domingo, 13 de setembro de 2009

ENTREVISTA: ISIDORO TEODORO APRESENTA O 2º ORI-KAYAK DO CC AMORA


Depois do sucesso da edição inaugural, em Abril passado, a Orientação em Kayak está de regresso à Baía do Seixal. Será já no próximo domingo, ainda e sempre pelas mãos do Clube de Canoagem da Amora, num mapa tão belo quão desafiante. É pelo menos isso que se infere das palavras de Isidoro Teodoro, o Director da Prova, numa Entrevista em exclusivo para o Orientovar e que agora se publica.


Orientovar - Como surgiu a ideia do Ori-Kayak?


Isidoro Teodoro - O Clube de Canoagem de Amora (CCA) nasceu da conjugação de vontades de um pequeno grupo de praticantes de Kayak-polo e que tinha como exclusiva opção a prática deste desporto. Mas com o passar do tempo outros elementos se foram associando ao clube, estes praticantes de desportos diferenciados, tais como a Orientação, o BTT, a Canoagem de Lazer, o Slalon e a Natação. E é numa normal conversa de café que um elemento praticante de Orientação, o Júlio Oliveira, e um outro elemento praticante de Canoagem de Lazer, o Isidoro Teodoro, pensam em fazer algo de diferente, aproveitando as excelentes condições naturais da baia da Amora. Ou seja, uma prova que englobasse a Orientação e a Canoagem. Depois de apresentada a ideia aos outros elementos da Direcção, nasceu, neste clube, o Ori-kayak. Decisão tomada, decidimos arriscar e, no passado dia 4 de Abril teve lugar o 1º Ori-kayak organizado pelo CCA.

Orientovar - Em que consiste e qual a sua filosofia?

Isidoro Teodoro - O Ori-kayak consiste numa prova de Orientação onde o principal meio de locomoção utilizado pelos participantes é o Kayak ou a Canoa. Sendo praticado principalmente em meio aquático, aproveita também a parte terrestre do meio envolvente, onde os participantes terão que por à prova as suas capacidades de Orientação.

Orientovar - Do ponto de vista técnico e logístico, quais as maiores dificuldades para pôr em marcha uma prova destas? Com que apoios contam?

Isidoro Teodoro - Um pequeno clube tem sempre dificuldades para organizar o que quer que seja, mas existe sempre a vontade de uns poucos que conseguem levar a bom termo aquilo a que se propõem. No que a esta prova diz respeito a dificuldade principal consistiu na realização do mapa, o qual foi conseguido com muitos dias e noites de trabalho ao Júlio Oliveira. No que ao apoio directo para a prova respeita, temos a Câmara Municipal do Seixal, a qual nos empresta alguns dos kayaks que facultamos aos participantes que não têm material.

Orientovar - Sendo esta a segunda edição da prova, que aspectos mais significativos retiraram da edição inaugural e que alterações foram introduzidas duma prova para a outra?

Isidoro Teodoro - Da primeira edição ficamos principalmente com a certeza de que este é um tipo de desporto que poderá ter pernas - e kayaks (!) - para andar. As inscrições aconteceram e os participantes, sem excepção, demonstraram satisfação para com a prova e para com a organização. Relativamente à primeira edição, aumenta a distância de 5,8 km para 10,3 km e o percurso será quase todo em meio aquático. O mapa também é diferente. No final já seremos possuidores de termos de comparação que em próximas edições serão levados em conta.

Orientovar - Num "terreno" limpo e com óptima visibilidade (a menos que o nevoeiro se lembre de aparecer), o aspecto físico parece claramente preponderante em relação à parte técnica. Isso não constitui uma desvantagem desta variante relativamente às restantes disciplinas da Orientação?


Isidoro Teodoro - O terreno não é tão limpo assim. Mesmo sem nevoeiro, o grau de dificuldade neste ambiente, baia natural de Amora, poderá ser muito elevado. Não é o caso da actual edição. Para quem compete pelos lugares do pódio o aspecto físico ou o material utilizado poderão ser factor essencial.

Orientovar - Quem vier à Baía Natural de Amora no próximo domingo, o que irá encontrar?

Isidoro Teodoro - Primeiro esperamos que encontrem um lindo dia para a prática desportiva. Vão encontrar uma baia de água salgada que está a voltar a ter excelentes condições para a prática desportiva. Vão encontrar uma pequena equipa organizadora com vontade de fazer. Vão encontrar um convívio salutar.

Orientovar - Que equipamento recomenda? Quem não tiver kayak, poderá contar com material emprestado pelo clube?

Isidoro Teodoro - O equipamento ideal será o kayak-mar, pagaia e colete. Mas qualquer kayak ou canoa tem condições para navegar na baia. A quem quiser participar e que não tenha material, o clube empresta o dito, dentro das suas possibilidades.

Orientovar - O que diria aos indecisos?

Isidoro Teodoro - Compareçam. Participem. Critiquem. Todos temos a ganhar.

Saiba mais em
http://clientes.netvisao.pt/ccamora/conteudo_orikayak.htm.

[mapa da primeira edição gentilmente cedido por Isidoro Teodoro]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: