quinta-feira, 19 de novembro de 2009

PELO BURACO DA FECHADURA


Decorre em Bardeiras, já no próximo sábado, a 2ª Etapa do IV Troféu OriAlentejo. Mais uma organização do Clube GafanhOri, hoje espreitada pelo buraco da fechadura com a preciosa colaboração de Tiago Aires.

Aproxima-se mais um fim-de-semana com muita Orientação e num mapa novo, em Bardeiras – Vimieiro, junto à Gafanhoeira. Trata-se da 2ª etapa do IV Troféu OriAlentejo, evento da responsabilidade do Clube GafanhOri e destinado aos escalões de Iniciação, Fácil, Médio e Difícil. Os terrenos e percursos estão preparados cuidadosamente para cada escalão e desenhados num mapa novo, elaborado em Setembro deste ano e de acordo com os princípios da cartografia nórdica.

Para nos falar dum evento onde o “desafio dum tipo de cartografia diferente da nacional será certamente um dos pontos altos”, o Orientovar foi uma vez mais ao encontro de Tiago Aires. Traçador de Percursos desta prova e um dos responsáveis máximos do Clube GafanhOri, aqui ficam as suas explicações e um convite à participação. “As inscrições”, diz, “ainda estão abertas”.

Orientovar - Porquê a chamada de Janne Weckman e Antti Harju, dois cartógrafos finlandeses, e ainda do cartógrafo espanhol Mário Rodriguez, para colaborarem neste projecto?

Tiago Aires - Janne Weckman, além de atleta, é um cartógrafo com muita experiência, com mais de 100 km2 feitos na Finlândia, sendo inclusive o cartógrafo e traçador de percursos do Jukola 2011. Antti Herju é uma das grandes referências mundiais da Orientação, tendo vencido com o Kalevan Rasti mais vezes o Jukola e Tiomila, mas que infelizmente há cerca de 6 meses teve um problema cardíaco e colocou um ‘pacemaker’, o que não lhe permitirá correr mais, pelo que se está a dedicar à cartografia. Mário Rodriguez trabalha há muitos anos com o Janne, já fez mapas na Finlândia e tem as características que procurávamos.

Orientovar - Quais as principais características desta cartografia dita “nórdica”?

Tiago Aires - Logo à primeira vista é a leitura do mapa mais leve e utilizando ao máximo os detalhes do relevo. Só a colocação da informação de maior dimensão e que é essencial para navegar. Não há necessidade de trabalhar os amarelos e vegetação em demasia pois apenas vai saturar o mapa com informação que ninguém consegue utilizar em prova. Esta será a cartografia utilizada nos mapas do Meeting Internacional de Arraiolos nos dias 9 e 10 Janeiro de 2010. O mapa da Distância Longa foi produzido por estes cartógrafos e o da Distância Média foi produzido por mim e pela Raquel Costa, mas mantém substancialmente a mesma forma de cartografar.

Orientovar - Uma das críticas apontadas com maior frequência aos nossos mapas é a de que pecam por excesso de detalhe. Acha que, neste particular aspecto, os orientistas portugueses estão mal habituados? Ou, posto doutra forma, qual a relevância deste contacto com outro tipo de cartografia para a própria evolução da Orientação portuguesa?

Tiago Aires - Penso que esta vinda de cartógrafos nórdicos pode ser muito importante para um reajustar dos critérios utilizados em Portugal. Nós aprendemos com os russos, que, tal como a escola checa de cartógrafos, têm a tendência em trabalhar demasiado a vegetação e marcar por exemplo ao nível rochoso tudo o que cabe no mapa, não dando a percepção ao atleta de quais os elementos que se destacam facilmente. Claro que este tipo de cartografia, na grande maioria dos terrenos portugueses, é necessário; caso contrário, os mapas não teriam detalhe e deixariam de se ler. Mas com a melhoria na escolha de terrenos, esse critério tem de ser alterado sob pena de os mapas serem todos à escala de 1:7 500 e, mesmo assim, difíceis de interpretar.

Orientovar - O mapa é um bom pretexto para convidar as pessoas a irem até às Bardeiras no próximo domingo. Mas como o interesse da prova não se resumirá, seguramente, ao mapa, pedia-lhe que nos falasse dos restantes pormenores e de como um dia com o Clube GafanhOri será sempre dado como bem empregue.

Tiago Aires - Como vem sendo hábito, temos uma Arena junto a uma barragem, num local muito bonito, onde existirá um ponto de espectadores. Julgo que os percursos estão bastante interessantes e que serão uma excelente oportunidade para preparar o “Word Ranking Event” do Meeting Internacional de Arraiolos. As inscrições ainda estão abertas. Aproveito ainda para lembrar que já está disponível em detalhe o programa do II New Year Training Camp [ver
AQUI], o qual decorrerá de 2 a 8 de Janeiro, com treinos bi-diários de Orientação variados.

[foto de Bardeiras, gentilmente cedida por Tiago Aires]


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: