segunda-feira, 9 de novembro de 2009

TRAIL-O: PRIMEIRA REUNIÃO DA COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO DA FPO


Decorreu no passado sábado, em Ovar, a primeira reunião da Comissão de Acompanhamento de Trail-O da Federação Portuguesa de Orientação. Com muito entusiasmo, muita determinação e uma enorme certeza: Sensibilizar é preciso!

Promovida pela Federação Portuguesa de Orientação, teve lugar a primeira reunião da Comissão de Acompanhamento de Trail-O – Orientação de Precisão. Aferir o actual momento da disciplina e estabelecer linhas mestras conducentes à sua implementação plena nos quadros competitivos regulares da Federação Portuguesa de Orientação, tais foram os dois objectivos maiores colocados sobre a mesa de trabalho. Uma mesa presidida e secretariada por António Aires, Director Técnico Nacional, da qual fizeram ainda parte Ângela Pedro, Diana Magalhães, Albino Magalhães, Paula Nóbrega e Joaquim Margarido.

Criar um quadro competitivo nacional já para a época de 2011 é desde logo a grande aposta. O interesse demonstrado nos últimos meses por algumas organizações em incluírem a Orientação de Precisão nos seus eventos e a forma como algumas instituições que trabalham com a deficiência têm respondido positivamente, constituem factores que permitem objectivar a implementação da disciplina com a solidez e estabilidade necessárias, num espaço de tempo considerado não demasiado ambicioso.

Sensibilizar constitui a tónica dominante

Aproveitar as sinergias criadas em torno da disciplina, consolidá-las e reforçá-las para que o movimento agora gerado possa vir a dar os seus frutos, constitui o maior desafio que surge no imediato. Sensibilizar é a tónica dominante, num esforço de promoção e divulgação da disciplina junto de atletas, dirigentes, técnicos, Federações, Associações de Deficientes, Instituições de Saúde e demais agentes desportivos e sociais, directa ou indirectamente ligados ao fenómeno.

Pensado para o início do próximo ano está o lançamento dum Guia, ferramenta de trabalho destinada a todos quantos se mostrem disponíveis para dar o seu contributo ao movimento através da organização de provas. Isso e a promoção de Acções de Formação que possam, nos seus vários blocos, abordar temas tão interessantes como a “Cartografia”, “Definição de Percursos”, “Acessibilidades” ou “Necessidades Especiais de Atletas Portadores de Deficiência”.

.Ao lado das organizações

Para já – e sempre que a oportunidade surgir – a Comissão de Acompanhamento de Trail-O – Orientação de Precisão vai estar ao lado das organizações que promovam eventos desta natureza. A atitude passará por auxiliar na divulgação das actividades junto de potenciais interessados – que afinal devemos ser todos nós! –, na montagem de pontos, na supervisão de percursos e no acompanhamento dos participantes. Será fundamental que um grande número de pessoas possa experimentar a Orientação de Precisão e, descobrindo-lhe a essência e o desafio, na medida das suas capacidades e competência dêem um contributo pró-activo para a implementação da disciplina.

E há ainda uma última situação sobre a qual, muito brevemente, todos iremos ter a hipótese de opinar. Esta Comissão de Acompanhamento pretende encontrar uma expressão bem portuguesa que constitua alternativa à palavra “Trail-O”, algo que identifique a disciplina a partir de 2011 e a liberte do embaraço dum qualquer acordo ortográfico vir a transformar rapidamente a palavra em “Trailó”. Vamos todos pensando nisso!

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: