia Silva (COC) 19.21
3º Patrícia Casalinho (COC) 20.10
4º Catarina Ruivo (COC) 20.50
5º Elena Espeso (El Imperdible) 21.18
6º Lídia Magalhães (ADFA) 23.02
7º Adrienne Brandi (CCRoma) 23.49
8º Masha Boyko (GD4C) 23.54
9º Suati Almeida (GD4C) 24.12
10º Montserrat Marinas Rojo (Rumbo-Madrid Sanse) 25.12

O "sobe e desce" das classificações

Nos restantes escalões, Luís Silva (ADFA), Susana Pontes (CPOC) e Santos Silva (ADFA), respectivamente em H17, W35 e H40, alcançaram a terceira vitória consecutiva e são cada vez mais primeiros. Ana Coradinho (GafanhOri) venceu no escalão W20, encurtando distâncias para Mariana Moreira (CPOC) que ainda lidera. Em H45, Mário Santos (COC) é agora o novo comandante, após três segundos lugares consecutivos. Albano João (COC) venceu de novo em H50, recuperando a liderança, o mesmo acontecendo com Norman Jones (GafanhOri) em H55. Finalmente, em W50, Margarida Rocha (GD4C) deixou-se hoje bater por Fernanda Ferreira (DA Recardães), embora continue destacada na frente da classificação.

Já refeitos das emoções da jornada, um grupo alargado de atletas e organização teve oportunidade de celebrar os 39 anos de Joaquim Sousa, festejados a rigor no melhor dos ambientes. Ao popular Quim, daqui se envia igualmente um grande e forte abraço de parabéns.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

DUAS OU TRÊS COISAS QUE EU SEI DELA...


1. A Federação Portuguesa de Orientação acaba de divulgar em comunicado [AQUI] a Avaliação de todas as provas pedestres referentes à temporada 2008/2009. Destaque para o II Troféu do Sabugueiro, da responsabilidade do Clube GafanhOri, que com a nota 18 se cotou como a melhor organização entre as 23 avaliadas. Para Tiago Aires, responsável máximo da emblemática colectividade de S. Pedro da Gafanhoeira, esta é “uma distinção com muito significado, pois é publico que em Arraiolos gostamos de receber bem e tentamos sempre organizar bons eventos. Este é, assim, o reconhecimento que nos dá ainda mais vontade de melhorar alguns aspectos.” Em Janeiro próximo, o Meeting Internacional de Arraiolos irá constituir seguramente a maior prova de fogo que o clube jamais experimentou, mas para já fica o convite à participação em mais um evento do GafanhOri, nos dias 19 e 20 Setembro, com a realização do seu VI Troféu.
2. “Saberes, sabores e espectáculos!” É assim a XXIV Feira de Artesanato e Gastronomia do Crato, o “Festival do Norte Alentejano”, um dos poucos certames descentralizados dos grandes centros urbanos. Para além da qualidade e diversidade das escolhas ao nível do artesanato e da gastronomia, a forte aposta da organização na programação dos espectáculos e da animação musical é singular e cativa, ano após ano, um número crescente de público. É neste ambiente de festa que o Grupo Desportivo 4 Caminhos se encontra a promover a 4ª edição do Norte Alentejano O’Meeting, evento que o clube tem agendado para 19 a 21 de Fevereiro de 2010. Ontem à noite, o “stand” recebeu a visita do Presidente da Câmara Municipal do Crato, José Correia da Luz, do Presidente da ERT, Turismo do Alentejo, Ceia da Silva e do Presidente da Assembleia Municipal do Crato, Dr. Manuel Cabaço. Um momento registado para a posteridade por Fernando Costa, dirigente ímpar e divulgador inexcedível da modalidade de todos nós.


3. Terminados os Campeonatos do Mundo de Orientação Pedestre e em BTT, é tempo de lançar o olhar sobre os respectivos ‘rankings’. E começamos pela Orientação em BTT onde Daniel Marques ascendeu ao 19º lugar com 216 pontos, uma posição há muito ambicionada pelo atleta português e que agora é sua com inteiro mérito. Os 9 pontos alcançados em Ben Shemen (Israel) por João Ferreira permitiram a sua entrada directa neste ‘ranking’ onde ocupa a 240ª posição. O australiano Adrian Jackson caiu para a 6ª posição, cedendo a liderança ao russo Viktor Korchagin enquanto nas senhoras, lidera ainda e sempre a austríaca Michaela Gigon. Quanto ao ‘ranking’ de Orientação Pedestre, o grande destaque vai para a suiça Simone Niggli e para a recuperação da liderança do sector feminino, após o “jejum” de um ano e um dia. No sector masculino, Daniel Hubmann tem a liderança bem segura, sobretudo depois do seu mais recente título mundial de Distância Longa. Quanto a Tiago Romão, assinalou o seu nome pela primeira vez nesta tabela em 22 de Fevereiro de 2009 (1158º classificado, com 808 pontos) e as boas prestações no WOC Miskolc 2009 levaram-no a amealhar 2586 pontos e a subir 1001 lugares no 'ranking', sendo já o 157º classificado com um total de 4427 pontos.


4. “Tempo é coisa que não nos falta. Se for ocupado com este tipo de iniciativas, faz-nos sair do ambiente hospitalar, dá-nos energia, motiva-nos para o nosso tratamento, dá-nos esse ânimo e essa força tão necessária para o difícil percurso que nós temos e favorece-nos em termos de ganhar tempo na nossa recuperação Este tipo de actividades faz-nos sentir que não somos doentes nus e crus, faz-nos parecer como as pessoas ditas normais. Tudo o que nos liberte um bocadinho do nosso dia a dia, fortalece-nos. E isso é que é importante.” Palavras proferidas por Carlos Duarte no rescaldo da prova de Trail-O, levada a cabo no Hospital Rovisco Pais (Tocha) durante o dia de ontem. Pela determinação e coragem, pela consciência da importância das pequeninas coisas num processo de reabilitação lento e penoso, pelo assumir da diferença na luta contra as desigualdades, pela frontalidade e pela honestidade, para o Carlos, para os utentes do Serviço de Medicina Física e Reabilitação do Hospital da Prelada e para todos os utentes de todos os Serviços de Medicina Física e Reabilitação do mundo inteiro vai, com a mais viva emoção, o Louvor da Semana!

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

PORTUGAL O'SUMMER 2009: A MAGIA DO TRAIL-O


O Portugal O’Summer 2009 e os seus responsáveis quebraram barreiras, encurtaram distâncias, suprimiram diferenças e ajudaram a apontar novos caminhos. Foi na manhã de ontem, na Tocha, com a disputa da prova de Trail-O, iniciativa que marca o próprio evento.
“Inesquecível!” Foi esta a afirmação unânime de todos quantos participaram na prova de Trail-O, levada a cabo na manhã de ontem na Tocha, no âmbito do Portugal O’Summer 2009. Evento maior do calendário de Orientação Pedestre e que assinalará o arranque da Taça de Portugal 2009/2010, o Portugal O’Summer é uma organização do Clube Ori-Estarreja, da Câmara Municipal de Cantanhede e da Federação Portuguesa de Orientação.

Ontem, segundo dia de provas, o evento contou com a realização duma prova de Trail-O, disciplina da Orientação especificamente vocacionada para a pessoa portadora de deficiência motora, deslocando-se em cadeira de rodas. Participaram nesta iniciativa 27 utentes do Serviço de Medicina Física e Reabilitação do Hospital da Prelada – Dr. Domingos Braga da Cruz (Porto), que aqui se deslocaram na companhia dos seus familiares, devidamente enquadrados por nove profissionais de saúde. Menor foi a participação dos utentes do Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro – Hospital Rovisco Pais, em cujas instalações decorreu a prova, resumida a sete atletas.

Apresentação teórica

Com algum atraso em relação ao previsto, a actividade foi precedida duma apresentação teórica sobre os fundamentos da Orientação enquanto modalidade desportiva e da sua variante de precisão, o Trail-O. O excelente polidesportivo do Rovisco Pais encheu-se duma plateia atenta e interessada para escutar o Seleccionador Nacional, Professor Bruno Nazário, provar - ainda que virtualmente! – o desafio da Orientação, colocar dúvidas e responder a questões.

Seguiu-se o almoço, servido na sombra e frescura dum magnífico relvado junto ao Centro do Evento e à Piscina. A atenção, disponibilidade e simpatia dos elementos ligados ao Clube Ori-Estarreja calaram bem fundo nos presentes, incansáveis nos elogios à Organização em geral e, em particular, à magnífica sopa de legumes com massa e feijão da Maria Silva, uma verdadeira especialista na arte de bem cozinhar.

António Jamba e Carlos Duarte, dois verdadeiros especialistas

O início da tarde levou os participantes ao encontro das emoções do Trail-O, agora já “a sério”, de mapa e cartão de controlo na mão. O percurso foi traçado em redor do moderno e funcional pavilhão Dr. Santana Maia, em mapa à escala de 1:1 500, construído a partir de Mapa-Base da Câmara Municipal de Cantanhede e com trabalho de campo e desenho de Nuno Leite (Julho de 2009). Nove pontos de decisão com três balizas em cada ponto, tal foi o desafio proposto a 21 atletas em cadeira de rodas, extensivo a acompanhantes, pessoal de saúde e demais público (entre os quais muitos participantes no evento maior que é o Portugal O’Summer). Apesar de todos serem vencedores nesta extraordinária jornada, para a história aqui ficam os nomes dos atletas com honras de pódio.

Classificações:

1º António Jamba (MFR – Hospital Prelada) – 9 pontos
1º Carlos Duarte (MFR – Hospital Prelada) – 9 pontos
3º José Jerónimo Ferreira (MFR – Hospital Prelada) – 8 pontos
3º Regina Pires Alves (MFR – Hospital Prelada) – 8 pontos




“O Trail-O é realmente uma modalidade muito exigente”

Responsável maior por esta actividade particular, Bruno Nazário confessou-se encantado pela forma como tudo decorreu: “As pessoas aderiram e perceberam a mecânica do Trail-O. É uma sensação muito boa porque vê-se que as provas podem ser realmente inclusivas. Na mesma prova, no mesmo dia, facilmente conseguimos fazer com que existam actividades para aqueles que querem fazer Orientação Pedestre e para os praticantes de Trail-O.” A terminar, um desafio às restantes organizações da Taça de Portugal: “Espero que consigam fazer eventos desta natureza. Não necessita de ser oficial, com classificação e tudo o mais, mas que abra a possibilidade a todos de tomarem contacto com a modalidade. E não apenas às pessoas com limitações motoras, mas também aos próprios atletas de Orientação, que faz-lhes muito bem, porque o Trail-O é realmente uma modalidade muito exigente.”

Nuno Leite, o Director da Prova, alinhava pelo mesmo diapasão, desdramatizando eventuais entraves de natureza organizativa: “Não é complicado montar uma prova destas. Basta ter os meios humanos adequados, uma ou duas pessoas com conhecimentos da actividade e como é que ela deve ser preparada em termos técnicos. Depois é apenas uma questão de dar apoio aos participantes nas dúvidas e questões que eventualmente possam ser colocadas.”

“Esta nova ferramenta constitui uma mais-valia”

Em representação do Hospital Rovisco Pais, a Dra. Marília de Campos manifestou-se “surpreendida pela positiva, pela adesão, pela participação e pelo resultado que pudemos ver na alegria dos participantes, essencialmente.” Segunda unidade de saúde do país a possuir um mapa de Orientação (depois do Centro de Medicina de Reabilitação do Alcoitão), aquela profissional de saúde entende que “esta nova ferramenta constitui uma mais-valia, num espaço privilegiado para a prática desportiva e sobretudo da modalidade de Orientação. O novo mapa irá permitir a realização deste tipo de actividades, enquadrando-as no grande objectivo de integração social da pessoa portadora de deficiência que é o projecto ‘Bicas no Rovisco Pais’. E dirigido não apenas aos nossos utentes internados mas possibilitando, inclusive, a organização de actividades com parceiros, nomeadamente com o Hospital da Prelada, que está sempre convidado.”

Fim de festa

Precedendo a Cerimónia de Entrega de Prémios, o Hospital da Prelada, na pessoa da Dra. Liliana Rocha, teve oportunidade de agradecer ao Clube Ori-Estarreja e ao Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro – Hospital Rovisco Pais o convite e o terem proporcionado momentos tão especiais a todos, oferecendo a ambos um bonito medalhão.

Seguiram-se palavras de apreço pela forma como decorreu a actividade e felicitou-se o Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro – Hospital Rovisco Pais por ser agora detentor dum mapa de Orientação. Por último, Carlos Duarte, em representação dos utentes do Serviço de Medicina Física e Reabilitação do Hospital da Prelada – Dr. Domingos Braga da Cruz, deixou um testemunho que emocionou todos os presentes, vincando bem o desejo de, num futuro próximo, também o Hospital da Prelada poder vir a ter o seu mapa de Orientação, permitindo retribuir ao Hospital Rovisco Pais a gentileza do convite.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

PORTUGAL O'SUMMER 2009: LENA CORADINHO E TRAIL-O, AS REVELAÇÕES DA JORNADA


No segundo dia do Portugal O’Summer 2009, Lena Coradinho surpreendeu tudo e todos ao alcançar uma importante vitória na prova de Distância Média. Mas o momento do dia fica marcado por essa extraordinária iniciativa que foi a prova de Trail-O, sentida e vivida por muitas dezenas de participantes.

O manso acordar da manhã de ontem dissipou as dúvidas dos mais pessimistas. As nuvens e a chuva partiram durante a noite e um sol esplendoroso encheu uma vez mais de cor e vida a floresta envolvente ao Hospital Rovisco Pais, na Tocha.

O programa deste segundo dia do Portugal O'Summer 2009, prometia emoções fortes, com uma prova de Distância Média para “retemperar forças” e ainda uma prova de Trail-O, aguardado por todos com natural expectativa. A verdade é que, se a vertente competitiva trouxe algumas agradáveis surpresas, condimentando as classificações nos vários escalões, o Trail-O acabou mesmo por constituir o momento alto, com uma participação inusitada de 21 atletas portadores de deficiência motora deslocando-se em cadeira de rodas, bem como de muitos outros que, com maiores ou menores limitações, se aventuraram nos aliciantes meandros da Orientação de precisão.

O dia de Lena Coradinho

Na vertente competitiva, Joaquim Sousa voltou a levar de vencida o sector masculino, afirmando-se até ao momento como a grande figura do evento. O atleta do COC gastou 33.08, deixando o seu colega de equipa Paulo Franco a 30 segundos e Manuel Horta (GafanhOri) a um minuto exacto. Joaquim Sousa lidera a Geral, seguido ainda de Manuel Horta mas agora com o espanhol Fernando Soriano Rubio (COHU) na terceira posição.

No sector feminino, Lena Coradinho alcançou uma saborosa vitória e que não estaria nas previsões da maioria. Ingressando este ano no escalão de Elite, a atleta ainda júnior (apenas na época de 2012 será sénior) vem compensando com muito trabalho e dedicação as grandes limitações físicas que lhe são reconhecidas. Pois acabou por arrecadar um justo triunfo e, sem ganhar nenhum parcial, impôs-se a atletas bem mais conceituadas, nalguns casos por margens que não deixam quaisquer dúvidas. Lena Coradinho ascendeu assim à 4ª posição da Classificação Geral, numa tabela que é ainda dominada por Patrícia Casalinho.

Resultados

Elite Masculina (M21E)
1º Joaquim Sousa (COC) 33.08
2º Paulo Franco (COC) 33.38
3º Manuel Horta (GafanhOri) 34.08
4º Fernando Soriano Rubio (COHU) 34.23
5º Miguel Silva (CPOC) 34.27
6º André Ramos (COC) 36.02
7º Raul Ferra Múrcia (Lorca-O) 37.26
8º Zigor Garcia Gorrotxategui (Cobi) 41.30
9º Massimo Bianchi (IKP Prato) 42.26
10º Domingos Martins (GD4C) 44.18

Elite Feminina (W21E)
1º Lena Coradinho (GafanhOri) 39.45
2º Lídia Magalhães (ADFA) 40.20
3º Patrícia Casalinho (COC) 40.21
4º Andreia Silva (COC) 41.30
5º Raquel Costa (GafanhOri) 41.58
6º Catarina Ruivo (COC) 46.13
7º Adrienne Brandi (CCRoma) 46.36
8º Paula Nóbrega (OriMarão) 47.44
9º Belén Megías Nogales (Veleta) 50.09
10º Masha Boyko (GD4C) 52.10

Maioria segura liderança

Nos restantes escalões foram muitos os atletas que reincidiram na vitória, casos de Luís Silva (ADFA) em H17, Mariana Moreira (CPOC) em D20, Susana Pontes (CPOC) em D35, Santos Sousa (ADFA) em H40 e Margarida Rocha (GD4C) em D50, isto para citar apenas alguns. A esmagadora maioria dos atletas conseguiu segurar os primeiros lugares da classificação trazidos da prova de Distância Longa, havendo quatro ou cinco excepções, com destaque para o escalão H20, no qual Pol Rafols Perramón (GD4C) caiu para a terceira posição, sendo a liderança ocupada agora por Daniel Martin de los Rios (ADYRON), e para o escalão H55, onde Norman Jones (GafanhOri) se viu ultrapassado por Paul Furness (OD).

Relativamente ao Trail-O – e porque disso é inteiramente merecedor – terá o devido desenvolvimento em crónica separada.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

PORTUGAL O'SUMMER 2009: PRIMEIRAS VITÓRIAS PARA JOAQUIM SOUSA E PATRÍCIA CASALINHO


Joaquim Sousa e Patrícia Casalinho, ambos do COC, começaram da melhor forma a sua participação no Portugal O’Summer. Vitórias categóricas nos respectivos escalões dão-lhes a liderança desta autêntica maratona de Orientação que apenas chegará ao fim no domingo.

O mapa de Rovisco Pais (Tocha, Cantanhede) assistiu ao pontapé de saída do Portugal O’Summer 2009, evento de Orientação Pedestre cuja organização é da responsabilidade do Clube Ori-Estarreja, Câmara Municipal de Cantanhede e Federação Portuguesa de Orientação.

Este primeiro dia constou duma prova de Distância Longa que decorreu sob condições atmosféricas excelentes, com tempo ameno e em terrenos aprazíveis, exigentes q.b. dos pontos de vista físico e técnico e muito propícios a uma boa Orientação. Distribuídos por 33 escalões de competição e 3 escalões abertos, o número de participantes não foi além das três centenas, um número que se espera possa quase triplicar nos sábado e domingo próximos, quando as emoções do evento estiverem ao rubro.

Sousa e Casalinho, candeias que vão à frente…

Nos escalões de Elite, Joaquim Sousa e Patrícia Casalinho não deixaram os seus créditos por mãos alheias e bateram a concorrência por margens confortáveis. A apenas dois dias de completar 39 anos de idade, o atleta de Barcelos volta a “cantar de galo”, não se deixando intimidar com a juventude de Manuel Horta (GafanhOri) e André Ramos (COC), com a fogosidade de Paulo Franco (COC) ou com a experiência do espanhol Soriano Rubio (COHU), vencendo em 1.21.15.

No sector feminino, apesar da maior vantagem entre as duas primeiras classificadas, o equilíbrio entre as demais contendoras foi a nota dominante. Patrícia Casalinho, começou por inverter a tendência do final da época passada, em que acumulou segundos lugares atrás de segundos lugares, chegando hoje à vitória com o tempo de 1.17.24, ante as conceituadas Andreia Silva (COC), Lídia Magalhães (ADFA) ou Raquel Costa (GafanhOri).

Resultados
Elite Masculina (M21E)
1º Joaquim Sousa (COC) 1.21.15

2º Manuel Horta (GafanhOri) 1.25.35
3º André Ramos (COC) 1.29.09
4º Fernando Soriano Rubio (COHU) 1.29.21
5º Paulo Franco (COC) 1.34.18
6º Raul Ferra Múrcia (Lorca-O) 1.35.02
7º Massimo Bianchi (IKP Prato) 1.46.26
8º Patrick Watts (WROC) 1.54.19
9º Domingos Martins (GD4C) 2.14.11
10º António Silva (Amigos da Montanha) 2.15.36

Elite Feminina (W21E)
1º Patrícia Casalinho (COC) 1.17.24

2º Andreia Silva (COC) 1.23.12
3º Lídia Magalhães (ADFA) 1.24.58
4º Ana Magina (CAOS) 1.26.29
5º Catarina Ruivo (COC) 1.28.16
6º Raquel Costa (GafanhOri) 1.28.24
7º Lena Coradinho (GafanhOri) 1.28.55
8º Paula Nóbrega (OriMarão) 1.31.09
9º Belén Megías Nogales (Veleta) 1.31.40
10º Adrienne Brandi (CCRoma) 1.32.57

Centro do Evento instalado em Hospital

Nos restantes escalões de competição, registaram-se 13 vitórias de atletas portugueses contra 18 dos estrangeiros (sobretudo espanhóis e britânicos). Vai ser muito curioso acompanhar a competição nos escalões de M17, M20 e W20, onde para já Luís Silva (ADFA), Pol Rafols Perramón (GD4C) e Mariana Moreira (CPOC) levam vantagem. Destaque para a vitória de Norman Jones (GafanhOri) em H55, impondo-se uma vez mais ao consagrado Manuel Dias (Individual), e para as estreias de Luís Pereira e Cláudia Figueiredo com as cores do GD4C, pondo de parte o equipamento laranja e cinzento, naquilo que era já uma imagem de marca do aguerrido casal. Uma nota final para as vitórias de Santos Sousa (ADFA), Albano João (COC) e Margarida Rocha (GD4C), em M40, M50 e W50, respectivamente, não tanto pelo triunfo em si mas sobretudo pela diferença de tempos verdadeiramente abismal para os atletas que os secundaram.

Ainda a particularidade do Centro do Evento nestes primeiros dois dias estar instalado num Hospital – Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro -, naquilo que constitui uma parceria extraordinária entre uma organização desportiva e uma instituição de saúde. Com a prova de Trail-O agendada para amanhã às 11h00, este é um Hospital de portas abertas à comunidade e cujos responsáveis percebem neste tipo de iniciativas mais-valias importantes e que concorrem para a reabilitação da pessoa doente nas suas várias vertentes.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

domingo, 23 de agosto de 2009

WOC MISKOLC 2009: DANIEL HUBMANN E SIMONE NIGGLI FECHAM CAMPEONATOS COM CHAVE DE OURO


Já sem a presença de atletas portugueses, chegaram ao fim os 26º Campeonatos do Mundo de Orientação Pedestre WOC Miskolc 2009. Na final da prova de Distância Longa, Daniel Hubmann e Simone Niggli mostraram todo o seu valor, alcançando vitórias concludentes.

Foi a grande dominadora destes Mundiais WOC Miskolc 2009. Três medalhas de ouro, duas de prata e quatro de bronze são o reflexo do poderio da Suiça, uma selecção onde pontificam alguns dos maiores vultos da Orientação mundial. A começar desde logo por Daniel Hubmann e Simone Niggli, autênticos ‘chefes-de-fila’ desta verdadeira parada de estrelas e que encerraram da melhor forma a sua participação nos Campeonatos, ou seja, com o ouro da vitória.

No sector masculino, Daniel Hubmann [na foto durante a prova de Distância Longa do Portugal O’Meeting 2009, em Mora] revalidou o seu título mundial de Distância Longa, vencendo sem contestação. O actual líder do ‘ranking’ mundial entrou bem no mapa e, com apenas três dos trinta e quatro pontos controlados, comandava já. Sensivelmente a meio da prova, uma má opção fê-lo perder a liderança para o norueguês Anders Nordberg, mas foi sol de pouca dura. Dois pontos à frente, Hubmann recuperava o comando e, aguentando bem a pressão do seu grande adversário, o francês Thierry Gueorgiou, levou a corrida controlada até ao final, acabando por vencer categoricamente com o tempo de 1.36.31. Hubmann subiu assim ao pódio pela quarta vez nestes Campeonatos, tantas quantas as provas disputadas (recorde-se a medalha de ouro na Estafeta, a prata na Distância Média e o bronze no Sprint), alcançando a 10ª medalha da sua carreira em Campeonatos do Mundo.

Gueorgiou e Mamleev, Khramov e Ionut Zinca

Gueorgiou foi segundo com mais 1.55 que o vencedor, juntando a medalha de prata ao título de Campeão do Mundo de Distância Média alcançado na passada quarta-feira. Na terceira posição, com o tempo de 1.40.40, classificou-se o italiano Mikhail Mamleev, um ‘veterano’ que se estreou nestas andanças em Grimstad, Noruega (1997) e que, na sua 9ª participação em Campeonatos do Mundo, alcança aqui o seu melhor resultado individual de sempre. As duas notas de decepção vão para o romeno Ionut Zinca, 25º classificado da Geral e para o bi-Campeão do Mundo de Sprint, o russo Andrey Khramov, que não foi além da 39ª posição entre os 45 atletas presentes nesta final.

Resultados
Masculinos
1º Daniel Hubmann (Suiça) 1.36.31

2º Thierry Gueorgiou (França) 1.38.26
3º Mikhail Mamleev (Itália) 1.40.40
4º Mats Haldin (Finlândia) 1.41.57
5º Dmitry Tsvetkov (Rússia) 1.42.27
6º EmilWigstedt (Suécia) 1.42.39
7º Olav Lundanes (Noruega) 1.43.23
8º Anders Nordberg (Noruega) 1.43.27
9º Graham Gristwood (Grã-Bretanha) 1.43.49
10º Baptiste Rollier (Suiça) 1.44.06

O regresso de Simone Niggli às grandes vitórias

No sector feminino, tanto ameaçou o ouro que acabou por arrecadá-lo. Simone Niggli fez uma prova praticamente perfeita, não concedendo veleidades às suas adversárias e concluindo no tempo de 1.17.26. Após um interregno que englobou inclusivamente os Mundiais de Olomouc (República Checa) do ano transacto, é o regresso às vitórias em Campeonatos do Mundo daquela que é a melhor orientista de todos os tempos, somando com mais este triunfo a extraordinária conta de 15 medalhas de ouro naquela que é a mais importante competição internacional de Orientação Pedestre.

Tal como a atleta suiça, também a norueguesa Marianne Andersen subiu pela terceira vez ao pódio nestes Campeonatos, juntando ao ouro da Estafeta e à prata da prova de Distância Média, nova medalha de prata, pelo que justo será afirmar-se que, a eleger a figura feminina do WOC Miskolc 2009, Andersen será seguramente merecedora da distinção. Minna Kauppi Chegou à Hungria com com o título de líder do ‘ranking’ mundial e foi, nessa medida, a grande desilusão da competição. Juntou o bronze de hoje ao bronze da Estafeta de ontem e… por aí se quedou.

Bravo, Esther!

Claramente na mó de cima esteve a checa Dana Brozková, juntando ao 5º lugar na Estafeta e sobretudo ao ouro na prova de Distância Média, um 4º lugar no dia de hoje. Um ‘bravo’ merecido ainda para a espanhola Esther Gil, sensacional 16ª classificada, melhorando aquele que era o seu melhor resultado individual ao longo das últimas sete edições do certame, o 18º lugar de Olomouc, precisamente nesta distância.

Resultados

Femininos
1º Simone Niggli (Suiça) 1.17.26

2º Marianne Andersen (Noruega) 1.19.17
3º Minna Kauppi (Finlândia) 1.19.36
4º Dana Brozková (República Checa) 1.19.47
5º Linnea Gustafsson (Suécia) 1.20.48
6º Anne-Margrethe Hausken (Noruega) 1.21.50
7º Anni-Maija Fincke (Finlândia) 1.22.30
8º Helena Jansson (Suécia) 1.23.26
9º Eva Jureniková (República Checa) 1.23.48
10º Galina Vinogradova (Rússia) 1.24.10

Suiça domina Quadro de Medalhas

Uma nota final para o medalheiro dos Campeonatos. Numa tabela onde apenas oito países lograram inscrever o seu nome, a Suiça foi a grande dominadora, alcançando um total de 9 medalhas (três de ouro, duas de prata e 4 de bronze). Mas vejamos como ficaram distribuídas as 24 medalhas:

1º Suiça (3 ouro, 2 prata, 4 bronze)
2º Suécia (1 ouro, 2 prata)
2º Noruega (1 ouro, 2 prata)
4º França (1 ouro, 1 prata)
4º Rússia (1 ouro, 1 prata)
6º República Checa (1 ouro)
7º Finlândia (3 bronze)
8º Itália (1 bronze)

Num breve exercício feito pelo Orientovar e que levou em linha de conta os resultados até ao 6º lugar (6 pontos ao primeiro, 5 ao segundo e por aí fora até 1 ponto ao sexto classificado), chega-se à confirmação do poderio suíço embora o número de países neste quadro se alargue consideravelmente e a Finlândia apareça assim no 3º lugar. Neste contexto, a classificação acaba por ser a seguinte:

1º Suiça – 50 pontos
2º Suécia – 23 pontos
3º Finlândia – 21 pontos
4º Noruega – 20 pontos
5º Rússia – 14 pontos
6º França – 13 pontos
7º República Checa – 11 pontos
8º Itália – 4 pontos
9º Dinamarca – 3 pontos
9º Letónia – 3 pontos
11º Austrália – 2 pontos
11º Hungria – 2 pontos
13º Bulgária – 1 ponto
13º Polónia – 1 ponto

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

WOC MISKOLC 2009: 23º LUGAR DA ESTAFETA PORTUGUESA É O MELHOR DE SEMPRE


A estafeta masculina encerrou da melhor forma a nossa participação no Campeonato do Mundo de Orientação Pedestre WOC Miskolc 2009. Portugal concluiu a prova na 23ª posição, naquela que foi a melhor classificação de sempre duma estafeta portuguesa em Campeonatos do Mundo.

A faltar apenas a final de Distância Longa do próximo domingo para se colocar um ponto final na 26ª edição do Campeonato do Mundo de Orientação Pedestre – e da qual Portugal estará arredado -, teve hoje lugar a prova de Estafeta. Duas grandes finais, onde Suiça (masculinos) e Noruega (feminino) alcançaram vitórias tão saborosas quanto sofridas.

Portugal marcou presença nesta prova com a secreta ambição de alcançar um lugar no top-20, facto inédito entre nós até hoje. Quedou-se pela 23ª posição com o tempo de 2.59.56, suplantando o 24º lugar de 2003 (Rapperswil/Jona, Suiça), então com Joaquim Sousa, Marco Póvoa e Tiago Aires. Diogo Miguel cumpriu o primeiro percurso em 39.40, o que valia então a 25ª posição. Pedro Nogueira, com o tempo de 1.08.58, fazia Portugal baixar um lugar enquanto no último percurso Tiago Romão colocava as nossas cores num definitivo 23º lugar. Portugal ficou a escassos 16 segundos do 22º lugar, ocupado pela Irlanda (David Healy, Nicolas Simonin, Neil Dobbs), mas a distantes 6.51 do almejado 20º posto, que coube à Alemanha (Alexander Lubina, Torben Wendler, Christian Teich).

Suiça vence final dramática

O drama abateu-se sobre esta final, como tivemos oportunidade de ver na mensagem anterior. França, Noruega e República Checa abdicaram da luta pelo ouro, acabando por ser a Suiça (Baptiste Rollier, Daniel Hubmann, Matthias Merz) a grande vencedora com o tempo de 2.22.48. Desta feita, a Suiça chega pela quarta vez ao ouro na Estafeta masculina, recuperando um título que lhe fugia desde 1995. Dmitry Tsvetkov, Valentin Novikov e Andrey Khramov deram o segundo lugar à Rússia, com mais 2.24 que a turma helvética. A Finlândia (Topi Anjala, Tero Föhr, Mats Haldin) alcançou a terceira posição com o tempo de 2.25.14.

Em 4º lugar, apenas a dois segundos da medalha de bronze (e a seis da medalha de prata) encontramos a Letónia (Martisn Sirmais, Janis Krumins, Edgars Bertuks) que assim estabelece o seu melhor resultado de sempre, depois do 5º lugar do ano transacto, precisamente com este mesmo trio. A Hungria (Csaba Gösswein, Zsolt Lenkei, Ádám Kovács) alcançou um surpreendente 5º lugar com o tempo de 2.29.16, enquanto a Polónia (Wojciech Dwojak, Robert Banach, Wojciech Kowalski) estabelecia também o seu melhor lugar de sempre nesta disciplina, ao concluir na 6ª posição com o tempo de 2.30.20.

Mas foram vários os países que melhoraram a sua prestação absoluta na prova de Estafeta masculina. Desde logo a Itália e a Espanha, com os italianos (Marco Seppi, Klaus Schgaguler, Mikhail Mamleev) a concluirem na 8ª posição com o tempo de 2.30.27, melhorando a 12ª posição alcançada precisamente por estes mesmos três atletas em 2007. Quanto à Espanha (Daniel Portal, Roger Casal, Biel Rafols) concluiu num surpreendente 15º lugar com o tempo de 2.45.43, melhorando – e de que maneira! – a 21ª posição de 2001, então com Javier Prada, Pedro Pasión e… Esther Gil Brotóns. Roménia (Ovidiu Mutiu, Tamas Bogya, Ionut Zinca) em 14º com 2.42.19 e Bielorússia em 16º com 2.47.36 (Aliaksei Aleksiayonak, Dmitry Mihalkin, Yury Tambasov) estabeleceram igualmente os seus melhores resultados de sempre.

Norueguesas imparáveis

No sector feminino, a Noruega chega também pela quarta vez ao ouro, depois de acesa luta com as vizinhas suecas. Betty Ann Bjerkrei Nilsen, Anne Margrethe Hausken e Marianne Andersen foram demasiado fortes (sobretudo esta última), dando à Noruega um triunfo saboroso em 2.13.10. A escassos 18 segundos classificou-se a Suécia (Karolina A. Höjsgaard, Kajsa Nilsson, Helena Jansson), enquanto as finlandesas (Bodil Holmström, Merja Rantanen, Minna Kauppi) imitaram os seus colegas do sector masculino e arrecadaram a medalha de bronze com o tempo de 2.15.25.

A Suiça de Vroni Koenig-Salmi, Lea Mueller e Simone Niggli teve de se contentar com a quarta posição, a 3.02 das vencedoras, enquanto a República Checa (Radka Brozková, Eva Jureniková, Dana Brozková) não foi além do 5º lugar com o tempo de 2.16.26. A Letónia (Laura Vike, Inga Dambe, Aija Skrastina), na 7ª posição com 2.30.58 e a França (Capucine Vercellotti, Amélie Chataing, Céline Dodin) no 8º lugar com 2.31.05, melhoraram igualmente as suas posições absolutas nesta prova.

A China (Mingyue Zhu, Shuangyan Hao, Ji Li), de quem muito se esperava, não foi capaz de melhorar o surpreendente 7º lugar do ano transacto, quedando-se pela 12ª posição com o tempo de 2.38.44. Nos últimos lugares encontramos em 23º com 3.37.20 a Croácia (Antonija Orlic, Ivana Gobec, Vinka Kvocic) e em 24º com 3.43.18 a Turquia (Emine Sezgunsay, Sengul Üzen, Tugba Karagoz), também elas a fazer história ao classificarem pela primeira vez uma Estafeta feminina.

Resultados
Masculinos

1º Suíça (Baptiste Rollier, Daniel Hubmann, Matthias Merz) 2.22.48
2º Rússia (Dmitry Tsvetkov, Valentin Novikov, Andrey Khramov) 2.25.12
3º Finlândia (Topi Anjala, Tero Föhr, Smola Michal) 2.25.14
4º Letónia (Martins Sirmais, Janis Krumins, Edgars Bertuks) 2.25.18
5º Hungria (Csaba Gösswein, Zsolt Lenkei, Ádám Kovács) 2.29.16
6º Polónia (Wojciech Dwojak, Robert Banach, Wojciech Kowalski) 2.30.20
7º Ucrânia (Pavlo Ushkvarok, Roman Fedotov, Ruslan Glibov) 2.30.21
8º Italia (Marco Seppi, Klaus Schgaguler, Mikhail Mamleev) 2.30.27
9º Grã-Bretanha (Matthew Speake, Graham Gristwood, Scott Fraser) 2.30.41
10º Estónia (Markus Puusepp, Olle Kärner, Sander Vaher) 2.31.05
(…)
23º Portugal (Diogo Miguel, Pedro Nogueira, Tiago Romão) 2.59.56

Resultados
Femininos

1º Noruega (Betty Ann Bjerkrei Nilsen, Anne Margrethe Hausken, Marianne Andersen) 2.13.10
2º Suécia (Karolina A.Höjsgaard, Kajsa Nilsson, Helena Jansson) 2.13.28
3º Finlândia (Bodil Holmström, Merja Rantanen, Minna Kauppi) 2.15.25
4º Suíça (Koenig-Salmi Vroni, Lea Mueller, Simone Niggli) 2.16.12
5º República Checa (Radka Brozková, Eva Jureníková, Dana Brozková) 2.16.26
6º Rússia (Galina Vinogradova, Júlia Novikova, Tatyana Riabkina) 2.20.10
7º Letónia (Laura Vike, Inga Dambe, Aija Skastina) 2.30.58
8º França (Capucine Vercellotti, Amélie Chataing, Céline Dodin) 2.31.05
9º Austrália (Grace Crane, Kathryn Ewels, Hanny Allston) 2.32.23
10º Lituânia (Kristina Rybakovaite, Rasa Ptasekaite, Inga Kazlauskaite) 2.35.03

Tudo para conferir em
http://tajfutovb2009.hu/.

[recorte de foto gentilmente cedida por António Aires]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

WOC MISKOLC 2009: O MAIS ELEVADO EXEMPLO DE DESPORTIVISMO


É a imagem que corre o Mundo. Thierry Gueorgiou (França), Michal Smola (República Checa) e Anders Nordberg (Noruega) concluem a sua prova, depois de darem o maior exemplo de ‘fair-play’ ao abdicar das medalhas na final de Estafetas desta manhã para socorrerem Martin Johansson (Suécia), gravemente ferido.

É uma história de humanidade e desportivismo, aquela que se conta a propósito da prova de Estafeta masculina dos Mundiais de Miskolc disputada na manhã de hoje. Após uma série de alternâncias na frente da corrida e já a ‘cheirar a meta’, Martin Johansson é vítima dum grave acidente, espetando um pau numa perna cerca de 12 cm. Com ele seguiam na cabeça da corrida Thierry Gueorgiou e Anders Nordberg, que imediatamente pararam para ajudar o companheiro e amigo, abdicando assim da luta por uma vitória que seria quase certa.

Enquanto Thierry Gueorgiou permanecia junto a Johansson, fazendo da sua camisola um garrote para estancar a hemorragia, Nordberg corria para a Arena em busca de auxílio médico. Entretanto, o checo Michal Smola que seguia na quarta posição parou também para apoiar o francês no auxílio a Johansson. “Que dramático acontecimento e que grande exemplo de desportivismo dado pelos melhores orientistas mundiais”, afirma Ivo Danilov em artigo detalhado que pode ler AQUI
.

Após o incidente, os três atletas-socorristas concluiram a sua prova em ritmo de 'jogging', dando aos respectivos países os 25º, 26º e 27º lugares. Antes da cerimónia de entrega de prémios aos vencedores das Estafetas, o presidente da IOF, Åke Jacobson, expressou aos três atletas a sua gratidão: "O que fizeram aqui hoje representa o mais elevado exemplo de desportivismo e de fair-play. Vocês são uma inspiração para todos nós", disse.
.

[foto de Henning Spjelkavik, extraída do “site”
http://www.orienteering.is/]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

VENHA CONHECER... LUCIANO LUCAS


Chamo-me… LUCIANO da Palma LUCAS
Nasci no dia… 30 de Julho de 1957, em Lourenço Marques
Vivo em… Vila Nova de Santo André
A minha profissão é… Inspector de Equipamento e Corrosão
O meu clube… COALA – Clube de Orientação e Aventura do Litoral Alentejano
Pratico Orientação desde… 1999

Na Orientação…

A Orientação é… um desporto para todos!
Para praticá-la basta… ter vontade!
A dificuldade maior… a sinaléctica!
A minha estreia foi… no Norte!
A maior alegria… é constante!
A tremenda desilusão… não atingir os objectivos!
Um grande receio… a ‘correctiva’ no final!
O meu clube é… o elevar da região onde está implantado!
Competir é… participar!
A minha maior ambição… ver muitos jovens a praticar Orientação!

… como na Vida!

Dizem que sou… ‘puxa-carroça’!
O meu grande defeito é… ser teimoso!
A minha maior virtude… conseguir objectivos!
Como vejo o mundo… mal!
O grande problema social… a Sociedade em si!
Um sonho… todos estarmos bem!
Um pesadelo… uma criança a chorar!
Um livro… “A Paixão do Lago”!
Um filme… “Titanic”!
Na ilha deserta não dispensava… um mapa!

Na próxima semana venha conhecer Patrícia Casalinho.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

WOC MISKOLC 2009: TIAGO ROMÃO EM 42º NA FINAL DE SPRINT


Tiago Romão foi o 42º classificado na final da prova de Sprint dos Campeonatos do Mundo de Orientação Pedestre que, até ao próximo domingo, têm lugar em Miskolc, na Hungria.

20 de Agosto de 2009. Um dia que fica registado nos anais da Orientação nacional pelos melhores motivos. O dia em que Tiago Romão se tornou no segundo português a chegar a uma final dum Campeonato do Mundo após ultrapassar com êxito a fase de qualificação. Antes apenas Marco Póvoa o tinha conseguido, precisamente em Aichi, no Japão (2005), graças ao 13º lugar na 1ª série da prova de Distância Longa. Mas se apenas quatro anos separam dois dos maiores feitos da Orientação portuguesa nesta competição, em termos do significado destes resultados a distância é abismal. É que enquanto Póvoa caminhava a passos largos para os trinta anos de idade e entrava - com o devido respeito para aquele que ainda é o melhor orientista português de sempre! - na curva descendente, Tiago Romão acaba de chegar pela primeira vez a uns Mundiais com apenas 19 anos de idade (fará os 20 dentro de dias, a 2 de Setembro) e tem muito – mas mesmo muito – para progredir (e muitas alegrias para nos dar).

Quanto à grande final desta tarde, os mais optimistas vaticinavam um lugar nos 30 primeiros. A verdade é que a concorrência era fortíssima e, depois desta mais que merecida presença, era impossível exigir o que quer que fosse ao atleta português. Tiago Romão demonstrou estar à altura das responsabilidades, sempre muito concentrado, acabando por fazer uma prova isenta de erros, pontuada apenas por ligeiras hesitações que, no seu conjunto, o penalizaram em meia dúzia (ou dúzia e meia) de segundos. A diferença de tempos que o separam da primeira metade da tabela – bem o sabemos! - deve-se sobretudo ao factor técnico, algo que é trabalhado no dia-a-dia por atletas altamente profissionalizados, muito para lá daquilo que são as duras realidades duma Orientação que, em Portugal, se pratica ainda e sempre de forma amadorística. Mas que ainda assim se mostra ao Mundo esclarecidamente, atraindo sobre si as atenções e suscitando rasgados elogios dos mais variados quadrantes ligados à modalidade.

Khramov revalida título

O russo Andrey Khramov fez a sua estreia nestes mundiais com um 4º lugar nas qualificatórias de Distância Longa de domingo passado, optou de seguida por prescindir da prova de Distância Média e foi assim, “fresquinho que nem uma alface”, após uma longa pausa de quatro dias, que o vimos hoje em Miskolc a defender o título mundial alcançado na República Checa, no ano transacto. E que bem que o fez! Khramov não deu quaisquer chances à concorrência, aproveitando um ligeiro deslize do suíço Fabian Hertner no ponto de controlo nº 5 para tomar o comando da corrida e nunca mais o largar. No final, a vantagem de 26 segundos sobre Hertner, o segundo classificado, é suficientemente esclarecedora da supremacia do russo. Numa prova que não contou com a participação do Campeão do Mundo de Sprint em 2007 (Kiev, Ucrânia), o francês Thierry Gueorgiu, a terceira posição coube ao também suíço e Vice-Campeão do Mundo no ano transacto, Daniel Hubmann, a escassos dois segundos do seu colega de selecção e a 38 segundos do vencedor.

Martin Johansson (Suécia), medalha de bronze em Olomouc e em Kiev, terminou na 5ª posição, destacando-se ainda o 6º lugar de Kiril Nikolov (a melhor posição de sempre dum atleta da Bulgária em Campeonatos do Mundo) ou o 9º lugar do ucraniano Pavlo Ushkvarok, que assim melhora o seu melhor registo de sempre, depois do 11º lugar da final de Sprint em 2008 e da final de Distância Média em 2007. O romeno Ionut Zinca constituiu uma tremenda desilusão, depois duma entrada desastrada no mapa que o fez perder quase um minuto na progressão para o segundo ponto, atirando-o para um desconsolador 29º lugar final com o tempo de 17.07,5. Quanto ao jovem António Martinez, único atleta espanhol presente nesta final, concluiu na 43ª posição, imediatamente atrás de Tiago Romão e com uma diferença de 28 segundos do português.

Resultados
Masculinos

1º Andrey Khramov (Rússia) 15.10,6
2º Fabian Hertner (Suiça) 15.36,1
3º Daniel Hubmann (Suiça) 15.38,2
4º Olav Lundanes (Noruega) 15.52,7
5º Martin Johansson (Suécia) 15.57,3
6º Kiril Nikolov (Bulgária) 16.03,7
7º Matthias Mueller (Suiça) 16.03,9
8º Oystein Kvaal Osterbo (Noruega) 16.15,3
9º Pavlo Ushkvarok (Ucrânia) 16.17,2
10º Mattias Millinger (Suécia) 16.17,7
(…)
42º Tiago Romão (Portugal) 18.08,5

O primeiro ouro de Helena Jansson


No sector feminino, a norueguesa Anne-Margrethe Hausken foi impotente para segurar o seu título mundial de Sprint, ante uma Helena Jansson, plena de força e de técnica e que fez em Miskolc uma prova irrepreensível. A atleta sueca terminou com o tempo de 15.07, impondo-se categoricamente à sua compatriota Linnea Gustafsson por 42 segundos (!) e relegando a campeoníssima suiça Simone Niggli para a medalha de bronze, a mesma posição alcançada ontem na final de Distância Média. A uma semana de completar 24 anos de idade, Jansson alcança assim o mais importante título da sua carreira, depois de ter sido 6ª na final de ontem. .
Hausken não foi além do 7º lugar com 16.04, enquanto a líder do ‘ranking’ mundial, Minna Kauppi (Finlândia), conclui na 13ª posição com 16.24. As grandes surpresas vieram da australiana Kathryn Ewels, 5ª classificada com o tempo de 16.00 e que tinha até hoje, como melhor resultado, o 14º lugar da final de Distância Longa, em Olomouc, e sobretudo da chinesa Shuangyan Hao, que com 16.14,4 alcança um notável 10º lugar e melhora significativamente a 18ª posição de Mingyue Zhu, no ano transacto, também na final de Sprint. Uma última referência para as espanholas Esther Gil e Ona Rafols, 32ª e 42ª classificadas, com os tempos de 18.01 e 19.45, respectivamente.

Resultados
Femininos

1º Helena Jansson (Suécia) 15.07,8
2º Linnea Gustafsson (Suécia) 15.49,7
3º Simone Niggli (Suiça) 15.54,7
4º Signe Soes (Dinamarca) 15.58,3
5º Kathryn Ewels (Austrália) 16.00,9
6º Anni-Maija Fincke (Finlândia) 16.01,5
7º Anne-Margrethe Hausken (Noruega) 16.04,8
8º Elise Egseth (Noruega) 16.07,6
9º Karolina A. Höjsgaard (Suécia) 16.09,9
10º Shuangyan Hao (China) 16.14,4
10º Ines Broadmann (Suiça) 16.14,4

Tudo para acompanhar em
http://tajfutovb2009.hu/.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

WOC MISKOLC 2009: FORÇA TIAGO! FORÇA PORTUGAL!


Trata-se dum dos maiores feitos de sempre da Orientação portuguesa em Campeonatos do Mundo: Tiago Romão acaba de garantir a presença na final de Sprint do WOC Miskolc 2009, que terá lugar mais logo à tarde. Um enorme bravo ao grande atleta e campeão português, extensivo ao seu treinador Hélder Ferreira, ao Clube de Orientação do Centro e, afinal, a todos quantos contribuíram para este resultado histórico.

"Sabia que seria muito difícil alcançar a Final, contudo parti concentrado e motivado para fazer o meu melhor. Na parte inicial o percurso era relativamente simples, contudo fui perdendo alguns segundos aqui e ali. Um pouco depois de metade da prova percorrida, sou apanhado pelo checo Tomas Dlabaja e aqui tinha duas opções: Seguir com ele ou seguir pela minha prova. Segui a primeira hipótese e foi assim até ao final. O terreno não foi especialmente técnico salvo dois ou três pontos de controlo. Agora resta-me esperar pela final e tentar fazer o meu melhor.” Concluída a sua prova, foram estas as palavras de Tiago Romão num exclusivo para o Orientovar.

Quanto aos restantes portugueses, Pedro Nogueira foi 25º na 1ª série, ficando a 1.04 do apuramento. Diogo Miguel correu a 3ª série, quedando-se a 1.37 do apuramento, na 27ª posição. Maria Sá concluiu na 19ª posição, a 1.19 do 15º lugar e da tão almejada presença na final. De fora da final ficou igualmente a brasileira Lislaine Link, 27ª classificada na terceira série com o tempo de 27.49.

Um forte aplauso para o apuramento do Campeão Europeu H18, o espanhol António Martinez, ao qual se juntam Ona Rafols e Esther Gil, esta última de novo a alcançar um quarto lugar na sua série. De fora da final, ficaram alguns nomes grados da Orientação mundial, casos de Dmitry Tsvetkov (Rússia), Carl Waaler Kaas e Mari Fasting (Noruega) e ainda Hanny Alston (Austrália). Ainda uma palavra para a qualificação esperada de Ionut Zinca (venceu oito dos 22 parciais que compunham a prova) e inesperada do canadiano Patrick Goeres, da norte-americana Samantha Saeger e das três atletas chinesas, Shuangyan Hao, Mingyue Zhu e Ji Li.


Resultados

Masculinos
Série 1

1º Matthias Mueller (Suiça) 14.28
2º Pavlo Ushkvarok (Ucrânia) 15.08
3º Emil Wingstedt (Suécia) 15.08
4º Oystein Kvaal Osterbo (Noruega) 15.09
5º Wojciech Dwojak (Polónia) 15.16
5º Simonas Krepsta (Lituânia) 15.16
7º Chris Forne (Nova Zelândia) 15.18
8º Lukás Barták (Eslováquia) 15.19
9º Claus Hallingdal Bloch (Dinamarca) 15.28
10º Sander Vaher (Estónia) 15.43
11º Janis Krumins (Letónia) 15.46
12º Tuomas Tervo (Finlândia) 16.02
13º András Szabó (Hungria) 16.05
14º Antonio Martinez (Espanha) 16.09
15º Jan Mrázek (República Checa) 16.11
(…)
25º Pedro Nogueira (Portugal) 17.15

Série 2
1º Fabian Hertner (Suiça) 14.34

2º Tomás Dlabaja (República Checa) 14.51
3º Kiril Nikolov (Bulgária) 14.53
4º Gernot Kerschbaumer (Áustria) 14.55
5º Ross Morrison (Nova Zelândia) 15.01
5º Mikkel Lund (Dinamarca) 15.01
7º Graham Gristwood (Grã-Bretanha) 15.08
7º Andrey Khramov (Rússia) 15.08
9º Petteri Muukkonen (Finlândia) 15.14
10º Ionut Zinca (Roménia) 15.16
11º Mattias Millinger (Suécia) 15.33
12º Kamil Wlodarczyk (Polónia) 15.42
13º Aliaksei Aleksiayonak (Bielorússia) 15.49
14º Martins Sirmais (Letónia) 15.56
15º Jonas Vytautas Gvildys (Lituânia) 15.58
15º Tiago Romão (Portugal) 15.58

Série 3
1º Olav Lundanes (Noruega) 14.40

2º Jarkko Huovila (Finlândia) 15.10
3º Daniel Hubmann (Suiça) 15.18
4º Klaus Schgaguler (Itália) 15.21
5º Wojciech Kowalski (Polónia) 15.25
6º Zsolt Lenkei (Hungria) 15.26
7º Aleliunas Vilius (Lituânia) 15.38
8º Damien Renard (França) 15.43
9º Vojtech Král (República Checa) 15.44
10º Valentin Novikov (Rússia) 15.45
11º Patrick Goeres (Canadá) 16.05
12º Yury Tambasov (Bielorússia) 16.08
13º Martin Johansson (Suécia) 16.13
14º Scott Fraser (Grã-Bretanha)16.16
15º Martin Binder (Áustria) 16.18
(…)
27º Diogo Miguel (Portugal) 17.55

Femininos
Série 1

1º Elise Egseth (Noruega) 15.55

2º Eva Jureníková (República Checa) 16.10
3º Signe Soes (Dinamarca) 16.39
4º Ines Brodmann (Suiça) 16.42
5º Olga Sluta (Ucrânia) 17.01
6º Shuangyan Hao (China) 17.15
7º Sarah Rollins (Grã-Bretanha) 17.19
8º Karin Schmalfeld (Alemanha) 17.25
9º Galina Vinogradova (Rússia) 17.37
10º Veronica Minoiu (Roménia) 17.52
11º Inga Dambe (Letónia) 18.15
12º Anni-Maija Fincke (Finlândia) 18.17
13º Karolina Höjsgaard (Suécia) 18.19
14º Samantha Saeger (Estados Unidos 18.49)
15º Őry Eszter (Hungria) 19.20

Série 2

1º Helena Jansson (Suécia) 16.00
2º Céline Dodin (França) 17.02
3º Sabine Hauswirth Suiça) 17.15
4º Esther Gil (Espanha) 17.16
5º Irina Nyberg (Rússia) 17.19
6º Aija Skrastina (Letónia) 17.27
7º Mingyue Zhu (China) 17.42
8º Karolina Sundberg (Finlândia) 17.58
9º Kathryn Ewels (Austrália) 18.15
10º Nataliya Dimitrova (Bulgária) 18.28
11º Helen Bridle (Grã-Bretanha) 18.35
12º Ingunn Weltzien (Noruega) 18.39
13º Nicole Scalet (Itália) 19.34
14º Jana Macinská (Eslováquia) 20.02
15º Monika Topinková (República Checa) 20.09
(…)
19º Maria Sá (Portugal) 21.28

Série 3

1º Minna Kauppi (Finlândia) 16.09
2º Simone Niggli (Suiça) 16.28
3º Pippa Whitehouse (Grã-Bretanha) 17.02
3º Annika Rihma (Estónia) 17.02
5º Anne-Margrethe Hausken (Noruega) 17.07
6º Linnea Gustafsson (Suécia) 17.31
7º Martina Rákayová (Eslováquia) 17.40
8º Maja Alm (Dinamarca) 17.41
9º Martina Doékalová (República Checa) 17.43
9º Alia Sitdikova (Rússia) 17.43
11º Ji Li (China) 18.15
12º Ursula Kadan (Áustria) 18.18
13º Hanna Wisniewska (Polónia) 18.38
14º Fanni Gyurkó (Hungria) 18.39
15º Ona Rafols (Espanha) 19.06

Tudo para acompanhar em
http://tajfutovb2009.hu/

[fotos gentilmente cedidas por António Aires]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.