domingo, 31 de maio de 2009

CAMPEONATO NACIONAL ABSOLUTO 2009: FECHO COM CHAVE DE OURO DE TIAGO ROMÃO E MARIA SÁ


Depois da afirmação, a confirmação! Tiago Romão sagrou-se esta manhã Campeão Nacional Absoluto 2009, reeditando a vitória de 2008, no Gerês. No sector feminino Maria Sá fecha a época em beleza, alcançando o título pela terceira vez.

Uma vitória com duplo sabor. Desta forma se pode classificar o notável feito de Tiago Romão, no Açude das Bicas (Landeira, Vendas Novas), na derradeira prova da temporada. Com este resultado, o atleta do COC não só renova o seu título de Campeão Nacional Absoluto como leva igualmente de vencida a Taça de Portugal 2008 / 2009. Uma vitória autenticamente merecida, arrancada da força e do querer dum atleta ainda júnior no ano de estreia no escalão de Elite. Um triunfo particularmente valorizado pela qualidade, competitividade e emoção no duelo travado ao longo da época com Diogo Miguel (Ori-Estarreja), que hoje se quedou na terceira posição.

Miguel Silva (CPOC) alcançou o segundo lugar e demonstrou, se provas fossem necessárias, que os títulos nacionais de Sprint e Distância Média de há três semanas não foram obra do acaso e que podem contar com ele. Nos dez primeiros lugares é possível ver ainda nomes como os de Jorge Correia ou Santos Sousa, dois ilustres veteranos da ADFA, ou de Davide Machado, a selar com chave de ouro a sua vitória na Taça de Portugal no escalão H21A e a alcançar com inteiro mérito um justo lugar no escalão de Elite da próxima temporada.

A título individual merecem ainda uma referência muito especial o décimo primeiro lugar de Manuel Horta (GafanhOri) bem como as excelentes marcas alcançadas por Albano João (COC) e Manuel Dias (Individual), dois “históricos” da nossa Orientação, com um lugar na primeira metade da tabela nesta final A. Colocar cinco atletas nos treze primeiros lugares não foi o suficiente para a ADFA chegar ao triunfo colectivo. Este acabou por sorrir ao COC, confirmando o excelente desempenho ao longo da época e reforçando a sua vitória no 'ranking' de clubes.

.
Maria Sá e GafanhOri, os heróis da jornada

No sector feminino, a vitória de Maria Sá (GD4C) vem confirmá-la como uma atleta de eleição. Ausente no início da temporada devido à sua actividade académica, Maria Sá fez uma segunda metade da época de grande nível, juntando ao título nacional de Distância Longa este título nacional Absoluto, o terceiro da sua carreira. Esta foi, contudo, uma vitória nada fácil, com Patrícia Casalinho (COC) a dar luta até ao derradeiro metro e a quedar-se a escassos 23 segundos da atleta nortenha.

Raquel Costa classificou-se na terceira posição, o que constituiu uma “meia desilusão”. A atleta não conseguiu revalidar o título absoluto mas garantiu os pontos necessários para levar de vencida, uma vez mais, a Taça de Portugal, a quinta da sua carreira no escalão de Elite e terceira consecutiva. Ana Coradinho (GafanhOri) na quarta posição acaba por constituir a maior surpresa destes Absolutos’09, demonstrando uma vez mais todo o seu valor e comprovando o excelente trabalho desenvolvido para as bandas de S. Pedro da Gafanhoeira por Tiago Aires e Raquel Costa. Trabalho que se vê coroado de êxito com a vitória colectiva no que ao sector feminino diz respeito, um resultado bem longe das cogitações de (quase) todos ainda há bem pouco tempo atrás.

Final A Masculina (59 atletas)

1º Tiago Romão (COC) 1.04.01
2º Miguel Silva (CPOC) 1.05.07
3º Diogo Miguel (Ori-Estarreja) 1.07.09

4º Gildo Silva (COC) 1.07.10
5º Jorge Correia (ADFA) 1.07.54
6º Santos Sousa (ADFA) 1.08.34
6º Joaquim Sousa (COC) 1.08.34
8º Davide Machado (.COM) 1.11.11
9º Jorge Fortunato (Ori-Estarreja) 1.11.55
10º Elisio Roque (ADFA) 1.12.48
11º Manuel Horta (GafanhOri) 1.14.16
12º Soares Dos Reis (ADFA) 1.14.43
13º Pedro Nogueira (ADFA) 1.15.17
14º Paulo Franco (COC) 1.15.22
15º Tiago Gingão Leal (GafanhOri) 1.17.41
16º João Casal (Ori-Estarreja) 1.22.03
17º Tiago Lopes (CAOS) 1.22.17
18º João Pedro Valente (CPOC) 1.24.53
19º João Ferreira (DA Recardães) 1.24.59
20º Sérgio Matos (Ori-Estarreja) 1.26.09
21º Albano João (COC) 1.26.33
22º Nuno Evangelista (20 kmsAlmeirim) 1.26.40
23º Filipe Farinha (CPOC) 1.27.10
24º Jorge Silva (COC) 1.27.34
25º Nuno Patrício (CN Alvito) 1.27.53
26º Francisco Cordeiro (ADFA) 1.28.03
27º Vítor Delgado (GD4C) 1.28.27
28º Jorge Almeida (GCF) 1.28.36
29º Manuel Dias (Individual) 1.28.59
30º Luis Leite (GD4C) 1.29.14
31º Ricardo Oliveira (COC) 1.30.48
32º Jorge Coelho (GafanhOri) 1.30.50
33º Rafael Miguel (Ori-Estarreja) 1.31.06
34º Domingos Martins (GD4C) 1.31.08
35º Roberto Oliveira (20kmsAlmeirim) 1.32.41
36º Helder Costa (ADFA) 1.33.36
37º Pedro Silva (CP Telecom) 1.33.44
38º Luis Barreiro (NADA) 1.35.50
39º Nuno Pedro (CAOS) 1.36.24
40º António Amador (Ori-Estarreja) 1.36.27
41º José Oliveira (20 kmsAlmeirim) 1.36.46
42º Mário Duarte (ADFA) 1.36.48
43º Fábio M Pereira (Ori-Estarreja) 1.37.02
44º Filipe Salgado (GafanhOri) 1.37.40
45º José Bernardo (COC) 1.38.40
46º João Amorim (Ori-Estarreja) 1.38.49
47º Manuel Santos (ADFA) 1.39.27
48º Pedro Pereira (ADFA) 1.40.12
49º Nuno Ferreira (COC) 1.41.04
50º António Aires (GafanhOri) 1.41.19
51º Ricardo Reis (ADFA) 1.45.09
52º Cesar Conceição (COA) 1.46.35
53º Miguel Ferreira (CPOC) 1.47.35
54º Paulo Falcão (GafanhOri) 1.48.51
55º Manuel Domingues (COC) 1.49.27
56º Sérgio Ferreira (CN Alvito) 1.54.44
57º Mário Silva (COC) 1.59.54

Alexandre Alvarez (CPOC) mp
Luis Gonçalves (CPOC) mp

Final A Feminina (55 atletas)

1º Maria Sá (GD4C) 1:08:53
2º Patricia Casalinho (COC) 1:09:16
3º Raquel Costa (GafanhOri) 1:14:40
4º Ana Coradinho (GafanhOri) 1:18:29
5º Emília Silveira (ADFA) 1:21:26
6º Lídia Magalhães (ADFA) 1:21:57
7º Mariana Moreira (CPOC) 1:26:07
8º Maria Amador (ATV) 1:28:10
9º Adelindina Lopes (COA) 1:29:02
10º Lucilia Silva (ADFA) 1:29:57
11º Isabel Sá (GD4C) 1:30:11
12º Susana Pontes (CPOC) 1:31:37
13º Lena Coradinho (GafanhOri) 1:32:00
14º Céu Costa (GD4C) 1:32:46
15º Vera Dias (COA) 1:33:49
16º Maria Pereira (ADFA) 1:34:26
17º Rita Rodrigues (GafanhOri) 1:35:57
18º Anabela Vieito (COC) 1:36:49
19ºInês Pinto (GafanhOri) 1:37:14
20º Joana Costa (GD4C) 1:38:01
21º Helena Sousa (OriMarão) 1:38:06
22º Fátima Alves (GD4C) 1:38:23
23º Marisa Barroso (COC) 1:40:08
24º Ana Salgado (GafanhOri) 1:40:30
25º Marta Fonseca (CLAC) 1:41:59
26º Paula Rodrigues (CMO Funchal) 1:46:24
27º Helena Lopes (CIMO) 1:48:39
28º Ana Oliveira (Ori-Estarreja) 1:49:16
29º Elisabete Dinis (GCF) 1:49:46
30º Patricia Arromba (COAC) 1:50:07
31º Sonia Cristina (AA Mafra) 1:51:12
32º Luísa Mateus (COC) 1:51:48
33º Isabel Salgado (GafanhOri) 1:53:09
34º Isabel Meneses (TST) 1:56:17
35º Isabel Fagundes (CA Madeira) 1:56:21
36º Sandra Rodrigues (ADFA) 1:58:34
37º Claudia Garcia Monteiro (COC) 1:59:42
38º Tania Ralha (CP Armada) 2:01:20
39º Liliana Oliveira (CPOC) 2:02:04
40º Margarida Rocha (GD4C) 2:02:11
41º Sandra Gonçalves (GCF) 2:02:34
42º Jerónima Rocha (GD4C) 2:06:15
43º Filipa Martins (COA) 2:08:15
44º Joana Moutela (Ori-Estarreja) 2:10:06
45º Rita Guilhoto (ATV) 2:13:10
46º Débora Silva (CMO Funchal) 2:14:04
47º Fátima Marcolino (GD4C) 2:14:54
48º Mónica Cardoso (ADFA) 2:15:52
49º Maria São João (CLAC) 2:25:35
50º Ana Margarida Vaz (CP Telecom) 2:32:52
51º Filipa Neves (COAC) 2:41:18
52º Claudia Figueiredo (Individual) 2:44:21
53º Sílvia Delgado (CP Telecom) 2:45:41
54º Isabel Oliveira (COC) 2:49:06

Fátima Saraiva (DA Recardães) mp

Saiba mais em
http://www.clubepracasarmada.pt/CNA'09/Apresentacao.htm

[O Orientovar agradece a Nuno Leite a sua disponibilidade e atenção no envio dos resultados em tempo útil]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

sábado, 30 de maio de 2009

CAMPEONATO NACIONAL ABSOLUTO 2009: O DERRADEIRO ACTO


Tiago Romão e Lídia Magalhães foram os grandes vencedores do primeiro dia dos Campeonatos Nacionais Absolutos 2009. Mas também há baixas de vulto, a começar desde logo por Andreia Silva, David Sayanda e… Marco Póvoa!

Decorreu em Landeira, na tarde deste sábado, a primeira parte do Campeonato Nacional Absoluto 2009, derradeiro acto da Taça de Portugal de Orientação Pedestre da presente temporada. No mapa da Herdade do Vale, foram cerca de cinco centenas os atletas que evoluíram sob um sol escaldante e com temperaturas a rondar os 35ºC, em busca… dum lugar ao sol. Que o mesmo é dizer, lutando pelo acesso às grandes finais A de amanhã, em masculinos e femininos, nas quais estarão presentes apenas os melhores 60 tempos absolutos de cada sector.

Num terreno de fácil progressão e com uma elevada quantidade de elementos característicos facilmente referenciáveis, os percursos não encerraram a qualidade técnica que muitos esperariam dum Campeonato Absoluto, acabando por favorecer os atletas mais dotados fisicamente e, sobretudo, aqueles que melhor souberam lidar com o principal inimigo, o calor.

Tiago Romão e Diogo Miguel levam a decisão para a grande final

Contas feitas “em cima do joelho” – os resultados chegaram à mesa de trabalho do Orientovar às 21h00, numa gentileza de Nuno Leite que reconhecidamente se agradece – podemos avançar que os 44.46 de Pedro Pereira (ADFA) constituíram o tempo limite para apurar os 60 atletas que, no sector masculino, carimbaram o passaporte para a final A.

Sem margem para erros, Tiago Romão (COC) e Diogo Miguel (Ori-Estarreja) encetaram uma luta titânica que acabou por sorrir ao leiriense. Em causa estão preciosos pontos que podem ser decisivos para a vitória na Taça de Portugal, logo no ano de estreia no escalão de Elite de ambos os contendores. No lote dos vinte primeiros classificados, saúda-se a presença de Rafael Miguel (Ori-Estarreja) e de Albano João (COC), dois atletas nos antípodas em termos de escalão etário, juvenil o primeiro e “veteraníssimo” (H50) o segundo (mais veterano na final A só mesmo Manuel Dias, um atleta do escalão H55).

David Sayanda e Marco Póvoa constituem as grandes ausências da final de amanhã. O primeiro teve um dia para esquecer, não conseguindo melhor que o modesto tempo de 46.46 que lhe valeu o 11º tempo no escalão H20. Quanto ao segundo, fez “mp” e vê afastada a possibilidade de chegar ao título absoluto, o que a suceder seria o quinto da sua carreira, em sete possíveis. André Ramos (COC) fez igualmente “mp”, enquanto Celso Moiteiro (também do COC) não chegou a partir. Dois elementos fundamentais na estratégia da equipa leiriense e que a deixam à mercê de ADFA, CPOC e Ori-Estarreja na luta pelo título colectivo, com o GafanhOri à espreita.

Lídia Magalhães na “pole position”

No sector feminino, entre as 112 atletas elegíveis para disputarem a final A de amanhã, Fernanda Ferreira(DA Recardães) fecha a contagem das 60 primeiras com o tempo de 1.14.57. Lídia Magalhães (ADFA) alcançou o melhor tempo, mas é possível ver um elevado número de jovens atletas nos dez primeiros lugares, a começar logo por Joana Costa (GD4C) e Mariana Moreira (CPOC), respectivamente nas segunda e quinta posições.

Também aqui é possível perceber algumas surpresas pela negativa, a começar por Andreia Silva (COC), que teve no seu tempo de 1.26.25 o pior entre as 15 participantes do escalão de Elite. Outra baixa de vulto é Vera Alvarez (CPOC), que ao fazer “mp” não só se vê afastada da final como perde terreno para a sua adversária directa no escalão D17, Rita Rodrigues (GafanhOri) e vê em risco a sua vitória na Taça de Portugal. Colectivamente o COC parece irremediavelmente afastado do título e a luta vai-se decidir entre GafanhOri e GD4C. Colocando cinco atletas nos 20 primeiros lugares e contando ainda com Raquel Costa “de reserva”, a turma arraiolense parece capaz de chegar ao tão almejado título. Mas basta Maria Sá, Joana Costa, Isabel Sá, Céu Costa e, sobretudo, Fátima Alves, apresentarem-se ao seu nível e a vitória rumará a norte.

Resultados

Masculinos


1º Tiago Romão (COC) 30.18
2º Diogo Miguel (Ori-Estarreja) 31.24
3º Jorge Correia (ADFA) 32.26
4º Miguel Silva (CPOC) 32.53
5º Gildo Silva (COC) 33.08
6º Alexandre Alvarez (CPOC) 33.08
7º Pedro Nogueira (ADFA) 33.27
8º Santos Sousa (ADFA) 33.59
9º Joaquim Sousa (COC) 34.00
10º Davide Machado (.COM) 35.01
11º João Ferreira (DA Recardães) 35.05
12º Jorge Fortunato (Ori-Estarreja) 35.16
13º Filipe Farinha (CPOC) 35.21
14º Rafael Miguel (Ori-Estarreja) 35.44
15º Nuno Evangelista (20 km Almeirim) 36.00
16º Soares dos Reis (ADFA) 36.13
17º Albano João (COC) 36.26
18º Paulo Franco (COC) 37.07
19º Domingos Martins (GD4C) 37.54
20º Nuno Patrício (CN Alvito) 38.10

Femininos

1º Lídia Magalhães (ADFA) 34.38
2º Joana Costa (GD4C) 34.48
3º Maria Sá (GD4C) 35.46
4º Patrícia Casalinho (COC) 36.57
5º Mariana Moreira (CPOC) 40.43
6º Maria Amador (ATV) 41.07
7º Isabel Sá (GD4C) 42.32
8º Lena Coradinho (GafanhOri) 42.36
9º Maria Pereira (ADFA) 42.40
10º Rita Rodrigues (GafanhOri) 43.53
11º Lucília Silva (ADFA) 44.27
12º Susana Pontes (CPOC) 44.50
13º Ana Salgado (GafanhOri) 44.58
14º Céu Costa (GD4C) 45.15
15º Inês Pinto (GafanhOri) 45.21
16º Ana Oliveira (Ori-Estarreja) 45.46
17º Adelindina Lopes (COA) 46.19
18º Ana Coradinho (GafanhOri) 47.44
19º Vera Dias (COA) 49.11
20º Isabel Fagundes (CA Madeira) 49.29

Para mais informações consulte
http://www.clubepracasarmada.pt/CNA'09/Apresentacao.htm.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

CAMPEONATO NACIONAL ABSOLUTO 2009: O QUE PODEMOS ESPERAR?


Diogo Miguel e Maria Sá? Tiago Romão e Raquel Costa? Marco Póvoa e Patrícia Casalinho?... Vamos ter de aguardar pelo final da manhã do próximo domingo para sabermos quem serão os novos Campeões Nacionais Absolutos de Orientação Pedestre. Mas este fim-de-semana encerra um punhado de outros aliciantes, o maior dos quais é certificar em definitivo os vencedores da Taça de Portugal 2008 / 2009.

No culminar da temporada nacional de Orientação Pedestre 2008 / 2009, está aí o Campeonato Nacional Absoluto a despertar paixões e a prometer autênticos duelos de gigantes e de desfecho imprevisível. O evento consta duma prova de Distância Média, no sábado a partir das 15h00, com esse enorme aliciante de apurar os 60 atletas elegíveis que disputarão a Final A e o tão almejado título absoluto. Esta terá lugar no domingo, a partir das 9h00, numa prova de Distância Longa e com essa particularidade de se encontrar subdividida em duas no sector masculino - duas finais A (?) -, ambas com igual distância e número de pontos de controlo, mas com desníveis diferentes. Uma situação que levanta naturais dúvidas e para a qual o Regulamento é omisso.

Quem irá ganhar?

Confusões à parte, que resultado poderemos obter desta luta titânica pelo título absoluto? Com Tiago Aires (GafanhOri) fora da corrida, Tiago Romão (COC) afigura-se como o mais forte candidato. Vai ter, porém, de estar na Landeira ao seu melhor nível se quiser renovar o título de Campeão Nacional Absoluto alcançado na Pedra Bela, em finais de Maio do ano transacto. É que pela frente irá encontrar nomes como os de Diogo Miguel e Jorge Fortunato (ambos do Ori-Estarreja), Miguel Silva (CPOC) - o homem que “arrasou” nos Nacionais de Sprint e Distância Média -, Marco Póvoa (ADFA) e ainda essa verdadeira “caixinha de surpresas” que dá pelo nome de David Sayanda (Ori-Estarreja), todos eles capazes do melhor em terras alentejanas.

No sector feminino está gerada uma enorme expectativa em torno da reedição desse duelo antigo entre Raquel Costa (GafanhOri) e Maria Sá (GD4C) e que teve o seu ponto alto na edição de 2008. O trio de jovens atletas do COC – Patrícia Casalinho, Andreia Silva e Catarina Ruivo –, porém, tem uma forte palavra a dizer, tal como outro trio bem especial e bem mais jovem ainda, constituído por Mariana Moreira (CPOC), Joana Costa (GD4C) e Ana Coradinho (GafanhOri).

O título colectivo também se joga

Um capítulo muito especial desta edição dos Campeonatos vai dedicado por inteiro ao título colectivo absoluto. O COC é o grande favorito no sector masculino, querendo afirmar a sua hegemonia ao longo da época e que faz dele o virtual vencedor do ‘ranking’ nacional de clubes. Com seis atletas nos treze primeiros lugares do ‘ranking’ individual de Elite (contam para o título colectivo absoluto os primeiros cinco atletas), a turma leiriense dificilmente deixará escapar o troféu.

Quanto às senhoras, as contas são mais complicadas de fazer mas também aqui o COC parece levar vantagem, já que às já referidas Patrícia Casalinho, Andreia Silva e Catarina Ruivo se junta a qualidade e experiência das suas estrelas veteranas, Anabela Vieito, Palmira João e Luísa Mateus. A grande expectativa vai para a resposta que o GafanhOri poderá dar, se a Raquel Costa juntarmos os nomes de Ana Coradinho e Lena Coradinho, Rita Rodrigues, Inês Pinto e Ana Salgado. O GD4C tem igualmente uma palavra a dizer, apesar de aparentemente lhe faltar um quinto elemento suficientemente forte. Tudo em aberto, pois!

Tiago, Diogo ou… Tiago?

Um outro grande aliciante destes Campeonatos reside em saber quem conquistará em definitivo a vitória na Taça de Portugal, sendo certo que já há virtuais vencedores em mais de metade dos escalões. É o caso de Raquel Costa (GafanhOri) na Elite feminina, embora as coisas sejam algo diferentes na Elite Masculina. É que a Final A de domingo encerra uma ‘nuance’ que pode fazer toda a diferença, já que confere ao vencedor 120 pontos, ao contrário dos 100 pontos das restantes provas da Taça de Portugal. Daí que os 1442 pontos actuais de Tiago Aires não lhe garantam a vitória. Se Tiago Romão vencer em ambos os percursos, somará 1458,6 pontos enquanto o mesmo desiderato alcançado por Diogo Miguel confere-lhe um total final de 1455,1 pontos. E qualquer um deles poderá até nem ser obrigado a triunfar e, ainda assim, levar de vencida o ‘ranking’ da Taça de Portugal 2008 / 2009.

Contas destas não são fáceis de fazer e apenas vêm demonstrar que afinal o Futebol não tem o exclusivo das matemáticas complicadas. E que dizer do escalão H21A, que promove os cinco primeiros classificados aos escalão de Elite e onde 7,1 pontos apenas separam o quinto do nono classificado? Ou do ‘ranking’ no escalão D17 discutido palmo-a-palmo por Vera Alvarez (CPOC) e Rita Rodrigues (GafanhOri), separadas por escassos 12,8 pontos?

Mas há mais! No escalão H17, Rafael Miguel (Ori-Estarreja) ainda sente a ameaça de Luís Silva (ADFA), separados que estão por apenas 18,2 pontos, o mesmo acontecendo com David Sayanda (Ori-Estarreja) e Manuel Horta (GafanhOri), com a vantagem do nortenho a cifrar-se em 22,5 pontos. Vitor Delgado (GD4C) terá uma tarefa muito complicada para anular a desvantagem de 31,0 pontos relativamente a Mário Duarte (ADFA), no escalão H40, o mesmo acontecendo em D45, com Luísa Mateus (COC) a necessitar de 23,4 pontos para igualar Helena Lopes (CIMO). E a luta pelos lugares secundários é tanta ou maior ainda. Enfim, tudo bons motivos para acompanhar de perto estes Nacionais Absolutos e, a poucas horas do grande evento, formular o maior de todos os desejos: Que vença o melhor!

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

VENHA CONHECER... ISABEL MONTEIRO


Chamo-me… Maria ISABEL Pereira António MONTEIRO
Nasci no dia… 25 de Março de 1958, em Caranguejeira (Leiria)
Vivo… em Leiria
A minha profissão é… Bancária
O meu clube… COC – Clube de Orientação do Centro
Pratico orientação desde… 1998

Na Orientação…

A Orientação é… um desporto maravilhoso!
Para praticá-la basta… andar um bocadinho, ter espírito de aventura e querer ver coisas diferentes!
A dificuldade maior é… orientarmo-nos quando estamos perdidos!
A minha estreia foi… no Pinhal de Leiria!
A maior alegria… a primeira vez que fui Campeã Nacional no escalão D40!
A tremenda desilusão… talvez um “mp” no último NAOM!
Um grande receio… magoar-me num sítio onde não passe ninguém!
O meu clube… é uma segunda família!
Competir… diz-me menos do que já disse em tempos!
A minha maior ambição… reformar-me e passar o Verão a fazer Orientação por essa Europa fora!

… como na Vida!

Dizem que sou… forreta!
O meu grande defeito é… enervar-me com alguma facilidade e por vezes dizer o que não devo!
A minha maior virtude… capacidade de trabalho!
Como vejo o mundo… com algum pessimismo em termos económicos!
O grande problema social… a distribuição da riqueza!
Um sonho… ver a minha filha formada, as mentalidades das pessoas mudadas para que terminassem as desigualdades e alguém a suceder-me em termos de trabalho no clube!
Um pesadelo… um ente-querido não estar comigo!
Um livro… “Equador”!
Um filme… “A Cor Púrpura”!
Na ilha deserta não dispensava… um amigo!

Na próxima semana venha conhecer Rui Mora.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

quinta-feira, 28 de maio de 2009

PELO BURACO DA FECHADURA...


O fim-de-semana aproxima-se a passos largos e, com ele, o Campeonato Nacional Absoluto 2009. Com a ajuda de Carlos Cardoso, o Director da Prova, espreitamos pelo buraco da fechadura esta que é a derradeira prova da Taça de Portugal 2008 / 2009 e a última grande final da temporada.

O Campeonato Nacional Absoluto de Orientação Pedestre 2009 irá decorrer em Landeira, Vendas Novas, nos dias 30 e 31 de Maio. Trata-se da 7.ª edição da prova anual que visa atribuir o mais importante título competitivo nacional no final de cada época desportiva e é uma prova pontuável para o 'ranking' da Taça de Portugal de Orientação Pedestre 2008 / 2009.

Em terreno apresentado como sendo predominantemente do tipo montado, em áreas com boa visibilidade, de fácil corrida e com algum relevo, o primeiro dia constará de uma prova de Distância Média, pontuável para a Taça de Portugal e servirá também para apurar os finalistas (Final A). O segundo dia, em prova de Distância Longa, constará da Final A e percursos para todos os escalões de formação e competição. De salientar que têm acesso à final A os 60 atletas melhor classificados (elegíveis) na prova do primeiro dia.

Para nos falar disto e de muitas outras coisas, o Orientovar foi ao encontro do Clube de Praças da Armada, entidade organizadora, e conversou com o seu Presidente da Direcção, Carlos Ribeiro Cardoso, que é também o Director deste importante evento.



Orientovar - Como é que o Clube de Praças da Armada encara a responsabilidade de organizar a última grande final da temporada?

Carlos Cardoso - Sendo o maior desafio que nos foi colocado em termos de Orientação Pedestre, encaramos a Organização com uma grande responsabilidade por um lado e, por outro, vendo nela uma forma de prestigiar o Clube, os seus atletas e a sua massa associativa.

Orientovar - Quais os principais passos dados até ao momento e as dificuldades sentidas?

Carlos Cardoso - Os principais passos dados foram a elaboração dos mapas e a preparação de toda a logística para a prova, tendo sido fundamental o apoio da autarquia. As dificuldades sentidas prendem-se com o facto de não termos conseguido apoio de entidades privadas e os contratempos que nos foram aparecendo ao longo destes dois anos e tal de preparação e que foi preciso vencer.

Orientovar - Que meios estão envolvidos na Organização do evento e quais os apoios mais significativos?

Carlos Cardoso – Estão naturalmente envolvidos todos os meios logísticos necessários para colocar em funcionamento uma prova desta envergadura. Além do apoio imprescindível dos proprietários, a Câmara Municipal de Vendas Novas, a Junta de Freguesia da Landeira e o Sporting Clube da Landeira são os apoios mais significativos.

Orientovar - Do ponto de vista da competição, que atractivos encerra o Campeonato Nacional Absoluto 2008 / 2009?


Carlos Cardoso - O atractivo principal será, sem dúvida, saber-se quem é o Campeão Nacional da 7ª edição do Campeonato Nacional Absoluto entre os 60 finalistas apurados e nos moldes regulamentados para a presente época, e ao mesmo tempo contar para a Taça de Portugal.


Orientovar - À margem dos Nacionais, gostaria de detalhar outros motivos de interesse que façam as pessoas rumar a Vendas Novas?

Carlos Cardoso - Bem, a prova é no concelho de Vendas Novas, mas o centro de eventos irá decorrer na Freguesia de Landeira. Além da própria freguesia ser um atractivo para os atletas passarem um final de Sábado, uma noite com musica ao vivo e uma manhã de Domingo em actividade, terão a possibilidade de desfrutar de dois mapas de boa qualidade para a prática de Orientação.


Orientovar - Pedia-lhe que partilhasse connosco o seu maior desejo?

Carlos Cardoso - O maior desejo de toda a equipa que vem trabalhando neste projecto é, sem dúvida, que a prova corra bem e que os atletas, no domingo à tarde, saiam satisfeitas da ultima prova do Campeonato, com vontade de voltar à Landeira e de participarem numa próxima prova a ser organizada por nós.

Para mais informações consulte a página oficial da prova em
http://www.clubepracasarmada.pt/cpa_orientacao.htm.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

"CRÓNICAS - NORTE ALENTEJANO O'MEETING" COM APRESENTAÇÃO PÚBLICA NA FEIRA DO LIVRO DE NISA


Terá lugar na próxima terça-feira, pelas 17h00, na Biblioteca Municipal de Nisa, a apresentação do livro “Crónicas – Norte Alentejano O’Meeting 2007 2008”.

Integrado na Feira do Livro de Nisa, a decorrer de 29 de Maio a 2 de Junho, a iniciativa tem a assinatura conjunta da Câmara Municipal de Nisa e da Biblioteca Municipal de Nisa e encerra mais uma oportunidade de divulgação da nossa modalidade, contextualizando-a nessa realidade ambiental e paisagística de característica únicas que é o Norte Alentejano.

Entretanto aqui fica o Programa da Feira do Livro de Nisa.



PROGRAMA:

29 Maio - 6ª feira


10h00 Praça da República
Abertura do certame
18h00 Biblioteca Municipal

Apresentação e lançamento do “Jornal de Nisa”
21h30 Praça da República

Actuação da Banda da Sociedade Musical Nisense

30 Maio – Sábado


17h00 Biblioteca Municipal
Apresentação do livro “Marvão - à mesa com a tradição” de Adelaide Martins, Emília Mena e Teresa Simão
21h30 Praça da Republica Espectáculo “Show de Estrelas” Org.: Inijovem

31 Maio – Domingo


17h00 Biblioteca Municipal
Lançamento do “Livro de linhagens da Vila de Nisa: um mapa de identidade” de Filipe Manuel Louro Carita e João Maria Melato Carita

1 Junho - 2ª feira

Dia Mundial da Criança

9h00 Praça da Republica / Cine-Teatro de Nisa
Actividades lúdicas (Atelier Kids´Athletics, Animação de Rua, Orientação, visita à Feira, oferta de livros, Teatro)
21h30 Praça da Republica

Actuação da Filarmonisa

2 Junho - 3ª feira


17h00 Biblioteca Municipal
Apresentação do livro “Crónicas - Norte Alentejano O´Meeting” de Joaquim Margarido

Um livro é um amigo. Compareça!

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

CAMPEONATOS NACIONAIS ABSOLUTOS: RESENHA HISTÓRICA


2003 - O PRIMEIRO ABSOLUTO

O primeiro Campeonato Nacional Absoluto teve lugar em Cabeceiras de Basto, nos dias 28 e 29 de Junho de 2003. Organizado pela Federação Portuguesa de Orientação, o evento apresentou um figurino algo diferente do existente hoje em dia, com uma prova de Distância Média e uma prova de Distância Longa, apurando-se o resultado final pelo somatório de pontos de ambas as provas.

Depois de, na temporada anterior, ter quebrado a hegemonia de Joaquim Sousa (COC), Marco Póvoa (ADFA) fez da época de 2002 / 2003 um tempo de afirmação, renovando a vitória na Taça de Portugal, alcançando os títulos de Sprint e de Distância Média e sagrando-se o primeiro Campeão Nacional Absoluto. Atrás de si ficou o seu companheiro de equipa, Daniel Pires, um atleta algo afastado das grandes lides, depois de ter sido o vencedor, cinco anos antes, da Taça de Portugal. Nos lugares cimeiros é possível perceber ainda os nomes de dois jovem atletas - Tiago Aires (CPOC), em 4º lugar e Pedro Nogueira (ADFA), na 6ª posição -, a imiscuírem-se entre a elite e a marcarem já uma posição de destaque que se viria a acentuar nos anos seguintes.

No sector feminino, Raquel Costa (CDCE) brilhou ao mais alto nível num ano em que o seu escalão natural era ainda o de D20. A jovem atleta juntou às vitórias na Taça de Portugal e nos Campeonatos Nacionais de Sprint e de Distância Ultra-Longa, o saboroso título de Campeã Nacional Absoluta, impondo-se claramente a duas atletas conceituadas, Maria Amador (aeGIST) e Carla Freitas (LgAc).

Resultados

Masculinos (41 atletas)


1º Marco Póvoa (ADFA)
2º Daniel Pires (ADFA)
3º João Pedro Valente (CPOC)
4º Tiago Aires (CPOC)
5º João Santos (GD4C)
6º Pedro Nogueira (ADFA)
7º Luís Sérgio (A Comandos)
8º Joaquim Sousa (COC)
9º Santos Sousa (SC Caldas)
10º Manuel Luís (CP Armada)

Femininos (18 atletas)

1º Raquel Costa (CDCE)
2º Maria Amador (aeGIST)
3º Carla Freitas (LgAc)
4º Ana Raquel (COC)
5º Sónia Figueira (AA Mafra)
6º Susana Pontes (CPOC)
7º Anabela Vieito (COC)
8º Céu Costa (GD4C)
9º Isabel Monteiro (COC)
10º Cristina Santos (AA Mafra)


2004 – O “BIS” DE MARCO PÓVOA

S. Bartolomeu do Outeiro (Portel) recebeu, a 26 e 27 de Junho, a segunda edição dos Nacionais Absolutos. No primeiro dia de provas disputaram-se as séries de apuramento, com a final a ter lugar no domingo, sob um sol impiedoso e uma temperatura que se abeirou dos 40ºC. Num ano em que venceu tudo o que havia para vencer, à excepção do título nacional de Distância Ultra-Longa, Marco Póvoa repetiu a vitória da edição inaugural, seguido de João Pedro Valente (CPOC) e do seu grande rival, Joaquim Sousa (COC).

No sector feminino, Maria Sá (GD4C) fez história, alcançando o título absoluto ainda em idade júnior, escalão onde exerceu total domínio. Raquel Costa e Susana Pontes, ambas do CPOC, secundaram a atleta nortenha, enquanto a grande figura da temporada e vencedora da Taça de Portugal, Maria Amador (aeGIST) não foi além do quarto lugar.

Resultados

Masculinos (51 atletas)


1º Marco Póvoa (ADFA)
2º João Pedro Valente (CPOC)
3º Joaquim Sousa (COC)
4º Tiago Aires (CPOC)
5º Santos Sousa (SC Caldas)
6º Pedro Nogueira (ADFA)
7º Paulo Alípio (aeGIST)
8º Marco Martins (aeGIST)
9º Sérgio Caldeira (ADFA)
10º Pedro Duarte (COC)

Femininos (19 atletas)

1º Maria Sá (GD4C)
2º Raquel Costa (CPOC)
6º Susana Pontes (CPOC)
2º Maria Amador (aeGIST)
5º Lídia Magalhães (ADFA)
6º Carla Freitas (LgAc)
7º Anabela Vieito (COC)
8º Helena Tiago (aeGIST)
9º Alice Silva (aeGIST)


2005 – A QUENTE JORNADA DE ELVAS

Elvas recebeu, no primeiro fim-de-semana de Julho, o Campeonato Nacional Absoluto 2005. O evento ficou marcado pela demissão em bloco da Direcção da Federação Portuguesa de Orientação, no primeiro mandato de Augusto Almeida, manifestando dessa forma o seu veemente protesto face àquilo que consideravam uma atitude discriminatória por parte do Instituto do Desporto de Portugal na atribuição de subsídios.

À margem do conflito, no campo meramente desportivo, Marco Póvoa (ADFA) alcançou o título pela terceira vez consecutiva, impondo-se desta feita a Santos Sousa, também da ADFA, um atleta que dominou a temporada… mas no escalão de Veteranos. Outra grande figura destes Campeonatos foi o júnior Alexandre Alvarez (CPOC), aqui a alcançar um brilhante 5º lugar face a nomes bem mais sonantes. Joaquim Sousa (COC) e Tiago Aires (CPOC) voltaram a alcançar um lugar cimeiro sem, contudo, chegarem ao topo.

Quanto às senhoras, depois de Raquel Costa e de Maria Sá, Lídia Magalhães (ADFA) tornou-se na terceira atleta a tomar posse do “trono absoluto”. Lídia Magalhães conquistava aqui o primeiro grande título da sua carreira, encerrando da melhor forma uma época que prenunciava outros e maiores feitos (a atleta viria a vencer a Taça de Portugal na temporada seguinte). Patrícia Casalinho (COC), tal como Alexandre Alvarez ainda em idade júnior, esteve igualmente ao mais alto nível e ocupou aqui um notável segundo lugar, à frente das consagradas Raquel Costa (CPOC) e Maria Amador (aeGIST). A última grande referência vai para a juvenil Andreia Silva (ACARF), outro grande nome da elite feminina actual, a alcançar em Elvas um brilhante 6º lugar.

Resultados

Masculinos (60 atletas)


1º Marco Póvoa (ADFA)
2º Santos Sousa (ADFA)
3º Joaquim Sousa (COC)
4º Tiago Aires (CPOC)
5º Alexandre Alvarez (CPOC)
6º João Casal (GD4C)
7º Luís Sérgio (aeGIST)
8º João Pedro Valente (CPOC)
9º Miguel Morais (CPOC)
10º António Fernandes (Orimarão)

Femininos (55 atletas)

1º Lídia Magalhães (ADFA)
2º Patrícia Casalinho (COC)
3º Raquel Costa (CPOC)
4º Maria Amador (aeGIST)
5º Andreia Silva (ACARF)
6º Susana Pontes (CPOC)
7º Cristina Costa (aeGIST)
8º Maria Palmira (COC)
9º Anabela Vieito (COC)
10º Céu Costa (GD4C)


2006 – QUANDO A IDADE É UM POSTO

Tanto porfiou que acabou mesmo por chegar ao título nacional absoluto. Aos 42 anos de idade, Santos Sousa (ADFA) relegou para o segundo lugar o tri-campeão em título, Marco Póvoa (ADFA), alcançando o galardão com inteiro mérito e encerrando da melhor forma uma temporada onde nem esteve particularmente feliz. Disputados na Tocha a 20 e 21 de Maio, os Campeonatos foram organizados pelo clube Ori-Estarreja, encerrando ainda uma enorme surpresa no escalão masculino que deu pelo nome de Jorge Fortunato. Fruto do notável trabalho desenvolvido ao nível do Desporto Escolar na Península de Setúbal, o atleta das Lebres do Sado, ainda em idade de juvenil, fez vincar o seu valor e alcançou um brilhante terceiro lugar à frente de nomes bem conceituados como os de Pedro Nogueira (16º) ou Joaquim Sousa (18º) ou doutras jovens estrelas em ascensão, casos de Alexandre Alvarez (14º), Diogo Miguel (11º) ou Tiago Romão (17º).

A vitória de Maria Sá no sector feminino, conferiu à atleta do GD4C o seu segundo título nacional absoluto. Com Raquel Costa ausente dos Campeonatos, Maria Sá teve na anterior campeã, Lídia Magalhães (ADFA) e em Susana Pontes (CPOC), respectivamente segunda e terceira classificadas, as suas principais adversárias. Uma referência muito especial para Mariana Moreira (CPOC) que, aos 14 anos de idade, se tornou na mais jovem atleta de sempre a ocupar um lugar entre as dez primeiras classificadas.

Resultados

Masculinos (60 atletas)


1º Santos Sousa (ADFA)
2º Marco Póvoa (ADFA)
3º Jorge Fortunato (Lebres do Sado)
4º Soares dos Reis (ADFA)
5º Miguel Morais (CPOC)
6º Pedro Duarte (COC)
7º Tiago Aires (CPOC)
8º Albano João (COC)
9º João Casal (GD4C)
10º Paulo Franco (AA Mafra)

Femininos (59 atletas)

1º Maria Sá (GD4C)
2º Lídia Magalhães (ADFA)
3º Susana Pontes (CPOC)
4º Emília Silveira (ADFA)
5º Anabela Vieito (COC)
6º Patrícia Casalinho (COC)
7º Sandra Rodrigues (ADFA)
8º Andreia Silva (ACARF)
9º Catarina Ruivo (COC)
10º Mariana Moreira (CPOC)


2007 – QUATRO ANOS DEPOIS O MESMO RESULTADO

Numa organização do CAOS – Clube de Aventura e Orientação de Sintra, os Campeonatos Nacionais Absolutos da época 2006 / 2007 rumaram a Canha – Montijo. As provas tiveram lugar nos dias 5 e 6 de Maio e fizeram saltar novamente para a ribalta o nome de Marco Póvoa (ADFA), a alcançar aqui o seu quarto título absoluto em cinco possíveis. Tiago Aires (CPOC), graças ao segundo lugar, alcançou aqui o seu melhor resultado de sempre na competição, enquanto Joaquim Sousa (COC) igualou o terceiro lugar de 2004 e 2005. Santos Sousa volta a marcar presença no top-10, uma lista que integra pela primeira vez três dos mais sólidos esteios da nossa Orientação, o actual Campeão Nacional de Estafetas Tiago Romão (COC), o actual Campeão Nacional de Distância Longa Diogo Miguel (Ori-Estarreja) e o actual Campeão Nacional de Sprint e de Distância Média Miguel Silva (CPOC).

Se na época passada a vitória de Maria Sá poderá ter sido facilitada pela ausência de Raquel Costa, a verdade é que em 2007 aconteceu o contrário. Maria Sá viu-se forçada a desistir e Raquel Costa somou a sua segunda vitória na prova, igualando a eterna rival em número de títulos absolutos. Patrícia Casalinho (COC) repetiu a segunda posição de 2005 e Lídia Magalhães (ADFA) foi desta feita a terceira classificada. Nos primeiros dez lugares volta a ser possível observar duas atletas juvenis, Joana Costa e Isabel Sá (ambas do GD4C), ocupando a nona e a décima posições, respectivamente.

Resultados

Masculinos (61 atletas)


1º Marco Póvoa (ADFA)
2º Tiago Aires (CPOC)
3º Joaquim Sousa (COC)
4º Santos Sousa (ADFA)
5º Pedro Nogueira (ADFA)
6º Tiago Romão (COC)
7º Diogo Miguel (Ori-Estarreja)
8º Miguel Silva (CPOC)
9º Manuel Luís (CP Armada)
10º André Ramos (COC)

Femininos (59 atletas)


1º Raquel Costa (CPOC)
2º Patrícia Casalinho (COC)
3º Lídia Magalhães (ADFA)
4º Emília Silveira (ADFA)
5º Andreia Silva (ACARF)
6º Paula Nóbrega (Orimarão)
7º Susana Pontes (CPOC)
8º Catarina Ruivo (COC)
9º Joana Costa (GD4C)
10º Isabel Sá (GD4C)
.

2008 – OS MAIS DISPUTADOS DE SEMPRE

Integrados nessa grande festa da Orientação que são os 4 Dias do Minho, o Campeonato Nacional Absoluto 2008 teve lugar em Terras do Bouro (Gerês) nos frios e chuvosos dias 24 e 25 de Maio. A Organização esteve a cargo do .COM – Clube de Orientação do Minho, naqueles que foram os Campeonatos mais disputados até ao momento. A vitória no sector masculino coube de forma surpreendente a Tiago Romão (COC), que se torna assim no primeiro atleta em idade júnior a triunfar naquela que é, para muitos, a mais importante competição do calendário nacional. Depois do brilharete de 2006, Jorge Fortunato voltou a estar ao seu melhor nível e alcançou um precioso segundo lugar. Quanto a Tiago Aires e ao seu terceiro posto, apenas há a dizer que ainda não foi desta.

No que às senhoras diz respeito, Raquel Costa (SRSP Gafanhoeira) bateu por escassa margem Maria Sá (GD4C), desfazendo o empate em número de títulos absolutos a seu favor. Nos três lugares imediatos é possível ver, por esta ordem, Mariana Moreira (CPOC), Joana Costa (GD4C) e Ana Coradinho (SRSP Gafanhoeira), com a particularidade de todas elas serem ainda juvenis. A referência final vai para Vera Alvarez (CPOC) e para o 8º lugar alcançado com apenas 14 anos de idade, isto precisamente um mês depois de se ter sagrado Campeã Mundial de Distância Média de Desporto Escolar, em Edimburgo (Escócia).

Resultados

Masculinos (50 atletas)


1º Tiago Romão (COC)
2º Jorge Fortunato (Ori-Estarreja)
3º Tiago Aires (SRSP Gafanhoeira)
4º Diogo Miguel (Ori-Estarreja)
5º David Sayanda (Ori-Estarreja)
6º Santos Sousa (ADFA)
7º Marco Póvoa (ADFA)
7º Joaquim Sousa (COC)
9º Celso Moiteiro (COC)
10º Luís Sérgio (ATV)

Femininos (49 atletas)

1º Raquel Costa (SRSP Gafanhoeira)
2º Maria Sá (GD4C)
3º Mariana Moreira (CPOC)
4º Joana Costa (GD4C)
5º Ana Coradinho (SRSP Gafanhoeira)
6º Catarina Ruivo (COC)
7º Paula Nóbrega (Orimarão)
8º Vera Alvarez (CPOC)
9º Maria Pereira (ADFA)
10º Isabel Sá (GD4C)

[O Orientovar agradece a disponibilidade de Acácio Porta Nova no fornecimento dos resultados referentes a 2004]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

DUAS OU TRÊS COISAS QUE EU SEI DELA...


1. "Mais do que uma prova, mais do que um dia de desporto, uma grande homenagem..." É desta forma que o COAC – Coruche Outdoor Adventure Club lança o I Troféu Arménio Felismino, prova de Orientação Nocturna que terá lugar no dia 18 de Julho de 2009 e que marcará o encerramento do III Troféu Ori-Alentejo. O “site” oficial da prova acaba de ser colocado “on-line” - http://www.coaclub.com/trofeuarmenio09 - e nele se pode perceber que foi esta a forma encontrada pelo COAC para prestar uma “pequena homenagem” a Arménio Felismino [na foto, no lugar mais alto do pódio], “Homem e Desportista” nascido em 1 de Agosto de 1975 e que a crueldade e injustiça da vida separou dos vivos aos 32 anos de idade. Para além da Prova Urbana Nocturna, o programa do evento contempla ainda um passeio pedestre durante a manhã a ligar as duas freguesias onde o Arménio passou grande parte da sua vida (Erra e Lamarosa) e um jogo de futsal entre o CAD Coruche e os "Amigos do Arménio". Aceite o apelo do COAC e “venha homenagear o Arménio Felismino nas várias actividades realizadas ao longo do dia.”

2. Há alguns dias atrás, acompanhámos aqui no Orientovar a efémera participação da GLOBAZ.PT - Polisport nessa duríssima prova de Corridas de Aventura que foi o Bimbache Extrem Castilla y León 2009. Pois bem, o Bimbache chegou ao fim com a vitória da turma finlandesa da Multisport.fi, seguida dos suecos da Team Explore e dos franceses da Team Vibram Sport 2000. A acompanhar a prova esteve um observador muito especial, nem mais nem menos que o neo-zelandês Geoff Hunt, director da AR World Séries, a Liga Internacional de Corridas de Aventura. “Segui o Bimbache durante toda a semana e pude comprovar o bom trabalho de Antonio de la Rosa e da sua organização”, assegurou Hunt, acrescentando que “as paisagens de Castilla y León são maravilhosas e a eleição do percurso foi magnífica”. Como consequência desta excelente impressão causada pela edição 2009, Geoff Hunt e Antonio de la Rosa celebraram em Aguilar de Campoo o acordo para a realização do Campeonato do Mundo (AR World Championship) de 2010. “Falta um ano para definir os percursos e as datas exactas mas tudo faremos para que o mundo descubra os mais espectaculares lugares das terras de Castilla y León”, garantiu Antonio de la Rosa.

3. O Grupo Desportivo 4 Caminhos está de parabéns. Não é todos os dias que vemos a Orientação ser falada na imprensa, mas a verdade é que a popular colectividade da Senhora da Hora foi “assunto de notícia”, na passada sexta-feira, do caderno “Região Norte” do Jornal A Bola. Da autoria de Cynthia Valente, a Reportagem a quatro colunas dá a conhecer um clube que “nasceu ligado ao… futsal”. Assumindo as despesas da conversa, Fernando Costa traça uma panorâmica geral sobre o seu clube, dos títulos alcançados e das particularidades da modalidade, aos estrangeiros que periodicamente representam o GD4C e ao apoio ao Desporto Escolar, passando ainda por essa interessante opinião de que “a adesão [à modalidade] no Norte é mais fraca, as pessoas do Sul são mais abertas à natureza”. O Presidente do Grupo Desportivo 4 Caminhos lamenta apenas a falta de visibilidade da modalidade em Portugal. Que seria maior ainda se não houvessem pessoas como ele, capazes de “mover montanhas” por um pedacinho de atenção – e de respeito, digo eu! – para com a Orientação.

4. Quinze modalidades e quase dois mil e quinhentos participantes, oriundos de estabelecimentos de ensino de todo o País. Tais foram os números dos Campeonatos Nacionais de Desporto Escolar que decorreram em Setúbal, no passado fim-de-semana. À enorme energia e entrega, souberam acrescentar os jovens o indispensável “fair-play” que a todos uniu na máxima “mens sana in corpore sano” (“alma sã em corpo são”). O Orientovar não pode deixar de relevar aqui tão extraordinários momentos, enviando uma saudação muito especial a todos estes jovens, sem excepção, e a eles atribuindo, com profunda emoção, o Louvor da Semana!

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

terça-feira, 26 de maio de 2009

OS VERDES ANOS: INÊS CATALÃO


Olá!

Chamo-me Inês Isabel Mariano Catalão, tenho 13 anos e frequento o 8º Ano na EB 2,3 Cunha Rivara (Arraiolos).

A minha estreia... Foi no Jardim Publico de Vendas Novas que tive o primeiro contacto com a modalidade, no ano de 2005, através das “Escolas e Escolinhas de Desporto de São Pedro da Gafanhoeira”. Comecei por fazer algumas provas Regionais, mas só em 2007 comecei a ganhar o gosto pela modalidade, quando fui ao meu primeiro estágio, o Ori-Jovem, em Vendas Novas.

O meu clube... Em 2007 federei-me pelo SRSP Gafanhoeira, que mais tarde passou a ser Gafanhori, clube no qual pretendo continuar por muitos anos.

Os meus treinos... Actualmente sou treinada pelo Tiago Aires e pela Raquel Costa, que me motivam muito a todos os níveis, técnicos, físicos e… escolares!!! Treino fisicamente às terças e quintas-feiras e tecnicamente às quartas.

Campeonato do Mundo de Desporto Escolar de Orientação... Foi a minha primeira experiência, e adorei!!! Achei espectacular todo aquele ambiente. Havia pessoas com quem nunca tinha falado e, com o passar dos dias - poucos dias! -, parecia que já nos conhecíamos há imenso tempo. Estávamos todos super unidos, desde os mais novos aos mais velhos. E todos com um objectivo comum de fazer historia!

Em relação a mim... Antes de ir para o Campeonato do Mundo, sempre pensei conseguir melhor resultado na Distância Longa do que na Distância Média. O meu grande objectivo para a Longa era ficar nos 10 primeiros, mas tanto eu como o Tiago Aires tinhamos a noção que iria ser muito difícil devido à minha lesão. Depois da prova de Distância Longa me ter corrido muito mal e não ter conseguido ir para além do 21º lugar, pensei que não iria conseguir nada este ano.

Afinal… No dia da Distância Média estava um pouco menos nervosa, não tinha tantas expectativas e, antes da prova, eu e o Professor Daniel Pó tinhamos feito um exercício de concentração que na minha opinião ajudou bastante. Mas mesmo os poucos nervos que tinha, depois de pegar no mapa, desapareceram! A prova foi quase perfeita, tanto a nível técnico como a nível físico. No final cometi algumas hesitações, mas nada de muito grave. Quando cheguei ao Sprint final estavam todos a puxar muito por mim, mas eu não estava a perceber muito bem o que se estava a passar. Só depois de ter chegado à meta é que percebi que tinha feito a “prova da minha vida”, quando o Tiago Aires e as colegas da minha equipa vieram ter comigo todos contentes, e me disseram que eu estava em 2º lugar com muita vantagem sobre o 3º. Eu nem queria acreditar!!! E só acreditei quando subi ao pódio, já que os resultados não foram actualizados antes da entrega de prémios e na última actualização ainda só estavam afixados cerca de metade das atletas.

Objectivos para o futuro... De momento estou focada em ser apurada para o EYOC, caso consiga, depois lá veremos. No EYOC, isso sim, não vai ser nada fácil!!!

Inês Catalão

.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

I OPEN DE ORI-BTT AMIGOS DA MONTANHA: DAVIDE MACHADO LEVA A MELHOR EM PALME


Apostando na divulgação de um desporto que procura ir ao encontro dos amantes da Orientação e da BTT, a Secção de Orientação dos Amigos da Montanha levou a cabo, na manhã de ontem, o seu I Open de Orientação em BTT.

Comentando para o Orientovar as incidências duma jornada pioneira para a popular colectividade de Barcelinhos, Adélio Gouveia começa… pelo princípio: “Os ponteiros marcavam as 9h00 quando os cerca de 50 participantes se começaram a concentrar no Largo da Capela do Senhor dos Aflitos, em Palme – Barcelos. Nesta altura os elementos da organização ultimavam preparativos, conferindo as inscrições, finalizando o local das partidas e local das chegadas, testando os percursos ou entregando a todos uma pequena lembrança, no caso concreto um galinho de Barcelos.” Pois claro! Até que, “às 10 horas tudo estava pronto para a partidas dos primeiros atletas, com uma montanha de aventuras em plena natureza à sua frente por descobrir.”

A prova desenrolou-se numa zona de floresta, com os participantes distribuídos por dois escalões apenas - OPT2 e OPT3. Lembrando que estavam igualmente previstos percursos para os escalões de Iniciação e OPT1, Adélio Gouveia referiu que os mesmos “foram postos de parte por serem muito fáceis”. Os atletas tiveram oportunidade de pôr à prova as suas qualidades e capacidades técnicas e físicas, descobrindo os respectivos pontos de controlo no seio dum espaço natural de grande beleza.

.

No escalão mais exigente, a vitória sorriu com toda a naturalidade a Davide Machado. O atleta do .COM – Clube de Orientação do Minho, uma das grandes revelações da época orientista nacional (Pedestre e BTT), gastou 1.02.34 a concluir o seu percurso, deixando o segundo classificado, Guilherme Martins (Às 11 no Farol) a distantes 29.28. Rui Silva e Jorge Fernandes, igualmente do .COM, concluíram nas posições imediatas com os tempos de 1.33.04 e 1.40.00, respectivamente. No escalão de OPT 2 venceu a dupla Miguel Novais / Paulo Félix (Individual), com um registo de 1.14.16.

No final, Adélio Gouveia era um homem feliz: “Todos foram unânimes em classificar este dia com um excelente momento de aventura e em incentivar os responsáveis dos Amigos da Montanha a prosseguir com a organização deste tipo de provas”.

[fotos gentilmente cedidas por Adélio Gouveia. Veja a Reportagem Fotográfica completa AQUI
]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

domingo, 24 de maio de 2009

IV OPEN DE ORIENTAÇÃO DO ATV: RUI BOTÃO E SUSANA PONTES TRIUNFAM EM TORRES VEDRAS


Centro de uma intensa vida comercial e industrial que a torna um dos pólos mais modernos e importantes do Oeste, Torres Vedras recebeu este fim-de-semana o IV Open de Orientação do ATV.

Da luminosa Quinta das Lapas aos escuros recantos do Castelo medieval e terminando com uma correria louca pelo centro do vizinho concelho da Lourinhã, tal foi, resumidamente, o roteiro proposto pelo Académico de Torres Vedras aos quase duzentos participantes no seu IV Open de Orientação. Prova Regional Sul de Orientação pedestre a contar para a Taça da Federação Portuguesa de Orientação, o evento distribui-se por três atractivas etapas, com um programa aliciante que procurou juntar à vertente desportiva, aspectos eminentemente culturais e sociais. Pena foi o baixo índice de participação – apenas 64 atletas nos escalões de competição -, com a organização a ser fortemente penalizada pela realização em simultâneo dos Nacionais de Orientação de Desporto Escolar e dos Campeonatos Universitários, ali bem próximo, em Setúbal.

Um sábado bem recheado

Monte Redondo assistiu ao início do evento, com a primeira etapa a terminar na Quinta das Lapas, uma das mais belas da Região e cujo conjunto de casas e jardins representa um dos exemplos mais significativos da arquitectura civil barroca, inspirada em modelos eruditos do renascimento italiano. Rui Botão e Susana Pontes, ambos do CPOC, foram os vencedores no escalão de Seniores M/F A enquanto Fidel Conde (COC) e Joana Moutela (Ori-Estarreja) triunfaram em Seniores M/F B. Nos escalões de Veteranos I, vitórias de Bruno Silva (ADFA) e Erminia Farenfield (CAOS), enquanto Mário Marques (COA) e Helena Lopes (CIMO) triunfaram em Veteranos II e Manuel Dias (Individual) levou de vencida o escalão de Veteranos III.

Com um prenúncio de trovoada no horizonte, a prova nocturna levou os orientistas até ao castelo setecentista, com a Torre de Menagem a servir de ponto alto. Numa mapa muito técnico e a exigir redobradas atenções, Rui Botão e Susana Pontes repetiram os triunfos da etapa da manhã, o mesmo sucedendo com Bruno Silva e Mário Marques nos escalões respectivos. Nuno José Almeida (COALA) e Sílvia Delgado (CP Telecom) foram desta feita os vencedores em Seniores M/F B. Alexandra Coelho (CPOC) triunfou em Veteranos Femininos I, Ana Carreira (Individual) venceu em Veteranos Femininos II e Acácio Porta Nova (Individual) foi desta feita o vencedor em Veteranos Masculinos III.

Triunfos para todos os gostos

Tudo em aberto para a derradeira prova, na manhã de hoje, na Lourinhã. Partida simultânea, três mapas distintos para um mesmo percurso, naquilo que a organização definiu como “estafeta de um atleta”, a etapa foi um estrondoso divertimento, tão do agrado de todos. Rui Botão e Susana Pontes voltaram a levar a melhor sobre a concorrência e sagraram-se naturais vencedores deste IV Open de Orientação do ATV. Também Nuno José Almeida e Sílvia Delgado repetiram as vitórias da véspera à noite no que aos Seniores M/F B diz respeito, levando de vencida o Troféu.

Nos escalões de Veteranos também não houve grandes surpresas. Bruno Silva fez jus ao ditado de que “não há duas sem três”, triunfando em Veteranos Masculinos I. As vitórias de Alexandra Coelho e de Ana Carreira, nos respectivos escalões, permitiu-lhes a subida ao lugar mais alto do pódio nesta etapa e no Troféu. Mário Santos (COC) foi o vencedor em Veteranos Masculinos II, mas Mário Marques granjeou os pontos necessários e suficientes para se “abotoar” com o Troféu. Finalmente, em Veteranos Masculinos III, Manuel Dias (Individual) repetiu o triunfo da primeira etapa, embora o triunfo no Troféu tenha ido parar à posse de Jorge Santos (CP Telecom). Uma última referência para as vitórias neste IV Open de Orientação do ATV para Pedro Bilé (CIMO) e Ana Mineiro (CPOC) em Infantis, para Inês Mineiro (CPOC) em Juvenis e para José Pedro Morais (Individual) e Lucinda Valente (Ori-Estarreja) em Veteranos M/F B. Colectivamente triunfou o CPOC com 1986,2 pontos, com larga vantagem sobre o CAOS (1121,9 pontos) e o Ori-Estarreja (612,1 pontos), respectivamente segundo e terceiro classificados.

Consulte os Resultados Completos em
http://www.atv.pt/eventos/pagina/?eid=358&id=83 e veja as fotos do segundo dia de provas na Lourinhã em http://www.flickr.com/photos/claudiotereso/sets/72157618709173879/detail/.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

CAMPEONATOS NACIONAIS DE ORIENTAÇÃO DE DESPORTO ESCOLAR: FESTA PARA TODOS!


Foi em ambiente de grande festa e animação que chegaram ao fim os Campeonatos Nacionais de Orientação de Desporto Escolar 2009. Um evento que assinalou a consagração de Vera Alvarez, João Cascalho, Mariana Moreira e Pedro Silva como os novos Campeões Nacionais. Colectivamente, assistiu-se ao natural dominio da arraiolense EB 2,3 Cunha Rivara.

Foram em número de 108 os atletas que marcaram presença nos campeonatos Nacionais de Orientação de Desporto Escolar, que tiveram lugar em Setúbal ao longo do fim-de-semana. Organizados pelo Gabinete Coordenador do Desporto Escolar da Direcção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular, através da Direcções Regionais de Educação do Centro e de Lisboa e Vale do Tejo e da Equipas de Apoio às Escolas de Coimbra e da Península de Setúbal Sul, os Nacionais de Orientação contaram ainda com o indispensável apoio da Federação Portuguesa de Orientação, GDU Azóia e Herdade da Gambia.

Divididos em quatro escalões (Iniciados e Juvenis, masculinos e femininos), os participantes disputaram duas provas de Distância Média na Herdade da Gambia, sendo o resultado final apurado através do somatório das pontuações obtidas nas referidas provas. E aquilo que se pode constatar é que luta, emoção e incerteza quanto aos vencedores mesmo até ao cair do pano foram uma constante, evidenciando o equilíbrio e a enorme qualidade dos valores em presença.

Vera Alvarez e João Cascalho triunfam em Iniciados

Começando pelo escalão de Iniciados Femininos, foi sem surpresa que percebemos nos dois primeiros lugares do pódio os nomes de Vera Alvarez (EB 2,3 Sarrazola) e de Inês Catalão (EB 2,3 Cunha Rivara), respectivamente. Vera Alvarez impôs-se em ambos os dias, enquanto Inês Catalão teve de lutar denodadamente para conservar o segundo lugar trazido da prova de sábado, face à ameaça constante de Inês Domingues (DREC) e das suas duas colegas da Cunha Rivara, Teresa Maneta e Ana Anjos. Colectivamente a vitória coube com naturalidade à EB 2,3 Cunha Rivara, seguida da EB 2,3 Sarrazola e da ES Pinhal Novo.

Quanto aos Iniciados Masculinos, João Cascalho (EB 2,3 Cunha Rivara) foi um muito aclamado vencedor. O atleta alentejano pode uma vez mais evidenciar as suas enormes qualidades, alcançando um moralizador triunfo face a nomes tão significativos como os de Miguel Ferreira (ES Palmela), Marcelo Aguiar (Ori-Estarreja) e João Salgado (EB 2,3 Cunha Rivara), que o secundaram por esta ordem, ou de Luís Silva (ES Pinhal Novo), vencedor da prova do segundo dia mas atirado para o 19º lugar devido a um “mp” na ronda inaugural. A EB 2,3 Cunha Rivara voltou a triunfar colectivamente, seguida da ES Palmela e da ERD “A Ribeirinha”.

.

Mariana Moreira e Pedro Silva levam a melhor em Juvenis

Passando aos Juvenis Femininos, confirmou-se a tão esperada luta pela vitória, com Joana Costa (ERD “A Ribeirinha”), Ana Coradinho e Inês Pinto (ambas da EB 2,3 Cunha Rivara) e Mariana Moreira (ES Santa Maria) a evidenciaram todo o seu valor. Começou melhor a atleta nortenha, vencendo a prova de sábado, mas Mariana Moreira soube dar a volta ao resultado, alcançando um triunfo com tanto de sofrido como de saboroso. O quarto lugar de Joana Costa na prova de hoje fez com que a atleta se visse ainda ultrapassada na classificação por Ana Coradinho, ficando todavia à frente de Inês Pinto e de Isabel Sá (ERD “A Ribeirinha”), que ocuparam as quarta e quinta posições, respectivamente. Colectivamente assistiu-se ao terceiro triunfo da EB 2,3 Cunha Rivara, impondo-se à ERD “A Ribeirinha” e à ES Santa Maria, respectivamente segunda e terceira classificadas.

Finalmente espreitamos o que sucedeu com os Juvenis Masculinos, onde Pedro Silva DRELVT) protagonizou o desfecho mais inesperado da jornada, impondo-se com elevado mérito aos seus mais directos adversários. Rafael Miguel (ES Estarreja) viu o quarto lugar da jornada de ontem ser-lhe fatal, não conseguindo, apesar da vitória no dia de hoje, recuperar os pontos necessários para ir além do segundo lugar. Miguel Mouco, Paulo Pereira e Ricardo Reis, todos da ES Pinhal Novo, ocuparam por esta ordem os lugares seguintes e deram à sua Escola o triunfo colectivo. ES Estarreja e EB 2,3 S. Rosendo concluíram, respectivamente, nos segundo e terceiro lugares.

Patrícia Casalinho e Tiago Romão campeões universitários


Paralelamente ao programa competitivo, tiveram lugar os Campeonatos Nacionais de Desporto Universitário, com Patrícia Casalinho (AEISCTE) a triunfar sobre Maria João Sá (UPorto) e Vanessa Henriques (ULisboa), no sector feminino. Já no sector masculino, Tiago Romão (AEFCML) foi o grande vencedor, após apertada luta com Jorge Fortunato (ULisboa), Paulo Franco (AEIST) e Miguel Reis e Silva (ULisboa), que terminaram por esta ordem nas posições imediatas.

Procurando recriar em certa medida o fantástico ambiente da Estafeta da Amizade dos Campeonatos do Mundo e promovendo o convívio entre todos, a Organização levou a cabo no Parque do Bonfim, na tarde de sábado, uma prova de Estafeta que reuniu, nas 28 equipas constituídas para o efeito, atletas e professores de diferentes estabelecimentos de ensino. A título de curiosidade, refira-se que a vitória coube à equipa formada por Henrique Silva (ERD “A Ribeirinha”), João Silva (EB 2,3 S. Rosendo), Maria Firmino (EB 2,3 Sarrazola) e Rita Rodrigues (EB 2,3 Cunha Rivara). No segundo lugar classificou-se a equipa constituída por Ágata Cerqueira (ERD “A Ribeirinha”), Daniel Catarino (DRELVT), Professor Hélder Ferreira (EB 2,3 Guilherme Stephens) e Ricardo Cordeiro (ES Palmela), enquanto na terceira posição situou-se a equipa formada pelo Professor Pinto André (EB 2,3 S. Rosendo), Nuno Lourenço (DRELVT), Inês Domingues (DREC) e João Fortuna (ES Palmela).

[Fotos gentilmente cedidas por Jorge Baltazar]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

sábado, 23 de maio de 2009

NA ORDEM DO DIA: PARA ONDE CAMINHA O COMPLEXO DESPORTIVO DO JAMOR?


O espaço público do Complexo Desportivo do Estádio Nacional, na Cruz Quebrada (Oeiras), prepara-se para ser drasticamente reduzido com a construção do Campo de Golfe do Jamor. Margarida Novo levanta a pertinente questão e avança com a intenção de se mover uma acção de embargo. Saiba tudo sobre um assunto que está, por imperativos de natureza económica, social, ambiental e moral, na Ordem do Dia.

Quando em finais de 2005 foi assinado o protocolo entre o Estado e a Federação Portuguesa de Golfe para a construção do Campo de Golfe do Jamor – um campo com 18 buracos que ocupará toda a área do antigo hipódromo e da actual pista de corta-mato -, a questão parecia pacífica. Manuel Pinho, Ministro da Economia e grande adepto do Golfe, enaltecia o cariz social, económico, turístico e ambiental do projecto, recordando o peso na economia da prática duma modalidade que, em Portugal, "gera 500 milhões de euros por ano, para além de criar um milhão de dormidas."

As intervenções a levar a cabo no Complexo Desportivo do Jamor e que incluem, para além do Campo de Golfe, um circuito de marcha e corrida circundante e a manutenção da pista de crosse, foram definidas pelo Ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira, como “perfeitamente compatíveis na requalificação de toda uma vasta zona do Jamor.” Visivelmente satisfeito com o arranque do projecto, Manuel Agrellos, presidente da Federação Portuguesa de Golfe, afinava pelo mesmo diapasão, quando afirmava: "Que fiquem descansadas as pessoas do Atletismo. Quando for necessário, o Campo de Golfe do Jamor estará disponível para a realização de outros eventos desportivos”.

“A prática do golfe é incompatível com todas as outras”

Acontece que não é bem assim. Agora que as máquinas estão no terreno, a questão salta para a Ordem do Dia ao perceber-se a dimensão do projecto e as repercussões negativas que o mesmo acarreta para quem, diariamente, usufrui daquele espaço. A denúncia parte de dois frequentadores assíduos do Complexo Desportivo do Jamor, Margarida Gonçalves Novo e Leandro Silva, ambos atletas do Clube da Natureza de Alvito, ela campeã nacional de Distância Média e de Sprint em Orientação em BTT, ele igualmente praticante de Orientação, antigo praticante de Atletismo e campeão nacional de Triatlo. Margarida Novo explica: “Este campo vai ocupar mais de um terço de todo o vale (cerca de 22 ha), cuja utilização ficará totalmente vedada, sem acesso por parte dos atletas e doutras pessoas que hoje a usam para correr, andar de bicicleta, caminhar ou simplesmente passear.” E o motivo é simples: “A prática do golfe é incompatível com todas as outras, por razões de segurança óbvias.” Desta forma, “os milhares de utilizadores diários do Estádio Nacional serão espoliados dessa enorme área em benefício de uma mão cheia de jogadores de golfe”, conclui.

Manifestando a sua natural apreensão, a atleta faz questão de frisar que “as pessoas mais idosas que aí caminham regularmente ficam com menos de metade do espaço para caminhar em terreno fácil.” Mas não é tudo: “A pista de corta-mato, estrutura permanente de reconhecida importância, vai desaparecer, sem que os milhares de pessoas que a usam fiquem com qualquer alternativa. A redução do comprimento útil das instalações do Estádio Nacional vai afectar gravemente o treino de corrida e de BTT. Entre milhares de outras pessoas, vai afectar, e muito, os atletas do Centro de Alto Rendimento que aí correm todos os dias. Também o Duatlo Jovem do Jamor, uma das maiores provas nacionais, vai ficar sem espaço útil para fazer os percursos dos escalões mais jovens.” E a finalizar: “Não se realizarão mais provas de Orientação porque o Estádio Nacional deixará de ter dimensão suficiente.”

“Totalmente inútil e ruinosa”


Em mensagem enviada ao Secretário de Estado da Juventude e Desporto, Laurentino Dias, Margarida Novo expõe estas e outras razões para contestar a construção duma estrutura que considera “totalmente inútil e ruinosa” [a este propósito, vale a pena reflectir sobre o artigo de Fernando Nunes Pedro, publicado no blogue Portugal Golf
e que pode ser lido AQUI]. Na missiva, a autora faz a seguinte observação: “Pergunta-se com certeza porque é que as federações e clubes que representam o Atletismo, o Triatlo, a BTT ou a Orientação não reagiram. Pois eu respondo-lhe: porque têm medo de perder os subsídios que lhes são atribuídos por V. Exa. e pelo IDP e porque têm medo de serem excluídos das vossas parcerias. Acontece que as federações e os clubes podem não reagir (como deveriam), mas pode ter a certeza que os atletas de todas essas modalidades estão frontalmente contra esse projecto e não lhe perdoarão se o deixar seguir para a frente.” E termina com uma exortação: “Senhor Secretário de Estado, as pessoas que usam o Estádio Nacional podem não ter voz para se fazerem ouvir porque quem as representa optou por se manter calado, mas não devem ser subestimadas.”

Margarida Novo estuda agora a possibilidade de, em conjunto com um grupo de outros utilizadores frequentes do Estádio Nacional, avançar com uma acção popular para embargar a construção do dito campo de golfe. As razões são, no seu entender, mais do que válidas: “A verdade é que este projecto vai comprometer irremediavelmente as possibilidades de treino de corrida e bicicleta de montanha em zona plana, pois o Estádio Nacional deixará de ter comprimento suficiente para o efeito, bem como os treinos e provas de corta-mato.” Mas para além do interesse público, e de razões de natureza económica - o Campo de Golfe do Jamor custará cerca de cinco milhões de euros, dois terços dos quais suportados pelo Estado -, acrescem razões de natureza ambiental: “Consideramos um atentado ao ambiente a construção de mais um campo de golfe, com tudo o que isso representa.”

Não fique indiferente

Como atleta e como cidadã, Margarida Novo não tem dúvidas: “Temos de lutar por este país, mesmo que a luta tenha de se fazer ao nível da célula mais simples da sociedade, o indivíduo.” A terminar, deixa um apelo: “Neste momento, só temos o apoio de alguns particulares, em número insuficiente para avançar com uma acção desta natureza... Se na próxima semana não conseguirmos um número razoável de aderentes, vamos ter de desistir, pelo menos desta abordagem. Por este motivo, gostaríamos de contar com a toda a ajuda possível.”

Se porventura não ficou indiferente a esta situação e sente ser seu dever denunciá-la, ajudando a inverter o rumo dos acontecimentos e contribuindo desta forma para sustentar a acção de embargo, envie a sua mensagem de apoio para o endereço
margaridagnovo@sapo.pt.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

sexta-feira, 22 de maio de 2009

O ARRANQUE DOS NACIONAIS DE DESPORTO ESCOLAR


Setúbal recebe, de hoje e até domingo, os Campeonatos Nacionais de Desporto Escolar 2009, colocando simultaneamente em prova quadros competitivos de 15 modalidades. Com duas Vice-Campeãs do Mundo em acção, a Orientação ocupa um lugar de destaque nos Campeonatos.

Actividades Rítmicas Expressivas, Andebol, Atletismo, Badminton, Basquetebol, Canoagem, Futsal, Golfe, Natação, Rugby, Ténis, Ténis de Mesa, Voleibol, Xadrez e, naturalmente, Orientação, irão pôr em acção cerca de 2300 alunos e professores de escolas de todo o País, apurados das respectivas Fases Locais e Regionais de competição. São os Campeonatos Nacionais de Desporto Escolar 2009, os quais têm a assinatura do Gabinete Coordenador do Desporto Escolar da Direcção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular, através da Direcções Regionais de Educação do Centro e de Lisboa e Vale do Tejo e da Equipas de Apoio às Escolas de Coimbra e da Península de Setúbal Sul.

No que ao Campeonato Nacional de Orientação diz respeito, este reger-se-á pelo Regulamento Geral de Provas e Regulamento Específico de Orientação emitidos pela Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular – Desporto Escolar, em conformidade com as regras oficiais da Federação Portuguesa de Orientação.

As provas terão lugar na Herdade da Gâmbia e Parque do Bonfim, em Setúbal, contando com o apoio da Federação Portuguesa de Orientação, GDU Azóia e Herdade da Gambia. Na competição, destinada ao escalão etário de Iniciados e Juvenis - masculinos e femininos, participam alunos matriculados em estabelecimentos de educação e ensino oficial e particular, aderentes ao Programa do Desporto Escolar 2007/2009, apurados nos respectivos Campeonatos Regionais. Cada equipa é constituída por 3 a 5 alunos enquanto, a título individual, participarão dois alunos apurados por cada Região em cada escalão.

Competição ao mais alto nível

Lançando o olhar pelos escalões de competição e respectivos participantes, é sem surpresa que assistimos à presença de praticamente todos os grandes nomes da Orientação jovem nacional. O quadro competitivo de Iniciados Femininos é o mais concorrido, contando com 33 participantes. Vera Alvarez (EB 2,3 Sarrazola) e Inês Catalão (EB 2,3 Cunha Rivara) atraem sobre si naturais atenções, elas que ostentam o título de Vice-Campeãs do Mundo de Desporto Escolar 2009. Mas é também possível perceber aqui nomes como os de Catarina Dias (ERD "A Ribeirinha"), Inês Domingues e Ana Tereso (EB 2,3 Guilherme Stephens), Nadia Silva (EB 2,3 Sarrazola), Diana Prates, Joana Palhinha, Rute Coradinho, Teresa Maneta e as gémeas Ana e Sofia Anjos, estas seis últimas da EB 2,3 Cunha Rivara, garantindo muita luta e emoção pelos títulos nacionais.

Luís Silva (ES Pinhal Novo), Miguel Ferreira (ES Palmela) e o Campeão Nacional de 2008, João Salgado (EB 2,3 Cunha Rivara) são, quiçá, os nomes mais sonantes dentre os 29 participantes no escalão de Iniciados Masculinos. Ao seu lado poderemos perceber, entre outros, Marcelo Aguiar (ES Estarreja), Sérgio Duarte (ES Maximinos), Oleksandr Zaikin (ES Palmela) e os quatro atletas da EB 2,3 Cunha Rivara, João Marques, Pedro Rosado, João Pereira e Gonçalo Pereira. Quanto aos Juvenis Femininos, num lote de 27 participantes, é verdadeiramente notável o número e valor dos pretendentes ao título nacional: Joana Costa e Isabel Sá (ERD “A Ribeirinha”), Mariana Moreira (ES Santa Maria), Ana Coradinho (EB 2,3 Cunha Rivara) e ainda as Campeãs Nacionais de 2008, Rita Rodrigues e Inês Pinto (ambas da EB 2,3 Cunha Rivara), Margarida Colares (ES Santa Maria) e Ágata Cerqueira (ERD “A Ribeirinha”). Finalmente, no escalão de Juvenis Masculinos, entre 31 participantes, nomes como os de Paulo Falcão (EB 2,3 Cunha Rivara), Rafael Miguel (ES Estarreja), João Delgado e Hélder Marcolino (ERD “A Ribeirinha”), Mykola Zaikin (ES Palmela) e o quinteto de luxo da ES Pinhal Novo - Miguel Mouco, Bruno Jesus, Ricardo Reis, Fábio Silva e Paulo Pereira, este último Campeão Nacional no ano transacto – garantem igualmente enorme qualidade e competitividade.

Campeonatos Universitários

Simultaneamente terão lugar os Campeonatos Universitários, estes com um quadro competitivo bem mais reduzido. Patrícia Casalinho (AEISCTE) no sector feminino e Miguel Silva e Jorge Fortunato (ULisboa), João Ferreira (FMH) e Paulo Franco (AEIST) no sector masculino, são os principais nomes em prova.

O Programa distribui-se por duas provas de Distância Média, ambas com início às 9h00 de sábado e domingo na Herdade da Gambia (para os Campeonatos Universitários apenas no sábado). Com carácter extra-competição, existirá uma prova de Estafetas em parque, na tarde de sábado, pelas 16h30. Esta prova será eminentemente de convívio, sendo as equipas compostas por 4 alunos, um de cada escalão etário/sexo e de comitivas distintas.

Para mais informações consulte
http://www.nacionaissetubal2009.org/orientacao.html.

[Foto gentilmente cedida por Ricardo Chumbinho]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

VENHA CONHECER... FRANCISCO COELHO


Chamo-me… FRANCISCO Oliveira COELHO
Nasci no dia… 03 de Junho de 1944, em Coimbra
Vivo… em Lisboa
A minha profissão é… Engenheiro
O meu clube… Clube TAP
Pratico orientação desde… 1983

Na Orientação…

A Orientação é… o desporto da floresta!
Para praticá-la basta… uma bússola, uns ténis…!
A dificuldade maior… interpretar o mapa!
A minha estreia foi… na Arrábida!
A maior alegria… é estar com o pessoal da Orientação!
A tremenda desilusão… cometer um erro crasso!
Um grande receio… não tenho!
O meu clube é… um clube com uma certa representação, com um poder muito forte!
Competir… é participar!
A minha maior ambição… andar nisto até aos 100 anos!

… como na Vida!

Dizem que sou… uma pessoa simples!
O meu grande defeito é… ajudar os outros!
A minha maior virtude… não sei!
Como vejo o mundo… com optimismo, apesar da situação actual ser um bocadinho complicada!
O grande problema social… a diferença de classes!
Um sonho… ir à Lua!
Um pesadelo… ter um acidente!
Um livro… “Equador”!
Um filme… “África Minha”!
Na ilha deserta não dispensava… uma companhia!

Na próxima semana venha conhecer Isabel Monteiro.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

PELO BURACO DA FECHADURA...


“Mais uma festa da Orientação!!!” É assim que o ATV define o seu IV Open de Orientação, evento que terá lugar já no próximo fim-de-semana. O rico e variado programa integra todos os aliciantes duma prova imperdível, aqui espreitada, com a ajuda de Luís Sérgio, pelo buraco da fechadura.

Orientovar - Na dinâmica do ATV que lugar ocupa este IV Open de Orientação?

Luís Sérgio - Mesmo não sendo uma prova da Taça de Portugal, este evento é encarado com muito empenho e dedicação, como é timbre do ATV. Atendendo às limitações em termos de terreno adequado para provas de Orientação pedestre da Região Oeste, decidimos realizar eventos com características urbanas. De certa forma para compensar esse facto, que para alguns praticantes é menos atractivo, vamos realizar três provas no fim-de-semana, esperando assim atrair mais atletas.


Orientovar - Três etapas, dois concelhos. Com que meios e apoios contam para levar a efeito o evento?

Luís Sérgio - Para além dos óbvios meios humanos e logísticos do ATV , não podemos deixar de destacar os apoios dos dois municípios envolvidos, Torres Vedras e Lourinhã, sem os quais seria bem mais complicado pôr de pé este evento. A Junta de Freguesia de Monte Redondo é também merecedora de realce, pelo apoio prestado ao evento de sábado de manhã, destacando-se a oferta do almoço a todos os participantes (sopa e porco no espeto). Uma última palavra para a Dianova, a entidade gestora da Quinta das Lapas, que gentilmente disponibilizou o espaço para a realização da Prova.


Orientovar - Poderia detalhar cada uma das etapas e, sucintamente, dar a conhecer os seus pontos fortes?

Luís Sérgio - Cada uma das etapas tem particularidades que pensamos que irão ser do agrado dos participantes. A etapa de Sábado de manhã, em Monte Redondo (Torres Vedras), tem inicio em área urbana, com um arruamento desordenado, mas termina dentro duma mata da Quinta das Lapas, que para além de ser um local interessante para a prática de Orientação, é ainda possuidora de espaços muito agradáveis e de rara beleza. A parte inicial do percurso será com mapa à escala 1:4000, mas após entrar na mata, passará a ser usado um mapa à escala 1:2500, que permitirá uma melhor visualização. Ambos os mapas estão impressos na frente da mesma folha. Para terminar em beleza este primeiro percurso, iremos oferecer o almoço aos participantes, proporcionando assim mais um momento de convívio.

A segunda etapa destaca-se desde logo por ser nocturna, permitindo visitar Torres Vedras “by night”, que esperamos seja um aliciante adicional à exigência técnica do evento. Estamos certos que algumas centenas de atletas a correr pelas ruas de Torres Vedras, irão ter também um impacto positivo nos seus habitantes. Parte integrante de todos os percursos será uma ida ao Castelo, que estará excepcionalmente aberto para acolher os atletas. Pelas características do Castelo, a entrada e saída será feita pela mesma porta, recomendando-se especial cuidado na sequência dos pontos a visitar lá dentro. Todos os percursos terão um ponto no alto da Torre de Menagem, de onde podem usufruir duma vista privilegiada sobre a cidade (isto pelo menos para os menos competitivos, já que os outros só terão olhos para a baliza...). A parte final dos percurso, mesmo junto à chegada, irá decorrer num espaço pavimentado, onde existirá uma autentica sementeira de balizas, aproximando-se duma situação mista entre micro-O e Ori-show, que esperamos seja do agrado dos atletas, tanto enquanto praticantes como enquanto espectadores. Recomendamos um especial cuidado a verificar os códigos nesta área, pois haverá pontos muito próximos uns dos outros e alguns em elementos idênticos! Teremos chá e umas bolachinhas à vossa espera na chegada.

O percurso de Domingo na Lourinhã irá decorrer pelas ruas e jardins da localidade. Aproveitando a proximidade do Campeonato Nacional Absoluto, decidimos realizar uma prova de “estafetas de um atleta”, em que cada participante faz três percursos sucessivos, com troca de mapa entre eles na área de concentração. Como é normal nestas situações a partida será simultânea, pelo que o primeiro a cortar a meta com o percurso correctamente realizado, será o vencedor. Para tornar as coisas ainda mais interessantes, os atletas seniores, Veteranos, Juniores e Juvenis (6 km para os masculinos e 4 km para os femininos) fazem exactamente o mesmo percurso, podendo ser considerado como um “pré-absoluto” urbano. Os restantes escalões realizam percursos “normais”, tendo as partidas mais cedo, possibilitando-lhe assistir ao espectáculo proporcionado pelos restantes atletas. Sendo uma prova de partida simultânea, irá seguramente ter um grande impacto entre os habitantes da Lourinhã.


Orientovar - No sentido de cativar a população em geral para a prática da modalidade, que trabalho específico tem vindo a ser desenvolvido no âmbito deste IV Open de Orientação do ATV?

Luís Sérgio - O ATV tem organizado diversas provas de Orientação informais no Parque Verde, que é o espaço verde mais atractivo da cidade de Torres Vedras, o que permite dar uma grande visibilidade à modalidade. Paralelamente temos desenvolvido um grande esforço de formação de praticantes, quer na disciplina de Ori-Pedestre quer de Ori-BTT, tentando sempre que possível conjugar essas formações com a realização das nossas provas, conferindo aos formandos uma experiência de competição formal que permita dar uma imagem melhor da festa da Orientação. Outra grande aposta passa pelo apoio ao desenvolvimento da Orientação nas escolas da cidade. Nesse âmbito temos, desde há dois anos, em vigor um protocolo tripartido, ATV / Câmara Municipal / Escolas, que esperamos venha a dar bons frutos num futuro próximo. Deste projecto destaco a formação aos professores, a realização de mapas de todas as escolas, implantação de um percurso permanente com picotadores no Parque Verde e a promoção de provas inter-escolas.

Orientovar - Quer deixar uma mensagem a todos quantos se desloquem a Torres Vedras e à Lourinhã?

Luís Sérgio - Venham divertir-se connosco, pois sem vocês isto não tem graça nenhuma!

Saiba mais em
http://www.atv.pt/eventos/ler/?eid=358.


[foto gentilmente cedida por Maria Amador]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.