segunda-feira, 4 de maio de 2009

“CRESCER ENQUANTO GRUPO”: A VISÃO DE BRUNO NAZÁRIO A PROPÓSITO DO ESTÁGIO DA SELECÇÃO


Teve lugar em S. Pedro do Sul mais um estágio do Grupo da Selecção Nacional de Orientação Pedestre. Acerca desses particulares momentos vividos de 1 a 3 de Maio, o Seleccionador Nacional, Bruno Nazário, traça para o Orientovar as suas conclusões.

Mais uma vez o objectivo do estágio foi desenvolver o espírito de equipa e de grupo, sendo que é nossa intenção que todos estes atletas que estão ou que ambicionam estar na Selecção Nacional percebam que a Orientação em Portugal só crescerá se tivermos um grupo de atletas unido e com vontade de evoluir cada vez mais. Não existe real desenvolvimento da modalidade se cada um trabalhar para seu lado e se apenas tivermos um ou dois atletas com grande nível.

Apesar de este projecto se ter iniciado há muito pouco tempo e ainda estar numa fase embrionária, penso que a cada estágio que passa o grupo está mais unido, coeso e ciente do caminho que tem pela frente. Temos muitos jovens de valor e estou certo que com a continuação deste projecto e com o empenho e trabalho dos atletas teremos uma Selecção devidamente preparada para enfrentar os desafios do futuro.

Além da parte de coesão do grupo, neste estágio os atletas trabalharam os ‘skills’ básicos da modalidade, como a direcção, a navegação precisa, realizaram trabalho específico para a prova de Estafetas, realizaram trabalho específico para o Sprint (com a realização e análise de um percurso de Sprint em São Pedro do Sul), e para concluir o campo de treino efectuámos um treino específico para a Distância Média, simulando o que se passa nos Campeonatos do Mundo, onde os atletas têm de cumprir uma qualificatória para ter acesso à final da disciplina. Relativamente a este último treino fiquei feliz com a qualidade de navegação que alguns atletas revelaram neste terreno extremamente difícil, e também pelo facto de os atletas terem conseguido manter a calma durante a qualificatória, evitando erros que os afastassem da final.

Transpondo esta qualidade para o futuro, acho que todos temos de ser positivos relativamente aos resultados que esperamos dos nossos atletas. Este foi o tema que debatemos na reunião de encerramento do estágio. Não vale a pena estar a pensar que não somos capazes de chegar a finais e de obter bons resultados, porque efectivamente temos essa qualidade. Aquilo que os atletas e todos nós temos de acreditar é que conseguimos, que temos capacidade e que vamos às competições internacionais bem preparados e com vontade de dar o nosso melhor. Se este espírito positivo passar para todos, estou certo que teremos muitas alegrias para festejar.

Gostava também de aproveitar esta oportunidade para agradecer a quem possibilitou a realização e o sucesso deste estágio. Desde logo à Câmara Municipal de São Pedro do Sul e ao Ori-Estarreja, colaborando na cedência dos mapas e nas condições logísticas para a realização do estágio. Mas também ao apoio dos técnicos voluntários, Hélder Ferreira, António Marcolino, Norman Jones, Manuel Dias e às nossas excelentes cozinheiras, Ana Antunes e Cristina Estrela.

Com a ajuda de todos conseguimos montar um estágio de alta qualidade a um custo reduzido. Um estágio que de certo fará com que os nossos atletas cheguem mais preparados às competições internacionais que se avizinham, pois - e pegando numa ideia transmitida pelo Norman Jones-, apesar de a FPO ter recursos bastante reduzidos, não nos podemos dar ao luxo de estar a gastar esses poucos recursos com atletas que vão as competições internacionais mal preparados.


[foto gentilmente cedida por Hélder Ferreira]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: