domingo, 20 de dezembro de 2009

GRANDE ENTREVISTA: FERNANDO COSTA, "ENTRE O POM E O NAOM"


Pela segunda vez na sua história, o Grupo Desportivo 4 Caminhos vai organizar o Portugal O’ Meeting, a maior competição regular de Orientação Pedestre que se disputa anualmente no nosso País. “Entre o POM e o NAOM”, este é o ponto de partida para uma conversa com o grande timoneiro do clube da Senhora da Hora, Fernando Costa.


Orientovar - A Federação Portuguesa de Orientação acaba de divulgar a atribuição do Portugal O’ Meeting 2011 ao Grupo Desportivo 4 Caminhos. Como é que receberam a notícia?

Fernando Costa - Recebemos a noticia com grande contentamento, mas também com muito respeito e o sentido da responsabilidade que um evento desta dimensão vai constituir para o clube.

Orientovar - Que acréscimo de responsabilidades é que esta situação acarreta para a Organização?

Fernando Costa - O POM é o maior evento de Orientação que se realiza em Portugal e com grande fama a nível Mundial. Nesse sentido temos que continuar a engrandecer este evento, face à concorrência a nível internacional que se começa a fazer sentir, nomeadamente da Espanha, Itália e até agora do Norte de Africa, cujas provas começam a fazer frente às nossas.

Orientovar - A realização deste Portugal O’ Meeting 2011 irá distribuir-se por dois palcos distintos: Portalegre e Alter do Chão. Porquê esta opção e porquê o regresso a Alter do Chão e não a Nisa ou a Castelo de Vide, por exemplo?

Fernando Costa - O Município de Alter sempre mostrou interesse em voltar a receber o evento e a Coudelaria é um espaço que merece ser visitado, ainda por cima com tantos participantes estrangeiros presentes. Como ficou de fora ainda um pouco da área para cartografar, os percursos poderão visitar zonas onde não foram no NAOM 2009. Quanto a Portalegre é também mais um Município que faz a sua estreia na Orientação. O local que elegemos aí tem boas características para este evento e penso que temos reunidas as condições para uma boa prova.

Orientovar - O Portugal O’ Meeting 2011 representará também uma fortíssima promoção de todo o Norte Alentejano. De que forma é que se poderá potenciar a presença de quase um milhar de estrangeiros na região?

Fernando Costa - Se o evento tiver qualidade, será uma boa forma de continuar a promover as provas em Portugal. Tentaremos criar as condições para que o Turismo local aproveite este mercado. Esperamos que a Região de Turismo e os Municípios percebam o que está envolvido no evento e o consigam promover, em parceria connosco, nos Órgãos de Comunicação Social locais e nacionais.

Orientovar - O NAOM, um termo com tanto significado e que vos é tão querido, vai ser abolido ou coabitará com o POM?


Fernando Costa - Penso que poderá coabitar. A filosofia é a mesma visto ser na mesma região, só que com uma dimensão maior. A ideia é dar a uma das etapas o nome de NAOM.

Orientovar - Deixando de parte 2011 e centrando as nossas atenções na quarta edição do NAOM, dentro de pouco mais de dois meses no Crato, quer fazer-nos o ponto da situação?

Fernando Costa - A situação está controlada. A cartografia ficou pronta bastante cedo, os terrenos são muito interessantes e o figurino tentará manter a tradição. A organização está apostada em fazer um bom evento e estamos mais unidos do que nunca. Continuamos com a aposta em figuras públicas para apadrinhar o evento e para o lançamento das Crónicas que começam a ser um dos pontos altos. Cada vez temos mais a noção que um evento de Orientação, pelas suas características próprias, não pode resumir-se aos percursos. Para se conseguir arrastar as pessoas, as entidades e os Órgãos de Comunicação Social, quanto mais actividades estiverem em curso simultaneamente, melhor para o evento.

Orientovar - Tem repartido a sua presença entre o Porto e o Crato, multiplicando-se em contactos de ordem vária e ultimando os preparativos deste evento. Qual a sua principal dor de cabeça neste momento?

Fernando Costa - A enorme quantidade de proprietários é sempre uma preocupação grande. A mudança do elenco à frente da Câmara Municipal do Crato, resultante das últimas eleições, já foi resolvida e estamos cientes que vamos ter o apoio do Município como aconteceu nas edições anteriores. As coisas estão a andar bem e a maior dificuldade é mesmo a distância a que nos encontramos.

Orientovar - Sei que estão já a trabalhar na sexta edição do NAOM, em 2012: Marvão é uma forte possibilidade?

Fernando Costa - A pedido do Município de Marvão fizemos os primeiros contactos, mas para já não passaram de uma reunião explicativa do evento, onde se tentou mostrar as virtudes da modalidade. Marvão é mais um excelente local para a prática da nossa modalidade e um candidato a Património Mundial que importa divulgar.

Toda a informação sobre o NAOM 2010 em
http://www.gd4caminhos.com/naom/2010/.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

3 comentários:

Ricardo Telmo disse...

Excelente entrevista, enho a certeza que a edicao do POM e Naom em 2011 sera 1 evento memoravel para a Orientacao portuguesa, so espero estar presente.

Abraco!

José disse...

O POM 2011 esta em boas mãos.
O GD4C já nos habituou a excelentes organizações.

Vitor disse...

GD4C e Fernando Costa a excelência na organizações de eventos de Orientação em Portugal.