sábado, 4 de julho de 2009

EYOC SERBIA 2009: A PROVA DE DISTÂNCIA LONGA NAS PALAVRAS DOS PROTAGONISTAS


Regresso a Kopaonik para acompanhar o segundo dia de competições do EYOC Serbia 2009. Decorre neste momento a prova de Estafetas e, por aquilo que já se adivinha, globalmente teremos uma prestação muito abaixo das expectativas. Entretanto, é tempo de olhar novamente para o dia de ontem e para a prova de Distância Longa, escutando os grandes protagonistas.


Sentia-me em forma e motivada, embora com a noção que seria difícil alcançar um bom resultado. Acho que o 20º lugar já foi óptimo mas sei que conseguiria melhor. Estava muito nervosa pois antes de mim partiam atletas que já conhecia e que sabia que tinham bastante valor. Consegui apanhar as quatro atletas que partiam à minha frente perto do ponto 6, o que me deixou muito surpreendida comigo própria. Até aí a prova estava a correr-me bastante bem, fui com muito cuidado nos primeiros pontos para evitar erros fatais. No ponto 7 e no ponto 9 não fui completamente certa, acabando por 'pastar' na zona do ponto. Na segunda pernada grande, para o ponto 10, as raparigas que iam comigo foram por um caminho grande mas eu, achando que seria melhor para o outro lado, acabei por ir a correr a meia encosta, pelo meio das pedras e a passar linhas de água constantemente. Perdi-me e andei 4 minutos por entre todas as pedras à volta do ponto. A partir daí, sozinha e cheia de raiva, não perdi tempo, ainda que estivesse muito cansada. Acabei contente com o resultado e, ao mesmo tempo, motivada para que no próximo ano possa melhorar o meu resultado. Quando cheguei ao alojamento, fiquei ainda melhor quando o 'big boss' Tiago Aires disse que antes da pernada do ponto 10 ia em 10ºlugar! Agora já só consigo pensar na Estafeta, na qual vou partir eu, seguidamente a Ana Salgado e depois a Rita Rodrigues. Acredito realmente que vamos obter um bom resultado, somos uma equipa muito unida e estamos todas cheias de CONFIANÇA!

Vera Alvarez


Hora de partida:12.33. Pela primeira vez, e talvez fruto da experiência de algumas participações no estrangeiro, com especial destaque para o último Mundial de Desporto Escolar, sentia-me relaxada. Procurei estar descontraída, divertida, aproveitar o momento - “enjoy your race”. A minha estratégia para a prova de hoje era tentar não falhar. Tinha que estar concentrada, o resto viria por si só, pelo esforço de uma época de preparação. Entrei com algumas incertezas, as primeiras três balizas foram feitas com muita hesitação e com muita insegurança. A partir daí entramos numa zona mais técnica, super divertida, e comecei a ficar motivada. Fiz uma pernada longa muito forte, e apesar das hesitações todas iniciais, sentia-me bem. Estava a chegar ao final e ouvi muitos elementos da comitiva a chamar-me, a puxar por mim, a dar-me força. Terminei a pensar que não teria nenhum lugar significativo. Terminei em 36º lugar, a minha melhor classificação de sempre, e uma posição da qual sinto orgulho tendo em conta estar no escalão D18 e ser o meu primeiro ano nesta categoria.

Infelizmente as minhas colegas D18 falharam muito num único ponto, o que as fez ficar num lugar muito aquém das suas capacidades e ambições. Fiquei ainda orgulhosa de ver os bons resultados dos mais novos, com especial destaque para a Vera Alvarez e para o Luís Silva que mostraram mais uma vez as capacidades que têm, apesar de serem ainda tão novos e terem ainda tanto para evoluir.

Amanhã segue-se a prova de Estafetas. O terreno vai ser espectacular, super desafiante, extremamente difícil a nível técnico, mas também bastante duro. Na minha opinião verificar-se-ão amanhã grandes surpresas a nível de resultados, pois será muito difícil controlar a adrenalina e a pressão de uma competição com estas características. Quanto às D18, começamos em grande com a especialista de Estafetas Joana Costa e terminamos em excelência com a Mariana Moreira. O meu objectivo amanhã, ao partir na posição do meio, é manter a posição da Joana Costa e até mesmo subir alguns lugares, pois é geralmente na segunda manga que partem os atletas menos bons. O meu objectivo é fazer uma prova muito minha, isto é, muito concentrada, a pensar só no meu mapa e no meu percurso. O terreno será muito difícil e, por isso, ser tecnicamente perfeito num lugar tão exigente será difícil. Assim, quem fizer à partida menos erros terá a melhor classificação. Como hoje, procurarei aproveitar esta experiência única de correr num mapa tão entusiasmante como este e sentir-me bem nesta floresta.

Isabel Sá
.


No dia anterior encarava a minha prova com algum nervosismo, mas tinha confiança em mim e sei que podia fazer algo de bom, contudo os 20 primeiros nunca me passou pela cabeça. Quando parti, tomei atenção aos conselhos do Tiago, de começar com calma e acertei as primeiras pernadas bem. Daí até ao fim fui a um bom ritmo e à minha prova acho que só podia tirar 2 a 3 minutos. Afinal foi no fim que perdi esse tempo, mas estou feliz e confiante - não demasiado! - para a Estafeta de amanhã.

Luís Silva

Confesso que não estava muito confiante antes da prova, nem nervoso fiquei, mas assim que vi o tipo de traçado e a minha facilidade em correr neste mapa decidi arriscar, é pena que assim que aumentei o ritmo perdi logo tempo. Não entrei em nervosismo, tentei acertar as restantes pernadas, acabou por acontecer. Voltei a perder tempo mas nada que não se resolvesse, pois passo na zona de espectadores a um ritmo elevado o que se veio confirmar com o segundo melhor tempo nessa pernada. Fiquei satisfeito com a minha prova, embora sinta que tenho muito mais qualidade. Agora vem a Estafeta e espero estar ao mais alto nível para “voar baixinho”.

João Mega Figueiredo



[fotos gentilmente cedidas por Hélder Ferreira]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: