segunda-feira, 6 de julho de 2009

EYOC SERBIA 2009: O PONTO FINAL


É o encerramento em definitivo da campanha na Sérvia, onde Portugal marcou importante presença no Campeonato da Europa de Jovens de Orientação Pedestre EYOC 2009. O balanço final aqui fica, expresso com uma frontalidade e uma franqueza desarmantes, nas palavras de Mariana Moreira, Luís Silva e João Mega Figueiredo.


Na prova de Sprint, ao contrário do que é habitual neste tipo de provas em Portugal, a parte inicial do percurso era feita em floresta. Este início de prova, numa floresta fechada onde eram constantes as zonas amarelas que correspondiam às pistas de esqui, era muito rápido e apenas cometi um pequeno erro que me custou alguns segundos. Quando passei para a zona urbana, num ponto muito perto da arena, sabia que ia com uma boa prova e não queria perder tempo na zona que supostamente iria ser mais fácil, mas a três pontos do final fiz uma má opção que me custou uns tantos outros segundos. A nível físico, fiz uma boa parte inicial mas a partir de certa altura, a poucos pontos do final, comecei a sentir algumas dificuldades nesse aspecto o que também acabou por ser crucial para o resultado final.

O 9º lugar foi o meu melhor resultado de sempre nesta competição, mas no entanto podia ter sido melhor, pois fiz 12 minutos e 8 segundos e houve duas atletas que empataram no 7º lugar com o tempo de 12 minutos e 7 segundos, ou seja, realizaram a prova em menos 1 segundo que eu.

No desfecho desta competição, que foi já o meu quinto EYOC, penso que não foi o que me correu melhor, pois não fiquei contente com as provas que realizei na Distância Longa e na Estafeta, mas foi uma experiência enriquecedora e espero para o ano poder voltar a participar nesta competição pois será o último ano em que o poderei fazer.

Agora, de chegada a Itália, desejo a maior sorte a todos os atletas que representarão a selecção portuguesa no JWOC, competição esta que todos nós iremos acompanhar de perto.

Mariana Moreira

.


A prova de sprint tinha a característica de metade se passar em floresta e a outra em urbano. Não fiquei contente com o meu resultado, pois perdi muito tempo em hesitações, e a escala também não me ajudou muito.

Em relação a todas as provas do EYOC, apesar de no primeiro dia ter feito uma boa prestação, nas estafetas cometi o pior erro de todos, desclassificar uma equipa. Aos meus colegas Rafael Miguel e Pedro Silva dirijo um pedido de desculpas, pois tenho a certeza que deram o seu máximo e não mereciam que eu, por não confirmar um código, arruinasse o resultado final. Apesar de tudo foi o meu primeiro EYOC e tenho a certeza que haverão mais onde possa esforçar-me, estou motivado para o ano e pretendo treinar e num desses eventos futuros chegar ao topo, principalmente na Estafeta, pois é um sonho meu ganhar uma, acho que isso vale mais que ganhar um sprint ou uma longa, pois é trabalho de equipa.

Quanto a Itália, vai ser uma experiência enriquecedora em todos os aspectos. Vou poder treinar em terrenos excelentes e apoiar os meus colegas no JWOC do inicio ao fim, e acredito sinceramente que irão trazer grandes resultados para Portugal. Boa sorte a todos!

Luís Silva



Foi o dia que eu esperava que marcasse a minha participação nesta competição, depois de ter feito um bom resultado na Distância Longa e de ter estado perto de transmitir o testemunho em primeiro lugar nas Estafetas. Passado o dia, concluí que marcou mesmo a minha participação embora não tenha sido pelas melhores razões. Senti pressão ao longo de toda a prova e não consegui lidar com isso. Na minha opinião acreditei demasiado num grande resultado nesta distância, o que veio fazer com que deitasse a oportunidade de me satisfazer a mim próprio e todos os orientistas em Portugal.

Contudo há que fazer um balanço positivo da minha participação e de todas as dos meus colegas. Tudo o que não correu bem este ano para o próximo irá correr. Para aprender tem que se cair e nós, jovens portugueses orientistas, estamos agora a levantarmo-nos para obter os melhores resultados de sempre nesta competição para o ano que vem.

Na Itália vou estar numa posição diferente da maioria dos meus colegas que participaram no EYOC, vou fazer parte da Selecção presente no JWOC. Isto não me vai mudar o espírito, pois tudo o que conseguir fazer de bom ou de mau não se deve só a mim, mas sim a todos nós, Selecção Nacional. Como diz o lema do nosso grupo de selecção: “Crescer como grupo”. Os resultados individuais são de todos e temos que ficar contentes por os nossos colegas nos apoiarem sempre que necessitamos.

João Mega



[fotos extraídas do álbum oficial do evento]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

1 comentário:

Mário Santos disse...

Parabéns à delegação portuguesa!

Saudações,

Mário