quarta-feira, 24 de junho de 2009

EOC & JWOC MTBO 2009: AINDA A PROVA DE SPRINT, NAS PALAVRAS DE JOÃO FERREIRA


Numa altura em que decorre já a prova de Distância Média dos Campeonatos Europeus e Mundiais de Juniores de Orientação em BTT, retomamos a ligação à Dinamarca para escutar as reacções de João Ferreira à prova de Sprint.

Na abertura da grande competição em terras da Dinamarca, João Ferreira foi o português melhor classificado entre os dez presentes na prova de Sprint. O 13º lugar do atleta é visto desta forma: “De uma forma geral, o dia não foi mau de todo, já que consegui ficar no top-15 e o Daniel no top-20. O mapa era realmente muito complicado, um sprint muito exigente em termos de navegação e completamente diferente do que estamos habituados em Portugal. Daí as dificuldades acrescidas que tivemos ao enfrentar esta floresta dinamarquesa. É sabido que qualquer erro, por mínimo que seja, é fatal numa prova de Sprint e pequenos erros nestes mapas são fáceis de cometer. É muito rápido o terreno, não há quase declive o que ajuda a velocidade mas por outro lado a rede de caminhos é enorme e alguns deles pouco visíveis o que obriga a reduzir a velocidade.”

Complementando estas declarações, o atleta analisa a prova de forma mais aprofundada no seu excelente blogue. “Uma floresta densa e com muitos caminhos era o que pensava encontrar, nunca pensei é que fosse tanto e tão difícil”, pode ler-se em http://www.joaoferreira.net/noticias.htm. E prossegue: “O mapa era bastante rico em caminhos, pequenos single-tracks que se infiltravam pelas árvores e arbustos da floresta densa dinamarquesa. Por vezes aparecia um lago que sempre ajudava a orientar e a relocalizar o mapa. Era realmente muito complicado conseguir ler o mapa e o terreno com grande velocidade e antecipar os caminhos que queríamos. Muitas vezes quando víamos já tínhamos passado o corte. Não perdi muito tempo em nenhum ponto específico, talvez 40 segundos no ponto 14 foi o tempo que perdi mais para um ponto. O problema foi mesmo as pequenas perdas que somando os 30 segundos no ponto 7, mais os 40 segundos no ponto 14, mais 10 segundos em dois ou três pontos em hesitações, levaram a que no final tivesse ficado em 13º lugar dos 61 atletas presentes. O tempo final foi de 27.12 mas sei que se tirasse o tempo que perdi poderia ter ficado num top-10.” Resta essa certeza: “Vamos todos dar o nosso melhor na prova de Distância Média. O tempo e o ambiente continuam muito bons e a organização até agora e de uma forma geral não tem tido grandes falhas.”

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO
.

Sem comentários: