quinta-feira, 22 de outubro de 2009

PELO BURACO DA FECHADURA...


A Taça de Portugal de Orientação em BTT está de regresso. Na companhia de Alexandre Reis, viajamos hoje até à Beira Baixa, ao encontro do I Ori-BTT de Idanha-a-Nova. Venha connosco espreitá-lo pelo buraco da fechadura.

Ligado aos mapas desde sempre, Alexandre Reis planeava uma corrida de aventura há dois anos atrás quando surgiu a ideia de realizar uma prova de Orientação em BTT. “Tinha identificado a área na Carta Militar e despertou-me muita curiosidade a malha de caminhos lá existente. Quando percorri a área toda, mais convencido fiquei que tínhamos ali um ‘santuário’ para a prática de ORI-BTT.” Ao encontro do I Ori-BTT de Idanha-a-Nova, é desta forma que tem início a nossa conversa com o seu Director Técnico.

Segunda prova da Taça de Portugal de Orientação em BTT 2009/2010, o I Ori-BTT Idanha-a-Nova realiza-se já no próximo fim-de-semana, nas proximidades de Penha Garcia e das Termas de Monfortinho. A organização é da responsabilidade da Secção de Orientação da ADFA – Associação dos Deficientes das Forças Armadas, Câmara Municipal de Idanha-a-Nova e Federação Portuguesa de Orientação. A este propósito, Alexandre Reis destaca a importância do Município de Idanha-a-Nova como sendo “o nosso grande parceiro, que nos apoia a vários níveis. Sem esse apoio e toda a logística local disponibilizada, nomeadamente uma tenda de grandes dimensões que será a casa do evento na floresta, seria praticamente impossível realizar a prova tão longe da nossa área de residência.”

Qualidade e emoção prometidas

Distância Longa no sábado, Distância Média no domingo e 244 atletas inscritos, distribuídos por dois escalões de Formação, dezasseis escalões de competição e dois escalões abertos (OPT’s, curto e longo). Com 21 atletas inscritos, o COC é o clube mais representado. Nomes como os de Daniel Marques, Guilherme Marques, Joel Morgado, Paulo Alípio, Luís Pires, Pedro Serralheiro, Luís Tenreiro, Albano João, Luísa Mateus ou essa surpresa que dá pelo nome de Catarina Ruivo garantem ao emblema leiriense a maior fatia de favoritismo em vitórias, tanto individuais como colectivamente.

Mas há muitos e grandes nomes para além destes. De Espanha vêm seis atletas, entre os quais Anita Viel (CRON) e Susana Arroyo (Sotobosque), duas das melhores orientistas em BTT daquele país. Quanto à “prata da casa”, João Ferreira e J.J. Sancosmed (DA Recardães), Eduardo Sebastião e Luís Sousa (Clube TAP), Inácio Serralheiro e Margarida Gonçalves Novo (CN Alvito), Francisco Moura (Montes e Vales), Mário Guterres e Rita Guterres (ADFA), Susana Pontes e Rui Botão (CPOC), Davide Machado (.COM), Maria Amador (ATV), João Palhinha (CPA – Abrunhos) e Alice Silva (GDU Azóia) são apenas alguns dos nomes que dão garantias duma fantástica jornada, fazendo jus à máxima da organização: “Muita adrenalina, muita animação e, acima de tudo, muito desportivismo.”

“Só espero que o tempo melhore”

O local onde decorrerão as provas não vai defraudar, seguramente, as expectativas. A esse propósito, Alexandre Reis adianta que “a execução do mapa foi em Março e os percursos em Julho.” Quanto ao mapa em si, é sua convicção tratar-se dum mapa que “reúne excelentes condições para a prática da modalidade, apesar de estar longe de todas as infra-estruturas. Essa foi – e é! - a nossa maior dificuldade, ou seja, criar no meio da floresta um espaço agradável, envolvente e de festa, que satisfaça as necessidades do evento.”

E a terminar: “Será uma prova com ritmos elevados e com muitas opções, com o relevo a ter uma influência decisiva na determinação dos melhores tempos. Só espero que o tempo melhore, para que a lama não seja um parceiro indesejável das ‘bikes’ (e da organização) e no final saiam todos satisfeitos com esta jornada.”

Tudo para conferir
http://oriadfa.no.sapo.pt/.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: