terça-feira, 29 de dezembro de 2009

OS VERDES ANOS: TERESA MANETA

.

Eu desde pequenina que gostava de correr e também de andar no campo, porque adoro o campo. A minha avó morava num monte, ela tinha lá cavalos, vacas, cães e muitas pedras. Gostava de saltar de pedra em pedra e aquilo era tão bonito, não há nada como um campo coberto de pedras e verdes. Não passava lá muito tempo mas gostava de ir para lá. Eu adorava aquilo, adorava ir para o Monte.

Quando tinha 11 anos a minha mãe deixou-me ir para a Orientação. Fui fazer uma prova de Orientação em S. Pedro da Gafanhoeira e fi-la com a minha irmã, gostei muito e em Outubro entrei para o Clube de Orientação da Gafanhoeira.

A minha primeira prova em competição foi em Óbidos. Eu estava muito nervosa porque foi a primeira vez que fiz uma prova com aquela distância e também porque nunca tinha dormido fora de casa antes. Foi uma experiência única.

A partir daí comecei a gostar da modalidade. Tenho vindo a praticar Orientação e a participar em todas as provas que posso. Com 13 anos fui a Madrid pelo Desporto Escolar. Gostei muito da experiência, apesar de ter ficado com pena de não termos ganho por equipas; mas já foi bom chegarmos onde chegámos e foi uma experiência que nunca mais hei-de esquecer.

Gosto deste desporto porque conhecemos pessoas novas, porque é muito divertido e também porque vai ao encontro daquilo que eu gosto desde pequena que é correr pelo meio do mato. No princípio ainda tinha um bocado de medo mas comecei a habituar-me. Agora com 14 anos estou em competições por Escolas e também pelo GafanhOri e adoro esta modalidade.

Apesar de nem todas as provas me correrem como eu desejava não perco o ânimo. Quero praticar este desporto para sempre, porque é um desporto que me faz feliz.

Teresa Maneta

.

2 comentários:

PFernandes disse...

«Eu desde pequenina que gostava de correr e também de andar no campo, porque adoro o campo»

Quantos de nós não se revêm nestas simples mas ao mesmo tempo poderosas palavras?
Força miúda!


Bom Ano de 2010, Orientado...
Paulo Fernandes

José disse...

A Teresa adora a natureza, ela poderá ir longe na ORI, está no seu ambiente.
Força Teresa!!!