domingo, 11 de outubro de 2009

WMOC 2009: JOAQUIM SOUSA SPRINTOU PARA O 5º LUGAR


Joaquim Sousa foi o 5º classificado na final A do Campeonato do Mundo de Veteranos de Orientação Pedestre WMOC 2009. Uma final A onde três outros atletas portugueses alcançaram posições no top-20.

Eram 3h27 quando o telemóvel tocou. Do outro lado do mundo, António Amador [na foto, no decurso duma prova em Coruche, no passado mês de Julho] dava-nos conta das principais incidências duma jornada que teve no 5º lugar de Joaquim Sousa, no escalão M35, o seu ponto alto para as hostes lusas. Um 5º lugar meritório, o melhor resultado de sempre dum atleta português no certame, uma pequena ‘vingança’ sobre o seu 18º lugar de há um ano atrás na Praia da Vieira e um feito de inegável importância para o atleta e para a Orientação nacional.


Disputada no Parque Olímpico de Sidney, a prova “desenvolveu-se num mapa bastante simples, tornado complexo pelo trabalho dum traçador de percursos que criou zonas de passagem obrigatórias ou interditas no mapa”, conforme nos referiu António Amador. Para aquele atleta, esta situação “obrigava a entrar e sair dos estádios pelo sítio indicado, subir e descer bancadas e ter uma atenção redobrada para não falhar a opção." As exigências do mapa acarretaram mesmo um elevado número de desqualificações, contabilizadas em 33 no conjunto das várias finais, entre as quais a do brasileiro Paulo Becker, na final B do escalão M45. Numa prova ganha pelo britânico Nick Barrable com o tempo de 14.58, Joaquim Sousa cumpriu os 2,8 km do seu percurso (27 pontos de controlo, 23 metros de desnível) em 16.10. Carsten Joergensen (Nova Zelândia), com 15.10, e Bruce Arthur (Austrália), com 15.32, completaram o pódio.

Amador, Fernandes e Dias também no top-20

Quanto ao escalão de M40, António Amador marcou presença igualmente na final A (2,5 km, 20 pontos de controlo, 28 metros de desnível), alcançando a 17ª posição com o tempo de 18.09. De acordo com o atleta, foram grandes as dificuldades sentidas para entrar no mapa e, depois, “saltei o ponto sete na progressão, piquei o oito e tive de voltar atrás para refazer o percurso, perdendo aí algum tempo”. Apesar de tudo este é seguramente um excelente resultado e que abre boas perspectivas para as qualificatórias e final de Distância Longa que se avizinham. Refira-se que o vencedor deste escalão foi o neo-zelandês Bill Edwards com o tempo de 14.46.

Na final A do escalão M50, José Fernandes repetiu o resultado de António Amador, completando os 2,4 km de prova (20 pontos de controlo, 25 metros de desnível) com um registo de 16.53. Venceu o australiano Warren Key com o extraordinário tempo de 13.20. No mesmo escalão mas na final B (2,0 km, 17 pontos de controlo, 18 metros de desnível), José Pires foi o 23º classificado com o tempo de 18.34. O vencedor, o russo Aleksandr Gribanov, gastou menos 4.47 que o nosso atleta.

Manuel Dias participou na final A do escalão M55 e, também ele, alcançou um lugar no top-20. Foi precisamente o 20º classificado, concluindo a sua prova (2,2 km, 18 pontos de controlo, 15 metros de desnível) com o tempo de 16.32 e a 3.25 do vencedor, o dinamarquês Leif E. Larsen. Francisco Coelho, no escalão M65 (1,9 km, 16 pontos de controlo, 25 metros de desnível), foi o nosso derradeiro representante a disputar uma final A. As coisas, todavia, não correram da melhor forma ao atleta português, que não foi além do 51º lugar com o tempo de 23.25. A vitória coube ao sueco Roland Alsen com o tempo de 14.03. Finalmente, Margarida Rocha disputou a final B do escalão W50 (1,5 km, 11 pontos de controlo, 23 metros de desnível), terminando no 10º lugar com um registo de 16.01. A vencedora desta final foi a suíça Francine Repond Sauty, com o tempo de 10.54.

Campeões do Mundo de Sprint

A lista dos 20 novos Campeões do Mundo de Sprint é a seguinte:

Masculinos
M35 – Nick Barrable (Grã-Bretanha)
M40 – Bill Edwards (Nova-Zelândia)
M45 – Michael Thierolf (Alemanha)
M50 – Warren Key (Austrália)
M55 – Leif E. Larsen (Dinamarca)
M60 – Ossi Lakkala (Finlândia)
M65 – Roland Alsen (Suécia)
M70 – Gunnar Lerfald (Noruega)
M75 – Peo Bengtsson (Suécia)
M80 – Kevin Paine (Austrália)
M85 – Hermann Wehner (Austrália)

Femininos
W35 – Natasha Key (Austrália)
W40 – Marquita Gelderman (Nova Zelândia)
W45 – Su Yan Tay (Austrália)
W50 – Gillian Ingham (Nova Zelândia)
W55 – Jennifer Bourne (Austrália)
W60 – Anne-Marie Holmström (Suécia)
W65 – Birgitta Johansson (Suécia)
W70 – Birgitta Thunell (Suécia)
W75 – Maureen Ogilvie (Austrália)

Hoje decorrerá ainda a Cerimónia de Abertura destes Mundiais WMOC 2009, seguindo-se dois dias de pausa antes das grandes emoções da Distância Longa. Mantenha-se por aqui e acompanhe mais desenvolvimentos em
http://www.wmoc2009.orienteering.asn.au/ e em http://www.joaquimsousa.com/www/.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: