segunda-feira, 4 de maio de 2009

NACIONAIS DE ORI-BTT 2009 E V CAMPEONATO IBÉRICO: A ANÁLISE DE JOÃO FERREIRA


Campeão Nacional de Distância Longa e de Sprint, Vice-Campeão Nacional de Distância Média e Campeão Ibérico de Distância Longa, tudo no escalão de Juniores. E ainda o título de Vice-Campeão Nacional de Estafetas, no escalão Sénior, em representação do DA Recardães. É este o pecúlio arrecadado por João Ferreira em Ourém, ao longo de três intensos dias classificados pelo próprio como “quase perfeitos”.

“Penso que o que estes Campeonatos tiveram de melhor foram mesmo os mapas. Afinal é o mais importante. Grande rede de caminhos, altimetria, opções técnicas... só podia dar boa coisa. A Distância Longa foi uma boa prova para mim. Sem grandes erros... Consegui vencer. Já a Média não foi de todo aquilo que desejava. Tinha como objectivos para estas provas conseguir os títulos que ainda não tinha conseguido, nomeadamente Campeão Ibérico e ainda voltar a ser Campeão Nacional depois de no último ano não me ter corrido muito bem. Entrei bem no mapa mas logo para o terceiro ponto cometo um erro de dois minutos. Volto a perder tempo para o ponto 7. As coisas não estavam a correr nada bem. Tento recuperar o tempo mas não foi suficiente. Não consegui este título. Fiquei triste comigo próprio mas a melhor forma de ultrapassar era vencendo à tarde e assim foi. Adoro os sprints de navegação. Correu bem. Venci! Depois só faltavam as Estafetas. Júnior, fazia equipa em Séniores... o que podia dar? Não sabia. Acabámos por ser regulares e conseguir ocupar a segunda posição (3º da Geral). Fiz uma boa prova e ajudei a minha equipa o mais possível. Fiquei muito contente por termos conseguido o segundo lugar em Seniores. O DA Recardães está de parabéns.


Sobre a organização e a prova em si, penso que a escolha dos locais da Arena foi bem conseguida em todos os dias. O ‘speaker’ foi algo importante para seguir o desenrolar das classificações e da prova em si. Pena foi o local das Chegadas do Sprint, perdendo-se um pouco o espectáculo. Mas se é preciso perder um pouco o espectáculo da chegada para ter um bom mapa de Sprint como foi o caso, então tudo bem. Bom tempo, demasiado calor mas estamo-nos sempre a queixar, ou do calor ou do frio, para mim esteve bom. A competição esteve renhida em quase todos os escalões o que demonstra o avanço no nível da Taça de Portugal. Apesar de termos ganho em Masculinos e Femininos no Ibérico, nota-se que há bons espanhóis a competir, especialmente na Elite Masculina, o que perspectiva um futuro competitivo muito interessante. Sem dúvida que caminhamos todos na direcção certa e o nível competitivo está a aumentar cada vez mais. Gostava ainda de referir o aumento no número de jovens, especialmente no escalão de Formação e H17. Esperemos que assim continue porque a modalidade precisa de aumentar a base dos jovens."

Sobre a prestação de João Ferreira poderá ler mais em
http://www.joaoferreira.net/noticias.htm.

[foto gentilmente cedida por João Vitor Alves]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: