quinta-feira, 13 de agosto de 2009

WOC MTBO ISRAEL 2009: ESTAFETAS AO RUBRO


Anton Foliforov, assim se chama o herói da jornada! Recebeu o testemunho bem cá atrás, muito depois de checos, finlandeses e suíços. Sem margem para erros fez a prova da sua vida e, no final, ofereceu à Rússia o título mais desejado.

Teve lugar esta tarde em Ben Shemen (Israel), a final de Estafetas do 7º Campeonato do Mundo de Orientação em BTT. No sector masculino a prova foi imprópria para cardíacos, começando melhor a Finlândia, com Tuukka Turkka a passar o testemunho na primeira posição, gastando 40.55. Lauri Malsroos (Estónia), Beat Schaffner (Suiça) e Martin Sevcik (República Checa 2) seguiam nas posições imediatas com os tempos de, respectivamente, 41.39, 41.53 e 42.01. O segundo percurso foi dominado pelo Campeão do Mundo de Distância Média, Torbjorn Gasbjerg (Dinamarca), mas os grandes beneficiados foram os suíços graças à boa prestação de Simon Seger.

À partida para o último percurso, o leque de potenciais candidatos à vitória parecia reduzido a quatro equipas, com finlandeses, suíços e as duas turmas checas a lutarem entre si pelo ouro. Marek Pospisek foi infeliz, fez um tempo para esquecer e pôs a República Checa 2 fora da corrida. Beat Oklé (Suiça) esteve pouco melhor e viu a sua equipa cair para fora das medalhas. Lubomir Tomecek (República Checa 1) recuperou o 1.06 de desvantagem em relação ao finlandês Juho Saarinen, acrescentou-lhe ainda 30 segundos e levou a sua equipa ao... segundo lugar. Isto porque ninguém esperava que Anton Foliforov recuperasse quase cinco minutos em relação aos primeiros e levasse a Rússia 1 ao ouro. Pois foi isso mesmo que aconteceu e a Rússia conquista o seu primeiro título mundial de Estafetas masculinas quando já nada o fazia prever!

A um lugar do top-10

Quanto aos portugueses, brilhante é o mínimo que se pode dizer da prestação de Paulo Alípio, o responsável pelo primeiro percurso da nossa Estafeta. O atleta cumpriu a sua prova em 44.52, entregando o testemunho a João Ferreira na 9ª posição, a escassos 48 segundos do 5º lugar, então ocupado pela equipa nº 2 da Rússia. João Ferreira, contudo, esteve definitivamente em dia não. Um registo de 55.54 (pior mesmo só os japoneses Keiichi Tamaki e Tatsuhiko Adachi, o israelita Yarden Golan e o lituano Vykintas Celkys) comprometeu em definitivo um lugar no top-10, atirando a nossa selecção para o 12º lugar, a 16 segundos da Grã-Bretanha, 11ª classificada, mas já a distantes 5.49 da 10ª posição, ocupada então pelos italianos.

Daniel Marques cumpriu um último percurso “de raiva”, gastou 44.42, fez o 7º melhor tempo da Geral mas tal desiderato permitiu apenas a recuperação de uma posição, quedando-se o combinado luso no 11º lugar, a 3.37 da Itália, 10ª classificada. Desta forma, Portugal iguala a classificação de Ballarat, Austrália (2004), enquanto o 10º lugar de Banská Bystrica, Eslováquia (2005) constitui, ainda e sempre, o melhor resultado duma Estafeta portuguesa em Campeonatos do Mundo.

Michaela Gigon e o título que lhe faltava

No sector feminino a Áustria chegou ao título mundial de Estafetas pela primeira vez na sua história, quebrando o domínio esmagador da Finlândia, vencedora nas duas anteriores edições e ainda em 2002 e 2004. O equilíbrio foi a nota dominante do primeiro percurso, com as 7 primeiras equipas separadas entre si por pouco mais de dois minutos e Hana La Carbonara a colocar em vantagem a República Checa. No segundo percurso este leque de pretendentes partiu precisamente por onde menos se imaginaria: A finlandesa Marika Hara, que dois dias antes se sagrara Campeã do Mundo de Distância Média, teve uma prova para esquecer e a Finlândia viu-se logo ali arredada das medalhas, impossibilitada de revalidar um título que fora seu nas duas anteriores edições da prova.


No último percurso assistiu-se a um empolgante duelo entre as duas primeiras classificadas do ‘ranking’ mundial, Michaela Gigon e Christine Schaffner, com a vantagem a sorrir uma vez mais à austríaca. Michaela Gigon junta assim, aos quatro títulos mundiais individuais, o título que lhe faltava, precisamente na Estafeta, ultrapassando ainda a finlandesa Päivi Tommola e chegando ao topo da lista das atletas mais medalhadas em Campeonatos do Mundo com 5 medalhas de ouro, 5 de prata e 2 de bronze. Extra-competição, Susana Pontes participou nesta prova fazendo equipa com as espanholas Isabel Sanjuan e Susana Arroyo, quedando-se o combinado ibérico pela última posição.

Resultados

Masculinos

1º Rússia 1 (Maxim Zhurkin, Ruslan Gritsan, Anton Foliforov) 2.04.17
2º República Checa 1 (Radek laciga, Jiri Hradil, Lubomir Tomecek) 2.05.22
3º Finlândia (Tuukka Turkka, Samuli Saarela, Juho Saarinen) 2.05.52
Rússia 2 (Andrey Kornev, Pavel Blagikh, Viktor Korchagin) 2.06.44
4º Suiça (Beat Schaffner, Simon Seger, Beat Oklé) 2.08.11
5º Dinamarca (Erik Skovgaard Knudsen, Torbjorn Gasbjerg, Lasse Brun Pedersen) 2.09.24
(…)
12º Portugal (Paulo Alípio, João Ferreira, Daniel Marques) 2.25.28

Femininos
1º Áustria (Elisabeth Hohenwarter, Sonja Zinkl, Michaela Gigon) 2.25.11
2º Suiça (Maja Rothweiler, Ursina jaggi, Christine Schaffner) 2.25.43
3º Rússia 1 (Nadya Mikryukova, Tatiana Repina, Ksenia Chernikh) 2.27.17
4º República Checa 1 (Hana La Carbonara, Martina Tichovska, Renata Paulickova) 2.27.56
5º Finlândia (Kirsi Korhonen, Marika Hara, Ingrid Stengard) 2.32.33

Saiba tudo em
www.nivut.org.il/mtbo/

[foto gentilmente cedida por Eduardo Oliveira]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

..

Sem comentários: