segunda-feira, 15 de junho de 2009

PROVAS DE SELECÇÃO: À ESPERA DO VEREDICTO FINAL


Acabam de ser finalmente divulgados os resultados da prova de Distância Longa que teve lugar na Serra da Cabreira, na manhã de ontem, encerrando o programa de apuramento para as competições internacionais de Orientação Pedestre deste ano. Sem surpresas de vulto, acrescente-se, já que os atletas mais regulares ao longo da época souberam vincar de forma inequívoca as suas qualidades e capacidades, garantindo com naturalidade um lugar nas respectivas selecções.

Inovador. Assim se pode classificar o processo de selecção dos atletas que marcarão presença nos Campeonatos da Europa de Jovens (EYOC Kopaonik, 2 a 5 de Julho), Campeonatos do Mundo de Juniores (JWOC Primiero, 5 a 12 de Julho) e Campeonatos do Mundo (WOC Miskolc, 18 a 23 de Agosto). Agrupados nos escalões respectivos, lutando por uma presença nas competições em causa, 39 atletas disputaram em Braga, no Gerês e na Serra da Cabreira, ao longo do fim-de-semana, uma única e determinante Prova de Selecção.

Com uma forte componente técnica, as provas de Sprint e de Distância Média disputadas no sábado evidenciaram uma bela mão cheia de resultados surpreendentes. A prova de Distância Longa, contudo, acabou por colocar os pontos nos ii, com a mais-valia física e técnica dos nossos melhores atletas a vir ao de cima, rectificando o que havia a rectificar e facilitando a tarefa da Direcção Técnica Nacional na indicação dos atletas seleccionados. Cuja divulgação oficial se aguarda nas próximas horas, após a necessária ponderação de todos os factores que estiveram em jogo nesta importante prova.

Vitória de Tiago Romão vale o apuramento

O dia de ontem fica marcado pelo enorme atraso no início das provas e sobretudo por esses dois pontos mal marcados no terreno, condicionando irremediavelmente o normal decurso da prova destinada aos escalões H21E + H20. Uma falha grave, prontamente assumida pela organização, que se viu assim obrigada a anular as pernadas em causa de forma a repor a verdade desportiva.

Começando a análise dos resultados precisamente por este escalão, Tiago Romão (COC) rectificou em certa medida os resultados da véspera, sendo-lhe atribuído o tempo de 48.13, o melhor entre os doze participantes. Seguiram-se-lhe Miguel Silva (CPOC), Diogo Miguel (Ori-Estarreja), Pedro Nogueira (ADFA) e Jorge Fortunato (Ori-Estarreja), com diferenças de tempo inferiores a 5 minutos em relação ao vencedor. Com um total de 290,9 pontos no somatório das três provas, Diogo Miguel alcança a primeira posição, carimbando o passaporte para o WOC e para o JWOC. Igual desiderato consegue Tiago Romão, o segundo classificado com um total de 289,9 pontos.

A terceira posição coube a Pedro Nogueira com 289,4 pontos e deverá ser ele a acompanhar à Hungria os dois atletas referidos, embora esta seja uma decisão da Direcção Técnica Nacional ainda pendente. Certo é o nome de Jorge Fortunato para o JWOC, ele que foi o quarto classificado com 282,8 pontos. Falta saber quem acompanhará Diogo Miguel, Tiago Romão e Jorge Fortunato ao JWOC, tudo levando a crer que se tratará de Manuel Horta (GafanhOri), 8º classificado na Geral global com 249,8 pontos.

Uma nota de desapontamento para a prestação de Miguel Silva (CPOC), penalizado sobretudo pelos desempenhos menos conseguidos das provas de Sprint e de Distância Média, curiosamente aqueles que o levaram à glória em Santarém e Almeirim, valendo-lhe os respectivos títulos de Campeão Nacional. Também uma palavra de apreço para Joaquim Sousa (COC), decano do grupo e a demonstrar, quase a perfazer os 39 anos, que ainda podem contar com ele. A classificação final ficou assim escalonada (os atletas do escalão H20 estão assinalados com um *):

1º Diogo Miguel (Ori-Estarreja) 290,9 pontos *
2º Pedro Nogueira (ADFA) 289,9 pontos
3º Tiago Romão (COC) 289,4 pontos *
4º Jorge Fortunato (Ori-Estarreja) 282,8 pontos *

5º Miguel Silva (CPOC) 277,4 pontos
6º Joaquim Sousa (COC) 270,5 pontos
7º Paulo Franco (COC) 264,2 pontos
8º Manuel Horta (GafanhOri) 249,8 pontos *
9º Celso Moiteiro (COC) 233,3 pontos
10º Tiago Leal (GafanhOri) 190,6 pontos *
11º Gregório Piteira (GafanhOri) 155,9 pontos *
12º Domingos Martins (GD4C) 150,2 pontos *

Isabel Sá ou Maria Sá?

Passando ao escalão D21E + D18, também aqui a superior qualidade técnica e física de Maria Sá (GD4C) veio ao de cima, impondo-se às suas mais directas adversárias por larga margem. 59.20 foi o tempo gasto pela Campeã Nacional Absoluta e de Distância Longa, contra 1.10.25 da sua irmã e colega de equipa, Isabel Sá. O terceiro lugar pertenceu a Ana Coradinho(GafanhOri) com 1.16.12. Aqui as contas são mais complicadas de fazer, já que a vitória no somatório das três provas coube, surpreendentemente, a Isabel Sá (GD4C), com 274,9 pontos. Maria Sá e Joana Costa (GD4C) ocuparam as posições imediatas com 270,8 pontos e 266,1 pontos, respectivamente.

O facto de ser determinante o critério da Direcção Técnica Nacional no apuramento da nossa representante no WOC leva a crer que a escolha poderá recair sobre Maria Sá, com Isabel Sá a garantir um lugar no EYOC e no JWOC. Joana Costa e Ana Coradinho acompanharão Isabel Sá às duas competições referidas, enquanto o lugar em aberto para o EYOC deverá ser ocupado por Mariana Moreira (CPOC), a quarta classificada no escalão D18. No conjunto dos dois escalões, a classificação foi a seguinte:

1º Isabel Sá (GD4C) 274,9 pontos
2º Maria Sá (GD4C) 270,8 pontos
3º Joana Costa (GD4C) 266,1 pontos
4º Ana Coradinho (GafanhOri) 263,8 pontos
5º Mariana Moreira (CPOC) 238,8 pontos
6º Lena Coradinho (GafanhOri) 202,0 pontos
7º Inês Pinto (GafanhOri) 198,7 pontos



Vera Alvarez, um “mp” e as contas baralhadas

No escalão D16 a grande surpresa foi o “mp” de Vera Alvarez (CPOC), a tal hecatombe de que aqui falávamos anteontem e que a deixou numa posição algo desconfortável face a um apuramento dado como certo. Venceu Rita Rodrigues (GafanhOri) com 49.40, deixando atrás de si a sua colega de equipa Ana Salgado, a 2.29 de diferença. Com este resultado, as duas atletas garantem as melhores pontuações no somatório das três provas e, com elas, o passaporte para o EYOC da Sérvia, daqui a pouco mais de quinze dias.

Inês Catalão (GafanhOri) voltou a ter um desempenho abaixo das expectativas (foi quinta classificada com o tempo de 1.30.14), mas ainda assim conseguiu segurar a terceira posição e garantir também o apuramento. Falta saber quem vai a Direcção Técnica Nacional nomear para a quarta e última vaga, sendo certo que a decisão recairá com toda a naturalidade sobre Vera Alvarez. Aqui ficam os resultados finais globais deste escalão:

1º Rita Rodrigues (GafanhOri) 265,9 pontos
2º Ana Salgado (GafanhOri) 247,8 pontos
3º Inês Catalão (GafanhOri) 224,2 pontos

4º Inês Domingues (COC) 218,8 pontos
5º Catarina Dias (GD4C) 206,6 pontos
6º Vera Alvarez (CPOC) 197,2 pontos
7º Teresa Maneta (GafanhOri) 64,6 pontos

Pedro Silva, a grande confirmação

Rafael Miguel (Ori-Estarreja) conseguiu finalmente mostrar o porquê da sua excelente temporada, alcançando uma moralizadora vitória com o tempo de 1.10.25. Pedro Silva (CP Telecom) voltou a ter excelente desempenho e foi segundo classificado a escassos 46 segundos do vencedor. A terceira posição coube a Luís Silva (ADFA) com 1.17.29.

Os três atletas acabam por garantir o apuramento directo para o EYOC, estando agora nas mãos da Direcção Técnica Nacional a indicação do quarto elemento. João Cascalho (GafanhOri) surge globalmente na quarta posição e poderá ser o eleito, embora mereça ponderação adequada a prestação global de Tiago Baltazar (GDU Azóia), fortemente penalizado no dia de ontem por uma prova para esquecer. Esta é, em nosso entender, a maior dor de cabeça que a Direcção Técnica Nacional enfrenta. Eis as pontuações finais globais:

1º Pedro Silva (CP Telecom) 282,4 pontos
2º Luís Silva (ADFA) 257,6 pontos
3º Rafael Miguel (Ori-Estarreja) 252,6 pontos

4º João Cascalho (GafanhOri) 250,2 pontos
5º Ricardo Reis (ADFA) 246,3 pontos
6º Tiago Baltazar (GDU Azóia) 244,9 pontos
7º Miguel Ferreira (CPOC) 234,6 pontos
8º Fábio Silva (ADFA) 226,5 pontos


João Mega carimba dois passaportes

E entramos agora no último escalão em análise, o de H18, precisamente aquele que apura um atleta para o JWOC e outros dois para o EYOC. Paulo Pereira (CPOC) venceu a prova em 1.12.07, garantindo os pontos necessários para ascender à terceira posição global, ficando na calha a sua indicação para representar Portugal no EYOC, apesar de Paulo Falcão e Jorge Coelho, ambos do GafanhOri, se encontrarem pontualmente muito próximos. Com mais 5.53 que o vencedor, Filipe Salgado (GafanhOri) garante a segunda posição final e, com ela, o lugar no EYOC.

João Mega Figueiredo (CN Alvito) acaba por vencer o escalão, a despeito do fraco registo de 1.30.54 na prova de Distância Longa, que lhe valeu apenas o quarto lugar. Ao popular Mega abre-se agora, para além do EYOC, a possibilidade de seguir viagem rumo ao JWOC, ombreando com Diogo Miguel, Tiago Romão, Jorge Fortunato e Manuel Horta, este último, como atrás referimos, ainda à condição. Vejamos o escalonamento final em H18:

1º João Mega Figueiredo (CN Alvito) 267,6 pontos
2º Filipe Salgado (GafanhOri) 266,2 pontos
3º Paulo Pereira (CPOC) 260,4 pontos
4º Paulo Falcão (GafanhOri) 256,3 pontos
5º Jorge Coelho (GafanhOri) 253,9 pontos
6º Hélder Marcolino (GD4C) 214,0 pontos

[O Orientovar reitera os agradecimentos a Paulo Franco e António Aires, pela cedência dos resultados e também a Hélder Ferreira, pela disponibilização das fotos]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: