segunda-feira, 20 de julho de 2009

NO RESCALDO DO II .COM 'O' SPRINT: O BALANÇO DE ANA MARGARIDA GUIMARÃES


No rescaldo do II .COM ‘O’ Sprint, imediatamente antes da Cerimónia de Entrega de Prémios, o Orientovar conversou com Ana Margarida Guimarães, a Directora da Prova. Dessa Entrevista aqui fica o essencial.


Orientovar – Imagino que não foi fácil dar provimento a um programa tão intenso e exigente. Quer-nos dizer algo sobre isso?

Ana Margarida Guimarães – Sobretudo na última etapa foi complicado. Estávamos a contar com o apoio de algumas Associações do centro da cidade, para nos darem cobertura aos pontos e às bases por aí espalhadas, já que noutras ocasiões têm desaparecido. À falta desse apoio, tivemos que proceder a uma redistribuição do nosso pessoal e acabámos por ficar um bocado desfalcados. Mas penso que conseguimos levar devidamente as coisas até ao fim.

Orientovar – No seu todo, que aspectos destacaria como mais-valias deste II .COM ‘O’ Sprint?

Ana Margarida Guimarães – Procurámos oferecer três etapas distintas, evitando repetir anteriores situações dentro do espaço que temos para gerir. A etapa do Bom Jesus é muito bonita, um espaço verde, com água, um pedaço de floresta em meio urbano. Particularmente a etapa no ‘campus’ da Universidade do Minho agradou-me imenso pelo ambiente que se gerou. Havia atletas a fazer a prova, atletas a assistir, a aproveitar os relvados para descansar… Achei aquilo especial, dando uma imagem muito bonita. O próprio pessoal da Universidade ficou encantado com o ambiente que se conseguiu recriar ali. Quanto ao Centro da cidade, entre as ruas e os caminhos, tudo mais escondido, não tive uma noção tão adequada de como as coisas correram. Ganhamos aqui com a Cerimónia de Entrega de Prémios, com um enquadramento muito especial, neste espaço nobre e que é dos mais bonitos da cidade.

Orientovar – Que apoios destacaria?

Ana Margarida Guimarães – A autarquia de Braga e a Universidade do Minho foram dois apoios fundamentais. Conseguimos também o apoio da Junta de Freguesia de Lamaçães que está sempre connosco. Tivemos ainda a colaboração da Junta de Freguesia de S. José de S. Lázaro, que apanha uma ponta deste mapa de cidade. Não nos conheciam – “vocês não são de cá…” – mas apoiaram-nos na mesma. E sobretudo o Inatel foi fantástico. Ofereceram-nos os espaços, instalações, balneários, os troféus para as classificações colectivas. E depois o IDP, as Águas do Fastio, a FPO, enfim, aqueles apoios mais comuns.

Orientovar – No final de tudo, que balanço?

Ana Margarida Guimarães – Ainda não consegui parar para pensar, ainda estou aqui a duzentos à hora, à espera dos últimos resultados para arrancarmos com a Cerimónia de Entrega de Prémios. Devo confessar que, apesar do baixo número de participantes, estava a contar em ter menos ainda. Penso que é um resultado positivo. Houve algumas falhas que me deixaram um bocado chateada, mas pronto… As coisas nem sempre correm como nós queremos. Houve um investimento muito forte para que tudo corresse bem e depois qualquer falha, por pequena que seja, transforma-se numa coisa enorme. Mas apesar disso tudo o balanço é mais positivo que negativo.

Orientovar- Investida pela primeira vez no cargo de Directora da Prova, o que achou da experiência?

Ana Margarida Guimarães – Foi um processo relativamente conturbado, já que o evento esteve inicialmente marcado para a cidade de Guimarães e à última da hora ficámos desapoiados e tivemos que vir para aqui… A experiência acaba por ser enriquecedora, apesar dos “ses” que se levantaram, nomeadamente hoje no decorrer das provas. Às tantas era toda a gente a fazer perguntas ao mesmo tempo que eu já só pensava que iria correr tudo mal. Afinal as coisas foram-se resolvendo e acabou por correr tudo bem. Pelo menos é essa a noção que tenho, agora que chegou ao fim. Devo um agradecimento muito especial ao Supervisor da Prova, Jacinto Costa, que esteve sempre comigo ao longo destes meses todos de preparação da prova, e ainda a todo o pessoal do Clube. Foram impecáveis. Há aqui uma dinâmica de entreajuda que parece que já sabem isto tudo e ainda bem porque eu não sabia nada. Facilitou muito o meu trabalho!

Orientovar – Vai daqui com a consciência tranquila (?!)…

Ana Margarida Guimarães – Penso que sim. Espero é poder dormir esta noite porque isto foi muito “stress”, muito trabalho, tudo muito complicado.


Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: