terça-feira, 29 de setembro de 2009

O RENASCIMENTO DA ACARF


Foi, no passado, um dos mais activos clubes da região norte do País. Depois entrou em colapso, não renovou o vínculo à Federação Portuguesa de Orientação e praticamente desapareceu. Parece querer regressar agora, com um grupo muito jovem e com uma professora que nutre verdadeira paixão pela Orientação. Falamos da ACARF - Associação Social Cultural Artística e Recreativa de Forjães e da Professora Anabela Freitas.

Fundada a 25 de Março de 1983, a ACARF - Associação Social Cultural Artística e Recreativa de Forjães é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, reconhecida como de Utilidade Pública, sem fins lucrativos e inscrita como Associação Juvenil. Ao longo dos seus mais de 25 anos de existência, esta Associação tem vindo a promover diversas actividades, oferecendo aos habitantes de Forjães o gozo de uma vida mais saudável, alegre e preenchida.

Criada sob a bandeira teatral, sua actividade primeira, depressa a ACARF estendeu o seu raio de intervenção a outras vertentes, nomeadamente à área social e desportiva, cujos contributos para a melhoria da qualidade de vida dos seus cidadãos são hoje reconhecidos. Na vertente desportiva, a Orientação foi num passado recente uma das bandeiras da ACARF, entretanto quase extinta por vicissitudes de ordem vária. A verdade, porém, é que a situação parece querer inverter-se e a Secção de Orientação está prestes a ser reactivada, graças ao empenho e dedicação da Professora Anabela Freitas e ao apoio duma Direcção disposta a trabalhar em prol da colectividade.


"Uma florzinha que está aqui a crescer"

Orientovar – Estamos a assistir ao renascimento da ACARF e isto tem muito a ver com o seu empenho e dedicação à modalidade. Duma forma sucinta, quer fazer-nos o ponto da situação?

Professora Anabela Freitas – A minha paixão pela Orientação tem a ver com o Desporto Escolar e começou em 1997, numa escola em Castro Daire. Nessa altura apanhei um grupo de Orientação do Desporto Escolar e nunca mais larguei a Orientação até porque acabei por me tornar praticante. Como moro perto de Forjães, tomei conhecimento da existência deste clube – entretanto extinto -, começando a praticar Orientação pela ACARF. Quando fui colocada na Escola Básica Integrada de Forjães fiz força para que fosse formado um Grupo Equipa de Orientação, o que aconteceu no ano passado. Os miúdos inscreveram-se em massa, notámos logo que havia ali algum gosto por este tipo de actividades em contacto com a natureza e foi só dar-lhes um pouco as asas para eles voarem.

Orientovar – Que trabalho desenvolve actualmente com os miúdos?


Professora Anabela Freitas – Procuramos fazer um trabalho contínuo, um trabalho adaptado às idades deles, vamos trabalhando ao nível da própria motivação e nunca deixamos que eles fujam muito daqui. Para que os resultados apareçam muito tem contribuído o apoio do Ruben Quintão, que me ajuda no dia-a-dia com os treinos dos miúdos. Os treinos são ao sábado ou aproveitando as paragens lectivas do Natal e da Páscoa Tudo isto em regime de voluntariado e disponibilizando eu o meu tempo para estar com os miúdos, mas acaba por ser compensador para que estou a fazer uma coisa de que gosto.

Orientovar – Com que tipo de apoios conta?

Professora Anabela Freitas – Os apoios são-nos fornecidos pela própria escola a nível de verbas que vêm do Desporto Escolar. Em termos de transporte nunca tivemos problemas, há sempre um autocarro à porta para nos deslocarmos. Depois temos material da ACARF que não estava a ser utilizado e fazemos treino em mapa utilizando mapas antigos de provas feitas na Amorosa, Santa Luzia, Caminha e Fão.

Orientovar – O que está a faltar?

Professora Anabela Freitas – Estamos a procurar estabelecer um protocolo com a ACARF para que possamos ter mais possibilidades de apoio a nível de treinos, de competições fora do âmbito do Desporto Escolar. No ano anterior tivemos à volta de 50 alunos inscritos e, embora este ano só agora estejam a abrir as inscrições, pensamos que este número irá ser superior. A ideia será mesmo a de federar os miúdos, evitando que cheguem ao 9º ano e tudo acabe. Na ACARF vai nascer um novo grupo, com miúdos realmente muito novos, ao contrário do que aconteceu no passado. Esta é uma florzinha que está aqui a crescer e o meu sonho, sobretudo, é que eles continuem. Mesmo que mudem de escola, mesmo que encontrem pessoas diferentes, que nunca deixem de fazer desporto e, em particular, Orientação.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO


.

Sem comentários: