segunda-feira, 20 de julho de 2009

I TROFÉU ARMÉNIO FELISMINO: O REGRESSO DA ORIENTAÇÃO ÀS MARGENS DO SORRAIA


Culminando um ano de intensa actividade, o COAC pôs um ponto final no III Troféu Ori-Alentejo. Foi na tarde-noite do passado sábado, em Coruche, rendendo homenagem ao Homem e Atleta, Arménio Felismino.

Coruche, um concelho onde sobressai a vasta lezíria do Rio Sorraia e uma zona florestal constituída principalmente por montado de sobro que torna esta localidade na Capital Mundial da Cortiça. Foi aqui que teve lugar no passado sábado o I Troféu Arménio Felismino. Organizado pelo COAC, o evento contou com uma actividade de Encordado durante a tarde, na Herdade dos Concelhos, e uma etapa Urbana Nocturna na bonita vila de Coruche.
.
A harmonia perfeita entre desporto, sol e floresta patentes neste fim-de-semana de Julho em Coruche são bem representadas pela citação de Almeida Garrett nas suas "Viagens na Minha Terra": "Bela e vasta planície! Desafogada dos raios de sol, como ela se desenha aí no horizonte tão suavemente! Que delicioso aroma selvagem exalam estas plantas, acres e tenazes de vida, que a cobrem e que resistem verdes e viçosas a um sol português de Julho!".

Encordado, um desafio a repetir muitas vezes

Durante a quente tarde de Sábado, o mapa da Herdade dos Concelhos recebeu uma etapa de Encordado, na qual os pontos estão colocados ao longo de um cordel e o atleta possui um mapa do local, devendo marcar no mesmo a localização exacta dos pontos. Dividida em dois escalões - Fácil e Difícil -, esta prova teve no escalão Difícil o seu foco principal, numa zona do mapa bastante técnica, com imensos detalhes de relevo e onde os 285 metros de desnível ao longo dos 700 metros de percurso revelam bem o autêntico sobre e desce verificado neste escalão. Este é de facto um tipo de actividade a repetir muitas vezes, visto exigir dos participantes uma extrema leitura do mapa e a realização do processo inverso ao que normalmente são desafiados nas provas, isto é, cabe ao atleta colocar a localização dos pontos no mapa.

No final foi efectuada uma classificação baseada no número de pontos assinalados correctamente, sendo o tempo de execução de prova usado para desampatar em caso de igualdade no número de erros. O vencedor no escalão Dificíl foi Nuno Rebelo (Ori-Estarreja) sem qualquer erro na execução da prova, seguido de Paulo Franco (COC) com um "ligeiro" erro. No entanto há a destacar a fantástica prestação de Paulo Franco que realizou a prova sem assinalar nenhum dos 13 pontos ao longo do percurso, memorizando-os e apenas assinalando no final. No escalão Fácil, onde o percurso era bastante acessível, com os 9 pontos colocados em elementos como árvores, estradas e vedações, a participação foi em número escasso, cabendo a vitória ao par Ilidio e Duarte Mendes (Caminheiros da Portela). No futuro, talvez, com uma forma de classificação em que a cada erro corresponda uma penalização de um determinado intervalo de tempo, esta será certamente uma actividade a repetir em Coruche e pelo País.
.

A Nocturna, um bonito espectáculo na vila de Coruche

Na sua terceira edição, o Troféu OriAlentejo terminou desta vez na vila de Coruche. A Arena da prova localizou-se no magnifico parque do Sorraia, possuindo o rio com igual designação como pano de fundo, um ponto de espectadores, speaker e uma enorme multidão que se encontrava no parque e assistia à passagem dos atletas. O mapa da vila de Coruche que esteve na base do desafio imposto aos atletas, caracteriza-se pela existência de zonas com bastantes ruas que obrigam à máxima concentração dos atletas, algumas áreas de jardim e várias subidas que trazem ao de cima o potencial físico dos participantes. Um aspecto bastante positivo a reter, foi a adesão de um número considerável de habitantes locais à prova, mostrando que a Orientação cria cada vez mais raízes em Coruche.

No escalão Difícil, Paulo Franco (COC) foi “rei e senhor” não dando qualquer hipótese aos seus adversários, vencendo com um tempo de 31.23. Ao longo dos 5 km deste escalão, no qual se verificava a existência de loops ao contrário dos restantes, André Eusébio (CPOC) foi o 2º classificado e Virgolino Coelho (COAC) fechou o pódio.Em Difícil Feminino a vitória foi discutida ao segundo entre as duas atletas do COAC inscritas, vencendo Patricia Arromba com uns escassos 26 segundos de vantagem sobre Filipa Neves. Em Médio Masculino a luta esteve ao rubro, vencendo Nuno Rebelo (Ori-Estarreja) que relegou para a segunda posição Ruben Coutinho (COAC). No mesmo escalão mas na vertente feminina, a grande favorita à partida, Ana Salgado (Gafanhori) não deixou os seus créditos por mãos alheias, alcançando o lugar mais alto do pódio. Em Fácil Feminino venceu Anete Bauere (OK KO) e em Fácil Masculino o vencedor foi Olavo Lopes (COAC). Finalmente, no escalão de Iniciação, o jovem atleta do COAC Gabriel Brasileiro, foi o vencedor desta prova por terras Ribatejanas.

Dedicatória

De entre os participantes, salienta-se a participação de 9 atletas vindos da Letónia, do clube OK KO, que após a passagem por Portugal aquando do WMOC '08, decidiram agora voltar de férias ao nosso país, aproveitando para praticar Orientação em Coruche. Este foi sem sombra de dúvidas um evento que permitiu terminar em alta o III Troféu OriAlentejo, prestou uma excelente homenagem a um grande atleta de Coruche que foi Arménio Feslismino e contribuiu para o sucesso da Semana da Juventude de Coruche 2009, onde também se inseria o evento.

O COAC agradece a todos quantos se deslocaram a Coruche, à Câmara Municipal de Coruche pelo apoio na realização da prova mas dedica o balanço bastante positivo do evento a uma grande amigo que é, apesar de ausente, o Arménio Felismino.

Saiba tudo em
http://www.coaclub.com/trofeuarmenio09.

[Texto e fotos de Hugo Borda d’Água]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: