sábado, 5 de dezembro de 2009

TRAIL-O / ORIENTAÇÃO DE PRECISÃO NO DIA INTERNACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA


Três instituições do nosso País fizeram questão de assinalar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, promovendo uma actividade que nos é particularmente querida. Com o Trail-O / Orientação de Precisão em pano de fundo, foram momentos verdadeiramente significativos aqueles que se viveram em Baião, em Vila do Conde e na Tocha.

“É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito”. As palavras de Albert Einstein levam-nos a meditar na forma como têm evoluído as mentalidades, concretamente neste capítulo da inclusão social. Organização das Nações Unidas, instituições internacionais, Governos e Ministérios da tutela, Organizações Não Governamentais, movimentos cívicos, cada um de nós, afinal, todos contribuímos para este quebrar de barreiras e esbater de diferenças. Iniciativas como esta do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência têm-se vindo a revelar eficazes campanhas de formação e sensibilização junto da população em geral e, particularmente, junto dos mais novos. Desta forma, o “deficiente” vai sendo paulatinamente substituído por “pessoa com deficiência”, numa demonstração clara e inequívoca dessa vontade em preencher de sentido a expressão “toda a gente é pessoa”.

Nesta linha de acção, no combate ao preconceito, pacífico será afirmar que nem mesmo as previsões mais optimistas fariam supor que assistiríamos, a tão breve trecho, à realização de três actividades de Trail-O / Orientação de Precisão no curto espaço de dois dias. E muito menos que a participação no conjunto das três iniciativas ascendesse a muito perto das três centenas de pessoas. Pois foi essa grata e bela surpresa que nos foi oferecida à passagem duma data muito especial: O Dia Internacional da Pessoa com Deficiência.

“Diana… A Nossa Menina”

Quase sem darem por isso, o dia chegou. Saíram do Centro de Actividades Ocupacionais, na freguesia baionense de Mesquinhata, pouco passava das 9h30. São 20 utentes, todos eles portadores de deficiência intelectual, que na companhia de Professores e Auxiliares se deslocam para a EB 2,3/S de Baião a fim de participarem nas comemorações do Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Ali se misturarão com uma comunidade escolar extrovertida e ruidosa e com outros participantes que, após uma viagem bem mais longa, aguardam nas suas cadeiras de rodas o início da actividade, determinados em emprestar mais alegria e mais vida a tanta vida, tanta alegria. Ali encontrarão a Diana, “a nossa menina”, afinal a força motriz de tanto esforço e tanto empenho desenvolvido no sentido transformar um sonho de criança na realidade de todos e de cada um.

Após uma introdução teórica, foi com entusiasmo e afinco que os participantes enfrentaram os nove pontos de decisão que compunham o percurso. Duas ou três balizas por ponto constituíram o desafio, com esse interesse acrescido dum ponto-surpresa, cronometrado, que funcionou como factor de desempate para apurar os vencedores. No final, a grata presença de individualidades ligadas à autarquia de Baião e ao Agrupamento de Escolas de Vale de Ovil, numa Cerimónia de Entrega de Prémios particularmente concorrida e aplaudida, com três vistosos medalhões ao peito dos respeitáveis campeões. Que afinal foram todos! E ainda essa garantia, por parte do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Baião, Joaquim Paulo Pereira, da “total abertura da Câmara a este tipo de iniciativas”. Um “contem connosco” que calou fundo em todos os presentes.



Vila do Conde de Boa Memória

As paredes do Hospital há muito que ficaram para trás. Sob os imponentes arcos do Aqueduto, aspira-se a suave brisa com um leve sabor a sal que o vento arrasta do mar, ali bem perto. Ao todo são seis, todos eles utentes do Serviço de Medicina Física e Reabilitação do Hospital da Prelada. Fizeram uma viagem directa entre Baião e Vila do Conde e agora, juntamente com igual número de profissionais de saúde do mesmo Serviço – entre Médicos, Enfermeiros, Terapeutas e Auxiliares de Acção Médica -, preparam-se para visitar o Centro de Memória, arquivo vivo que potencia a reunião, investigação e comunicação dos diversos sentidos da memória do território vilacondense.

Quando chegam à EB 2,3 Júlio-Saúl Dias, a tarde cai “a pique” e, com ela, as temperaturas. Sob as cores difusas dum poente a prometer chuva, serão os últimos a percorrer o mapa onde dez pontos constituem um todo desafiante em múltiplos aspectos. Antes deles, por ali passaram alunos de vários Agrupamentos do Concelho, com e sem necessidades especiais, também alunos da Escola de Ensino Especial MADI – Movimento de Apoio ao Diminuído Intelectual de Azurara e ainda utentes do Centro de Apoio e Reabilitação de Pessoas com Deficiência de Touguinha. A actividade encerrará já noite fechada, não sem antes se abrir a um fantástico espaço de reflexão que reunirá Corpo Docente da Escola, Professores convidados, Pessoal de Saúde do Hospital da Prelada e os referidos Utentes / Atletas. Olhos nos olhos, sem preconceitos, em nome da inclusão.

De mãos dadas com o Bicas

A semana chega ao fim e, após uma série de dias particularmente chuvosos, sabe bem esta temperatura morna e este sol, ainda que desmaiado. São alunos do Colégio de Calvão e deslocam-se, neste início de tarde, para o Centro de Medicina e Reabilitação da Região Centro – Rovisco Pais. Aproveitam os pouco mais de 30 quilómetros da viagem de autocarro entre Vagos e a Tocha para “descomprimir”. Sabem ao que vão e não querem deixar passar em claro esta oportunidade de assinalar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência. Como eles, também um conjunto de alunos e professores da Escola Secundária de Cantanhede e dos Agrupamentos de Montemor-O-Velho e de Soure se irão juntar no vasto e bem tratado recinto do Hospital para uma actividade bem diferente, seguramente desafiante, acima de tudo inclusiva. Quatro Concelhos e cento e cinquenta alunos privarão com utentes do CMRRC – Rovisco Pais e com atletas do “Bicas no Rovisco Pais – Desporto Adaptado”, comungando dum mesmo espaço e dum mesmo tempo, competindo, divertindo. E fazendo Orientação de Precisão!

Distribuídos em grupos de cinco ou seis elementos, os participantes - alguns dos quais em cadeira de rodas - poderão saborear os nove pontos que compõem o desafio. Perceberão assim a alteração de perspectiva em relação àquilo que se vê sentado ou de pé e, sobretudo, sentirão que isto de progredir numa cadeira de rodas tem muito mais de esforço físico do que se possa imaginar. São experiências de vida que, uns mais do que outros, acabarão por recolher e interiorizar. Importará ainda referir que Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência, Gabinete Coordenador do Desporto Escolar do Ministério da Educação e Federação Portuguesa de Orientação prometem dar as mãos no esforço de relançamento do Trail-O / Orientação de Precisão no nosso País [a não perder amanhã a Entrevista com o Professor Jorge Carvalho], cientes do valor desta particular disciplina da Orientação enquanto modalidade inclusiva e de Desporto para Todos. Finalmente, o GDARP – Grupo de Desporto Adaptado Rovisco Pais continua apostado em dar a sua contribuição no mesmo sentido, acabando de inscrever no seu Plano de Actividades para 2010 uma prova de Trail-O / Orientação de Precisão, que se pretende particularmente participada e abrangente. Será no dia 1 de Maio, Dia Nacional da Orientação.
.Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

..

Sem comentários: