sábado, 10 de outubro de 2009

WMOC 2009: IMPRESSÕES DOS NOSSOS ATLETAS


No rescaldo do primeiro dia de competição do XIV Campeonato do Mundo de Veteranos de Orientação Pedestre WMOC 2009, o Orientovar traz até si algumas declarações dos nossos atletas. São notícias fresquinhas, acabadas de chegar da Austrália graças ao cuidado de Joaquim Sousa (que nos faz chegar também a foto que publicamos acima).

“O dia começou com muitas queixas por parte do pessoal. Um não conseguiu pregar olho toda a noite por causa do barulho do quarto ao lado, outro diz que até sonhou com a prova, mas cá para mim isto foi tudo por causa do ‘stress’ da competição. Depois do pequeno-almoço, lá fomos até Macquarie University, local da prova de apuramento do Sprint. Com toda a comitiva presente, o tempo estava bom e aproveitaram para apanhar sol e apoiar os atletas. Pela primeira vez vimos o Manuel Dias, estava todo danado por ter passado 5 horas na fila para a acreditação, ainda por cima a um dia do começo da competição. Pessoalmente, eu estava completamente ‘stressado’, mas não sei porquê.

Apenas a 25 minutos do inicio da minha prova recebi um telefonema de Portugal a desejar boa sorte; foi como se de repente tudo se tornasse mais simples e eu fosse já o atleta mais confiante do campeonato. Obrigado miúda, foi simplesmente fantástico ouvir-te antes da partida. Quanto ao resto do pessoal estava tudo mais ou menos confiante. No tocante a resultados, fiz uma boa prova, com apenas duas hesitações mas sem erros. Fiz o 3º tempo, mais do que suficiente para me apurar para a final A.”

Joaquim Sousa



“Iniciei a prova mais ou menos como um ‘zombie’, depois de uma noite em que não preguei olho devido ao barulho do quarto ao lado e do ‘stress’ que uma eliminatória de um Campeonato do Mundo de Sprint sempre acarreta. Não tive problemas no primeiro ponto, apesar de não me ter apercebido do triângulo de partida, que coincidia com o local de recolha dos mapas. Para o segundo ponto cometi um enorme erro por não me ter apercebido de um pequeno muro (estou a precisar de óculos), que me obrigou a dar uma volta completa a um quarteirão. Este erro teve o condão de me acordar para um dos objectivos que me trouxe à Austrália. Depois disso não cometi mais nenhum erro, tendo apenas tido algumas hesitações na escolha das opções de um percurso muito bem traçado, pois quase todos os pontos tinham pelo menos duas opções possíveis. No final, o 16º lugar na minha série dava-me o passaporte para a final A. Depois disto só espero que as eliminatórias da distância longa sejam menos sofridas.”

José Fernandes


“Quando iniciei a minha prova já sabia que o Sousa e o Zé Fernandes estavam apurados. ara que o nosso treinador (Albano João) conseguisse o pleno eu teria também de o conseguir. Iniciei a prova com a ideia que os 17 minutos seriam suficientes pelo que parti não muito rápido mas com certeza para evitar cometer erros. Mesmo assim tive uma hesitação para o ponto 5 que me levou a sair mal desse ponto e perder algum tempo para o ponto 6. Para o 7º, optei por uma volta maior mas mais segura em termos de opção, tão segura que nessa pernada fui vendo opções para os pontos 8 e 9, o que fez com que entrasse numa rua antes e falhasse o ponto 7… coisa de 30 segundos talvez. Mesmo assim, picar este ponto com 6 minutos permitiu-me manter o ritmo e a calma para continuar com o percurso que decorreu de forma normal até mais um pequeno erro para o ponto 13 em que não entrei onde devia, perdendo mais alguns segundos. Daqui até final foi manter opções seguras e ritmo acelerado até final …”

António Amador


“Como as provas de Sprint não são as minhas favoritas, parto logo derrotada. Achei o traçado do percurso interessante, mas tenho alguma dificuldade na rápida decisão de opção e, como também corro pouco, os tempos acabam por não ser os pretendidos. Fui classificada em 33º e ainda não sei se fui apurada para a final A. Espero melhores resultados nas provas de floresta.”

Margarida Rocha



A finalizar, apenas a indicação que são 22.30 (hora na Austrália) e o pessoal vai dormir, que as emoções da jornada e o que espera amanhã os nossos atletas assim o exigem. Uma última referência para o facto de os cozinheiros de serviço no dia de hoje terem sido a Vanessa e o José Pires. Fizeram arroz com carne frita com verdura. Amanhã, a hora de partida dos nossos atletas é a seguinte: Final A - Joaquim Sousa, 12h52; António Amador, 12h14; José Fernandes, 11h31; Francisco Coelho, 10h50; Manuel Dias, 11h31. Final B - Margarida Rocha, 11h31; José Pires, 10h10. Paulo Becker, o único atleta brasileiro presente nestes Mundiais, partirá às 10h16.

Não deixe de acompanhar os desenvolvimentos do WMOC 2009 na página pessoal de Joaquim Sousa em
http://www.joaquimsousa.com/www/.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: