sexta-feira, 18 de setembro de 2009

42º CISM - CAMPEONATO MUNDIAL MILITAR DE ORIENTAÇÃO PEDESTRE: DANIEL HUBMANN, O HERÓI DESTA 'GUERRA'


O suiço Daniel Hubmann arrebatou a segunda medalha de ouro neste 42º CISM – Campeonato Mundial Militar de Orientação Pedestre, ao vencer a prova de Distância Média na manhã de hoje. No sector feminino, a vencedora foi a letã Aija Skrastina.

Daniel Hubmann repetiu um triunfo no 42º Campeonato Mundial Militar de Orientação Pedestre que decorre em Võru, no sul da Estónia. O número 1 do ‘ranking’ mundial foi o mais rápido entre os 162 atletas em prova, gastando 27.30 para 5,4 km de prova. Hubmann destronou o russo Valentin Novikov, vencedor em Alytus (Lituânia), batendo-o pela escassa margem de 5 segundos. Nas terceira e quarta posições classificaram-se Fabian Hertner e Matthias Merz, confirmando o domínio suíço no sector masculino. Irá a Suiça manter a supremacia e, vencendo a Estafeta que amanhã encerra os Campeonatos, confirmar o resultado do WOC Miskolc 2009, arrebatar o ceptro à Rússia e possibilitar o “tri” dourado de Daniel Hubmann? Muito coisa está em jogo, como se percebe, e a luta vai ser seguramente renhida.

No sector feminino, a russa Julia Novikova não seguiu as pisadas de Hubmann e quedou-se pela segunda posição com o tempo de 31.28. Aija Skrastina foi a grande vencedora, gastando menos 34 segundos do que a russa para um percursos de 4,4 km. Skrastina, que na prova de Distância Longa tinha feito ‘mp’, sucede à multi-campeã russa, Tatiana Ryabkina. Na terceira posição classificou-se ainda outra russa, Galina Vinogradova, com mais
1.04 que a vencedora. À semelhança do que acontecera na prova de Distância Longa, a equipa da casa ficou à margem do pódio, com Annika Rihma a ocupar a 5ª posição.
Participaram nesta prova 55 atletas.

Contas da casa

Quanto aos nossos atletas, a sua prestação foi de uma maneira geral melhor do que anteontem, apesar do maior grau de dificuldade do percurso. Alexandre Reis, a abrir a segunda metade da tabela, foi o nosso atleta melhor posicionado (82º lugar). No que às senhoras diz respeito, Ana Magina foi de novo a melhor atleta portuguesa, concluindo na 36ª posição. Portugal fechou as duas provas individuais (Distância Longa e Distância Média) no 18º lugar colectivo entre 25 selecções, no que ao sector masculino diz respeito. No mesmo sector, imediatamente atrás de nós classificou-se a Espanha. Bem melhor esteve o Brasil, concluindo na 14ª posição e hoje a colocar três atletas na primeira metade da tabela, com Leandro Pereira Pasturiza a alcançar um brilhante 48º lugar. No sector feminino, a Rússia levou a melhor sobre a Lituânia por escassos 17 segundos, enquanto o Brasil alcançou o 8º lugar entre 11 países classificados.


Amanhã disputa-se a prova de Estafetas e Portugal competirá apenas com uma equipa masculina e fará alinhar, na equipa feminina, as duas primeiras atletas, ficando para a ultima manga Lídia Magalhães que devido a lesão, não partirá.



No uso da palavra

O ponto positivo é que me sinto muito feliz, primeiro por participar de um Campeonato onde estão os melhores do mundo, e segundo porque já consigo navegar num ritmo muito bom em um terreno totalmente diferente do que estou acostumado no Brasil. O ponto negativo é que cometi erros nos dois percursos, na Distância Média pela pressão psicológica inicial que me levou a errar o ponto 1, após isso consegui me concentrar e realizei um bom percurso; na Longa, por conta do cansaço, cometi erros graves. No geral estou contente com meu resultado e ciente de que preciso de mais treino em terrenos europeus para melhor adaptação. Neste Campeonato os terrenos e os mapas são excelentes, com um grau de dificuldade considerável, principalmente a prova de Distância Média. A organização do evento óptima, parabéns aos organizadores.
Sarg. Leandro Pasturiza - Brasil


Para um primeiro Mundial, até não correu mal ! A prova de Distância Longa foi uma desilusão para mim porque ao cometer um erro do ponto 2 para o 3, precisamente na pernada longa, hipotequei a possibilidade de entrar na primeira metade da tabela (objectivo que coloquei a mim próprio). No dia de hoje, a prova de Distância Média já correu dentro do que eu acho serem as minhas reais capacidades. Navegar sempre dentro de floresta muito densa, pouco relevo, terreno muito sujo que dificulta em muito a progressão e andar em 90% do percurso sem ver um único atleta, deu para ganhar confiança e fazer um percurso com poucos e pequenos erros, que em pouco dilatou o meu tempo final. Em resumo, as minhas grandes dificuldades foram a falta de adaptação ao tipo de terreno, aos critérios do cartografo e ao ritmo de competição que é muito superior ao praticado em Portugal e no qual inconscientemente entramos, levando-nos a cometer mais erros. Também deu para comprovar a minha teoria de que a Orientação e o percurso se faz entre pontos e não em encontrar balizas! Por ultimo, em relação às famosas colas (!), se os melhores do Mundo convivem com elas constantemente e não se pronunciam, não percebo porque se fala tanto nisso em Portugal. Ou seja, faz parte da Orientação!!!
1º Sarg. Alberto Branco - Marinha

A bússola tremeu, não da velocidade mas dos poucos e significativos desvios da linha púrpura. A cabeça não bateu em nenhum pinheiro mas deu algumas cabeçadas em alguns dos pontos de controlo do papel plastificado e colorido. Os códigos não foram todos confirmados, mas o fantasma da desclassificação ficou a léguas da navegação segura e (quase) sempre presente. Na Longa, a distância do percurso extravasou o esforço láctico dos membros inferiores e na Média, quiçá para não bater com a cabeça num pinheiro, fiz um percurso maior para o sétimo ponto, mas não o suficiente para pagar os cafés à noite :). A missão está a ser cumprida dentro do lema dos jogos do campeonato.
Cap. Tiago Lourenço Lopes - GNR


Resultados

Masculinos
1º Daniel Hubmann (Suíça) 27.30

2º Valentin Novikov (Rússia) 27.35
3º Fabian Hertner (Suiça) 27.56
4º Matthias Merz (Suíça) 28.18
5º Edgars Bertuks (Letónia) 28.23
6º Leonid Novikov (Rússia) 28.38
7º Janis Krumins (Letónia) 28.55
8º Dmitry Tsvetkov (Rússia) 29.02
9º Tero Föhr (Finlândia) 29.10
10º Baptiste Rollier (Suiça) 29.23
(…)
48º Leandro Pasturiza (Brasil) 34.23
78º Cleber Baratto Vidal (Brasil) 41.23
79º Miguel Rodriguez Macias (Espanha) 41.37
80º Juscelino Alencar Karnikowski (Brasil) 41.59
82º Alexandre Reis (Portugal) 42.31
90º Angel Rojas Aviles (Espanha) 44.16
98º Odacir Fernandes (Brasil) 46.33
100º Ironir Alberto Ev (Brasil) 47.08
101º Alberto Branco (Portugal) 47.17
105º Jorge Correia (Portugal) 48.09

109º Santiago Jimenez Molina (Espanha) 49.55
114º Tiago Lourenço Lopes (Portugal) 53.09
115º Armando Santos Sousa (Portugal) 53.39
121º Vanderlei Bortoli (Brasil) 56.29
129º Cezar Augusto Fioravanti dos Santos (Brasil) 59.20
130º Remigio Rodriguez Enrique (Espanha) 1.00.02
131º Angel Alvarez Serto (Espanha) 1.00.24
141º Alfredo Micol Gallego (Espanha) 1.09.17
146º Israel Garrido de la Torre (Espanha) 1.15.16

Femininos
1º Aija Skrastina (Letónia) 30.54

2º Julia Novikova (Rússia) 31.28
3º Galina Vinogradova (Rússia) 31.58
4º Ieva Sargautyte (Lituânia) 32.19
5º Annika Rihma (Estónia) 32.49
6º Una Arama (Letónia) 33.12
7º Marika Teini (Finlândia) 33.37
8º Kirti Rebane (Estónia) 34.29
9º Sari Suomalainen (Finlândia) 35.03
9º Indre Valaite (Lituânia) 35.03
(…)
29º Ana Rachel Lemes (Brasil) 46.32
36º Ana Magina (Portugal) 53.10
38º Mirian Ferraz Pasturiza (Brasil) 59.51
40º Marinas Roja Monserrat (Espanha) 1.04.46
48º Suati Almeida (Portugal) 1.18.02
49º Magdalena Blanco Cantero (Espanha) 1.19.38
50º Juliane Mendonça (Brasil) 1.22.08

Renovamos os agradecimentos a Alexandre Reis pela sua disponibilidade na recolha e envio de informação e depoimentos. Saiba mais em
http://www.mil.ee/orienteering/.

[Fotos extraídas da página oficial da prova em
http://www.mil.ee/orienteering/?q=node/81]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: