segunda-feira, 20 de julho de 2009

I TROFÉU ARMÉNIO FELISMINO: FALA QUEM SABE!


No rescaldo do I Troféu Arménio Felismino, realizado no passado dia 18 de Julho, têm a palavra três dos seus protagonistas. Ouçamos as opiniões de Nuno Rebelo, Paulo Franco e André Eusébio acerca dum evento que colheu um forte aplauso de todos os participantes.


O mapa da nocturna foi excelente para uma prova de Sprint, estava bem traçado e deu-me muito gozo em fazer a prova. Este mapa é bom para ser utilizado em novas provas. Em relação ao “Encordado” foi uma prova bastante interessante e mostra o outro lado da Orientação, a exacta posição dos pontos.

Parabéns ao Hugo Borda d’Água e a toda a equipa do COAC que bem merecem por estarem a desenvolver a Orientação numa zona muito bonita.

Nuno Rebelo



Dado que começo agora a preparar a próxima época, a minha participação na última etapa do OriAlentejo teve um cariz completamente desprovido de competição. A ideia seria retomar o contacto com o mapa e como sempre, divertir-me um pouco. A etapa do Encordoado estava bastante interessante com vários pormenores de relevo e muito desnível (285 metros em 700metros!). Procurei fazer o percurso memorizando os pontos e só depois no final apontar... falhei um ponto! :)

O churrasco da tarde foi espectacular. Num ambiente praticamente familiar, a Organização assistiu de comer aos presentes, de forma bastante afável e bem disposta como é seu apanágio.

Na etapa nocturna, confesso que fui agradavelmente surpreendido com um percurso muito bem traçado. Bons desafios e algumas ratoeiras. Pena que esta etapa de Sprint decorra já fora da época de muitos dos apaixonados por esta disciplina. Estou certo que também estes sairiam satisfeitos de Coruche.

Em suma, seguramente que foi um meio dia muito bem conseguido, está mais uma vez de Parabéns o COAC e a autarquia de Coruche.

Paulo Franco



Em relação à prova do Encordado, desconhecia completamente este método de treino, tanto que eu pensava que não tinha nada a ver com Orientação, mas sim tratar-se duma actividade característica da região inserida na Semana da Juventude de Coruche! Mas por ser tão desconhecido é que se tornou num novo desafio e num método de treino muito útil, porque além do terreno ser exigente a nível físico, era necessário navegar com precisão num mapa com curvas de nível e áreas abertas, para poder anotar o local exacto de cada ponto de controlo. Um treino a repetir, concerteza!

Em relação à prova Urbana, posso afirmar com toda a certeza que foi a melhor prova Urbana que fiz esta época, ultrapassando Toledo e Santarém (Campeonato Nacional de Sprint)! Passo a explicar porquê: Uma distância média numa prova urbana exige uma adequada gestão do esforço físico, ainda por cima com algum desnível (30 metros) que era às vezes efectuado só numa pernada - desafio físico. O local de cada ponto e o traçado do percurso estavam muito desafiantes! Além do Traçador de Percursos usar toda a área do mapa, existiam pernadas longas e pernadas bem curtas, existiam "loops" a apelar a uma atenção redobrada, algumas opções não muito triviais que viriam a influenciar muito o tempo final de prova - desafio técnico. A cereja no topo do bolo, é que era uma prova Urbana NOCTURNA!

André Eusébio

[foto gentilmente cedida por Hugo Borda d’Água]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: