sexta-feira, 3 de julho de 2009

EYOC SERBIA 2009: LUÍS SILVA E VERA ALVAREZ NO TOP-20


Quedaram-se pela metade as melhores expectativas relativamente à prestação portuguesa neste primeiro dia de competição do Campeonato da Europa de Jovens de Orientação Pedestre EYOC Serbia 2009. Portugal conseguiu dois lugares no top-20 e Luís Silva alcançou o 18º lugar, o melhor resultado de sempre numa prova de Distância Longa nestes Campeonatos, no que ao sector masculino diz respeito.

"Quebrando o protocolo", vamos começar pela prestação masculina esta abordagem ao primeiro dia de competição do EYOC Serbia 2009. E o destaque vai inteirinho para Luís Silva e para o seu 18º lugar no escalão de M16, entre 85 participantes, com o tempo de 58.41 (6590 metros, 20 pontos de controlo, 360 m de desnível). Esta posição suplanta largamente o 27º lugar de David Sayanda, alcançado em Eger no decorrer do EYOC Hungria 2007, atestando bem o potencial do atleta que, relembre-se, foi Vice-Campeão do Mundo de Desporto Escolar em 2008 (Edimburgo, Escócia). Quanto aos restantes portugueses neste escalão, ocuparam todos eles lugares no último terço da tabela classificativa. Rafael Miguel foi 59º classificado com 1.14.43, ao passo que Pedro Silva e João Cascalho alcançaram as 75ª e 79ª posições, com 1.33.19 e 1.43.08, respectivamente.

A vitória coube ao checo Filip Hadac, com 50.57, logo seguido do polaco Piotr Parfianowicz com 52.20 e do dinamarquês Thor Nørskov, com 52.36. O top-20 foi ocupado por atletas de 11 países diferentes, onde sobressaem os nomes dos letões Valters Lubinskis (7º lugar) e Ivar Klavins (8º), do britânico Jonathan Crickmore (11º) e do suíço Florian Schneider (12º).

Vera Alvarez também no top-20

De passagem para o escalão W16, realce para o 20º lugar alcançado por Vera Alvarez, também ela uma atleta de excelência, Campeã do Mundo de Desporto Escolar em 2008 e Vice-Campeã do Mundo de Desporto Escolar já este ano (Madrid, Espanha). Num terreno particularmente “hostil”, a 1500 metros de altitude, Vera Alvarez gastou 50.39 para cumprir os 4540 metros do seu percurso (15 pontos de controlo, 245 metros de desnível). As restantes atletas portuguesas neste escalão ocuparam igualmente lugares no último terço duma tabela onde figuraram 72 nomes. Rita Rodrigues foi a 51ª classificada com 1.01.46, Ana Salgado a 53ª classificada com 1.02.39 e Inês Catalão quedou-se pelo 69º lugar com 1.31.53.

Nos dois primeiros lugares classificaram-se atletas da República Checa. Vendula Horcicková foi a vencedora com 42.13, logo seguida de Petra Pavlovcová com 42.23. A 16 segundos da vencedora, na terceira posição, classificou-se a russa Ekaterina Savkina. Seis países colocaram atletas seus nas dez primeira posições (em 10º lugar ainda podemos ver outra atleta checa, Markéta Novotná).

Isabel Sá, a melhor portuguesa

No escalão W18, o melhor desempenho entre as atletas portuguesas coube a Isabel Sá, que terminou na 36ª posição, entre 82 participantes. A atleta portuguesa gastou 1.08.17 para completar o seu percurso (5460 metros, 18 pontos de controlo, 320 m de desnível). As restantes portuguesas ocuparam, também elas, posições no último terço da tabela classificativa e tiveram desempenhos muito idênticos. Ana Coradinho foi 59ª classificada com 1.20.57 enquanto Joana Costa e Mariana Moreira tiveram comportamentos ligeiramente inferiores, terminando nas 61ª e 64ª posições com 1.22.49 e 1.25.07, respectivamente.

A finlandesa Frida Lönnberg foi a grande vencedora com 53.09, seguida das norueguesas Anne Tine Markseth e Maren Haverstad, com 53.38 e 54.36, respectivamente. No top-10 podem encontrar-se atletas de 7 países, enquanto a bielorussa Hanna Rudakouskaya, vencedora desta mesma prova em 2007 (então no escalão W16), foi a 12ª classificada com 1.00.36.

João Mega foi gigante

E finalizamos com o nosso trio de representantes em M18, onde João Mega Figueiredo alcançou a 36ª posição entre 96 atletas com um registo de 1.12.30 (8190 metros, 22 pontos de controlo, 415 metros de desnível). Paulo Pereira e Filipe Salgado tiveram desempenhos em tudo semelhantes, terminando separados por um escasso segundo. Paulo Pereira fez 1.42.21 e foi 82º classificado, enquanto Filipe Salgado ocupou a posição imediata com 1.42.22.

A vitória sorriu ao austríaco Robert Merl com o tempo de 1.00.25, logo seguido do húngaro Mate Baumholczer com 1.02.52 e do suíço Felix Haller com 1.02.53. Registe-se a curiosidade de assistirmos à presença de 10 atletas de países diferentes nos dez primeiros lugares, destacando-se essa extraordinária 4ª posição do espanhol Antonio Martinez Peréz com um registo de 1.03.57.

Consulte os resultados completos
AQUI.

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

1 comentário:

andreiasilva disse...

Parabens a todos e boa sorte :D
Andreia