sexta-feira, 23 de outubro de 2009

III RAID AVENTURA RANGER: O REGRESSO DAS CORRIDAS DE AVENTURA


Com um significativo atraso em relação ao desejável, acaba de chegar à mesa de trabalho do Orientovar o “Press Release” do III Raid Aventura Ranger, da responsabilidade de Higino Esteves, o Director da Prova. Sem mais demora, aqui o publicamos juntamente com algumas impressões que, ao longo da semana, foram sendo colocadas pelos participantes no Fórum de discussão fpo-corridas-a.

Decorreu, nos passados dias 17 e 18 de Outubro, o III Raid Aventura Ranger, evento organizado pelo Centro de Tropas de Operações Especiais (CTOE) em parceria com a Federação Portuguesa de Orientação (FPO) e que contou com o apoio dos Municípios de Alijó, Armamar, Castro Daire, Lamego, Peso da Régua, Resende, Santa Marta de Penaguião e São João da Pesqueira, bem como da Associação de Operações Especiais e do Turismo do Douro.

Este evento desportivo de Corridas de Aventura teve como principal objectivo o desenvolvimento de valores humanos numa competição que promoveu o trabalho em equipa e o respeito pelo meio ambiente e que contou com a presença de algumas das melhores equipas portuguesas e espanholas, tanto no escalão Elite, onde se disputou o Campeonato Ibérico, como no escalão Aventura, onde se disputou o III Raid Aventura Ranger, primeira prova da época desportiva 2009 /2010 da Taça de Portugal de Corridas de Aventura da FPO e simultaneamente o Campeonato do Exército 2009.

O Raid, etapa a etapa

O III Raid Aventura Ranger foi constituído por nove etapas, as seis primeiras das quais tendo por palco a majestosa região do Alto Douro Vinhateiro e as três últimas decorrendo num cenário diferente, de média montanha na Serras de Montemuro e Meadas. Feito o ‘check-in” das 43 equipas participantes e após o necessário ‘briefing’, o Raid iniciou-se às 9h30, na emblemática Praça de República em São João da Pesqueira, numa etapa de 27 km de Orientação em BTT até à tradicional Quinta das Carvalhas, onde teve inicio a 2ª etapa, esta de Orientação Pedestre, com 13 km, pelos característicos socalcos do Douro até ao Pinhão. É no Pinhão que começa verdadeiramente a dureza do Raid, com uma etapa de 22 km de Canoagem (dois elementos) e um salto de 8 metros de altura de uma ponte para o rio Douro, seguido de um percurso de Natação até alcançar um tradicional barco rabelo.

A 4ª etapa, iniciou-se às 16h45 em Armamar, levando as equipas a percorrer mais de 21 km em corrida e enfrentando um rappel suspenso com 30 metros de altura. Já caía a noite quando os raiders portugueses e espanhóis enfrentaram a mais dura das etapas: 42 km em BTT pelo acentuado declive que liga Armamar a Santa Marta de Penaguião. A sexta e última etapa de sábado ligou Santa Marta de Penaguião por um percurso em Orientação Pedestre de 17 km que terminou à 1h30 da madrugada no cais fluvial do Peso da Régua.

Novo dia, novas provas

Depois de algumas horas de repouso, os atletas retomaram o esforço num cenário completamente diferente! Oito da manhã, com o característico frio da Serra de Montemuro, o Mezio (Castro Daire) foi o ponto de partida para a 7ª etapa, de Orientação Pedestre com rappel, slide e ponte funicular de cordas, numa extensão de 19 km até Feirão (Resende), onde se lançaram para a penúltima etapa ligando Feirão a Lamego pela Serra das Meadas, num percurso de BTT com 23 km. Uma aparatosa queda de bicicleta do atleta Pedro Silva, afastou a equipa Millennium BCP das aspirações a um lugar no pódium e a equipa espanhola The North Face - Forum Sport consolidou a liderança que já haviam conseguido do dia anterior, logo seguidos pelas equipas do Clube de Praças da Armada” e da GLOBAZ.pt boxit.

A última etapa, na cidade de Lamego, foi a mais tranquila com jogos tradicionais e tiro com arco, culminando quase 200 km de esforço entre BTT, corrida pedestre, Canoagem e vários obstáculos, como o rappel, slide, ponte funicular, etc., que puseram à prova a destreza dos atletas.

Resultados

As classificações finais ficaram assim ordenadas:

Elite
1º The North Face - Forum Sport (ESP) 87 cp’s
2º Clube de Praças da Armada (POR) 80 cp’s
3º GLOBAZ.pt boxit (POR) 80 cp’s

Elite mista
1º ADA DESNÍVEL (POR) 66 cp’s
2º CAB – SUPERBIKE (POR) 59 cp’s
3º Greenland ATV (POR) 35 cp’s

Aventura
1º Escola Naval (POR) 84 cp’s
2º BRIG MEC (POR) 77 cp’s
3º TRONADOR ACCENTURE (ESP) 77 cp’s

Promoção
1º Oikos Ecosense (POR) 30 cp’s
2º Adventure Team (POR) 26cp’s
3º ATV Promoção (POR) 22 cp’s

Em termos globais (Elite + Elite Mista), Portugal sagrou-se País Campeão Ibérico de Corridas de Aventura 2009.

Algumas impressões

“(…) Gostámos muito da região e das paisagens. Seria bom que houvessem mais provas no "Portugal profundo", porque nos últimos anos os locais têm-se repetido muito e o interior tem sido um pouco esquecido; esperemos que ao menos o Exército nos continue a brindar com provas em locais destes.”
Jorge Xará

“O Exército, em particular os Rangers e o mentor do projecto (Higino Esteves), estão de parabéns pela prova montada e a forma como nos receberam. Prestaram um excelente serviço à "causa" das Corridas de Aventura. Para eles deve ser endereçado o Louvor da Semana.”
Jorge Baltazar

“Uma das principais razões que me levaram a Lamego, foi o facto de a prova ser organizada pelo exercito, que para mim é sinónimo de muita qualidade em tudo. Como seria de esperar, tinha razão e a organização está de parabéns.”
Nuno Renato

“ (…) Realmente é impossível competir contra as equipas espanholas pois a profissão deles é treinar. Acho que, se alguns atletas de Corridas de Aventura tivessem mais apoios, teriam mais disponibilidade para treinar, mais vontade e motivação. Será a evolução natural da modalidade e só assim poderemos vir a ganhar.”
João Neto

“O slide não estava em consonância com o nível de segurança para uma Corrida de Aventura. Falha não detectada pela supervisão. A prova de Score 100 estava mal dimensionada pondo em causa dezoito horas de esforço. Deve de existir sempre uma alternativa para as equipas conseguirem os 100. (…) Os percursos tinham demasiada corrida vs bicicleta e tinham demasiado alcatrão.” (…) Foram anunciados banhos no acantonamento e falharam por não haver água. (…) Clareza nas informações. Elevado grau de prontidão no resgate, boa presença do apoio médico que se traduz em confiança na organização. Apoio/comunicação às equipas excelente. Nota positiva para a prova sendo mesmo de classificar por média alta.”
Carlos Cunha

“É positivo para a modalidade constatar que as equipas de um modo geral têm vindo aos poucos dar os parabéns à organização da prova de Lamego e têm também apontado os aspectos menos positivos que encontraram na prova. Quer-me parecer que se a prova não tivesse sido tão agradável, as equipas teriam do mesmo modo vindo aqui criticar veemente a organização.”
André Ribeirete

“(…) Felicidades por un raid espléndido, con una gran organización, una buena proporción entre las pruebas y una sensación de cariño y respeto por todos los que hemos paticipado y los que han organizado. (…) Sigo recalcando la idea de lo bien organizados que estan las "corridas" portuguesas, en eso si que tenemos que aprender mucho los organizadores de las pruebas españolas: la calidad de los mapas, hojas de asistencia...etc...”
Gonzalo Fernández

“Eu agradeço a todas as pessoas que organizam as provas e ao seu empenho, pois sem elas não haveria corridas de aventura...e isso seria mau, pois eu adoro fazer isto...eu e de certeza muitos mais...”
Patrícia Serafim



Mais informações e fotos autorizadas em www.raidranger.com.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: