domingo, 23 de agosto de 2009

WOC MISKOLC 2009: DANIEL HUBMANN E SIMONE NIGGLI FECHAM CAMPEONATOS COM CHAVE DE OURO


Já sem a presença de atletas portugueses, chegaram ao fim os 26º Campeonatos do Mundo de Orientação Pedestre WOC Miskolc 2009. Na final da prova de Distância Longa, Daniel Hubmann e Simone Niggli mostraram todo o seu valor, alcançando vitórias concludentes.

Foi a grande dominadora destes Mundiais WOC Miskolc 2009. Três medalhas de ouro, duas de prata e quatro de bronze são o reflexo do poderio da Suiça, uma selecção onde pontificam alguns dos maiores vultos da Orientação mundial. A começar desde logo por Daniel Hubmann e Simone Niggli, autênticos ‘chefes-de-fila’ desta verdadeira parada de estrelas e que encerraram da melhor forma a sua participação nos Campeonatos, ou seja, com o ouro da vitória.

No sector masculino, Daniel Hubmann [na foto durante a prova de Distância Longa do Portugal O’Meeting 2009, em Mora] revalidou o seu título mundial de Distância Longa, vencendo sem contestação. O actual líder do ‘ranking’ mundial entrou bem no mapa e, com apenas três dos trinta e quatro pontos controlados, comandava já. Sensivelmente a meio da prova, uma má opção fê-lo perder a liderança para o norueguês Anders Nordberg, mas foi sol de pouca dura. Dois pontos à frente, Hubmann recuperava o comando e, aguentando bem a pressão do seu grande adversário, o francês Thierry Gueorgiou, levou a corrida controlada até ao final, acabando por vencer categoricamente com o tempo de 1.36.31. Hubmann subiu assim ao pódio pela quarta vez nestes Campeonatos, tantas quantas as provas disputadas (recorde-se a medalha de ouro na Estafeta, a prata na Distância Média e o bronze no Sprint), alcançando a 10ª medalha da sua carreira em Campeonatos do Mundo.

Gueorgiou e Mamleev, Khramov e Ionut Zinca

Gueorgiou foi segundo com mais 1.55 que o vencedor, juntando a medalha de prata ao título de Campeão do Mundo de Distância Média alcançado na passada quarta-feira. Na terceira posição, com o tempo de 1.40.40, classificou-se o italiano Mikhail Mamleev, um ‘veterano’ que se estreou nestas andanças em Grimstad, Noruega (1997) e que, na sua 9ª participação em Campeonatos do Mundo, alcança aqui o seu melhor resultado individual de sempre. As duas notas de decepção vão para o romeno Ionut Zinca, 25º classificado da Geral e para o bi-Campeão do Mundo de Sprint, o russo Andrey Khramov, que não foi além da 39ª posição entre os 45 atletas presentes nesta final.

Resultados
Masculinos
1º Daniel Hubmann (Suiça) 1.36.31

2º Thierry Gueorgiou (França) 1.38.26
3º Mikhail Mamleev (Itália) 1.40.40
4º Mats Haldin (Finlândia) 1.41.57
5º Dmitry Tsvetkov (Rússia) 1.42.27
6º EmilWigstedt (Suécia) 1.42.39
7º Olav Lundanes (Noruega) 1.43.23
8º Anders Nordberg (Noruega) 1.43.27
9º Graham Gristwood (Grã-Bretanha) 1.43.49
10º Baptiste Rollier (Suiça) 1.44.06

O regresso de Simone Niggli às grandes vitórias

No sector feminino, tanto ameaçou o ouro que acabou por arrecadá-lo. Simone Niggli fez uma prova praticamente perfeita, não concedendo veleidades às suas adversárias e concluindo no tempo de 1.17.26. Após um interregno que englobou inclusivamente os Mundiais de Olomouc (República Checa) do ano transacto, é o regresso às vitórias em Campeonatos do Mundo daquela que é a melhor orientista de todos os tempos, somando com mais este triunfo a extraordinária conta de 15 medalhas de ouro naquela que é a mais importante competição internacional de Orientação Pedestre.

Tal como a atleta suiça, também a norueguesa Marianne Andersen subiu pela terceira vez ao pódio nestes Campeonatos, juntando ao ouro da Estafeta e à prata da prova de Distância Média, nova medalha de prata, pelo que justo será afirmar-se que, a eleger a figura feminina do WOC Miskolc 2009, Andersen será seguramente merecedora da distinção. Minna Kauppi Chegou à Hungria com com o título de líder do ‘ranking’ mundial e foi, nessa medida, a grande desilusão da competição. Juntou o bronze de hoje ao bronze da Estafeta de ontem e… por aí se quedou.

Bravo, Esther!

Claramente na mó de cima esteve a checa Dana Brozková, juntando ao 5º lugar na Estafeta e sobretudo ao ouro na prova de Distância Média, um 4º lugar no dia de hoje. Um ‘bravo’ merecido ainda para a espanhola Esther Gil, sensacional 16ª classificada, melhorando aquele que era o seu melhor resultado individual ao longo das últimas sete edições do certame, o 18º lugar de Olomouc, precisamente nesta distância.

Resultados

Femininos
1º Simone Niggli (Suiça) 1.17.26

2º Marianne Andersen (Noruega) 1.19.17
3º Minna Kauppi (Finlândia) 1.19.36
4º Dana Brozková (República Checa) 1.19.47
5º Linnea Gustafsson (Suécia) 1.20.48
6º Anne-Margrethe Hausken (Noruega) 1.21.50
7º Anni-Maija Fincke (Finlândia) 1.22.30
8º Helena Jansson (Suécia) 1.23.26
9º Eva Jureniková (República Checa) 1.23.48
10º Galina Vinogradova (Rússia) 1.24.10

Suiça domina Quadro de Medalhas

Uma nota final para o medalheiro dos Campeonatos. Numa tabela onde apenas oito países lograram inscrever o seu nome, a Suiça foi a grande dominadora, alcançando um total de 9 medalhas (três de ouro, duas de prata e 4 de bronze). Mas vejamos como ficaram distribuídas as 24 medalhas:

1º Suiça (3 ouro, 2 prata, 4 bronze)
2º Suécia (1 ouro, 2 prata)
2º Noruega (1 ouro, 2 prata)
4º França (1 ouro, 1 prata)
4º Rússia (1 ouro, 1 prata)
6º República Checa (1 ouro)
7º Finlândia (3 bronze)
8º Itália (1 bronze)

Num breve exercício feito pelo Orientovar e que levou em linha de conta os resultados até ao 6º lugar (6 pontos ao primeiro, 5 ao segundo e por aí fora até 1 ponto ao sexto classificado), chega-se à confirmação do poderio suíço embora o número de países neste quadro se alargue consideravelmente e a Finlândia apareça assim no 3º lugar. Neste contexto, a classificação acaba por ser a seguinte:

1º Suiça – 50 pontos
2º Suécia – 23 pontos
3º Finlândia – 21 pontos
4º Noruega – 20 pontos
5º Rússia – 14 pontos
6º França – 13 pontos
7º República Checa – 11 pontos
8º Itália – 4 pontos
9º Dinamarca – 3 pontos
9º Letónia – 3 pontos
11º Austrália – 2 pontos
11º Hungria – 2 pontos
13º Bulgária – 1 ponto
13º Polónia – 1 ponto

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: