terça-feira, 1 de setembro de 2009

NA ORDEM DO DIA: A ESTAFETA DA DISCÓRDIA


De drama se fez a Estafeta, da Estafeta se faz um drama. É ainda a prova de Estafeta dos Mundiais de Orientação Pedestre WOC Miskolc 2009 a dar que falar e que continua, definitivamente, na ordem do dia.

1. Apesar de amplamente divulgada, recuperemos a história em traços gerais. Estávamos no último percurso da prova de Estafeta dos recentes Mundiais da Hungria, eis senão quando, após peripécias várias e surpreendentes alternâncias na cabeça da corrida, o atleta que seguia na frente é vítima dum grave acidente. Um pau espetado no músculo da coxa, a certeza de se estar perante uma lesão terrível, um grupo perseguidor que passa e prontamente presta auxílio, uma corrida que acaba para uns e prossegue para outros, uma cerimónia com a habitual entrega de prémios aos vencedores e palavras de apreço para com aqueles que abdicaram da vitória, elevando o sentido humanitário. E depois a polémica, os protestos, a indignação, o pedido de anulação da corrida ou do seu adiamento para uma data posterior, as acusações feitas mais ou menos em surdina, enfim, o rosário de lamentações com armas apontadas a um único objectivo: a IOF.

2. Terá estado bem a IOF ao validar os resultados? Quem de nós não prejudicou já – ou está pronto a prejudicar - a sua prova para ajudar alguém em apuros (Pedro Nogueira, no recente GP do RA4 é disto um louvável exemplo)? E quem, ao fazê-lo, está à espera que se anulem as provas só porque fez o que entendeu que devia ser feito? Pretende-se que, ao agir como agiu, a IOF abre um grave precedente, retirando do palmarés os valores da humanidade, do desportivismo e do ‘fair-play’. Mas quem fala assim não estará a ser demagógico, naquilo que o conceito tem de mais chocante?

3. A Orientação é única, bem o sabemos. Valoriza aquilo que o ser humano tem de melhor, no respeito para com os outros e para com o ambiente que o rodeia. É isso que nos caracteriza e nos mantém unidos sob um mesmo ideal. Ao abdicarem da vitória, Gueorgiou, Nordberg e Smola são merecedores de toda a minha admiração e respeito. Mas recuso-me a pensar que, se em vez deles, os protagonistas tivessem sido Hubmann, Khramov e Tiago Romão, o espírito de ajuda e o ‘fair-play’ tivessem sido diferentes. E aí talvez o agastamento de uns tantos não fosse o que é…

4. Chamados a pronunciar-se, 61% dos votantes na tabela promovida pelo conhecido ‘site’ Worldofo manifestaram-se a favor da anulação dos resultados. E você?

[foto de Henning Spjelkavik, em
www.orienteering.is]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

3 comentários:

Nuno disse...

Acho um absurdo a prova ser anulada, porque o proprio regulamento diz que caso um atleta esteja com algum problema grave deve ser ajudado.
E foi um acto de coragem que aqueles três atletas fizeram.

Luís Santos disse...

E onde está a justiça desportiva para estes 3 países?

Imaginem que chegavam 4 países às meias finais do Campeonato do Mundo de Futebol. 3 desistiam da participação por motivos de fairplay. O outro ganhava por ausência de adversários.

Seria um gesto muito nobre dos 3, mas a vitória do único em prova teria algum valor?

Considero que foi um gesto fantástico daqueles 3 atletas e também compreendo que eles não tenham pedido nada a ninguém. Mas daí a dizer-se que esta Estafeta tenha tido um vencedor justo vai uma distância enorme!

A vitória caiu literalmente no colo da Suíça mas não vale nada, pois qualquer suíço sabe bem que franceses, noruegueses e checos acabariam todos à sua frente e os suíços nem ao pódio iriam.

Respondendo à grande questão: deveria a estafeta ser repetida? Considerando que a vitória suíça não tem valor nenhum desportivo (embora fique para a História da modalidade) acho que a final devia ter sido repetida.

Saudações desportivas,
Luís Santos

PS: Até o resultado de Portugal é muito bom, mas como referi, valeu mais o 24º lugar na Suíça do que este 23º na Hungria...

ILCO disse...

Na minha opiniao as provas so devem ser repetidas ou anuladas se for culpa da organizaçao.
E se por exemplo aparecer um cao ao primeiro atleta e ela tenha que fugir ou for mordido?