terça-feira, 21 de julho de 2009

TEMPORADA 2008/2009: A ANÁLISE ESTATÍSTICA DE LUÍS SANTOS


Chegada ao fim, a época 2008-2009 volta a ser alvo da análise estatística de Luís Santos. Tratada em detalhe, a frieza dos números revela alguns dados curiosos, merecedores de reflexão e definitivamente na Ordem do Dia.


1. A nível de Taça de Portugal de Orientação Pedestre os números foram positivos, embora grandemente impulsionados pelo POM 2009 (bastava que o POM tivesse repetido os números de 2008 para ter havido descida no número médio de participantes). Há, no entanto, outros sinais positivos da época 2008/2009 como o número mínimo de participantes numa época a atingir números parecidos com os de há duas épocas atrás (498 contra os 524 de 2006/2007).

.
2. No número de atletas nos ‘rankings’ é que as coisas se complicam. Apesar de termos perdido apenas uma pessoa no número total em relação a 2007/2008 esta é a terceira descida consecutiva desde os 914 de 2005/2006, passando sucessivamente a 899, 860 e 859 nesta época. E se compararmos a época actual com essa, poderemos observar que os jovens sobem significativamente (214 para 243) e as perdas estão praticamente concentradas nos seniores (332 para 269).

3. Na Orientação em BTT as coisas estão bem piores, como aliás já suspeitávamos. O número médio de participantes por prova voltou a descer significativamente (330 para 281) e pior ainda foi a drástica redução da prova mais participada da época. Foi a primeira vez desde 2004 que não conseguimos passar os 400 participantes (máximo de 336 em Ourém).

4. No número de atletas nos ‘rankings’ da Orientação em BTT as coisas estão ainda pior. A descida de 19% da época anterior fora dramática mas esta época voltámos a descer 8%. Os 320 atletas federados de 2008/2009 estão já a anos-luz dos 427 de 2006/2007 e perto dos 301 de 2004/2005.

5. Para terminar destaco os quatro totalistas de 2008/2009 em todas as provas da Taça de Portugal de Orientação em BTT e de Orientação Pedestre: Eduardo Oliveira (ATV), Tiago Fernandes (CPOC), Luís Sousa (Clube TAP) e Crispim Júnior (ADFA). A Direcção da Federação Portuguesa de Orientação tem dois desses quatro totalistas pelo que me permitem certamente endereçar os parabéns ao Tiago Fernandes e ao Eduardo Oliveira, pois na minha opinião é um feito tão importante como ganhar um escalão. E um sinal de envolvimento e atenção da actual Direcção aos fenómenos da modalidade.

[texto de Luís Santos]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: