segunda-feira, 11 de maio de 2009

CAMPEONATOS NACIONAIS DE DISTÂNCIA MÉDIA 2008 / 2009: TÍTULOS PARA TODOS OS GOSTOS


Miguel Reis e Silva e Raquel Costa foram à Herdade dos Gagos impor as suas mais-valias, juntando ao título nacional de Sprint alcançado na véspera, o título nacional de Distância Média. Mas não foram os únicos…

Foi sob a ameaça constante de chuva que decorreram no mapa da Barragem dos Gagos, no ribatejano concelho de Almeirim, os Campeonatos Nacionais de Distância Média 2008 / 2009. Organizada pela Secção de Orientação da Associação 20 Km Almeirim, a prova contou com a participação de 664 atletas, distribuídos por 32 escalões de competição e 4 escalões OPT’s.

Miguel Silva e Raquel Costa “bisam”

Evidenciando um superior momento de forma, Miguel Silva (CPOC) demonstrou que a vitória na véspera e a consequente conquista do título nacional de Sprint no escalão de Elite Masculina não foi obra do acaso. Aqui, num terreno bem menos simpático, o atleta da turma de Oeiras soube levar de vencida “na raça” os dois grandes esteios do Ori-Estarreja, Diogo Miguel e Jorge Fortunato, e ainda um surpreendente Paulo Franco (COC). Miguel Silva gastou 43.49 para percorrer os 6,8 km do percurso (bem mais do que os “optimistas” 33 a 38 minutos previstos pela organização), deixando Diogo Miguel, Paulo Franco e Jorge Fortunato respectivamente a 0.28, 1.14 e 1.44 de diferença. Albino Magalhães (GD4C), a distantes 4.13 do vencedor, repetiu o excelente 5º lugar da véspera. Tiago Romão (COC) não teve oportunidade de provar a sua enorme qualidade física e técnica, desqualificado que foi por um sempre desconcertante “mp”.

Na Elite Feminina, Raquel Costa (GafanhOri) teve em Patrícia Casalinho (COC) a sua grande adversária, depois dum “mp” ter posto “fora de combate” Maria Sá (GD4C), a detentora do título nacional de Distância Média nas duas anteriores temporadas. Os 46.02 da arraiolense contra os 46.53 da leiriense dão conta da luta renhida entre ambas as contendoras, com o desfecho a valer o 10º título da carreira de Raquel Costa neste escalão, curiosamente o primeiro na Distância Média. A distantes 5.02 de Raquel Costa, Andreia Silva (COC) guardou para si o terceiro lugar, cabendo a Lídia Magalhães (ADFA) e Catarina Ruivo (COC), com 51.15 e 51.31, as quarta e quinta posições, respectivamente.

A vez de David Sayanda e Rita Rodrigues

Mas não foram apenas Miguel Reis e Silva e Raquel Costa os únicos a “bisarem” títulos neste emotivo fim-de-semana. Começando pelos mais novos, João Mega Figueiredo (CN Alvito) e Joana Costa (GD4C), respectivamente em H17 e D20, voltaram a não deixar os seus créditos por mãos alheias e, também eles, chegaram novamente ao triunfo de forma clara e inequívoca.

Em D17, Rita Rodrigues (GafanhOri) superiorizou-se desta feita à sua grande rival, Vera Alvarez (CPOC), chegando à vitória também com alguma tranquilidade. Quem não esteve pelos ajustes e quis deixar bem claro que o “descalabro” da véspera não passou de mero acidente foi David Sayanda (Ori-Estarreja), aqui a “dar a volta por cima” e a levar de vencida por confortável margem o seu adversário mais directo - ainda e sempre Manuel Horta (GafanhOri) –, renovando um título que lhe assenta com inteiro mérito.

As grandes confirmações

Nos escalões de Veteranos, foram muitos aqueles que não estiveram pelos ajustes e voltaram a evidenciar enorme supremacia, fazendo aqui o “bis”. E começamos pelo escalão H40 e por Anabela Vieito (COC), uma atleta que continua a dar cartas, apesar da excelente luta que lhe foi movida por Alice Silva (GDU Azóia). Com este, são já dezasseis os títulos nacionais conquistados nas últimas sete épocas pela atleta leiriense, quatro dos quais nesta distância.

Em H45, Santos Sousa (ADFA) voltou a estar ao seu melhor nível, deixando a enorme distância os “incontornáveis” Manuel Luís (CP Armada) e Mário Duarte (ADFA). Quando se tratou de mostrar aquilo que vale, Albano João (COC) também não “gaguejou” e chegou ao “tri” esta época, no escalão de H50, após prolongado jejum de três anos sem conquistar qualquer título. Armandino Cramez (Ori-Estarreja) é a última referência nesta lista de “bi-campeões”, uma vez mais participante solitário no escalão de H65.

Outro dia, outros vencedores

Passando agora aos restantes vencedores, a primeira referência vai para Susana Pontes (CPOC) e para a vitória em D35 ante uma inconformada Paula Serra Campos (.COM), a campeã nacional de Sprint em título. Sem a companhia da sua colega de equipa Palmira João, Luísa Mateus (COC) “passeou” as suas qualidades pela Barragem dos Gagos e triunfou com enorme à vontade no escalão de D45, ante duas “super-veteranas” do GD4C, Aida Correia e Jerónima Rocha. Quanto ao escalão D50, Fernanda Ferreira (DA Recardães) teve um dia para esquecer e deixou a Isabel Monteiro (COC) o caminho livre para alcançar um título folgado.

Ausente em Santarém, Manuel Dias (Individual) veio a Almeirim demonstrar o porquê de ser a maior referência nacional no escalão H55, impondo-se por larga margem aos seus adversários, com Jacinto Eleutério (ADFA) à cabeça. Maria Bolas (GafanhOri) foi concorrente solitária no escalão de D60, juntando o seu nome aos de Raquel Costa e Rita Rodrigues nos títulos de Distância Média alcançados pelo emblema de S. Pedro da Gafanhoeira. Quanto ao escalão H70, José Grada (Clube TAP) regressou em grande, voltando a experimentar o doce sabor da vitória sete longos anos depois dos triunfos no Sprint e na Longa de Portel.

As surpresas

Propositadamente deixamos para o fim três nomes, três surpresas indiscutíveis e a quem são merecidas as mais vivas saudações. Xavier Vieira (CA Madeira), em H40, já havia “ameaçado” com o quarto posto no Nacional de Sprint. Pois desta feita levou por diante os seus mais ambiciosos intentos, batendo inapelavelmente nomes grados como os de Jorge Oliveira (COC), Francisco Cordeiro (ADFA), Vítor Delgado (GD4C) ou Rui Ferreira (Orimarão), inscrevendo pela primeira vez o seu nome no restrito clube de Campeões Nacionais e elevando bem alto o nome do CA Madeira e do próprio arquipélago.

O segundo nome a merecer especial referência é o de Beatriz Leite (GD4C), vencedora no escalão D55 ante a super-favorita Maria São João (CLAC), aqui a mostrar claramente ao marido, Costa Leite, que não é o único lá em casa a ter o exclusivo (o actual Presidente da Mesa da Assembleia Geral do GD4C sagrou-se Campeão Nacional de Distância Média em Pavia, na época de 2006 / 2007).

Finalmente sublinhe-se o título de Henrique Sacadura (Clube TAP) no escalão de H60, aqui a fugir ao seu escalão natural (H65) e a ver recompensado o seu arrojo com o primeiro título nacional da sua carreira, ante os consagrados Francisco Coelho (Clube TAP) e Joaquim Patrício (CN Alvito), dois nomes que fazem parte da história dos Campeonatos e que, no seu conjunto, levam 29 títulos conquistados em 42 possíveis.


Consulte os Resultados completos em http://www.ori20.net/_Resultados1.html.

[foto gentilmente cedida por Fernando Costa]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

1 comentário:

Ana & Tiago disse...

Olá!
Com muita pena minha não pude estar presente nestes tão esperados campeonatos e assistir de perto às prestações destes meus companheiros de aventuras!
De qualquer forma, queria deixar aqui uma palavra de grande admiração à Raquel pela consistência e regularidade do seu trabalho e resultados e ao Miguel pela categoria e classe com que se passeia, e agora também ganha, pelo mundo da orientação.
Ainda um grande beijinho e este sem dúvida o mais especial ao David Sayanda... o meu eterno campeão!

Beijinhos e muitos parabéns a todos!

Ah! Verdade! Já estou quase boa... por isso na próxima já devo andar pela floresta. Cuidado!!! :)

Ana Oliveira