domingo, 9 de agosto de 2009

MTBO WOC ISRAEL 2009: PRIMEIRAS IMPRESSÕES


Já em Israel, para onde viajaram no passado dia 3, Daniel Marques, João Ferreira, Paulo Alípio e Susana Pontes seguem o necessário plano de adaptação ao terreno, às condições logísticas e sobretudo ao clima, pouco misericordioso nesta altura do ano. Foi de lá que nos enviaram as primeiras impressões, respondendo amavelmente ao convite feito pelo Orientovar.


Orientovar - Com que expectativa enfrenta esta participação nos Campeonatos do Mundo de Orientação em BTT 2009?

Daniel Marques - Posso dizer que estou com a moral em baixo. Tive problemas na minha preparação física para este Campeonato do Mundo, estive parado quase dez dias na tentativa de recuperar o meu organismo de sintomas de excesso de treino associado a pouco descanso. Recomecei os treinos aqui, em Israel, e receio que não esteja nas condições ideais para disputar uma competição desta natureza. Deste modo, não acredito que vá atingir grandes resultados, mas vou procurar dar o meu melhor, sem stress…

João Ferreira - Por ser a fase de transição de Júnior para Sénior, é complicado pensar em resultados, mais a mais sendo este o primeiro Campeonato do Mundo de Seniores a que vou e sendo ainda Júnior. Apesar disso quero dar tudo e fazer o melhor resultado possível.

Paulo Alípio - Sem qualquer expectativa em particular, somente dignificar o país da melhor forma que conseguir.

Susana Pontes - Sempre com as melhores possíveis dentro dos níveis de participação em que me incluo. É para isso que me preparo, para dar sempre o meu melhor.

Orientovar - Já no terreno, qual a primeira impressão acerca do acolhimento, da máquina organizativa e dos níveis de segurança implementados?

Daniel Marques - O acolhimento parece-me o adequado. Em relação à maquina organizativa ainda não dá para ter ideias concretas, visto que oficialmente ainda não começou a competição. Nós só tivemos dois contactos com a Organização - no acto da entrega dos alojamentos e no fornecimento dos mapas de treino. A segurança tem um grau de vigilância impressionante.

João Ferreira - Fomos bem recebidos, tínhamos uma pessoa da Organização à chegada que nos orientou, nos trouxe até aos nossos alojamentos e nos explicou o funcionamento das refeições. Da máquina organizativa das competições em si ainda nada se viu, apenas do ‘catering’ de refeições e alojamento. Até agora nada a apontar. Segurança, temos um segurança que nos vigia os nosso alojamentos.

Paulo Alípio
- Ainda é cedo para avaliar a máquina organizativa e quanto às questões de segurança é perceptível e visível que aqui esta questão é levada muito a sério dando como exemplo os dois vigilantes armados que nos "protegem" durante a noite.

Susana Pontes - O acolhimento tem sido bom, sempre tentando ser prestáveis e ouvindo as nossas sugestões, por forma a melhorarem o serviço prestado, nomeadamente, quando lhes pedimos para colocarem alguns Hidratos de Carbono como condimento do jantar... Quanto à prova propriamente dita (Organização) não podemos ainda avaliar, pois ainda quase não se vê!! Níveis de segurança, disfarçada mas presente, podemos ver alguns seguranças durante a noite, armados!!!

Orientovar - Que conhecimento possui das áreas onde se vão disputar as provas e daquilo que se pode esperar em termos de mapas e percursos?

Daniel Marques - O conhecimento das áreas de competição resume-se à nossa análise de mapas antigos divulgados pela Organização no ‘site’ da prova. Estou confiante na qualidade deste Mundial, os terrenos parecem bastantes exigentes fisicamente e do ponto de vista técnico julgo ser muito semelhante às competições nacionais.

João Ferreira - Já realizámos um treino num mapa similar ao que vamos encontrar. Terreno com desnível, misto de zonas abertas onde o sol se faz sentir bastante, e zonas de pinhal com alguns ‘single tracks’. Alguma pedra nos caminhos e terreno em si.

Paulo Alípio – O pouco conhecimento que tenho advém dos mapas antigos que foram divulgados. Espero provas exigentes fisicamente, sobretudo pelo calor e desnível, e técnicas.

Susana Pontes
- Ainda pouca! Vivendo de alguns mapas de treino cedidos amavelmente por algumas equipas... Desta forma, conseguimos já ter uma muito pequena, ainda, noção do terreno das Provas... No entanto, e quanto ao calor, esse sim já conseguimos sentir o que vamos encontrar (típico Alentejano! Um pouco mais húmido)...

Orientovar - Quer partilhar connosco um grande desejo?

Daniel Marques - O meu maior desejo é - e será sempre! - representar da melhor forma Portugal e sentir no fim da competição que fiz tudo o que estava ao meu alcance.

João Ferreira - Que tudo corra pelo melhor à comitiva portuguesa.

Paulo Alípio - Ficarmos entre as oito melhores selecções na prova de Estafetas.

Susana Pontes
- Um grande desejo é que tudo corra pelo melhor com todos nós, sem um qualquer problema físico e se possível todos satisfeitos com a nossa prestação.

Mais informações nas páginas pessoais de Daniel Marques, em
http://dani-oribtt.blogspot.com/ e de João Ferreira, em http://www.joaoferreira.net/, ou ainda no “site” oficial da prova em http://www.nivut.org.il/mtbo/.

[foto gentilmente cedida por João Ferreira]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: