quarta-feira, 29 de abril de 2009

NACIONAIS DE ORI-BTT: SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DOS CAMPEONATOS


Ourém recebe, de 1 a 3 de Maio próximos, os Campeonatos Nacionais de Orientação em BTT nas vertentes Média, Longa e Estafetas. Vejamos o que de mais significativo se passou ao longo das edições de um evento que teve em 1998 / 1999 a sua época de estreia.

Apesar da gritante falta de informação, podemos com toda a certeza avançar a época de 1998 / 1999 como a primeira em que se realizaram Campeonatos Nacionais de Ori-BTT em Portugal. Já na época anterior se haviam dado as primeiras “pedaladas” com o lançamento dum conjunto de provas que, no seu conjunto, permitiram criar o primeiro ‘ranking’ nacional da Taça de Portugal. Como consequência lógica deste movimento, surgem então os primeiros Nacionais, exclusivamente na Distância Longa. Esta edição inaugural consagrou Eduardo Sebastião e Alice Silva como os grandes triunfadores do escalão sénior. Mário Guterres e Fátima Matoso sagraram-se campeões nacionais juniores enquanto os títulos de Veteranos I couberam a Joaquim Patrício e Maria Oliveira.

Na época de 1999 / 2000, com a estreia do escalão de Veteranos Masculinos II, foram em número de sete os títulos nacionais atribuídos. Eduardo Sebastião (Seniores Masculinos) e Fátima Matoso (Juniores Femininos) reeditaram os títulos alcançados na edição inaugural. Maria Amador começava a dar cartas também nesta disciplina, levando de vencida o escalão de Seniores Femininos enquanto em Juniores Masculinos o título foi parar às mãos do nosso bem conhecido Tiago Aires. Paulo Mourão e Ana Gabriel venceram o escalão de Veteranos I. Armando Santos sagrou-se o primeiro campeão nacional no escalão de Veteranos Masculinos II.

O início da era Daniel Marques

Os Campeonatos Nacionais de Ori-BTT da época 2000 / 2001 têm lugar em Penamacor, a 7 de Abril, aí se assistindo ao aparecimento do maior nome de sempre nesta disciplina. Daniel Marques (COC) conquista o título nacional de Juniores e inicia um período de avassalador domínio que se prolonga até aos nossos dias, apenas quebrado em 2003 / 2004 por Filipe Reinote. Eduardo Sebastião (Clube TAP), Maria Amador (aeGIST), Fátima Matoso (CN Alvito) e Armando Santos (CP EDP Sines) voltam a subir ao lugar mais alto dos respectivos pódios (Seniores Masculinos e Femininos, Juniores Femininos e Veteranos Masculinos II), ao passo que os dois restantes títulos foram alcançados nos escalões de Veteranos I por Luís Sousa (Clube TAP) e Helena Tiago (CDCE).

Os Campeonatos Nacionais de Ori-BTT da época de 2001 / 2002 tiveram lugar a 23 de Março, em Boleiros (Ourém) e contaram com a participação de 96 atletas distribuídos por sete escalões. Soares dos Reis (ADFA) conquista o título nacional de Seniores Masculinos, quebrando assim a invencibilidade de Eduardo Sebastião (Clube TAP), após cerrado despique entre ambos os contendores que terminam separados por escassa margem. Quem viu igualmente interrompida a série de três títulos nacionais consecutivos no escalão júnior foi Fátima Matoso, substituída no lugar cimeiro por outro grande nome da Orientação Pedestre: Raquel Costa (CDCE). Mas as caras novas na posse de títulos nacionais não se ficam por aqui. Ana Oliveira (ADFA) venceu em Seniores Femininos, Paulo Mourão (CLAC) e Fernanda Moedas (CLAC) triunfaram em Veteranos I e Francisco Moura (Montes e Vales) levou de vencida o escalão de Veteranos II, batendo o anterior campeão no escalão, Armando Santos, por escassos 21 segundos. Repetente só mesmo Daniel Marques (COC), ainda no escalão de Juniores Masculinos.

O “regresso” de Alice Silva

O CPOC teve a responsabilidade da organização dos Nacionais de Ori-BTT da época de 2002 / 2003. Em 21 e 22 de Junho a “caravana ori-btt’ista” ruma a Montemor-o-Novo e são em número de 161 os atletas presentes, 101 distribuídos por sete escalões de competição e os restantes pelos escalões de “passeio”, “aberto” e “pares”. Daniel Marques (COC) prosseguiu a sua senda vitoriosa, alcançando o título nacional sénior masculino, batendo-se intensamente com Lourenço Lopes (NADA) e Miguel Tolda (CLAC) ao longo das duas provas que constituíam o programa. Ao seu lado, Maria Amador (aeGIST) regressa às vitórias, conquistando o terceiro título nacional sénior feminino da sua carreira. Marco Martins (aeGIST) ocupa o lugar deixado vago por Daniel Marques, vencendo o escalão júnior masculino e iniciando, também ele, uma série vitoriosa.

No escalão júnior feminino, a vitória coube a Rute Cansado (CN Alvito). Francisco Moura (Montes e Vales) “reincide” em Veteranos Masculinos II e Alice Silva (aeGIST) arrebata o seu segundo título nacional, agora em Veteranos Femininos I, depois de ter sido a primeira campeã nacional sénior. Finalmente, naquele que foi o escalão mais disputado destes Nacionais, Pedro Serralheiro (COC) estreia-se a vencer em Veteranos Masculinos I, sobrepondo-se a Jorge Baltazar (aeGIST) e Paulo Pedro (Clube EDP) por apenas 9 segundos e 33 segundos de diferença, respectivamente.

As estreias de Filipe Reinote e Carla Freitas

A época de 2003 / 2004 leva os Campeonatos Nacionais de Ori-BTT até Chaves, pelas mãos do Montes e Vales. Conforme já aqui se disse, Filipe Reinote (COC) interrompeu a série vitoriosa de Daniel Marques, conquistando o título nacional sénior, de parceria com outra estreante, Carla Freitas. Marco Martins e Alice Silva (ambos da aeGIST), em Juniores Masculinos e Veteranos Femininos, respectivamente, repetiram os títulos alcançados na época anterior, enquanto Francisco Moura (Montes e Vales), em Veteranos II, fez o “tri”. Quanto aos dois restantes escalões, Isabel Fialho (CN Alvito) venceu em Juniores Femininos enquanto o título nacional de Veteranos Masculinos I voltou, três anos depois, à posse de Luís Sousa (Clube TAP).

A aeGIST – Associação de Estudantes Graduados do Instituto Superior Técnico leva a efeito a 28 e 19 de Maio, em Sintra, a sétima edição dos Nacionais de Ori-BTT. A inclusão dos escalões de Juvenis Masculinos e Femininos no figurino dos Campeonatos marca a grande alteração da época de 2004 / 2005. São agora nove os títulos nacionais em disputa e Gonçalo Cruz e Ângela Silvério sagram-se os dois primeiros Campeões Nacionais Juvenis de Ori-BTT. Presença habitual nos lugares cimeiros dos Campeonatos, Daniel Marques e Maria Amador levam de vencida o escalão Sénior, alcançando cada qual o quarto título nacional da sua carreira. Marco Martins (Juniores Masculinos), Luís Sousa (Veteranos Masculinos I) e Alice Silva (Veteranos Femininos I) alcançaram o terceiro título nacional das suas carreiras, nos escalões respectivos. Ana Porta Nova é presença saudada no lugar mais alto do pódio de Juniores Femininos, o mesmo sucedendo com Inácio Serralheiro, em Veteranos Masculinos II.

O despontar de Ana Filipa Silva

A temporada de 2005 / 2006 vê despontar o nome de Ana Filipa Silva como um dos grandes valores da Orientação em BTT portuguesa. Na prova organizada em Grândola, nos dias 13 e 14 de Maio, pelas mãos do Clube da Natureza de Alvito, a atleta alcança o primeiro título da sua carreira, juntando o seu nome ao do “repetente” Gonçalo Cruz no lugar mais alto do pódio de Juvenis. Daniel Marques volta a triunfar no escalão de Seniores Masculinos, tendo agora o seu lado a “regressada” Carla Freitas. Outro nome que regressa às vitórias, quatro anos volvidos, é o de Paulo Mourão no escalão de Veteranos Masculinos I. Pedro Neto triunfa em Juniores Masculinos, enquanto Ângela Silvério repete o título conquistado no ano anterior, desta feita no escalão de Juniores Femininos e Inácio Serralheiro “bisa” igualmente em Veteranos Masculinos II. A última palavra vai para Luísa Mateus, líder incontestada do ‘ranking’ da Taça de Portugal desde 2003 / 2004, mas que apenas à terceira tentativa chega ao título nacional de Veteranos Femininos I.

A “vingança” de Susana Pontes

Organizados pelo NADA – Núcleo de Aventura e Desporto de Albergaria dos Doze, os Campeonatos Nacionais de Ori-BTT da época de 2006 / 2007 têm lugar a 10 e 11 de Março, em Penela, neles se assistindo a uma autêntica revolução. A Distância Longa deixa de ter a exclusividade, passando a repartir as atenções com a Distância Média e o Sprint. E no que aos escalões de competição diz respeito, verifica-se o aparecimento do escalão de Veteranos Femininos II. Neste novo figurino, muitos são os nomes emergentes, dois dos quais, Susana Pontes (CPOC) e João Ferreira (DA Recardães), alcançam o pleno vitorioso. Dominando o ‘ranking’ da Taça de Portugal desde 2002 / 2003, Susana Pontes teve de aguardar cinco longos anos até ostentar um título nacional. Acabou por ter aqui a sua “vingança”, não concedendo quaisquer veleidades à concorrência e somando ao título de Distância Longa, os títulos de Distância Média e de Sprint, no escalão de Seniores Femininos.

Igual desiderato foi alcançado por João Ferreira, em Juniores Masculinos, Gonçalo Cruz e Ana Filipa Silva (ambos do CPOC), em Juvenis Masculinos e Femininos, respectivamente e Fernanda Moedas (CLAC), em Veteranos Femininos I. Vitórias repartidas no escalão de Seniores Masculinos, com Daniel Marques (COC) a “segurar” a primazia na Distância Longa, embora cedendo na Distância Média para o seu colega de equipa Joel Morgado e no Sprint para um surpreendente Eduardo Sebastião, que regressa assim às vitórias seis anos depois (!). Outro escalão onde se assistiu a vitórias repartidas foi em Veteranos Masculinos I, com triunfos de Pedro Martinho, Rui Botão (CPOC) e Paulo Mourão, respectivamente na Distância Longa, Média e Sprint. Em Juniores Femininos, Ângela Silvério (CN Alvito) venceu as Distâncias Longa e Média, deixando para Sarah Moniz o triunfo na prova de Sprint. Idêntica situação ocorreu no escalão de Veteranos Masculinos II, com António Neves (Lebres do Sado) a conquistar o título nacional de Distância Longa e Luís Sousa a chegar à vitória na Distância Média e no Sprint, e no escalão de Veteranos Femininos II, onde Margarida Novo venceu as Distâncias Longa e Média e Paula Abril triunfou no Sprint.

Afirmações e confirmações

Na temporada de 2007 / 2008, o figurino dos Campeonatos voltou a sofrer reajustes, com a inclusão de duas novas alterações. Por um lado, os escalões de Veteranos desmultiplicaram-se, passando a disputar-se de acordo com os seguintes escalões etários: H35, H40, H45 e H50 (sector masculino), e D35 e D45 (sector feminino). Outra grande novidade prende-se com o desaparecimento da prova de Sprint, para dar lugar ao Campeonato Nacional de Estafetas. As provas tiveram lugar de 25 a 27 de Abril, em Cantanhede, numa Organização do DAR – Desportivo Atlético de Recardães.

Começando pelos títulos individuais, apenas em dois escalões o vencedor não acumulou ambos os títulos em disputa. Foram os casos de H35 e H45, com Inácio Serralheiro (COC) e António Neves (Lebres do Sado), respectivamente, a levarem de vencida a Distância Longa, deixando os títulos de Distância Média para José João Moura (Clube EDP) e José Marques (CP Armada). Em Seniores, triunfos de Daniel Marques (COC) e Susana Pontes (CPOC), relegando para segundo plano Paulo Alípio (COC) e Maria Amador (ATV). Luís Pires (COC) e Ana Filipa Silva (CPOC) arrecadaram os títulos no escalão Júnior enquanto João Figueiredo (CN Alvito) foi “mega” em Juvenis Masculinos, destronando Gonçalo Cruz (CPOC). Alice Silva e Jorge Baltazar, ambos do GDU Azóia, levaram para casa os títulos de D35 e H40. Luísa Mateus (COC) triunfou em D45 e Luís Sousa (Clube TAP) somou mais dois títulos nacionais ao seu vasto pecúlio, desta feita em H50.

Daniel Marques e COC, os grandes dominadores

O primeiro Campeonato Nacional de Estafetas confirmou o nome do COC – Clube de Orientação do Centro, como o grande dominador da Ori-BTT em Portugal. A turma de Leiria alcançou quatro títulos nacionais (Seniores, Juniores e Juvenis Masculinos e H35), contra um título do GDU Azóia (Seniores Femininos) e outro da ADFA – Associação de Deficientes das Forças Armadas (H45).

Contas feitas, com oito títulos conquistados, Daniel Marques lidera a lista de Campeões Nacionais de Ori-BTT. Imediatamente atrás de si, com sete títulos, encontra-se Luís Sousa, enquanto Alice Silva e Ana Filipa Silva alcançaram até ao momento seis títulos cada uma. Susana Pontes e Gonçalo Cruz ostentam cinco títulos nacionais na sua conta particular. Finalmente, com quatro títulos, encontramos um quinteto: Eduardo Sebastião, Maria Amador, Paulo Mourão, Fernanda Moedas e Ângela Silvério.

No plano colectivo, apenas 13 clubes levaram de vencida pelo menos um escalão dos Campeonatos Nacionais de Ori-BTT. O COC, com 30 vitórias - 19 das quais só nas duas últimas épocas! -, é o nome maior desta lista. Seguem-se CN Alvito e aeGIST – Associação de Estudantes Graduados do Instituto Superior Técnico, com oito vitórias, enquanto a ADFA, ATV - Académico de Torres Vedras e CP EDP Sines alcançaram quatro títulos cada.

[trabalho baseado numa recolha de Luís Santos, a cujo cuidado e dedicação aqui deixo o meu publico reconhecimento; foto recolhida do álbum de João Ferreira em
http://picasaweb.google.pt/joaoferreira.ori]

Saudações orientistas.

JOAQUIM MARGARIDO

.

Sem comentários: