quarta-feira, 24 de junho de 2009

EOC & JWOC MTBO 2009: BALANÇO DO SEGUNDO DIA DE PROVAS


Não foi de todo positivo o balanço da participação portuguesa neste segundo dia de provas dos Campeonatos Europeus e Campeonatos Mundiais de Juniores de Orientação em BTT EOC & JWOC MTBO 2009. Mas as coisas talvez nem tenham sido tão más assim.

Quem esteve com atenção àquilo que se passou hoje em Ganløse Ore, na prova de Distância Média dos Campeonatos Europeus e Campeonatos Mundiais de Juniores de Orientação em BTT EOC & JWOC MTBO 2009, percebeu que o dia não correu de feição às cores portuguesas. E contudo os resultados até nem terão sido assim tão desconsoladores se comparados com os de ontem e analisados de forma absoluta.

É verdade que Daniel Marques caiu sete lugares em relação à prova de Sprint e que, no caso de João Ferreira, essa queda foi de quinze lugares. A análise de tempos, todavia, permite assegurar estarmos perante Campeonatos com um índice anormalmente elevado de competitividade, onde sobressai a idêntica valia de um número significativo de atletas e onde cada segundo perdido pode traduzir-se num resultado cuja expressão pode penalizar, de forma quiçá injusta, qualquer um deles.

Daniel, João e… Guilherme

Pois foi precisamente isso que aconteceu hoje com Daniel Marques e João Ferreira. Pela observação do mapa onde se desenrolou a prova (acima apresentado e correspondente à prova de João Ferreira com as respectivas opções) percebe-se rapidamente a exigência física duma prova feita em regime de sobe e desce, associada à elevada componente técnica no seu último terço. A relva cortada em longos troços do percurso escondeu caminhos – levando inclusivamente a organização a assinalá-los de forma artificial com recurso a fitas – e a tudo isto acrescenta-se a mais-valia técnica e física dos valores em presença. Daí que justo será realçar a excelência dos resultados dos dois atletas mencionados.

Uma palavra muito especial para o 27º lugar de Guilherme Marques – hoje o segundo melhor resultado individual da comitiva portuguesa -, demonstrando claramente o enorme valor do atleta e premiando o seu trabalho e esforço no final duma época feita de altos muito altos e baixos muito baixos. Pela negativa, refira-se a 65ª posição de Paulo Alípio, na verdade um resultado que não é de todo condizente com o valor do atleta. Quanto a Joel Morgado e Paulo Palhinha, estiveram ao seu nível e têm aproveitado estes momentos de boa Orientação para ganhar experiência e retirar as devidas ilações em relação ao futuro.

Amanhã é dia de Distância Longa

Quanto ao sector feminino, podemos afirmar que as nossas quatro atletas continuam a passar pelos Campeonatos de forma algo discreta. Particularmente no caso de Ana Filipa Silva, continuamos à espera do “golpe de asa” que se impõe, certos do valor da atleta e do significado dum bom resultado em termos da sua própria motivação. A sua presença e juventude, aliadas às enormes qualidades e capacidades físicas e técnicas, fazem dela um dos maiores exemplos da Orientação em BTT nacional. Daí que um bom resultado seria um justo prémio para o seu trabalho e persistência.

Amanhã é dia de prova de Distância Longa e os nossos atletas já sabem perfeitamente aquilo com que podem contar. Será o tudo por tudo numa distância onde o peso da tradição joga contra nós mas é convicção de todos que, do seio desta aguerrida comitiva, poderá surgir uma grande surpresa.

Rússia ainda domina quadro de medalhas

No que às medalhas diz respeito, a Noruega e a Polónia viram atletas seus subir ao pódio e são agora sete os países medalhados. A grande estrela do dia foi a selecção da Dinamarca, graças às vitórias de Erik Skovgaard Knudsen (EOC M21) e de Rikke Kornvig (EOC W21) e ainda ao terceiro lugar de Lasse Brun Pedersen (EOC M21). A Rússia teve em Svetlana Poverina a sua estrela maior e continua a liderar o medalheiro dos Campeonatos.


A classificação está agora assim ordenada:

1º Rússia – 3 ouro e 1 de bronze
2º Dinamarca – 2 ouro, 1 prata e 2 bronze
3º Republica Checa - 2 ouro, 1 prata e 2 bronze
4º Áustria – 1 ouro, 1 prata e 1 bronze
5º Finlândia – 3 prata e 1 bronze
6º Noruega – 1 prata e 1 bronze
7º Polónia – 1 prata

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: