domingo, 5 de julho de 2009

JWOC 2009: A GRANDE FESTA VAI COMEÇAR!


Arranca amanhã, em Fiera di Primiero (Trentino), o Campeonato do Mundo de Juniores de Orientação Pedestre JWOC 2009. Ao longo das últimas 19 edições, Portugal teve sempre desempenhos modestos e o peso da tradição joga francamente em nosso desfavor. É isso que Tiago Romão, Diogo Miguel, Jorge Fortunato, Manuel Horta, João Mega Figueiredo, Joana Costa, Isabel Sá e Ana Coradinho vão tentar contrariar.

Foi em 1990, em Älvsbyn (Suécia), que teve lugar a primeira edição do JWOC. Das 19 edições disputadas até ao momento, dezoito tiveram lugar na Europa, apenas por uma vez visitando outro continente (JWOC 2007, em Dubbo, Austrália). Quanto à Itália, esta é a segunda vez que a competição tem lugar naquele país, depois de Castelrotto ter sido palco da quarta edição, em 1993.

Escusado será dizer que esta tem sido uma verdadeira antecâmara da fama e da glória para muitos dos nomes que fazem a história da Orientação. Daniel Hubmann (Suíça), Andrey Khramov (Rússia), Mathias Merz (Suíça), Martin Johansson (Suécia), Valentin Novikov (Rússia), Michal Smola (República Checa), Minna Kauppi (Finlândia), Heli Jukkola (Finlândia), Simone Niggli (Suíça), Dana Brozková (República Checa), Tatiana Riabkina (Rússia) ou Emma Engstrand (Suécia) aqui se sagraram Campeões do Mundo e representam apenas alguns exemplos desta verdadeira mostra dos melhores atletas em pleno auge da sua juventude.

Tiago Aires alcança Final A

A primeira participação portuguesa nos Campeonatos ocorreu em 1996, em Govora (Roménia). Numa edição dominada pelos atletas da casa – a romena Eniko Fey arrebatou o ouro na Distância Clássica, Sprint e Estafeta -, os portugueses Carlos Pereira, Hugo Patrício, Daniel Silva, Bruno Gonçalves, Ana Martins e Mafalda Almeida alcançaram lugares muito modestos, praticamente na cauda das respectivas tabelas classificativas. Foi também nesse ano que o mundo da Orientação ouviu pela primeira vez falar do francês Thierry Gueorgiou, aqui a não ir além do 100º lugar (!) na prova de Distância Curta.

Nos três anos seguintes, Portugal voltou a marcar presença no JWOC com os seus melhores jovens valores, mas os resultados nunca passaram da mediania. Em Reims, França (1998), pela primeira vez um atleta português quebrou a barreira do top-100, com Bruno Oliveira a classificar-se na 97ª posição da prova de Distância Longa. Bruno Nazário, o actual seleccionador nacional, foi um dos participantes nessa edição e na seguinte, em Varna, Bulgária. A edição de 2000, em Nove Mesto na Morave (República Checa) não contou com a presença de portugueses, o mesmo acontecendo no ano seguinte, em Miskolc (Hungria). Só em 2002, Portugal regressaria à competição, aqui bem perto (Alicante, Espanha), precisamente numa edição que assinalou a estreia dos dois maiores nomes da Orientação portuguesa, Raquel Costa e Tiago Aires. Nesta edição assistiu-se, pela primeira e única vez, à presença dum atleta português numa Final A da prova de Distância Curta (Tiago Aires foi o 57º classificado, à frente do polaco Wojciech Kowalski). Ao mesmo tempo, Alicante via o suíço Daniel Hubmann triunfar nas provas de Distância Clássica e Estafeta e Minna Kauppi vencer a Distância Curta.

A “geração de ouro” entra em acção

Em 2003 (Pölva, Estónia), Portugal apresentou apenas uma equipa masculina, o mesmo acontecendo no ano seguinte, em Gdansk (Polónia). Foi precisamente em Gdansk que, pela primeira vez, uma Estafeta portuguesa entrou no top-20, com Alexandre Alvarez, Pedro Duarte e André Ramos a colocarem o seleccionado luso no… 20º lugar. Em 2005, a participação portuguesa no JWOC, disputado em Tenero (Suíça), resumiu-se novamente ao sector masculino e foi para esquecer. Já em 2006, em Druskininkai (Lituânia), Portugal melhorou o resultado individual absoluto na prova de Sprint, em ambos os sectores, graças ao 71º lugar de Miguel Silva, enquanto Patrícia Casalinho foi 87ª classificada.

Ausente em Dubbo (Austrália) em 2007, Portugal regressou o ano passado à competição, a qual teve lugar em Gotemburgo (Suécia). No ano em que o mundo assistiu ao aparecimento desse verdadeiro fenómeno, a dinamarquesa Emma Klingenberg (vencedora da prova de Sprint com apenas 16 anos de idade), Portugal colocou em campo a sua “geração de ouro”, quatro atletas no sector masculino (Tiago Romão, Diogo Miguel, Jorge Fortunato e David Sayanda) e uma no sector feminino (Andreia Silva). O conjunto de resultados alcançados ficou aquém das expectativas mas, ainda assim, o 41º lugar de Diogo Miguel e a 81ª posição de Andreia Silva, ambos na prova de Sprint, cotaram-se acima de tudo quanto havia sido feito até então.

Amanhã corre-se a prova de Sprint

É este pesado fardo duma história que joga tão cruamente contra nós, que vamos tentar afastar de vez. O ambiente no seio da comitiva é de franco optimismo e o porta-voz desse positivo estado de espírito é, nem mais nem menos que o Seleccionador Nacional, Bruno Nazário. Em entrevista ao Orientovar e publicada ontem [ver AQUI
], Nazário afirma claramente: “Acho que têm mais que capacidades para fazerem resultados excepcionais, é só preciso ter esse cuidado de se moderarem um bocadinho. Mas temos que nos nivelar por cima, sermos ambiciosos, porque eles são realmente a ‘geração de ouro’ e têm que se assumir como tal.” Mais palavras para quê?

O mapa de Imer-Mezzano abrirá a competição oficial, recebendo a final directa da prova de Sprint, a ter lugar entre as 15h00 e as 18h20. Inscritos 172 atletas masculinos e 123 atletas femininos, em representação de 36 países. No sector masculino, João mega Figueiredo será o primeiro português a partir quando forem 15h38 (14h38 em Portugal Continental). Seguem-se Jorge Fortunato às 16h22, Manuel Horta às 16h42, Diogo Miguel às 17h06 e Tiago Romão às 17h28. Quanto às senhoras, às 15h21 partirá Ana Coradinho, às 16h14 será a vez de Isabel Sá e, finalmente, Joana Costa partirá às 16h56. Resta apenas acrescentar: FORÇA PORTUGAL!

Saudações orientistas.


JOAQUIM MARGARIDO
.

2 comentários:

bo disse...

Excelente resumo das participações no jwoc! Sou um afficionado seguidor das participações nos Jwocs, pois marcaram alguns dos momentos mais felizes da minha vida! (um reparo: no jwoc98 em reims fiquei em 97º na longa)portanto a barreira do top100 é minha ;))
Abraços

Joaquim Margarido disse...

Pois o seu a seu dono! Ao Bruno Oliveira aqui fica o meu pedido de desculpas pela "distração" e a informação de que a correcção está feita no texto. Aproveito para enviar daqui um grande abraço ao Bruno e a todos quantos, atentos ao Orientovar, me auxiliam neste esforço informativo, corrigindo, ajustando, complementando ou simplesmente comentando aquilo que aqui se vai escrevendo.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO